Assine aqui para receber atualizações deste blog

quinta-feira, 9 de junho de 2011

UMBANDA?

O que você não entende na Umbanda??

Camila

58 comentários:

  1. Oi, gostaria que o Pai Fernando responde-se essa minha pergunta se possível é claro.
    Bem, antes quero me explicar antes de fazer a perguntar espero que seja respondida, e tenha alguma importância para alguém, como essa dúvida pesa em mim.
    Conheço alguns terreiros, gente que faz caridade mesmo sem outras intenções, e durante minha trajetória ouvi e senti na pele um vazio referente a uma forma auxilio, que pensei que era só de minha parte material que tinha problema.
    Meu caboclo sempre diz que pode auxiliar qualquer pessoa, desde que essa seja merecedora de tal auxilio, menos o cavalo, referente ao médium a vida material, ele não pode fazer nada.
    Achei erro de minha parte ou uma mistura de pensamento, em outro terreiro perguntei para alguns médiuns e a história se repetia, muitas pessoas da assistência eram socorridas, mas os médiuns em muitas vezes cariciam de problemas financeiros.
    Isso eu vi em vários terreiros, não foi caso isolado. Agora, eu não se isso ocorre no terreiro de vocês, ma se ocorre alguém sabe me explicar por que?, a assistência material, como por exemplo: arrumar um emprego, arrumar aposentadoria, problemas de divisão de terras, falta de dinheiro. Os guias do médium não ajudam o próprio cavalo?

    Axé Marli

    ResponderExcluir
  2. Estou respondendo a pedido da Camila.



    Marli, seria um absurdo um seguidor da Umbanda não poder pedir atendimento às entidades para ajudá-lo nos seus problemas pessoais, seja ele qual for. Nunca a Umbanda vai lhe dar dinheiro, poder ou vai lhe trazer benefícios jurídicos sem merecê-los, mas com toda certeza vai lhe trazer todas as oportunidades possíveis para que suas necessidades sejam supridas, desde que isso não fira alguma lei do carma ou possa prejudicar terceiros. Essas afirmações na pergunta, inclusive com relação ao seu relacionamento com o Caboclo, na minha ótica não têm fundamento. Talvez seja uma forma de expressão. Eu jamais iria entender a razão que as entidades atendam aos consulentes e nada façam por seus cavalos. Os médiuns têm suas dificuldades, sofrimentos e mesmo falta de dinheiro. Acho que talvez os dirigentes não estejam esclarecendo os médiuns como isso possa acontecer. Não sei se vc está passando algum problema difícil e que não esteja sendo atendida pelas entidades, mas vou sugerir que a todos que experimentem fazer um teste. Aos que estão com a vida sem rumo, desorganizada façam uma entrega para o Orixá Oxum, que é a que põe tudo em ordem. Feita essa entrega, se for falta de emprego faça um amalá para o Exu. Se for falta de dinheiro um amalá para o Preto Velho. Se for um problema familiar, que faça uma entrega aos ciganos. Assim por diante os médiuns podem sim pedir e serem atendidos pelos maravilhosos guias que nos usam como instrumento de trabalho. Não podemos esquecer jamais que eles são nossos amigos e só querem o nosso bem estar. Vamos levar isso para o lado da matéria. Seria o mesmo que nosso pai carnal não nos ajudasse. Só que ele tem que saber das nossas dificuldades, o mesmo acontecendo com os nossos pais espirituais. Eles têm que saber o que queremos e precisamos, aos menos para liberá-los na interferência no nosso livre arbítrio, como muito bem explicou varias vezes em nosso terreiro o Pai de Santo Beco de Oxossi. A todos desejo sucesso e a solução dos seus problemas. Fernando

    ResponderExcluir
  3. Olá Pai Fernando, obrigada por responder, sua idéia é muito diferente das que partilhei. Vou refletir sobre o que o sr. falou. Obrigado de coração por responder, vou agarrar meu rumo e fazer minhas oferentas preciso de auxilio mesmo.

