Assine aqui para receber atualizações deste blog

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

VAMOS DISCUTIR?

Sempre se ouviu falar que a Umbanda é paz, amor, respeito e caridade. Claro que é. O fundador Zélio de Moraes com o Caboclo Sete Encruzilhadas justificou que a Umbanda estava nascendo para os espiritos dos caboclos e pretos tivessem oportunidade de deixar suas mensagens de amor. Claro que só isso já justificaria a sua existencia. Mas existe mais, muito mais, que não se discute abertamente. Gosto de levantar a cortina para ver o que está acontecendo além dela. A Umbanda tem uma ancora, aquela que a segura como necessária a sua criação. Sem ela a umbanda deixaria de existir. Será só o amor e caridade? Ou só a oportunidade para os espiritos dos caboclos e pretos se manifestarem. Ou ainda será o resgate carmico dos envolvidos na descoberta do Brasil? Tem mais. Onde a Umbanda é eficiente e se não trabalhasse nessa área não se justificiaria sua existência? Vamos lá? Estou aguardando as postagens para nós juntos descobrirmos a verdadeira atuação da Umbanda. FMG

33 comentários:

  1. Olha Pai Fernando, ontem seu Zé Pretinho falou pra Camila, numa "simpatia" que ele sugeriu que fizesse, onde uma cocada era dividida em doze pedaços porque tudo que se divide em Umbanda se multiplica.Aí vi outros pontos onde havia pedacinhos de côco, pedacinhos de cocada e outras coisas. E lá na minha cabeça ele falava tudo que se divide em Umbanda se multiplica. Pra outra pessoa falou que tudo que se diminui em Umbanda aumenta e olhou pra pessoa e falou: estranho não? E saiu rindo do jeito dele...Como trabalhamos com energia a conta só pode ser feita através dela: onde se divide energia boa ela se multiplica, o que é óbvio até pra mim. Mas afinal oque será que ele quis dizer com o que se diminui na Umbanda só aumenta? Aí fui eu colocar no espelho né? Algo que vc aumenta na Umbanda e ela por si só diminui? Talvez seja aquele orgulho bobo de pensarmos que sabemos tudo evem umaentidade e diminui ele mostrando que não somos tão bons.Sentimentos são formas de energia.Só estou divagando, porque as vezes perguntas simples são mais ricas que imaginamos. O que o sr acha disto Pai Fernando?

    ResponderExcluir
  2. Andréa, como sempre o preto Velho deixa mensagens cheias de interrogações para que nossa cabeça faça uma reflexão. Talvez a minha pergunta não seja tão simples, mas depois de algumas postagens vou ser mais objetivo para chegarmos a uma conclusão. FMG

    ResponderExcluir
  3. Mucuiú, pai Fernando!
    Boa noite a todos.

    Não sou muito adepta a falar que Umbanda é paz, amor e caridade...

    Esses dias estava conversando com uma médium daqui. Ela falou essa mesma frase e se pos a chorar. Pois estava vendo que nos trabalhos direto com os outros seres humanos a religião que ela escolheu para trabalhar, não era bem assim que se apresentava...

    Olha pai fernando, eu tento ter os pés no chão que que se refere a religião, seja ela qual for...Pois uma religião é cheia de dogmas e crenças positivas ( a maioria) mas as vêzes esquecemos que elas são dirigidas por seres humanos. E como eu, um ser humano é cheio de falhas e defeitos.

    Já passei por inúmeras religiões e já tive inúmeras decepções, como alguém deve ter tido comigo tbém...
    Bom, eu acredito que a nossa religião tenha em seus seguidores (os médiuns) uma oportunidade de nos reconhecer como seres humanos falhos, que precisa melhorar e se modificar...Todos conseguem? Não! Nem todos. Mas alguns ainda buscam.

    Creio eu que uma pessoa que se dedica a Umbanda tem algum princípio altruísta. Nem que seja pouco mais tem! Tbém acredito que nós que somos médiuns temos a oportunidade de resgatar cármicamente os nossos "erros do passado". Pois a maioria das pessoas que vão para a Umbanda não vão pelo amor...E sim pela dor causada pelos embates da vida.

    E os espíritos tbém estão nessa mesma linha. Estão nos trabalhos da terra para continuar sua evolução. E claro, como eles estão numa ótica melhor que a nossa eles sempre vem com palavras de conforto.

    É por isso que eu sempre falo que o nosso maior compromisso na Umbanda ou em qquer religião que vc se proprõe a se dedicar, ela tem que primeiro ser com a espiritualidade. Pois quando vemos médiuns, dirigentes e pessoas de confiança " sairem do propósito" não nos sentiremos tão abandonados ou decepcionados.

    Por isso que eu falo do propósito: A Umbanda é amor, paz e caridade?
    Não! Pra mim a Umbanda é trabalho, dedicação e reforma íntima. Porque sem esses requisitos básicos caímos nas armadilhas do egoísmo, da vaidade e de achar que a espiritualidade nos servem. E dependendo da minha intenção interior ela se perde, e pode levar algumas pessoas junto comigo...É isso.

    Axé.

    ResponderExcluir
  4. Desirée - Curitiba- PR2 de dezembro de 2009 02:37

    Pai Fernando, penso em magia e magia da natureza. Apenas a Umbanda resgata a ligação mágica dos elementos naturais de forma a nos mostrar tal força.

    Outras religiões também trabalham a caridade e o amor, mas a força de cada molécula do planeta só a Umbanda..só nela vemos a força que pode existir no giz da pemba, no ponto riscado, na água, na luz e força do fogo, na planta, no incenso, nas pedras, no aço....como as entidades nos curam e nos restauram eu não sei...só sei que pelos sustos que levamos com o resultados deles, estamos muito distantes desta realidade natural..... e só ela nos aproxima destes conhecimentos milenares perdidos nos séculos.

