Assine aqui para receber atualizações deste blog

terça-feira, 3 de novembro de 2009

MAIS DO QUE NUNCA, OS UMBANDISTAS DEVEM OPINAR

Inegavelmente a morte do jovem João Henrique, atropelado propositalmente por motorista embriagado que dirigia o carro só porque era torcedor de outro clube, está movendo muita gente que exige uma providencia. Nós fizemos isso com relação à Federação de Umbanda do Paraná, mas um grupo do nosso terreiro liderado pela jornalista Andréa Destefani, foi mais além e está em contato com a Assembléia Legislativa e a Camara Municipal. As duas casas querem colaborar, por isso estou pedindo a todos que façam suas postagens dando sugestões que serão levadas às autoridades. Eu antecipo a minha pedindo que sejam buscadas recompensas no comércio local para premiar, mesmo que sejam com mercadorias, os que indicarem os vendedores de drogas, principalmente nos estádios, e que resultarem em suas prisões. Voltamos ao tradicional "Recompensa-se quem indicar onde estão os bandidos". Bem, com urgencia eu peço postagens e como temos 10.000 acessos por mes, não vou entender poucos comentários. Agora é para vale. FMG

85 comentários:

  1. Fernanda Garcez - Floripa SC3 de novembro de 2009 21:29

    Mucuiú Pai Fernando!!
    Em 2009, uma medida judicial proibiu a venda de bebidas alcóolicas nos estádios de futebol e seus arrefores, e logo em seguida, foi revogada. parece meio dura, porém a medida garante, ou ao menos diminue, o consumo de alcool durante os jogos e em consequência as brigas, acidente e o vandalismos dos torcedores nos jogos, antes e depois dos mesmos. para mim, era necessário que a medida voltasse. infelizmente precisamos de medidas radicais para acabar com a violência que está associada aos jogos de futebol e torcidas organizadas. esse é a minha sugestão!!

    ResponderExcluir
  2. Mucuiú Pai Fernando,
    Ao meu ver, como li na Gazeta do Povo o problema esta nos trajetos de ida e vinda aos campos, conversando com pessoas que vão aos estágios, concluimos que seria prudente, quando houvesse aglomerações com badernas, os mesmos fossem detidos e só liberados 2 a 3 horas após o termino do jogo do dia.É necessário e urgente coibir todos os atos de vandalismos feitos antes ou após os jogos. Só medidas radicais e que podem solucionar com pessoas insensatas.
    Grande abraço,
    Eliane

    ResponderExcluir
  3. No dia a dia, nos ônibus, nas ruas, lidamos com a violência que toma conta e nos amedronta. Olhamos a publicidade da "Cidade Modelo", com melhor transporte, melhor estrutura, porém, o que realmente acontece é a realidade das grandes cidades, a diferença é que aqui em Curitiba ainda se esconde toda essa marginalização e busca fazer com que os tolos creiam que vivem em um local diferenciado.
    Não sejamos hipócritas, se houvesse segurança suficente não haveria medo de sair a noite nas ruas, tampouco de frequentar os estádios de futebol, de passar próximo de favelas ou de pegar um ônibus sem ter a plena atenção aos seus objetos, evitando furtos.
    Cadê a cidade modelo? Cadê a atuação do governo?
    Não precisamos de milagres, mas precisamos de atenção e busca de melhoria, ações de verdade e não promessas em época de eleição.
    Exijo medidas, sou cidadã que paga impostos, que se preocupa com o futuro das crianças.
    O que serão delas se não iniciarmos hoje medidas de mudança? Viverão em uma cidade aparentando guerra constante?
    Comecemos com medidas simples, mais segurança nos estádios, maior controle do que acontece nas ruas, maior eficiência em pegar reais culpados e quem sabe um real investimento nas crianças e adolescentes de renda inferior para que não sigam o caminho da bandidagem, que muitas vezes é a opção mais fácil para uma vida difícil.
    Isso é o mínimo que temos direito, está na Constituição e acima de tudo temos consciência que precisa ser mudado, antes que seja tarde demais!