    Axé e tdo de bom.
    Marli.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Minha dúvida é em relação ao Orixa Oxala, a quem tenho muito respeito. Ocorre que busco informações quanto a energia em que este Orixa atua e quanto mais procura a convergencia é sempre pela reunião de todas as caracteristicas do outros Orixas, ou seja, é a união de Ogum, Iemanja, Xango, Oxum, Oxossi, Iansa. Ora se Oxala reune todas estas caracteristicas no meu ver deveria ser algo especial... Nesta mesma linha de pensamento não percebo a manifestação da linha de caboclos de Oxala no TPM, ou talves, eu que nao tenho percebido... podemos ver normalmente todas as linhas de caboclos traba;hando no terreiro mais Oxala ex. Caboclo Aymoré, Ububatão, Guaracy, Ubiratan entre outros caboclos de Oxala. Pelo que entendi trata-se de uma linha de caboclos que comandam trabalhos e pouco falam estou certo? Esta minha percepção quanto aos trabalhos dos caboclos de oxala em relação ao PM tem alguma relaçào com o que estou dizendo?
    Obrigado fiquem em paz!
    Augusto

    ResponderExcluir
  5. Augusto, está havendo um engano na colocação do Orixá Oxalá.não teu mas de um modo geral existem confusões a respeito da sua atuação. Não é que ele seja a união de outros Orixás. Acontece que ele não tem um campo material para atuar, por isso ele age, se for o caso, através dos outros em seus respectivos campos de atuação. Não existe Caboclo de Oxalá, por isso ele não tem incorporação. Os Caboclos Guaracy, Aymoré, Ubiratan e Urubatão são da Linha de Oxossi, sendo que os Caboclo Guaracy e Urubatão cruzam na linha de Ogum. Espero ter esclarecido.

    Axé,

    Camila

    ResponderExcluir
  6. Uma das coisas que mais me chama a atenção na Umbanda é o jogo do Obi. Antes de iniciar uma gira creio que o pai/mãe de santo faça suas firmezas inclusive em Exu. Minha curiosidade é a seguinte: quando o jogo está 'difícil", quando não dá certeza absoluta sobre o orixá regente e o pai /mãe de santo vão ao roncó o que fazem lá? E se é um jogo em que Exu inspira o Pai/Mãe de santo seria o exu regente daquela gira que faz isto?

    ResponderExcluir
  7. Andréa,

    quando o jogo está dificil o pai/mãe de santo vai na casa dos exus pedir firmeza e para afastar alguma energia negativa que esteja atrapalhando o jogo.

    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde, minha dúvida é referente ao pai e mãe de cabeça do médium.
    Quero entender como isso ocorre em sua casa, pois tenho interesse em visita-la. Na minha antiga fechou, a mãe de santo faleceu e tudo acabou. Não a mais giras e os médiuns ficaram a mercê do destino. Se eu fosse em sua casa e acaso vocês me acolhe sem como seria? Tenho quinze anos de trabalho mediúnico, como seria feito isso?
    Justifico minha pergunta por que em algumas casas se inicia o médium novamente, jogando para ver o pai de cabeça e a mãe, pois muita coisa se muda de uma casa para outra. Medium que antes incorporava e tinhas suas identidades firmes, agora numa nova casa vai começar novamente a cambonar. Gostaria de saber como vocês trabalham essas situações? É uma dúvida, por favor, não entendam mal, apenas quero entender como vocês trabalham.
    Sarava!

    Cleuseni da Silva.

    ResponderExcluir
  9. Cleuseni,

    as casas podem mudar, mas a Umbanda não. Não posso afirmar como vc iria se adequar em nosso Terreiro, mas 15 anos não se joga fora. De principio o problema nunca é o Terreiro, mas o médium que estranha até mesmo o ritual novo e a propria vibração. Aconselho que você visite o TPM primeiro, assim você tem uma noção do que é nossa casa.

    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  10. Obrigada, gostei de sua resposta, vejo uma outra forma de trabalho de vocês, e um grupo acolhedor.
    Sim a umbanda não muda, mas forma de pratica-la sim, é dificil após uns anos mudar tudo, e repensar
    novamente.
    Mas obrigada, assim que possível irei visitá-los.

    Sarava!
    Cleuseni da Silva.

    ResponderExcluir
  11. Olá, sei que varios mediuns recebem o mesmo orixá, por exemplo o caboclo 7 flechas, são todos o mesmo ou trabalham na mesma vibração? por exemplo se eu perguntar sobre a criação da umbanda pra um caboclo das 7 encruzilhadas, será o mesmo que estava com o sr. zélio no episodio do centro kardecista?
    Obrigado pela atenção.
    Lécio

    ResponderExcluir
  12. Queria saber se tem idade certa para se trabalhar em um terreiro! Eu tenho 16 anos e está cada vez mais dificíl segurar as entidades que querem trabalhar comigo. Frequento uma casa faz mais ou menos 1 ano e nos últimos três meses em todos os trabalhos que está tendo eu sinto as energias das entidades e está cada vez mais forte. Não sei o que fazer, já me aconselharam para trabalhar de canbono, mais será que não está cedo? Queria saber a opinião de vocês.