    Muitos estudiosos escreveram sobre isso, Jung por exemplo, mas é tão mais interessante, vivo e tocante quando por meio de um destes elementos usados, temos resolvidas grandes questões de nossa vida. Nada como um benzimento de uma Preta com arruda..ou uma saravada de espada de São Jorge por Ogum, ou sentir o incenso de uma cigana penetrar a sua alma. Lindo, lindo e mágico. Isto PARA MIM é o único da Umbanda.

    Saravá que já to com saudade por conta das férias q se avizinham..

    ResponderExcluir
  5. Luna, sempre digo que as religiões são imperfeitas porque todas elas são transmitidas pelo homem e não pela Divindade diretamente. No caso, pois, vc tem razão. Todavia na assertiva que a maioria não vai pelo amor, vc está enganada, ao menos aqui em nosso terreiro. Para ser mais coerente, eu digo que as pessoas entram na Umbanda atendendo um chamado dos espiritos. Estamos aumentando as opiniões sobre a nossa religião, tanto que a Desirée, em tópico bem interessante destaca a magia que a Umbanda nos oferece. FMG

    ResponderExcluir
  6. Oi Pai Fernando. Bom dia!

    Na verdade quando me referí que muitas pessoas não vão para a Umbanda pelo amor e sim pela dor, foi uma visão ampla da religião e da comunidade Umbandista daqui que conheço. Pode ser quer no Pai Maneco seja diferente.
    É isso.

    Axé.

    ResponderExcluir
  7. "Umbanda, manifestação do Espírito para a caridade". É assim, nas palavras do C7E, que meu coração define a religião em que estou.

    Fui batizado Católico, passei pela igreja Luterana, Zoroastrismo, Rosa Cruz, Candomblé... fui e sou Espírita desde que Estes me provaram Sua existência. A Umbanda é a religião que sigo fielmente hoje aqui na Terra, observando a Natureza e assimilando seus ensinamentos.

    Digo que estou Umbandista pois não deixei outra religião para me tornar Umbandista, apenas a camisa da Umbanda está vestida sobre as outras, que continuo a usar. O que se aprende de bom não deve ser esquecido.

    A gente aprende com todas as religiões, e, acredito que podemos tirar proveito destes ensinamentos de forma perene, pois seus dogmas estão ligados e são o liame a outro mundo, que não é este.

    Sigo, propago e trabalho na Umbanda porque Ela, até hoje, é a forma mais completa que encontrei para buscar, e me religar, a essência divina presente dentro de todas as coisas. É o Axé.

    Me entrego aos Espíritos, para que possam trabalhar através de mim. Amor e fé, amor ao próximo sem distinções, sem olhar rótulos antes de amar, incondicionalmente apenas amo. Fé, acreditando nos Espíritos sem discutir, sem duvidar, sem titubear.

    Fé em Zambi, que vem em 1º lugar na minha vida. Vivo ou morto sou Umbandista pois acredito no amor e na verdade, como instrumentos definitivos para construção de um mundo melhor. Só a verdade liberta! Só o amor constrói.

    Seguindo as instruções dos Espíritos sigo adiante, buscando ser melhor para mim mesmo e desta forma sendo melhor com os outros. Vou seguindo seus passos Pai Fernando.

    Quanto a perfeição, ela não é deste mundo, entretanto quando buscada incasavelmente nos torna espelhos cada vez mais polidos, no qual é refletida a imagem de Deus.

    Saravá Umbanda! Saravá Quimbanda! Saravá vocês!

    Axé!

    BOAS FESTAS!

    ResponderExcluir
  8. Saravá Pai Fernando.
    Acredito no meu ver, que a Umbanda é tudo isso que o senhor previamente listou e muito mais.
    A umbanda veio para combater a discriminação de uma elite passada e de uma discriminação silenciosa atual, veio para mostrar que ela é convergente, que sua atuação está além das fronteiras rurais das cidades, que sua linguagem é transcendental, fala por povos e raças, antigos e modernos, outros até extintos. Isso para mim, é uma forma de demonstrar a irmandade existente, é uma proposta de redenção de almas compromissadas com despertar do espírito.
    As pessoas entram na umbanda, ao meu ver, por compromisso . Por assumirem responsabilidades CONSIGO mesmos e de acordo com seu preparo espiritual, e a umbanda é uma ferramenta para fazer com que cada um desperte para as verdades do espirito.
    Como disse meu primeiro Pai de Santo: Até para fazer caridade, tem que haver merecimento.
    Então, cada um está onde deve estar, seja onde for.
    Seus elementos ritualisticos e cabalisticos, não são novos, nem exclusivistas. Pertencem a uma memória e historia da humanidade que vai além dos tempos. E como nós pertencemos a uma religião que tem por base, o principio da comunicação com os espiritos e a crença na reencarnação, somos sabidos de que nossa memoria espiritual guarda as nossas experiencias com o lado mistico, oculto e espiritual de diversas passagens pelas diversas culturas da terra, e que muitas vezes nao experimentadas de maneira ordenada e consciente, nos leva hoje a trabalhar com os mesmos elementos de forma organizada, orientada e positivamente.
    A umbanda existe ao meu ver como um instrumento para despertar o elo Cristico de cada um, para nos focar nos valores simples e fundamentais experimentados pelo Mestre Jesus e que foi burocratizado e elitizado ao longo dos tempos. Mas tbm, acredito que ela não é apenas fala de preto velho, e que caboclo por mais antigo que seja (como o que me guia), sabe o que é carro e o que é computador, afinal a terra a nossa dimensão, é uma cópia imperfeita da dimensão espiritual, que é muito mais evoluida que a nossa.
    Portanto, creio que as entidades que militam na seara umbandista, tem por vinculo seus resgates próprios, mas tbm tem por compromisso a causa Crística da humanidade.
    Essa evolução não é restrita ao solo brasileiro. Suas manifestações podem assumir roupagem conforme a necessidade,e a VOZ DOS ORIXAS é ouvida, sentida e presenciada a quem estiver pronto para isso.
    Aprendi com Seu Sete Penas, um caboclo que tem resgate com a linha indigena, mas não de nossa pátria. Porém, encontrou na Umbanda a oportunidade, a ferramenta necessária para para depurar sua propria evolução, uma vez que seu povo jaz extinto em solo norte-americano e muitos vieram a reencarnar no Brasil.
    Enfim.. acredito que as entidades tem muito para nos contar sobre o porque da Umbanda. Basta que aprendamos a romper as barreiras e os reios da nossa mente viciada, e passarmos a ter um olhar de irmandade sobre a pratica umbandista.
    Porque ela é amor, é caridade, é estudo, é disciplina, é verdade, é sentimento, é culto, é religião.... mas sobre tudo isso, ela é ao meu ver um instrumento de Deus para falar ao coração mudo do homem materialista e uma luz divina em completa transformação.
    Vou parar por aqui, se não vira uma palestra.
    Ah.. este tópico me fez lembrar que para o ano que vem farei um seminário aos centros espíritas sobre a umbanda.
    É o romper das barreiras....de uma divisão que só existe aqui. Lá em cima, o muro da desigualdade, das diferenças e do egoísmo já foi derrubado há muito.
    Sarava fraterno
    Fabille