    ResponderExcluir
  4. Otima idéia em Santos é assim e tb nao vende bebidas alccolicas nos estadio e nas imediacoes. Acrescente-se a isso tribunais nos estadios para julgar ali mesmo os de dentro do estadio e os do entorno, Punir judicialmente e esportivamente os clubes que estiverem envolvidos direta ou indiretamente e garantir que paguem os prejuizos as pesoas e aos bens municipais. Lista de pessoas proibidas de entrar nos estadios e obrigadas a comparecer a delegacia durante os jogos.Treinamento especial da força policial e de inteligencia. Investimento em monitoracao e acompanahmento na regiao dos estadios e corredores de acesso. Envolvimento da mídia, cadastramento de torcedores, principalmente os organizados (?), campanhas de cultura da paz nas escolas e na midia. E, principalmente, o FIM DA IMPUNIDADE.
    abracos
    Sidney Oliveira

    ResponderExcluir
  5. Fernanda Faria CWB/PR4 de novembro de 2009 01:39

    Olá pai Fernando!

    Penso q não só o consumo do alcool é o problema.
    O negócio é como as pessoas agem e procedem.
    (fui uma única vez assistir um jogo de futebol e aconteceu de passarmos(eu e amigos) pela torcida adversária.
    me senti numa arena romana aonde as pessoas uivam para o leao comer o gladiador, fiquei impressionada com a violencia gratuita das pessoas.)

    Sou a favor q penalizem o(s) time(s) monetariamente, e a(s) torcida(s), que não possam mais assistir as partidas no estádio e sim pela tv.

    me desculpem os torcedores do bem da paz.

    Mas estamos em tempos de maneiras drásticas de "tentar" fazer as pessoas a terem um pouco mais de amor no coração!!!

    muito obrigada pela atenção!

    ResponderExcluir
  6. JOÃO EMERSON DA COSTA,CURITIBA4 de novembro de 2009 02:11

    ...PAI FERNANDO,MINHA SUGESTÃO É QUE MUDE A LEI,EU LI QUE O RAPAZ QUE ATROPELOU JOÃO FILHO DA ANA...SE RECUSOU A FAZER O TESTE DO BAFOMETRO,POIS EXISTE UMA LEI QUE DIZ QUE NINGUÉM DEVE SER OBRIGADO APRODUZIR PROVAS CONTRA SI...ACHO QUE EM CASO DE ATROPELAMENTO,ISSO DEVE SER REVISTO...NÃO É MUITO MAS UM COMEÇO...REVER ESTA LEI QUE AMPARA ASSASSINOS DO VOLANTE,QUE VIOLAM JÁ ALEI DO SE BEBER NÃO DIRIJA...A LEI PRECISA MUDAR...ESSA E MINHA SUGESTÃO...PARABÉNS A FIBRA DA ANDRÉIA.

    ResponderExcluir
  7. Saravá Pai Fernando.
    Não resido em Curitiba, mas pelo que consta no meu registro de Nacimento, ainda assim sou curitibana, e também sou brasileira.
    Acredito que a violência é um resultado de fatores preponderantes como: educação familiar, social, cultural. Deficiencias do poder publico que conta com uma legislação hipócrita e furada, aliada a um conformismo de uma massa ignorante quanto aos seus direitos, deveres e obrigações.
    Pessoas que gritam por punição aos bandidos, porém no calar do voto, associam-se a impunidade elegendo "sei lá quem" por beneficios monetários e comerciais, quando não por dentaduras.
    Odeio politica. Mas desde que o mundo parece ser mundo ela existe, e se existe, quem faz com ela seja do jeito que é : podre, muitas vezes; é o próprio eleitor perdido nas seus desejos e acostumado com a condição social do país.
    Afinal, o ditado não se aplica a todos, mas vale pensar: Brasileiro tem memória fraca!