    ResponderExcluir
  13. Boa Noite, Camila.

    Não sei se aqui é o post correto mas tenho uma duvida sobre as velas na umbanda.

    Quando acendemos a vela e ela apaga, ou demora mais ou mais rapido para queimar, existe algum significado?

    Existe algum livro que comente esses fatos?

    obrigado.

    Thiago

    ResponderExcluir
  14. O que eu não entendo na Umbanda? É pq é tão difícil achar cambones nas giras.
    Eu sempre achei cambonear maravilhoso, adorava cambonear, aprendi muito, tive muitas lições... agora, como o Caboclo que eu camboneava me falou está na hora de eu parar de cambonear e me dedicar a outro aprendizado, que é o trabalho no meio... mas camboneei por 3 anos com muita dedicação, muito amor, carinho, respeito... Sempre ressaltei a importância de ser cambone com meus afilhados, acho mega importante....

    Beijinhos, Dê

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Tenho algumas dúvidas sobre o ritual no TPM.
    Já fiz parte da corrente de outro centro na lapa-Pr mas acabei deixando por estar vivendo um momento confuso, enfim agora por morar em curitiba não é sempre que posso ir pra lá então tenho ido no TPM quando posso. Mas existem algumas diferenças que me deixaram curiosas para conhecer melhor o terreiro.
    Primeiro gostaria de saber o pq de todos os membros da corrente usam guias, seriam só uma espécie de proteção, ou evolução nos trabalhos de preparação? Pois no centro em que fazia parte as guias eram concedidas aos médins que se preparavam e passavam a dar consultas, no meu caso eu era aspirante a médium ainda estava em preparação... gostaria de entender como isto funciona no tpm.
    Os membros da corrente tbm possuem faixas de acordo com uma linha seria essa a linha do seu pai de cabeça?mas creio que nem todos os membros da corrente são médiuns preparados, então como estes sabem a que linha pertencem é de acordo com o merecimento ou ja seria um ritual para se fazer parte da corrente? Pois no último sábado (11 de junho) fui no centro e pessoas que não eram da corrente entraram e foi feito um ritual para saber de que linha essas pesoas eram, na verdade não consegui ver e consequetemente enteder direito, mas fiquei curiosa.
    Também não entendo como nomeiam os médiuns que recebm guias espirituais, no caso são chamados de "pai" por receberem entidades, ou seria apenas uma atribuição aos médiuns mais velhos e experientes?
    E por último e mais importante faz algum tempo que fui da corrente e lá comecei a incoporar com facilidade. E na primeira vez que fui no tpm fiquei com medo de estranhar e não ter afinidade, pois como foi faldo ai em cima pode acontecer de estranhar a vibração ou até mesmo não ter afinidade com o trabalhos e energia. Assim, como no centro em fazia parte tbm já haviam me falado isso. No entanto realmente estranhei em primeiro momento por sentir a vibração muito forte mesmo e me encantei, pois o trbalho é super vibrante e diferente de onde eu frequentava que mesmo sendo de umbanda a energia é mais singela. Enfim, sempre que vou sinto a vibração tão forte a ponto de sentir vontade de incoporar, mas de acordo com ensinamentos que tive me controlo ao máximo para q isso n aconteça, principalmente no trbalho de purificação em que entramos no terreiro. Não achei que seria possível sentir isso por não ser da corrente, no caso seria uma afinidade com a energia da corrente, ou apenas a aproximação de guias por estar em um lugar propício a isso, ou os dois?
    E qual é o procedimento para se fazer parte da corrente, pois realmente gostei muito dos trabalhos e sinto imensa vontade de voltar para o centro de umbanda.
    Bom acho que é isso por enquanto, desculpa ser longa, mas realmente gostaria de sanar minhas dúvidas e foi a única forma que encontrei por n conhecer ninguém da corrente.

    desde já agradeço, SALVE!

    Débora

    ResponderExcluir
  16. Olá Débora, eu sou da gira de segunda feira, mas normalmente estou no sábado lá com minha mãe, eu sou Denise e minha mãe Regina, sempre ficamos perto dos atabaques, minha mãe usa cadeira de rodas, é fácil nos achar.... Se eu puder ajudá-la em alguma coisa por lá, fico à disposição. É difícil chegar sem conhecer ninguém... :o)

    Beijinhos, Dê

    ResponderExcluir
  17. Porque, quem tem xango como primeiro orixa, so pode ser filho de iansã, e quem é de iansã so pode ser de xango?