    ResponderExcluir
  9. Estive várias vzs na Tenda N.S.da Piedade conversando e entrevistando D.Zilméia e D.Zelia9já falecida)sobre o inicio da Umbanda.S.Zelio começou manso, numa casa de kardecismo niminando nossa religião. Passou por coisas que abriram portas para nós, tipo,preconceito, polícia, perseguição.Sua casa(moradia)numa época era refugio para centenas de pessoas, as filhas contam que dividiam quarto com estranhos pois ele abrigava muita gente necessitada, inclusive pessoas que eram tidas como loucas e ele sabia que eram obsessores, além do delegado de sua cidade, em alguns casos procurava S.Zelio antes de enquadrar o miliante em busca de saber se este era marginal ou tbm tinha alguma interferência espiritual.Estas histórias me parecem importantes para a reflexão do momento que a Umbanda se apresentou, já se passaram 101 anos, estamos em outra década, muita coisa mudou, cada terreiro faz a Umbanda de seu jeito mas aquelas que fazem a caridade, que para mim não é não cobrar e sim doar-se,merecem o respeito do S.Zelio e tbm do Caboclo das Sete Encruzilhadas.
    S.Zelio começou abrindo sete casas e até sua morte já existiam milhares de terreiros de Umbanda sob seus ensinamentos. Muitos fecharam, outros ainda estão lá, funcionando no Rio de Janeiro normalmente. A verdade é que a Umbanda hoje se espalha em todos os cantos do Brasil e sabemos que aos poucos tem se espalhado pelo mundo. Nosso amigo Lauro esta começando seus trabalhos em Portugal.Isto é multiplicação, evolução. Cada época tem suas dificuldades, seus caminhos(hoje temos os evangélicos para lutar contra nós)e a Umbanda continua forte, firme como aqueles três pinheiros araucárias que estão na pintura mediúnica do S.Sete Encruzilhadas.
    Lucilia

    ResponderExcluir
  10. Oi Pai Fernando tudo bem?
    Cada um tem uma visão diferente e gosto tanto quando todos as expõem porque assim eu pego uma idéia de cada um e ajudo a montar ou amadurecer a minha!! Eu faço uma analogia, talvez boba, da umbanda com uma árvore grande, centenária. O amor e a caridade são as raízes dessa árvore, e como o senhor mesmo disse, só por isso já a justificaria. O que a difere são os galhos, como a espiritualidade, a magia da natureza, o trabalho, a dedicação e tantos outros. Como a Luna mesmo disse, e concordo plenamente com ela, muitas vezes nos decepcionamos com as pessoas de qualquer religião. Acho que isso ocorre por esperarmos muito dos outros e de nós mesmos também. E somos tão passíveis de erros, e como!! E a Umbanda nos mostra isso. Que somos pequenos diante dos orixás, dos guias espirituais e da força da natureza, mas que somos capazes de nos tornarmos melhores. Conversar com os guias de coração aberto, sabendo que posso ganhar um elogio mas também uma bronca. Isso tudo pra mim é muito mais real!! E como toda religião, é também imperfeita, mas tenho certeza que a espiritualidade, sempre na hora certa, vai podando os galhos tortos. E assim ela vai ficando cada vez maior, mais frondosa, e sua sombra (no bom sentido) vai se espalhando por todos nós!!
    Abraço a todos!!

    ResponderExcluir
  11. Lourenço Guimaraes2 de dezembro de 2009 16:15

    Olá Pai Fernando,
    Salve rapaziada,

    Eu não entendo a Umbanda como uma religião do Amor e da Caridade. Entendo a Umbanda como manifestação da Natureza. Trouxe à luz leis naturais não tinhamos acesso ou era restrito. Ora, que país seria mais propício para a divulgação deste conhecimento "secreto" que os pensadores e cientistas nem de perto vislumbravam (e ainda não o fazem), senão o que possue a maior diversidade e o maior território de florestas, restingas, caatingas e até desertos? Quem mais indicado a nos ensina-las senão os seres que nela e dela viviam, os índios brasileiros?

    A Umbanda veio autorizar que qualquer cidadão comum tenha acesso a este conhecimento através da prática ligada ao seu dia-a-dia. Assim como é popular na terra, também o é no Astral. Veio autorizar que os grandes conhecedores destes mistérios pudessem transmiti-los a quem interessasse e desejasse evoluir intelectual, emocional e espiritualmente em harmonia com o Universo.