    Então meu grito de mudança, está naqueles que querem promover a difernça, seja no Paraná ou em todo o Brasil, que reconheçam que a responsabilidade de uma casa melhor depende de seus moradores, de nada adianta ao pai de familia ter boa educação se sua aplicação moral se perde em beneficio próprio.
    O mundo precisa de valores...
    O mundo precisa de pessoas que não se calem, porém não apenas gritem: façam acontecer, mexam-se e tornem-se mais responsaveis, começando no lar que é a porta de saída pro mundo.

    Abraços fraternos.
    Fabille

    ResponderExcluir
  8. Cleverson L.N,A.Silva,Curitiba disse:
    Bom dia Pai Fernando!Como amigo pessoal da família do João,especificamente de sua mãe Ana,que é uma pessoa muito simples e querida,a qual temos o privilégio de sermos amigos,sugiro:
    Que os ingressos sejam vendidos antecipadamente,com cadeiras numeradas e torcedor cadastrado.Tiraria os onibus de circulação,no período desses eventos.Explo:O jogo começa as 15:00hs e encerra as 18:00hs.No período das 13:30 às 19:30(sem onibus).Módulos móveis nas praças e terminais.Se não fosse suficiente,o torcedor(assassino),deveria ficar preso todos os dias em que seu clube entrasse em campo.Essa é minha humilde sugestão.Valeu Andréia!

    ResponderExcluir
  9. Mucuiú Pai Fernando!
    É muito difícil para mim dizer algo que seja racional, pelo menos, neste momento. Passamos uma semana com a emoção à flor da pele, acalmada porque temos Guias que nos deixam assim. Mas, até essa calmaria deve ser raciocinada, em prol das mudanças em nossa sociedade. Afinal, se estamos evoluindo é para uma nação, e não apenas individualmente. Acredito nisso. Acredito que pequenas manifestações e várias manifestações, acabarão por mudar o mundo. Utopia? Pode ser, mas, sou professora, e entendo que isso funciona dessa forma em sala de aula. Assim como nos grupos religiosos. Nunca gostei de estádios, clubes, enfim, lugares em que há uma concentração de pessoas que só sabem extravasar de forma quase animalesca, bestial. E o episódio com o João, mais uma vez, me mostrou isso. O que fazer? Educar... educar em casa, educar nas igrejas, educar nas escolas, educar no trânsito, educar sempre e em todas as situações. Campanhas para ensinar as crianças como devem se comportar em lugares públicos, como devem se dirigir aos mais velhos, aos deficientes, aos outros seres humanos. Campanhas para ensinar os pais como devem HOJE educar seus filhos. Infelizmente, parece que muitos pais não estão mais preocupados com isso. Querem que outros o façam. Educação é a palavra! Como isso vai ser feito? Grandes campanhas de educação nas cidades. Em todos os lugares. Se eu puder fazer alguma coisa em prol da violência, farei a partir da educação, mesmo que isso me tome vidas e vidas.
    Saravá aos irmãos!

    Kátia/Curitiba

    ResponderExcluir
  10. Bom dia a todos
    Sabem esses temas polemicos agente se preocupa em tratar com a maior delicadeza, pois compreende em vidas. O João perdeu a vida em um ato de vandalismo que a nossa sociedade fecha os olhos. Ato de vandalismo pelo que?! Pelo fato de derrubarem uma lei que não permitia a venda de bebidas alcoolicas em dia de jogo. Justamente para poder lucrar mais um pouco com o fanatismo das pessoas. E até onde isso vai!? Se é um deputado ou alguem do poder, as coisas não chegam as devidas providencias. Eu Gostaria que todos tivessem consciencia e realmente evitar que essas pessoas ficassem empune. Praticar a justiça é evitar a violencia. Que façamos algo para diminuir o numero de traficantes, por consequencia os consumidores de drogas. Coloquemos as manguinhas pra fora, e lutaremos pelos nossos direitos, direito de ter uma vida.