    Júnior,

    axé e desde já muito obrigado camila, ou pai fernando

    ResponderExcluir
  18. Bom dia, estudo em paralelo a umbanda e as obras espíritas do Kardecismo, gostaria de um possível explicação ou uma visão do por que muitos médiuns seguidores da doutrina espírita, partem para a umbanda sendo a mesma uma religião, onde muitos fundamentos são baseados em pequenas porções de outros ensinamentos.
    O Pai Fernando é conhecedor da doutrina e fez esse caminho, li em seu livro como foi, mas gostaria se possível mais alguns detalhes, exemplificando suas decisões que o fizeram a ingressar na umbanda. Não sou espírita, sou umbandista deixando claro, e não quero desmerecer a crença de ninguém, só gostaria de mais algumas informações, se achar a pergunta não correta ou não ética, favor desconsidere a mesma.
    Dúvida:
    O Pai Maneco era no centro Kardecista, o irmão Maneco, então poderia se falar que o grupo espiritual que auxilia o Kardecismo e a Umbanda é um só?

    Att
    Alex Manoel do Santos.

    ResponderExcluir
  19. Alex,
    como a pergunta foi dirigida ao Pai Fernando, vou pedir à ele que responda.

    Camila

    ResponderExcluir
  20. Junior, porque o masculino de Iansã é Xangô e o feminino de Xangô é Iansã.

    Camila

    ResponderExcluir
  21. Débora,
    vamos por partes:
    a guia serve para proteção dos chackras e as recebem quando fazem o amaci;
    cada faixa representa a cor do seu Orixá, o qual descobre quando tira o obi. O obi, por sua vez, pode ser tirado para as pessoas da assistência, provavelmente eram essas pessoas que você viu;
    quando falamos com uma entidade, por respeito à ela, chamamos de Pai, Mãe, Senhora, Senhor, isso não diz respeito ao médium, serve para a entidade;
    essa vibração que você sente é da tua mediunidade, mas você deve lidar com isso, para que não lhe prejudique, porque médium deve saber controlar sua incorporações e não incorporar em qualquer lugar (mesmo sendo em um terreiro, até porque se você não faz parte dele, daquela gira, não pode incorporar);
    quanto ao entrar no terreiro, você deve conhecer todas as giras, ver qual você se identifica e então procurar na secretaria quais os procedimentos necessários.

    Qualquer outra dúvida, pergunte.

    Camila

    ResponderExcluir
  22. Alex, tenho que começar a responder pelo fim da pergunta. O Pai Maneco era na linha do espiritismo tradicional (não éramos kardecistas radicais) o Irmão Maneco, mas isso não significa que os grupos que trabalham no Kardecismo e a Umbanda sejam os mesmos. Eu diria que a doutrina kardecista e a umbandista se completam, porque a primeira trabalha com a vibração e a energia dos espíritos e a segunda além da vibração espiritual com a criação de campos de força. Essa percepção dos kardecistas foi um incentivo para que eles tenham migrado para a Umbanda. Um dos principais trabalhos da Umbanda é encaminhar e atender os espíritos que fazem parte da energia negativa de nosso planeta. Só esse fato já justifica inteiramente que os médiuns que trabalham na Umbanda tenham a obrigação de conhecer, ao menos um pouco, como esses espíritos vivem dentro dessa escuridão e agem como obsessores nos encarnados. Não tenho nenhuma duvida que os livros kardecistas, principalmente os do Chico Xavier, são de grande valia para que os umbandistas possam trabalhar com mais eficiência principalmente servindo com mais preparo como cavalos das nossas maravilhosas entidades da Umbanda. Por experiência pessoal, posso afirmar que hoje na Umbanda me sinto muito mais seguro e protegido do que quando trabalha na linha do espiritismo tradicional. Mas fique certo que um dia, quem sabe, os kardecistas e os umbandistas acabem se entendendo.

    Axé,

    Fernando

    ResponderExcluir
  23. O que eu nao entendo na umbanda? São os pontos riscados. Já faz algum tempo que quero aprender o significado dos símbolos, o que juntos mostram, como saber de qual entidade é, linha e etc. Sinto extrema importancia em entender um pouco. Não sei por onde começar a estudar e buscar esse conhecimento, mesmo que leve anos. Podem me orientar por onde começo?