    É lógico que o Amor e a Caridade fazem parte deste ensinamento, não como objetivo final, mas como as melhores ferramentas existentes para seguirmos em nossa evoluçao. O amor e a caridade são práticas coletivas e não individuais, o que nos indica que a evoluçao coletiva resulta em nossa própria evoluçao. Considero este um dos grandes ensinamentos da Umbanda: a importancia da coletividade. Um terreiro não se faz apenas com um Pai de Santo, um terreiro não se justifica sem a assistencia, ninguém sai do lugar se o próximo também não sair. O Amor e a Caridade são os únicos meios naturais confiáveis de viver e crescer o coletivo.

    Axé,

    Lolô

    ResponderExcluir
  12. Pai Fernando, dentro da pouca experiência que tenho na Umbanda e apesar de ser um "pangaré" (rsrs) o que posso dizer é como me sinto agora.
    Tempo e espaço, referências importantes para encarnados, perdem o sentido quando planos diferentes se entrelaçam. Estar lá e cá, no mesmo momento, é emocionante. A consciência de sermos espíritos (encarnados ou desencarnados) com imperfeições (em diferentes graus), a serem corrigidas, amplia o sentimento de fraternidade.
    Saber que temos acesso a forças divinas que nos apoiam, ajuda a caminhar.Preciso de ajuda e tenho muito a aprender e também sei que tenho algo a dar(mesmo que pouco),o que me torna participativa e com certa responsabilidade dentro deste processo, não só no mundo material.

    Penso que o que eu disse não é bem o objetivo deste tópico. Não me contive... é muito bom falar sobre Umbanda!!!!

    beijo fraterno

    ResponderExcluir
  13. Pai Fernando, na minha singela opinião acredito que ir até o terreiro nem que seja uma única vez já é algo maior, mesmo que só para uma necessidade específica ou para adquirir um conhecimento que a pessoa deva obter para sua vida.
    Agora, fazer parte da corrente, vejo como uma espécie de missão ou o nome que queiram dar pra algo já mais certo a ser feito aqui na terra.
    Então, pra mim a umbanda é sim uma oportunidade que alguns espirítos tenham de evoluir, mas acima de tudo creio que seja uma oportunidade para que NÓS humanos aprendamos, tenhamos um pouquinho do contato com o lado espiritual e é claro uma chance de trabalharmos e quem sabe também não evoluirmos nem que seja um pouco!

    ResponderExcluir
  14. A Umbanda tem seus fundamentos na paz, no amor, na caridade e no respeito, mas que estes não podem ser tomados somente como atenuantes da opressão ou reparação. Nao sao atitudes conformistas ou resignadas. Umbanda é praxis é luta. Esses termos devem ser tomados em seu sentido mais amplo e combativo. Umbanda nao é comtemplacao estatica, mas religacao ativa com o universo. A Umbanda respeita a autonomia das pessoas e dos povos, pq entende suas singularidades e, ao mesmo tempo, sua complexidade. Busca a emancipação integral do homem. Portanto, a Umbanda é política e é inevitavelmente transformadora. A Umbanda nos implica na responsbilidade de nossos atos e desejos. Enganam-se os que acham que o resgate dos oprimidos se dá somente no campo espiritual. . A Umbanda não é conivente com a opressão e injustiça. Basta ver a história de seu “nascimento” e perceber as palavras revolucionárias do Caboclo das 7 encruzilhadas. Significa também que as entidades e as pessoas que estão na Umbanda não estão somente por obrigação ou resgates, pois é muito mais que isso. A Umbanda é uma escolha de e por amor. Não é só reparação é, antes disso, um compromisso diante da natureza e do universo. Uma declaração de amor a vida! O homem não tem vocação para a dor, mas para o amor. As dores do corpo e da alma abrem caminhos, mas o que define a permanência é a escolha por amor. A dor cessa e leva as escolhas que não foram feitas no amor. O amor é forte e tem que ser vivido em sua plenitude. O amor pressupõe que as pessoas, os animais, os rios, os mares, enfim todo o universo esteja emancipado em igualdade e na riqueza de sua diversidade. A Umbanda, até possa tratar do individual, não pode ser descontextualizada do campo social. Seu compromisso é com o planeta e com o universo. Sua vocação é espiritual, mas também é social e coletiva. Objetiva a libertação e a emancipação do homem e não a sua dependência ou seu reducionismo. Almeja reintegrar ao homem a natureza e o faz de modo integral considerando ambos na plenitude de suas potencialidades e nisso é única. Pressupõe desenvolvimento espiritual, mas também emocional, intelectual, cultural, social, entre outros. A Umbanda não está somente nos ritos, mas na relação do homem com seus pares e como todo ser e elemento constituinte do nosso universo. Está nas giras, más está também nos direitos humanos, na justiça social, na proteção das crianças, no cuidar das matas, rios e mares, no cuidar dos animais, no enfrentamento das drogas e doenças. no respeito à diversidade cultural, na higiene e saúde, nas políticas sociais e em tudo que diga respeito ao homem e sua vida. Cheguei por amor e permaneci por amor, pq amo as pessoas que a apresentaram sem misterios e dogmas.Alias, Lucilia uma vez disse a Umbanda é muito rock and roll...
    Desi falou que a Umbanda é muito psicanalítica. Concordo. É isso!
    Acho que é muito psicanalise e rock and roll e por isso seus pés só podem estar no chao.
    Saravá Umbanda!
    Sidney Oliveira, Ctba/PR

    ResponderExcluir
  15. Nathalia, tua resposta quase chegou perpto da minha. Está se falando, o que é muito bom, o que a Umbanda é, mas eu pergunto qual o seu objetivo. Claro que é fazer que espiritos ganhem a sua evolução encaminhando os obsessores e os que estão ainda presos à matéria. Partindo desse ponto, percebe-se que a Umbanda não está só comprometida com os caboclos, pretos velho e exus, mas com todo o mundo espiritual que habita a vibração de nosso planeta. Se só o Amor, evolução e o respeito pela Natureza fossem os objetivos unicos da Umbanda, ela não teria nenhuma razão de existir. São os Caboclos, Pretos Velho e Exus que tratam dos espiritos sofredores. Vamos partir daí para um entendimento maior. FMG

