Assine aqui para receber atualizações deste blog

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

DIVERSIDADE UMBANDISTA - CONTINUAÇÃO

     Vou hoje fazer uma postagem para complementar a anterior com uma pergunta que inicialmente pode parecer sem propósito, mas ela poderá trazer, conforme as resposta e suas colocações, um resultado muito interessante e que quem sabe até possa servir como orientação aos vários dirigentes dos terreiros que são os responsáveis pela diversidade religiosa da Umbanda.
Antes de publicá-la quero esclarecer que ela foi fruto de uma conversa com o Pai Fernando que realmente foi quem levantou a questão principalmente em função das colocações feitas por todos no tema anterior, uma maioria ampla pela aceitação da diversidade na Umbanda.
Vai a pergunta: COMO VC CONSEGUE ENTENDER AS DIFERENÇAS DOS VÁRIOS LIVROS SOBRE A UMBANDA PRINCIPALMENTE PELA FILOSOFIA DOS AUTORES. Vamos lá? Aguardo as resposta.

Camila.

19 comentários:

  1. Usando o bom senso e o discernimento.
    É necessário ser criterioso, analisar... seja lendo livros de Umbanda ou qualquer outro...saber que não existe verdade absoluta em nenhuma área do conhecimento humano.

    Saravá!

    ResponderExcluir
  2. Utilizando também a diversidade, respondo com uma citação de Buda:

    "Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.
    Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.
    Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.
    Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.
    Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.
    Mas depois de muita análise e observação, se você vê que algo concorda com a razão, e que conduz ao bem e beneficio de todos, aceite-o e viva-o."

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Concordo com a Jurema usando o bom senso e a partir da observação do andamento do nosso próprio terreiro o que não impede que na dúvida se peça ao Pai de Santo auxílio.

    ResponderExcluir
  4. Acredito que, como seres eternos e com necessidades específicas de evolução em cada encarnação, recebemos orientações específicas dos espíritos. Não é diferente com cada dirigente de Terreiro e por conseguinte, autores de livros etc. O problema esta em achar que apenas um está correto. Cada um está numa classe diferente nesta escola de aprendizado que é a vida e precisa de ênfases diferentes. Compreensão e humildade são necessárias pra não se julgar errado ou certo. Existem afinidades entre energias, idéias etc. Apenas julgamos mais certos aqueles com os quais temos afinidade vibratória, energética e provavelmente resgates a serem feitos.

    ResponderExcluir
  5. Pra mim Umbanda certa é aquela que meu Pai de Santo me ensina. Os livros são ilustrações e fonte de pesquisa para novos questionamentos.

    Alice-Floripa

    ResponderExcluir
  6. Alice,
    Estamos juntas nessa.

    Camila

    ResponderExcluir
  7. Jurema e Célia,
    As postagens foram feitas com muito bom senso, gostei.

    Camila

    ResponderExcluir
  8. Cerridwen,
    Você teve muita felicidade na escolha do texto.

    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  9. Ahh Camila, o 10 é meu,rs..não do Sidão. bjo Desirée

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desi,
      Errei o cônjuge mas então transmito o 10 para você e zero para ele.

      Camila

      Excluir
  10. Acredito que as diferenças existam para suprir as necessidades dos diferentes tipos de pessoas e crenças. Mesmo em cultos umbandistas, nenhuma casa é igual a outra, os pontos são diferentes, a energia é deferente, as entidades trabalham de maneira diferente...isso tudo porquê? Por afinidade dos médiuns: uns gostam de atabaque, outros não, são muitas as diferenças encontradas nos terreiros e é por essas diferenças que a Umbanda cabe a todos, pois tem maneiras diferentes de lidar com a mesma situação, há os que preferem o trabalho dos exus, mas há os que preferem o trabalhos dos pretos-velhos, ou ainda os caboclos, marinheiros, ciganos...e por aí vai! Assim como as entidades são diferentes, nós somos diferentes e as recebemos de maneiras diferentes, enquanto estivermos no propósito de paz, amor, humildade e caridade todas as inúmeras maneiras são válidas!
    Axé!

    ResponderExcluir
  11. Acredito que as diferenças existam para suprir as necessidades dos diferentes tipos de pessoas e crenças. Mesmo em cultos umbandistas, nenhuma casa é igual a outra, os pontos são diferentes, a energia é deferente, as entidades trabalham de maneira diferente...isso tudo porquê? Por afinidade dos médiuns: uns gostam de atabaque, outros não, são muitas as diferenças encontradas nos terreiros e é por essas diferenças que a Umbanda cabe a todos, pois tem maneiras diferentes de lidar com a mesma situação, há os que preferem o trabalho dos exus, mas há os que preferem o trabalhos dos pretos-velhos, ou ainda os caboclos, marinheiros, ciganos...e por aí vai! Assim como as entidades são diferentes, nós somos diferentes e as recebemos de maneiras diferentes, enquanto estivermos no propósito de paz, amor, humildade e caridade todas as inúmeras maneiras são válidas!
    Axé!