    ResponderExcluir
  11. Saravá Pai Fernando
    Concordo plenamente com sua opinião. O mundo necessita exatamente de pessoas que não se calem diante das situações.
    Precisamos mudar nossos conceitos e começarmos a reagir diante de tanta violência. Chega... Precisamos de PAZ ...... E se não nos unirmos em um bem comum, isto jamais acabará.
    Vamos nos mobilizar em prol da PAZ....
    Vamos nos unir irmãos Umbandistas....

    ResponderExcluir
  12. Mucuiú pai Fernando

    Como já li em outros post, acho tbém que deveria ser proibida a venda, e a entrada de bebida alcoólica nos estádios, e que os vândalos que destroem ônibus e orelhões ao serem autuados tivessem uma pena alternativa, penas aplicadas com mais agilidades e que nos dias de jogos tivessem que se apresentar na delegacia e limpar alguns orelhões e tubos, para assim darem valor ao patrimônio público, pois quem sabe pensariam duas vezes em destruir novamente.
    Penso eu que isso deveria valer alguma coisa, fazendo com que os que são contrários ao bem comum, tenham algum trabalho que faça com que eles pensarem um pouco pelo menos na segurança pessoal do próximo.



    A Lei tem que tomar alguma atitude em relação aos últimos acontecimentos, pois se na Declaração de Direitos humanos Aprovada pelo Brasil.
    Declaração Universal dos Direitos humanos (1948)
    “Artigo III – Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.”

    Adriana
    Ctba- PR

    ResponderExcluir
  13. Saravá Pai Fernando,

    Minha opinião sobre o assunto está formada há anos. Este tipo de violência acontece faz bastante tempo, desta vez um irmão desencarnou, n'outros episódios pessoas foram espancadas, roubadas, humilhadas e tudo de ruim sempre é produto de um só mal. TORCIDAS ORGANIZADAS.

    As torcidas organizadas promovem a violência, a intolerância e tudo em troca de um dito espetáculo. Pois o espetáculo está no campo, não nas arquibancadas.

    Em dia de jogo é bonito ver as famílias juntas nas arquibancadas torcendo. Crianças pequenas vibrando com a disputa esportiva dentro de campo. Agora não vejo graça nenhuma num bando de marmanjo gritando, pulando, fazendo de tudo pra aparecer no meio da multidão. Os astros do futebol são os jogadores, os times, o torcedor é espectador.

    Chega de batalhões armados de paus e pedras; hoje também de carros e outras armas mais letais, bando de enlouquecidos com a cabeça cheia de drogas lícitas e ilícitas. Contra as drogas proibidas a polícia está trabalhando, contra as lícitas cabe a sociedade decidir.

    Aqui no Rio a violência caiu bastante com a proibição da venda de bebidas alcólicas, em dia de jogo, nas redondezas dos estádios. Cervejinha ou 'tubão' dentro do estádio então, nem pensar.

    O problema é que prevalecem sempre os interesses econômicos. Afinal torcida organizada rende pataco pros times, além de fazer propaganda 'viral' gratuíta. A consequência é a formação de pequenas tropas, verdadeiros exércitos de Brancaleone embriagados e embalados pelo fanatismo, álcool e drogas. Acho ridículo!

    As famílias juntas, as crianças, as mulheres, estão rareando nos estádios, principalmente em dia de clássico. Em contrapartida aumenta o número de indivíduos de conduta duvidosa engrossando as fileiras das torcidas organizadas.

    Acabem com as torcidas organizadas e pronto, certamente os níveis de violência irão despencar vertinosamente em dia de jogo. Querem mais segurança para irem com suas famílias aos estádios? Proibam então o consumo de bebidas alcólicas nas arquibancadas e a venda das mesmas, 2 horas antes e 2 horas após as partidas, nas redondezas. Os traficantes? Bem, o lugar destes subprodutos da ilegalidade do consumo de drogas é mesmo na cadeia.