    ResponderExcluir
  16. Bom Dia a todos,
    A Umbanda é formada por agências religiosas, cada qual com suas características. Dentro disto, são milhares de terreiros, pais de santo e tendas com diferentes interpretações e atuações religiosas. Creio que a marca fundamental da religião é o atendimento de apoio espiritual à assistência (aqueles que procuram os espíritos). Essa é a essência da religião: atender os necessitados, da melhor forma, é por eles e para eles que a Umbanda existe. Um palavra, um conselho, uma orientação...
    Abraço fraterno a todos,

    ResponderExcluir
  17. Mucuiú Pai Fernando
    Mucuiú Pai Béco
    Axé aos amigos do Blog

    Umbanda essa "senhora de mil faces".

    Creio que nossos amigos do blog já definiram bem a Umbanda. Amor, Caridade, Fé, Compromisso, Equilíbrio, e muito bem lembrado pela nossa mãe pequena Luna do TPM-RJ: Trabalho.

    Acredito na Umbanda como trabalho. O resgate da nossa espiritualidade que se faz pela prova da existência pós-carnal. Latente é o trabalho fraterno que se faz na liberação da nossa energia positiva. Trabalho realizado na ligação do nosso plano físico com o plano astral.

    Umbanda é a convergência do físico, mental e espiritual. A Fraternidade que religa os espíritos encarnados e desencarnados na lei do amor.

    Ela é nossa mãe suprema que nos mostra o caminho, que nos permite exercer o livre arbítrio. Que nos levanta encarnação após encarnação até que possamos nos elevar.

    ResponderExcluir
  18. Bom dia Pai Fernando!
    Com todo o respeito eu considero de extrema importância os comentários feitos até agora.
    Tudo o que se refere à Luz,Amor,Evolução,Caridade,enfim... Especificamente quanto a sua pergunta sobre o objetivo da Umbanda,pessoalmente acredito que é muito simples.
    A palavra Religião significa 'religar',assim o maior propósito é realmente de 'unir','unificar',os seres humanos independente de suas crenças.
    Cada religião com seu ritual tenta levar a ideía de amor e nós umbandistas respeitamos a todas as religiões.
    Estamos todos aqui nesta mesma época é para que possamos aprender e ensinar uns aos outros,mas a essência ainda se encontra em percebermos que unidos teremos uma força maior para perpetuar os bons sentimentos.
    É isso,com sua maneira simples de ser, a umbanda tem por finalidade a união. (e com base no cristianismo) "Ama teu próximo como a ti mesmo".
    A União Pai Fernando é um laço indispensável para uma vida de Amor e Paz!
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  19. Esta questão das entidades tratarem dos espiritos sofredores é uma questão que venho pensando há algum tempo. Os espiritos sofredores a quem a Umbanda trata são os encarnados e desencarnados, função esta que ela faz com primazia. Espirito obsessor deve ser um termo usado só em ultimo caso pois tenho visto na prática espiritos desencarnados na verdade como espiritos carentes de atenção entendimento e até pela saudade da separação. Vejo espiritos encarnados com os mesmos problemas, com carências de entendimento, com carência de significados em suas proprias vidas. As entidades tratam tanto encarnados como não com a mesma atenção.Na Umbanda na medida que atendemos somos atendidos e aprendemos, então fico pensando se a Umbanda não é uma grande escola para espíritos. Percebo que as entidades fazem com que percebamos o quanto é importante que nos relacionemos bem entre nós, o quanto é importante nossa humildade, o quanto são importantes nossos elos afetivos,pois para nós mesmos as vezes não temos respostas. Precisamos interagir e aprender, amar e buscar entendimento dentro de nossos limites. O que acontece com nosso próximo pode acontecer conosco e se estivermos unidos e equilibrados podemos superar tudo com muito mais força e alegria. Então até agora vejo que a Umbanda é como falei :uma grande escola para espíritos! Saravá!

    ResponderExcluir
  20. Entendo que o objetivo geral é a emancipacão do "ser". Emancipado, religa-se e pode efetivar sua totalidade.
    O objetivo específico é a emancipação espiritual.
    Os objetivos complementares sao as emancipacoes no âmbito politico, social, emocional, cultural, etc...

    Por "emancipacao" entendo aprendizagem, desenvolvimento, evolucao, maturidade, libertacao, etc
    Por "seres" entendo pessoas e entidades.

    Por fim, ser o continente possivel para toda essa sintese a meu ver justifica sua existencia.
    abraco

    Sidney Oliveira, Ctba-PR

    ResponderExcluir
  21. Kátia (gira da Mãe Jô)3 de dezembro de 2009 21:48

    Mucuiú, Pai Fernando!
    Sempre ouvi minha mãe dizer que Umbanda é amor e caridade. Mas,acredito que religião qualquer é amor e caridade. Se não é, não é a religião que faz isso e sim os religiosos. Daí vem aquela questão já antiga: nós escolhemos a Umbanda ou Ela nos escolheu? Claro, por que ao saber disso, posso saber se é ali que devo desenvolver o amor e a caridade. Mas, se nós duas nos escolhemos, estamos nós, a Umbanda e eu, desenvolvendo nosso amor e caridade; eu, para com o mundo espiritual, em benefício do próximo, e ela, a Umbanda, desenvolvendo o amor ao mundo espiritual, em benefício do próximo. Assim, todos evoluímos espiritualmente, nós, Umbandistas e os espíritos que trabalham na Umbanda. Creio que essa troca seja necessária para a evolução do espírito, seja encarnado ou não. Então, me parece que tudo gira em torno desse raciocínio. O que acontece ao contrário, deve ser organizado de uma forma ou de outra, e aí, só conseguiremos organizar isso com o amor e a caridade, naquilo tudo que essas palavras encerram.