    ResponderExcluir
  12. A pergunta foi "qual a Umbanda que eu acho certa?"...ou como eu "faço para entender as diferentes filosofias dos autores de livros de Umbanda"?
    Porque eu acho que a Umbanda certa é aquela a qual eu tenho afinidade e portanto aquela que pratico...porque se não a achasse certa por certo não a praticaria.

    Jurema

    ResponderExcluir
  13. O ser humano sempre deve ser respeitado em sua diversidade. Isso inclui sua cultura e sua religiosidade. A pluralidade de pensamento deve ser sempre defendida. Nao ha preço que pague a liberdade. A dificuldade de saber como escolher o que é certo sempre sera menor que qualquer a ideia unica ou imposta. Democracia sempre! Saber escolher tem aspectos individuais e coletivos. A intuicao é boa e o estudo também. Pq temos que exluir ou valorizar um ao outro?

    Os artigos/livros sites sao importantes sim quem nao é capaz de escrever se incomoda. Os sites e blog tb. Mas os ritos, as giras e a pratica umbandista tb é fundamental.
    Tudo se completa e a diversidade garante que existam as opcoes. Cada casa seguira as suas.

    Ha na ciencia e nas universidades ou na internet e na vida coisas ruins e coisas boas e assim como na vida cabe a cada um escolher. Mas devem todas existir. Por exemplo, ha blogs ruins na internet que apesar de certo barulho sao superficiais e comerciais, mas por isso vamos condenar toda a internet? E o nosso blog como ficaria e outros tb muito bons?
    A questao fundamental é a escolha... O que nao for bom vai se perder. Claro que devemos defender nossos direitos e combater intolerancia e todo tipo de violencia, mas tb nao podemos ficar de bracos cruzados so lamentando. Vamos construir nossa casa de tijolo depois chamamos a policia pra prender o lobo que soprou as casas de palha ...

    O fundamental nessa escolha que cada um faz neste campo é enteder o que segue seu terreiro e o que diz seu pai de santo.

    Aí se pode seguir pela estrada da vida e aproveitar o que uma paisagem diversa pode oferecer.

    abrcos e axe

    Sidney


    Po Camila me da um 7 vai....

    ResponderExcluir
  14. Minha mãe sempre diz uma coisa certa "sabedoria esta no terreiro, no convivio com os irmaos e nos trabalhos espirituais".

    Hoje em dia esta ate meio complicado de confiar e entender esses livros atuais, cada um diz uma coisa.

    Para entender melhor é pegar a melhor parte do livro compartilhar com o dirigente do terreiro para ver se ele aprova o ensinamento citado no livro!!

    So assim entenderemos melhor.

    Lembrando que sabedoria nunca é d++ desde que se venha dos melhores autores e das melhores fontes!!!!

    abraços!
    Gustavo Silveira

    ResponderExcluir
  15. Gustavo,
    Você deve absorver aquilo que passa pelo crivo da tua razão.

    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  16. Uma filha de corrente certa vez me escreveu dizendo que pesquisou determinado tema em vários lugares e que ficou mais confusa do que antes de pesquisar; e pedia orientação. Como ela estava numa fase de muita ansiedade ainda, respondi a ela com certa agudez:
    "- Querida xxxxx, se vc ficar procurando coisas por aí e vou deixar vc por aí procurando coisas.."

    Umbanda se apreende pelos poros.
    Axé:)

    ResponderExcluir
  17. Eu diferencio assim: se o conteúdo tiver uma construção lógica que se possa acompanhar e serve para alguma coisa, eu anoto. Se não tiver, se for do tipo de coisas que só o autor conhece e está supostamente revelando aos mortais, eu desconfio que é só mais um vaidoso querendo criar seguidores e descarto.
    Por ex., se um autor afirma que os fundamentos da Umbanda advém de mistérios ocultos que estão inscritos em 78 placas de nefrita verde enterradas no planalto central do Brasil, tomo isso como uma mera suposição pessoal do autor, e como não serve para nada, descarto imediatamente.

    Umbanda é trabalho, o resto é papo furado. Saravá!

    ResponderExcluir