    ResponderExcluir
  24. Olá Pai Fernando obrigado por responder, sua resposta confirma minhas forma de ver a nossa umbanda, quando comecei a estudar as obras do Kardecismo, peguei junto umas obras de Chico Xavier, isso tem sido de grande ajuda para meu trabalho na umbanda, mas fiquei muito assustado com a vida de Chico, sua vida foi direcionada, e as qualidades que eles exigem para ser uma bom médium dentro do Kardecismo, são quase inalcançáveis. Eu fiquei muito preocupado e quase não continue o estudo no Kardecismo, medo mesmo, meus fundamentos na umbanda são muito diferentes, as entidades auxiliam o cavalo, é um acordo mutuo, onde o médium e a entidade trabalham juntos. Na vida de Chico isso é muito assustador, ele era privado de muita coisa. Mas não vou entrar em detalhes, agradeço muito o Sr. por compartilhar seu conhecimento nesse espaço. Meus parabéns e muito obrigado...

    Att

    Alex Manoel do Santos

    ResponderExcluir
  25. Alex, o Chico Xavier foi um médium diferenciado, especial e que veio para a Terra como missionário e tenho certeza que essas qualidades quase inalcancáveis nunca foram ditadas por ele. Sua humildade era muito grande para exigir isso.
    Axé,
    Fernando

    ResponderExcluir
  26. Uma dúvida: no TPM todas as mães de santo trabalham com Exu. Isso é só uma coincidência ou Pombagira não pode ser chefe da "esquerda" de uma gira ?

    ResponderExcluir
  27. Bom dia Camila,

    Alguns comentarios acima você comenta que o feminio de Xangô é Iansa. Mas eu li em um livro bastante conhecido que o Feminino de Xangô é Egunita, é correto?

    Ou o TPM não "aceita" os "novos" orixás, Oya, Egunitá, e alguns outros?

    E um medium pode receber até quantos Guias? Por exemplo a pessoa pode receber, Exu, Caboclo, Preto Velho, Ere, Cigano, Bahiano, Marinheiro, Oriente, ou será somente algumas linhas que receberá? Tipo só recebe Exu, Caboclo e Preto Velho, existe isso?

    José

    ResponderExcluir
  28. José,

    eu só respondo pela Umbanda, que não é caso da relação feita por você. Oya, Egunitá etc, não são Orixás da Umbanda.

    Camila

    ResponderExcluir
  29. Nilzo,

    isso fica na vontade dos Exus, porque a Pomba Gira é auxiliar deles. Nos casos das Pombas Giras serem chefes é porque eles permitiram.

    Camila

    ResponderExcluir
  30. Nathalia,
    o estudo sobre os pontos riscados são um pouco delicados, isso porque às vezes nos influenciam a riscá-los somente como vimos nos livros, ou outros locais que falam sobre isso.
    Na realidade existe uma peculiaridade, porque o ponto riscado na primeira vez não corresponde (em alguns casos) ao que exatamente é, isso porque na sua essência está correto, mas um ou outro elemento riscado poderá mudar, adequando ao que realmente deve ser.


    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  31. Camila, desculpe-me, mas na resposta ao José, vc não pode falar pela Umbanda, mas sim pelos preceitos seguidos no TPM. Existem outros mestres, não menos dignos, que admitem 14 Orixás, como Rubens Saraceni.
    Novamente, desculpe-me.
    Saravá
    Andréa

    ResponderExcluir
  32. Andréa e José, esse blog tem como objetivo falar sobre a Umbanda e jamais discutir ou criar polemicas. A Camila, como Mãe Pequena de um Terreiro que tem uma tradição pode falar sim pela Umbanda. Comentários nesse sentido serão aqui para a frente excluidos. Se vcs querem explicações sobre entidades que não fazem parte da Umbanda escrevam para quem vcs quiserem mas não para nosso blog. Pai Fernando de Ogum.

    ResponderExcluir
  33. Creio que todo e qualquer meio de comunicação serve para disseminar uma doutrina ou religião, isto é de extrema valia. A Umbanda tem a característica de ser uma religião de traços quase que exclusivamente do Brasil e creio que é por essa razão que se faz tão reticente a sua análise e seu estudo. Por ser uma religião nova, praticamente a mais recente de todas, ainda carece de especificações pontuais a respeito de diretrizes ritualísticas e orientações históricas e é por essa razão que me parece um pouco conflituoso discernir o último comentário. Tenho profundo respeito pelo trabalho realizado no Terreiro do Pai Maneco, eu o frequento a muitos anos e percebo o engajamento material e espiritual na tarefa de desmistificar o conceito pré oferecido sobre a prática da Umbanda.
    A minha dúvida gera na seguinte colocação, o que eu não entendo na Umbanda?
    Ao me fazer essa pergunta meu raciocínio automaticamente me leva para a seguinte análise: Qual é o limiar entre a Umbanda e outros rituais que detém em sua ritualística a incorporação de pretos, caboclos e crianças?