    (Desculpa, Pai Fernando, isso que vou escrever agora não precisa publicar, mas tenho uma vontade danada de escrever no final, "essa é minha opinião"... brincadeirinha!)

    Saravá a todos!!!!

    ResponderExcluir
  22. Katia, a tua vontade está satisfeita. É que eu não tenho como alterar o que está escrito. Ou publico ou não. Aproveite e leia o comentário que fiz acima. FMG

    ResponderExcluir
  23. Fernando M Guimarães, pai de santo disse...
    A todos peço desculpas por não ter sido claro na postagem e realmente o que eu buscava. Todos os comentários, não podia ser diferente, retratam a Umbanda dentro de sua otica pessoal. Isso está corretissimo. Na verdade eu tentei mexer com todos para irem mexer nas partes ainda não totalmente reveladas. Todos nós sabemos que a Umbanda trabalha para o amor e caridade, atendendo em suas casas, mesmo diversificadas, todas as pessoas que estão estão em busca de alguma coisa maior, como a cura de uma doença, o atendimento aos familiares que são viciados, além de dare um grande apoio aos problemas financeiros, depressão e brigas entre casais e parentes. É impossivel relacionar todos os campos que as entidades antendem as pessoas, aliás, quase sempre com sucesso total. Essa é a Umbanda, a da magia, da Natureza e do encanto. São só rápidas pinceladas. As entidades da Umbanda são conhecidas, os Caboclos, Pretos Velho, Exus e Pombas Giras, além das linhas neutras. Mas isso não importa. Vou direto ao assunto: as entidades da Umbanda que mencionamos trabalham para quem? A quem eles socorrem? Às entidades que constituem a Umbanda trabalham para o bem e são evoluidas. Então, quem está do outro lado que mexe com milhares de terreiros em busca do socorro. São os espiritos comuns, aqueles que não fazem parte da constituição da Umbanda. São aqueles milhares de espiritos que precisam ser encaminhados e atendidos. São aqueles que de uma forma ou outra, proposital ou inconscientemente estão ao nosso lado quando não deviam estar. São espiritos carentes e que precisam ser tratados com muito carinho. Eles afetam o perispirito, transmitem sujeiras no perispírito, usam os fracos para saciarem seus vicios que os acompanham no plano espiritual. E para isso nós dirigentes e médiuns devemos conhecer o processo de tratar esses problemas e encaminhar os espiritos a lugares socorristas do espaço. Não é caso de conhecer chacra, aura, mantras, magias e descarregos. É o caso de aprender a respeitar o semelhante. Confiar nas entidades e não querer ser mais entendidas do que eles, porque ninguém é. Vamos lá gente, vamos ser médiuns, ou os intermediarios da Umbanda com o mundo material. Renovo minhas desculpas a todos. FMG

    3 de Dezembro de 2009 21:26

    ResponderExcluir
  24. Aprender a respeitar o semelhante.Somos todos espiritos em alguns momentos bons noutros maus.O seu texto me causou mais reflexão à minha condição de umbandista então acho apropriado, como um espirito que sou,com momentos de força total e de fraquezas também, falar algumas coisas que me vem. Me porto como uma umbandista de verdade quando tenho dúvidas, mas as vezes quando não tenho respostas fraquejo porque não sei esperar o tempo devido para elas se responderem, então começo a me portar como um espirito carente, por este motivo peço desculpas ao Pai Jussaro e ao senhor que também tanto já me escutou.Como um espirito de umbanda já pude auxiliar muitas pessoas a se livrarem de suas fraquezas,mas algumas vezes tive aquela pontinha de ciúmes de um espirito carente ao ver que meu pai de santo dava mais atenção a uma outra pessoa qualquer que não eu, então eu errei mais uma vez, e por isto também peço desculpas aos pais de santo que tive no TPM por ter errado.Quantas e quantas vezes recebi entidades que fizeram atos benevolentes, enquanto eu em alguns momentos julguei ser dona de uma verdade absoluta e irrevogável.Fico aqui imaginando quantas Andréas existem no nosso terreiro que acabam por ser "obsessores" da Mãe Lucilia, do Pai Beco, da Mãe Jô, do Pai Léo, Da Mãe Ritinha, do Pai Bitty.O primeiro passo acho que na Umbanda é reconhecer nossas fraquezas e tentar nos educar e é isto que estou fazendo comigo mesma com o auxílio de uma imensidão de entidades e como me respondeu uma vez Pai Fernando não há área em que a Umbanda não possa atuar como religião, poisbem ela está atuando em meu coração constantemente e olha que isto, de mudar atitudes em uma pessoa de 42 anos não é fácil, precisa de muita magia.Falei de coração aberto. Não adianta sinceramente eucombater a violência urbana sem antes exterminar a violência silenciosa, que corróe aos poucos, por isto fiz este depoimento. Saravá a nossa Umbanda!Saravá nossos pais de santo!Saravá ao nosso crescimento!

    ResponderExcluir
  25. Pai Fernando, após ler este seu último comentário, gostaria de resaltar que recentemente li um livro, que agora não me recordo o título, em que mostrava o que se têm feito no lado "escuro" do astral. A sofisticalçao de laboratórios e "engenhocas" voltadas para o mal é de assustar. Espíritos altamente capacitados que infelizmente a muito tempo estão do outro lado aperfeiçoando maneiras de interferir, prejudicar...espíritos e encarnados. Portanto vamos estudar e nos preparar para, nós soldados da umbanda, este mal combater. Cris.