    Enquanto houverem exércitos lutando, dentro e fora de campo, por uma reles partida de futebol, não frequento estes coliseus malditos. Futebol pra mim perdeu a graça de ver ao vivo, morreu aquela magia dos meus tempos de piá, que eu ia com meu pai ver o futebol e torcer com pureza, sem ofender ou menosprezar o time adversário, seus torcedores e jogadores. Fair play é a ordem dentro e fora de campo. Organização, neste caso, parece mesmo ser desorganizar. Chega de hipocrisia, chega de violência, basta de morte por causa de futebol.

    Pronto, dei meu grito. Saravá!

    ResponderExcluir
  14. Errata....
    Desculpem, mas escrevi no texto acima "em prol da violência", por favor, é "em prol da campanha contra violência"...
    É importante que seja arrumado. Imaginem, eu a favor da violência!!!! Meu Deus!

    Obrigada.

    Kátia/Curitiba

    ResponderExcluir
  15. Bom dia...

    Bem... não acho q a proibição de venda de bebidas alcóolicas próximo aos locais de jogo resolva o problema, quem quer beber, vai no mercado compra seus vários engradados e já sai de casa pronto p/ tudo.
    Acho que educação e respeito seria o ponto, ensinar as pessoas q fanatismo é uma cegueira e que meu direito termina qdo começa o do outro. As leis precisam ser efetivamente aplicadas, no Brasil nossas leis sempre permitem que haja uma ressalva ou como mto ouço os "meandros da jsutiça". Uma lei específica... policiamento adequado... segurança!!!
    Segurança q independente de eu estar indo ou vindo de um jogo ou de qquer evento, que independente de minhas torcidas eu possa caminhar seguramente pela rua.
    Apesar de eu não torcer para time nenhum, a alguns anos atrás, estava indo trabalhar com uma calça jeans preta e um blusa vermelha e ao atravessar a rua um cara com camisa do Coxa, fez sinal com a mão q iria me bater, corri claro, felizmente estava próx ao prédio q eu trabalhava e nunca mais coloquei uma roupa que combinasse essas cores para andar na rua.
    As pessoas tem q ter o direito de torcer para quem querem, mas tem que saber que a lei está aí para ser cumprida, que a polícia irá coibir quaisquer tipos de violências. E a polícia sabe os trajetos mais perigosos, a torcida mais violenta, eles sempre tem esses dados.
    Fazer um registro efetivo de quem entra e sai dos estádios, e os que estiverem alterados que fiquem detidos em um lugar seguro, pq apenas 'expulsar' do estádio é jogar o problema porta a fora, daí mistura bebedeira, raiva, alegria (se o time ganha), mais raiva (se o time perde) e acaba sendo uma mistura de sentimentos que se torna um veneno dentro do corpo e cega as pessoas.
    As leis faltam ser cumpridas, à nós falta se sentir seguro.. polícia boa não é aquela que sai descendo o cacetete nas pessoas, mas aquela q sua simples presença impõe respeito.
    Ações efetivas e permanentes, com pessoal capacitado p/ impedir a violência e não gerar mais violência.

    Beijinhos, Dê

    ResponderExcluir
  16. Lary

    Situação lamentavel!!!
    Concordo: falta educação, policiais deveria impor mais respeito...

    No youtube mostra o video onde um policial leva uma voadora de um torcedor no dia do Atletiba!!!
    http://www.youtube.com/watch?v=fQ4LKfCVbNA

    Varios torcedores (vandalos) e um só policial para conter a todos...
    Isso teria que mudar!!!

    Sobre proibir a venda de bebidas, pode "acalmar" um pouco a situação mais não vai resolver o problema, pois como já li aqui, as pessoas podem comprar e tomar em casa!

    Educação vem de casa infelizmente, digo infelizmente, pois hoje em dia, as pessoas se preocupam mto mais com qualquer outra coisa, e não sabem nem como educar seus filhos... E Mtas vezes a violencia já começa dentro de casa.