    Muito obrigado pela atenção.

    Forte abraço!

    Lucas Kusma

    (lucaskusma@hotmail.com)

    ResponderExcluir
  34. Bom dia Pai Fernando, minha dúvida é sobre o futuro de nossa religião. Vejo nos censo que em algumas religiões, os fiéis se multiplicam como gramado em campo vasto, onde após um batizado, se declaram seguidores e fiéis de tal religião, não vou citar nenhuma aqui, pois é apenas uma pergunta. Então, em nossa religião, ao meu entender isso é muito diferente. Eu gostaria de saber sua opinião referente a um futuro próximo, se vamos passar por essa mudança, onde os fundamentos se tornem mais “simples”, onde os anos de aprendizagem mediúnica se tornem meses ou semanas.

    Axé Neusa Corrêa

    ResponderExcluir
  35. Olá Pai Fernando, li no twitter do Pai Maneco, uma mensagem onde falava sobre uma palestra que o Sr. concedeu, sobre a vida de um Pai de Santo, como ela é, alegrias e tristezas, etc. Gostaria de saber se o Sr. tem pretensão de escrever um livro sobre esse tema?
    Eu em minha ignorância acho que seria muito importante uma obra sobre esse tema, partindo do Sr. , poderia compartilhar sua experiência nesse ponto da umbanda, existem muitos médiuns carentes de conhecido que começam o desenvolvimento mediúnico e se perdem no caminho, falta uma base. Existem muitos terreiros onde seus dirigentes são pessoas maravilhosas que contribuem em muito para a nossa religião, mas também existem aqueles que nada ajudam só confundem o povo. Na vida recorremos à leitura para nos auxiliar a preencher as dúvidas que latejam em nossa mente. Uma obra assim poderia auxiliar aqueles que geograficamente, não tem o privilégio de estar perto de terreiros comprometidos com a caridade e com o desenvolvimento da religião.
    Perdoe-me se estou sendo de alguma forma atrevido, mas seria muito interessante uma obra assim.
    Já li o livro Grifos do Passado, um ótimo livro, e de grande importância para nossa religião.
    Axé
    Luis Antonio.

    ResponderExcluir
  36. Camila ainda na pergunta do Nilzo, por exemplo se uma cabocla assume uma gira de Oxóssi numa mãe de santo ,também é por permissão dos caboclos? E no caso das pretas velhas é o mesmo caso ou na linha de pretos isto não é regra? Obrigada pela atenção.

    ResponderExcluir
  37. Kusma,
    muito boa a sua colocação, porque realmente a Umbanda possui vários rituais, o que inclusive aumenta o leque de possibilidades de existirem discussões e várias doutrinas. Quando eu falei que respondo pela Umbanda, logicamente é pela filosofia que nós seguimos, porque se eu falar da do fulano, vou ter que falar do sicrano e deixo a filosofia do Pai Maneco de lado, a qual eu acho que ainda é muito abrangente para poder ousar explicar outras filosofia.
    Achei que não era necessário falar isso, já que este blog é do Terreiro do Pai Maneco, razão pela qual não vou falar do Terreiro alheio, até porque quem responde por eles, são os próprios dirigentes.
    Mas vamos em frente, seguindo a sua pergunta, acredito que seja o fato de ter na sua essência os princípios do povo brasileiro, que justamente é a ideia da Umbanda pés no chão, o que justifica a formação do triângulo da religião, a qual é brasileira e por este fato assim nós cultuamos.

    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  38. Neusa,
    como a pergunta foi dirigida ao Pai Fernando vou pedir à ele responder, mas vou dar o meu palpite.
    No caso das pessoas se declararem fiéis, seguidoras isso eu vejo que já está mudando. Se considerar 10 anos atrás, raras pessoas se declaravam umbandistas e muitas não sabiam o que era a Umbanda. Hoje, vejo que isso mudou, espero que mude cada vez mais.
    Quanto a aprendizagem mediunica acho um pouco mais delicado, já que sempre estamos aprendendo, sempre em evolução. Não acho que exista um certo tempo em que atingimos a mediunidade plena e pronto, acabou.