    ResponderExcluir
  26. JOÃO EMERSON DA COSTA6 de dezembro de 2009 13:16

    "...AVANTE FILHOS DE FÉ..."ISSO EXPRESSA MOVIMENTO PRA FRENTE,MUDANÇA PRO FUTURO...APRENDI QUE A PAZ É UM ESTADO E QUE A GUERRA É UMA AÇÃO(EU ESTOU EM PAZ,EU FAÇO A GUERRA).PERCEBO NAS CONSULTAS QUE AS ENTIDADES PEDEM O EXERCICÍO,A PRÁTICA DE TODA A TEORIA APRENDIDA DURANTE A CAMINHADA NA TERRA,:AMOR E CARIDADE...AS PALAVRAS TEM O PESO QUE COLOCAMOS NELAS...AQUI SÃO APENAS PALAVRAS,LETRAS JUNTAS QUE FORMAM A PALAVRA...EM NÓS GANHAM VIDA,GANHAM O FOGO QUE AS INFLAMA...AMOR E CARIDADE SÃO BASES...MAS A CONTRUÇÃO DEVE IR AVANTE...PRA FRENTE...SE OS ESPÍRITOS USAM A UMBANDA COMO VEÍCULOS APENAS DE TRANSMISSÃO DE SUAS PRÓPRIAS IDÉIAS E DE SEUS APRENDIZADOS...ELES TB APRENDEM E SE ATUALIZAM(LEMBRO QUE CERTA FEITA SEO CAVEIRINHA DISSE TER QUE APRENDER CERTAS COISAS QUE NÃO VIVEU EM ÉPOCAS REMOTAS,PARA PODER AJUDAR NA DIVERSIDADE DE PESSOAS QUE SENTAM EN SUA FRENTE)...ACHEI LINDO, E OUTRAS ESTIDADES QUE JÁ VI ASSUMINDO HUMILDEMENTE SUA LIMITAÇÃO,E ENCAMINHANDO A OUTRO ESPÍRITO...ISSO QUER DIZER QUE JÁ EXISTE O FATO DA TROCA,SÃO ESPÍRITOS ILUMINADOS SIM...MAS QUE ATUANDO NA UMBANDA TAMBÉM TEM QUE FAZER O MOVIMENTO PRA FRENTE DE APRENDIZADO...ENSINAM ALGO E APRENDEM OUTRO(TROCA).ISSO SE APLICA AO MEU VER NO RESGATE CÁRMICO DO TEMPO DAS GRANDES NAVEGAÇÕES. E POR FIM CREIO NA UMBANDA SOCIAL...ELE ENVOLVE TODAS A S ARÉAS QUE NOS RODEIAM,SEJA RELIGIÃO, POLÍTICA,ECONOMIA,ARTES,DIVERSÃO...UMBANDA ATUA EM TUDO,MODERA,INCITA,APAZIGUA...VENTA,SOPRA E AGE COMO MOVIMENTO TRANSFORMADOR DE NOSSA SOCIEDADE...UMBANDA É TRANSFORMAÇÃO.ESTE É MEU PONTO DE VISTA...

    ResponderExcluir
  27. Acabei escrevendo o meu texto quando ainda estava lendo a metade dos comentários. Resolvi primeiro expressar o meu pensamento em um documento do word para depois proseguir a leitura. Pai Fernando, por fim o senhor acabou escrevendo melhor o que buscava, e não sei se o que escrevi se enquadra... mas mesmo assim gostaria de dividir minha opinião:
    A Umbanda é como um cristal multifacetado. Exibe diversos lados, tantos já mencionados. A Umbanda tem o lado mágico, tem o lado do amor e da caridade, tem o lado do resgate carmico, tem o lado da reforma íntima e tantos outros. O meu lado preferido, é o lado da justiça. A Umbanda é justa!
    Não sei se vou conseguir me explicar porque é mais uma sensação que algo racional, mas vou tentar.
    Dentro da lei nada acontece por acaso. Todos os filhos vêm ajudados, mas nem tudo que pedimos aos espíritos é realizado. Isso porque nem sempre sabemos o que é o melhor para nós mesmos, os espíritos não podem interferir em problemas de resgate carmicos (se não estou enganada) e existem muitos problemas que aparecem para nos ajudar a crescer.
    Um exemplo estúpido, mas que infelizmente já ouvi de outras pessoas é aquela famosa piadinha... “Ahhh se as entidades sabem de tudo... pede os números da Mega Sena.” Ela até pode saber, mas dentro da umbanda nunca vão te dar os números da Mega Sena, não é justo e isso não vai te ajudar a crescer espiritualmente. Os espíritos não vão trazer maridos de volta se a lição é aprender a ficar sozinha.
    Dentro da Umbanda existe o livre arbítrio, ninguém é julgado ou forçado, não existe descriminação perante outras religiões e cultos. Nós somos guiados a um crescimento espiritual e a uma maior consciência da vida. Quer uma religião mais justa do que essa?
    E é esse lado que me traz tanto conforto. Quem sabe porque no dia a dia vejo tanta injustiça, tanta coisa errada, tantas notícias que me abalam. Quando penso na Umbanda me acalmo. Quem sabe ela exista pra tornar o mundo mais justo!

    Terminando de ler tudo acho que ainda posso completar dizendo que o lado justo da Umbanda também entra em ação ao ajudar espiritos carentes e perdidos.

    Beijos a todos
    Juliana Pedroso

    ResponderExcluir
  28. http://www.youtube.com/watch?v=NtS9YuIQ1Pg

    Saravá Pai Fernando!
    Saravá Seo Akuan!
    Saravá o terreiro do Pai Maneco!
    Saravá nosso Pai Ogum!

    ResponderExcluir
  29. Mucuiú Pai Fernando!