    Se eles agem como animais...Tinham que ser tratados como animais!!!

    Peço desculpas aqui aos torcedores da paz, que sabem mto bem vestir uma camisa e assistir a um jogo como pessoas civilizadas!

    "O Mundo esta ao contrario..." Ainda bem que estamos reparando!!!
    Ainda tem como mudar essas situações.
    A Uniao faz a Força!!!

    Com certeza iremos achar uma solução.

    ResponderExcluir
  17. Eu grito para que a lei seja realmente cumprida.Neguinho sabe que faz aqui, é preso e daqui uns dias esta fora fazendo a mesma transgressão.Sei disto de cadeira.Trabalhei no Largo da Ordem muitos anos e lá rola venda de crack a luz do dia.Os traficantes ficam na praça, vendem sem preucupação nenhuma.Eu via e até sabia aonde era o "mocó", sorte deles que sou contra o crack.rs
    Uma vez por mês a polícia aparecia, levava os rapazes e no mesmo(juro),no mesmo dia, com a mesma roupa eles voltavam para o mesmo lugar para fazer a mesma coisa.Era tudo fachada, talvez por alguma denúncia,foram levados, sei lá..a verdade é que não existe o medo da polícia, eles com certeza estão coniventes,prendem e soltam dando tapinha nas costas.
    Outra coisa,a maioridade penal deve ser revista.É fácil mandar o adolescente fazer as besteiras pois ele não é preso, nada acontece. Isto deveria mudar, pois muitas contravenções estão impunes por este privilégio.
    Lucilia

    ResponderExcluir
  18. Lendo as postagens eu pensei o que poderá ser feito? No primeiro momento parece uma discussão irreal e ilusória. Como seria bom que a dor fosse irreal e ilusória, mas ela existe e todos sentimos.

    Muitas vozes se fazem presente em minha cabeça. Quem me ensinou a pensar desta forma? Quem me ensinou a fechar o vidro do carro? Quem me ensiou a colocar alarmes e grades? Quem me ensinou a dormir cedo se não posso sonhar?

    Quem me disse que não posso sonhar e buscar este sonho?

    Não é a hora de se fechar. Deixarei minha velha caixa de fósforos, que me serve de abrigo. Inflamarei meus sentimentos. E como num passe de mágica lembrei-me deste provérbio “Melhor uma boa ação feita próximo de casa do que ir para longe acender incenso”.

    Claro, pelo menos para mim, o começo da solução está dentro de nós. E não falo de espiritualidade, transcendência, meditação, abnegação...; tão somente penso nas palavras de Henry David Thoreau “Quando o súdito nega obediência e quando o funcionário se recusa a aplicar as leis injustas ou simplesmente se demite, está consumada a Revolução”.

    Então sugiro que neste momento nos recusemos a engolir algumas práticas.

    a) Desligar a televisão em dias de jogos;
    b) Renegar qualquer paixão pelo futebol;
    c) Evitar consumir produtos expostos nas camisetas de times, ou de qualquer empresa que patrocine o esporte.

    Não é radicalismo! É uma forma de mostrarmos para o poder econômico quem manda. È expressão de civilidade. Quem sabe com a queda no faturamento e na audiência o poder econômico e governamental possa entender que as pessoas sérias e honestas não aquentam mais violência.

    ResponderExcluir
  19. "A união faz a força" concordo plenamente... pena que esta força nem sempre seja usada para o bem. O fanatismo dificilmente leva a algo de bom e é exacerbado em "torcidas organizadas". Não entendo de futebol e não sei para que estas torcidas se organizam: 1.para "amar" seu time... ou 2."odiar" times e torcedores que não usem a mesma camisa. Regados a bebidas álcoolicas e drogas é praticamente certo que o ódio prevalesça em torcedores fanáticos, caso contrário não teríamos tantos acontecimentos que nos revoltam e entristecem. Coibir o uso de álcool e drogas e a violência, por meios impositivos, já é um bom começo e conscientizar torcidas para que revejam suas "bandeiras", pode ser um trabalho árduo... e não impossível. Esperamos o dia em que o esporte fará parte da vida de todos.