    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  39. José,
    o intuito da resposta não era esse, lamento que as coisas tenham caminhado para esse lado. Realmente na tua pergunta não houve nenhuma malícia. Mas a Umbanda que eu respondo aqui, é a do TPM, por razões óbvias achei que não deveria explicar isso, já que esse é um blog do Pai Maneco.

    Saravá,
    Camila

    ResponderExcluir
  40. Olá Camila, Pai Fernando.
    Não quero prolongar a polêmica, mas lendo os comentários de José e Andréia, me vieram algumas questões. Meu pai de santo, outro dia em uma doutrina, me explicou o início da raiz da Umbanda que nós praticamos. A linha é a mesma praticada pelo TPM. E nessa explicação, me contou que a Umbanda é um universo muito mais amplo do que imaginamos, e que este universo é composto de várias linhas, entre elas, a nossa. Nossa LINHA de Umbanda - e não a Umbanda por ela só - admite somente os 7 orixás que conhecemos. Pai Fernando certamente se lembra do AFRICANO e ORIENTE que mais tarde, com falecimento do Sr. Ferro e a necessidade de tocar para frente a Umbanda que juntos praticavam, deram lugar a Iansã e Oxum - antes "ignorados" para assumir a cabeça dos filhos. Houve quem quis excluir Oxalá - por ser pai de todos - e reconhecer Nanã, tornando esta Umbanda algo mais próximo do que se pratica/praticava no Rio de Janeiro. Mas ficou isso mesmo, como conhecemos e praticamos hoje. Importante lembrar que este vasto Universo da Umbanda recebe influências de pelo menos 4 outras práticas/filosofias religiosas - kardecismo, africanismo, cristianismo e indígena. Algumas linhas de Umbanda recebem mais influências de algumas práticas/filosofias do que outras linhas, mas não deixam de ser UMBANDA. Dessa forma, dizer que Oyá e Egunitá, entre outros orixás, por não serem reconhecidos pela NOSSA LINHA de Umbanda, não são Orixás de Umbanda, penso ser um equívoco. Gosto e muito leio o site e o blog do Pai Maneco por sua prática e norte se assemelharem - ou até mesmo serem o mesmo - dos conceitos da casa que frequento. Mas imagino que as explicações e comentários aqui tecidos, firmados, conceituados, se restrinjam a linha que praticamos. Não imagino que ninguém, por mais experiente e capaz que seja, tenha propriedade o suficiente ou até mesmo permissão divina, para falar e afirmar pela religião de uma maneira geral. Umbanda é uma pratica muito plural, mas acredito que seja papel do TPM e de outros terreiros da mesma linha, divulgar essa pluraridade de maneira menos complexa e mais perto da gente. Mas ninguém pode falar por ela, Umbanda, de maneira geral a ponto de simplificar e desmerecer essa complexidade. Acho que isso deve ser respeitado. Somos uma parte de um todo. Somos oq somos, pq todos somos um NÓS. Um "nós" chamado UMBANDA.
    Abraços
    Laura Guimarães

    ResponderExcluir
  41. Não entendo algumas coisas no material de trabalho das entidades. Por exemplo:
    PEMBA - já li por aí que o pó da pemba vem da rocha de uma montanha de uma parte não sei de onde da áfrica a blá blá blá... portanto, sagrada. Mas assim... é nítido que a pemba que compramos por aí não passa de um pó, colorido ou não, compactado em formato oval. Pergunta: qual a diferença da pemba que vemos nos terreiro para o giz de quadro negro das salas de aula? (fora o formato...evidente). Tb gostaria de saber a sua explicação para a sua função nos trabalhos.
    PONTEIRAS - gostaria de saber qual a sua função, finalidade, trabalho... se a quantidade faz diferença, cor do cabo, e material.

    Obrigado
    Luiz C. Castro

    ResponderExcluir
  42. Pai Béco de Oxóssi23 de junho de 2011 19:21

    As religiões erguem seus templos com a finalidade de alí, os seguidores, praticarem os seus rituais. Sabemos que o catolicismo tem muitas igrejas. Cada uma, exceto as catedrais, tem um santo de devoção como padroeiro. São José, Santo Antonio, Santa Terezinha etc.Isto, independentemente de outros já canonizados.Existem, também, os seguidores da doutrina filosófica ou teológica de alguns religiosos como São Tomas, Santo Agostinho, São Francisco e outros que formaram ordens consagradas. O TPM, considerando que a Umbanda manipula energias da natureza, escolheu as sete principais, já conhecidas por todos, e faz a sua devoção, as Divindades que no nosso planeta, são os seus guardiães: Oxalá, Ogum, Oxóssi, Xangô, Iemanjá, Oxum e Iansã. É isso aí, gente! Pai Béco de Oxóssi

    ResponderExcluir
  43. Bom dia Camila...li o comentario do pai Fernando sobre os amalas para certos problemas....gostaria de saber para quem posso fazer um amala para me ajudar a conseguir um emprego que tanto espero mas que sempre que to quase conseguindo,pessoas com interesses pessoais me tiram do caminho...muito obrigada,
    Mariana.