    Para mim, na Umbanda, somos o reflexo de uma chave, da oração de São Francisco... "Senhor, fazei de mim instrumento de vossa paz". Somos instrumento, canal, ponte, seja lá qual nome queiram dar. Somos humildes aprendizes do canal de paz para a humanidade e para o nosso próprio coração. Pelo menos, eu sinto-me assim! Um veículo de fé e transformação.

    Grata, sempre, por ter a oportunidade de fazer parte desta grande fraternidade de luz e sinceridade.

    Saravá!
    Maria Letícia - 3a Feira.

    ResponderExcluir
  30. Salve Pai Fernando!

    "quem inventou a umbanda deve ter um propósito a compensar"

    Sinceramente acredito tanto nas forças naturais como nas forças paranormais em que se conhece.

    Se a umbanda torna a vida das pessoas mais equilibrada, então elas são mais felizes, logo, fazem o próximo mais alegre, como uma corrente o processo avança para tornar o mundo sem desigualdades onde o número de habitantes felizes é maior do que de infelizes.

    Será que essa felicidade (cósmica) mundial afeta o universo, afeta os outros planetas, beneficia alguém? (fora nós mesmos), essa energia positiva melhora algum processo paralelo a tudo isso que chamamos de "VIDA HUMANA"? Interfere no espaço sideral?

    Pois nós acreditamos na força do pensamento. Cura a distância. Na força das entidades. Sabemos disso!

    Estamos sendo direcionados para essa vibração, para este equilíbrio emocional que melhora nossa vida.

    Espiritualistas descrevem que "um espírito desencarnado vibra de vontade de vir a Terra..." quem sabe ele deve primeiro dar para depois receber...

    Voltando ao assunto, se a energia boa transmitida pelos humanos faz bem para o sistema cósmico do Universo, de alguma forma, algo pode estar sendo manipulado, e, quem manipula objetiva alguma coisa. (já mencionei que acredito em espaço-nave e disco-voador)

    Saravá!!

    ResponderExcluir
  31. Tom Sant'Anna CEEIC Opaêan14 de dezembro de 2009 15:33

    Em todas as grandes criações da humanidade o que se busca é o conforto e a limpeza dos pré-conceitos , escrevo assim mesmo pré-conceitos , afinal muitas são as informações que desconhecemos e que , por simplesmente não saber exatamente do que se trata já fixamos idéia de que não é boa , ou de que não é legal , ou que “pode ter alguma coisa estranha aí” !!!

    Quando Seu Sete ao lado de todo um Grupo (Falange) resolveu difundir e auxiliar na elaboração da Umbanda Sagrada como mais um ponto de religiosidade a ser seguida , o primeiro ponto foi justamente a retirada de pré-conceitos.

    Até aquele momento os negros e índios e suas linhagens posteriores ; caboclos e mamelucos , eram vistos com desdém e marginalizados diante da sociedade....e prefiro não falar desta sociedade por que não abala mais.

    Mas e a cultura , os ensinamentos e as lições que este povo podia passar ??

    Essa gente já habitava a Aruanda e além de conquistar tantas coisas como encarnados também estavam buscando retribuir ao planeta.

    Conhecedores da Natureza , pois haviam habitado regiões até então nem desbravadas e entendidos nos assuntos da humilhação , perseveraram e cresceram e agora podiam doar.

    Desculpem se estou me alongando , não conheço o Senhor Fernando pessoalmente e estou aqui escrevendo por que um amigo que muito amo pediu para que lesse o texto deste blog , agradeço por isso ao Kiko Codina , por que estou tendo a chance de conhecer mais um caminho de elucidação , nesta grande rede que as vezes parece tão distante mas que nos aproxima tanto.

    Não estou falando da internet , estou falando da Vida !!E a internet é só mais uma criação para o nosso conforto e quebrando pré-conceitos.

    A Umbanda pra mim é a busca do Conhecimento , como um Filho de Oxossi não posso me privar deste sentido.

    A Umbanda é a quebra de paradigmas , a quebra dos pré-conceitos ..... só assim se conquista o bem da Humildade.

    É a visualização de um Exu trabalhando lado a lado com a linha médica , é a força de Obaluayê em contraste luminoso com mestres Hindús.

    Desta forma vemos florecer a Caridade , o Amor , a Paz .... e quem pisa nesta Terra , sem respeito não anda.

    Aqui falei de ensinamentos , de humilhação , de doação , de perseverança......Conhecimento , Humildade , Caridade e Fé.

    A Umbanda é o novo , com o auxílio do velho , sem pré-conceitos , sem tristeza.

    A nossa Vida de mãos dadas com a Natureza !!!!

    Sem fanatismos , sem apego ... pois na Umbanda não existe medo.

    Ninguém teme Oxalá , todos agradecem a ELE.

    Muito Axé a todos , que OLORUM multiplique suas forças.

    Obrigado por me escutar !!

    Tom !!!!!! CEEIC !!

    ResponderExcluir
  32. Tom, seja bem-vindo ao nosso blog. Acho que vc é o Pai de Santo do Kiko. Acho que iremos conversar e trocar muitas idéias ainda. FMG

    ResponderExcluir
  33. Eu sempre entendi q a Umbanda é caridade e amor...mas q a caridade maior não era a com os encarnados, e sim com os milhares de espiritos desencarnados seofredores, não faço distinção de entidade para espirito "comum", são tds espiritos, em um grau evolutivo diferente, acredito q um obcessor hj, um dia possa evoluir tbm e vir a trabalhar para o bem, vejo td como uma lei natural, as entidades trabalhando para o bem maior, pelas leis divinas, as msm q fazem os espiritos q sofrem buscarem ajuda, como um rio, pode até ser tirado agua dele, mas um dia vai td voltar para o lugar de origem, seja pela chuva, pela terra...sempre vão voltar para os rios e um dia para o mar...um dia tds se voltam e buscam o criador...

    desculpa se falei bobagem...sou problematica pra transmitir oq penso...
    Isamara

    ResponderExcluir