    ResponderExcluir
  44. Olá! Sou filha da Mãe Alice de Ogum, do terreiro de Florianópolis, tenho uma dúvida quanto a incorporação de Cabocla. A Cabocla que estou trabalhando, chega batendo no peito ajoelhada, porém acho q isto não está certo, pois sua fala é mansa, ela é muita amorosa, minha dúvida é a seguinte: é normal essa forma de incorporação de cabocla, elas vem batendo no peito? ou, eu, por influência, estou errando, ou é assim mesmo, até alinhar energia com o espírito, é normal que ela venha diferente??? Tenho muita dúvida, pois está entidade nunca trabalhou em nosso terreiro, nunca vi, apenas sigo muinha intuição, o que é o certo, mas enquanto humana e médium iniciante cometo meus erros, só não quero interferir na essecência da entidade.
    Obrigada!
    Axé!!
    Simone

    ResponderExcluir
  45. boa tarde. sou do rio de janeiro e conheci o terreiro atraves da internet. Leio os artigos e matérias do site. Acho muito interessantes e coerentes as colocações que são feitas, por isso, gostaria de sua resposta para uma questão que foi levantada no centro que frequento: uma entidade pode trabalhar com mais de um médium? Aprendi que os guias que se apresentam com mesmo nome são parte de uma falange mas, a mesma entidade pode trabalhar com vários médiuns? Ex: se eu trabalho com determinado caboclo, ele só incorpora em mim ou, nos dias em que não estou trabalhando na gira ele pode incorporar em outro médium, em outro terreiro? Gostaria muito de ler a resposta de vcs.
    Obrigada,
    Cris

    ResponderExcluir
  46. Cris,
    apesar do comum ser falange que usa o mesmo nome e força, uma entidade pode sim incorporar ao mesmo tempo em duas pessoas. A energia dela pode se desmembrar.
    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  47. Simone,
    pela tua explicação me parece uma incorporação normal, às vezes você se assusta com a intensidade da batida, tente controlar isso. A hora que você começar a sentir vibração, peça que ela venha calma para não te machucar. Acredito que isso irá facilitar.
    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  48. Mariana,
    faça um trabalho para Oxum, assim ela fará com que as coisas se organizem na tua vida e você possa desobstruir eventuais problemas e depois (pode ser no mesmo dia) para Exu ou Preto Velho.
    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  49. Luiz,
    vou conferir a tua pergunta e oportunamente eu publico a repsosta, tá bem?
    Camila

    ResponderExcluir
  50. Qual a razão das entidades ao incorporarem relutam em dizer seu nome, ao serem inquiridos pelo consulente?

    ResponderExcluir
  51. Oi Camila. ok muito Obrigado!
    Axe Luis Antonio

    ResponderExcluir
  52. Maria,
    a dificuldade não é da entidade, é do médium. Com o tempo, havendo maior interação da energia do médium com a do espírito, haverá mais confiança (do médium) em falar o nome.
    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  53. Ok Camila! Fico no aguardo da sua resposta!
    Axé!

    Luiz C.

    ResponderExcluir
  54. Pela forma educada e com a intenção de não criar polêmicas, mas apenas para externas suas opiniões, resolvemos, eu e o Pai Fernando, publicar os comentários de Laura Guimarães, Thiago Mirando e Pai Béco.
    Desculpem-nos pela demora, mas o assunto estava considerado encerrado.

    Camila

    ResponderExcluir
  55. Olá,
    Gostaria de saber se necesasriamente somos filhos de um orixa masculino e um femino (e vice-versa), ou se podemos ser de dois masculinos ou dois feminos?
    Muito obrigada.
    Jessica.

    ResponderExcluir
  56. Jessica,
    como eu expliquei em comentários anteriores, a necessidade de você saber o teu Orixá feminino e masculino é para saber o teu Pai de Cabeça.
    Dois femininos ou dois masculinos não fazem parte da filiação, já que é preciso um feminino e um masculino.


    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  57. Muito obrigada Camila.
    Axé,
    Jessica.

    ResponderExcluir