    ResponderExcluir
  20. Desiree n- curitiba -Pr4 de novembro de 2009 18:30

    Concordo com a Lucilia em relacao a maioridade penal. Tem muito assassino menor de 18 anos e eles nao ligam para a policia. Estamos numa terra sem lei e e por isso que a criminalidade se multiplica. Se o pai nao da uma surra, e o estado que deve providenciar..
    Desiree

    ResponderExcluir
  21. Mucuíu Pai Fernando!
    Infelizmente desta vez o motivo q nos levar a escrever no blog não é o amor a Umbanda e sim dor, revolta e indignação pela morte precoce do jovem João Henrique, desde já coloco- me solidário com a dor de seus entes. Então, como o Srº e a jornalista Andréa Destefani, façamos deste trágico fato, um forte protesto em prol de mudanças na realidade violenta em que vivemos principalmente nas grandes cidades, e ai vai minha humilde sugestão.
    Talvez para melhor compreensão vou pegar carona no post do irmão João Emerson da Costa e fazer algumas considerações, claro q sem nenhuma pretensão de ser o dono da verdade. Acho q seria o caso de mudanças nas escalas penais (maior rigidez das penas), porém o artigo Constitucional q nos garante q ninguém é obrigado a produzir provas contra si é uma grande vitória herdada da revolução Francesa ( liberdade, igualdade e fraternidade) e uma maravilhosa garantia dos direitos fundamentais do homem. Mas não é absoluta! E como no caso do acidente fatal (acidente em via pública na direção de veículo automotor responde pelo CTB) do João Henrique é relativa e já amparada no artigo 277 do CTB (alterado pela lei nº 11.275 de 2006 – a “Lei Seca” ) q diz: “Todo condutor de veículo automotor, ENVOLVIDO EM ACIDENTE DE TRÂNSITO ou que for alvo de fiscalização de trânsito, sob suspeita de dirigir sob a influência de álcool, SERÁ submetido a testes de alcoolemia, exames clínicos, perícia, ou outro exame que por meios técnicos ou científicos, em aparelhos homologados pelo CONTRAN, permitam certificar seu estado.” E mais, o responsável pelo acidente (p/ mim um criminoso) responde tb por Homicídio + Omissão de Socorro + Crime de fuga, somando- se a penas e ainda por Embriaguez na direção de veículo automotor, q é um crime autônomo, sendo assim, pela lei, este criminoso teria muito o que se explicar p/ Justiça e ficar fora por um bom tempo da sociedade, mas como estamos no Brasil, tenho lá minhas dúvidas se estas razoáveis Leis serão cumpridas e executas. Então minha sugestão é que as autoridades responsáveis (poder Judiciário) apenas façam o que são muito bem pagas p/ isso: EXECUÇÂO DA JUSTIÇA!

    ResponderExcluir
  22. Andrea Destefani- Colombo-Pr4 de novembro de 2009 19:33

    Aqui vai o meu pedido e reclamação: cadê as blitz do detran que antes se proliferaram com a Lei Seca instaurada a 20 de junho de 2008? Estes dias saiu uma matéria no Jornal Hoje falando que é quase inexistente a vigilância agora...Custa fazer algumas blitz em dia de jogo? E impedir além da venda de alcool, uma rígida fiscalização da polícia. Não somente nos carros, mas nos onibus também. Quem é que não tem medo de entrar num onibus lotado de fanáticos por futebol e bêbados.
    Além das sanções penais, fazer com que o time perca o direito de jogar na cidade por um ano e perca pontos tornariam a mobilização muito maior, de livre e espontânea "coação".
    É um quadro tétrico este. Pessoas tendo medo de outras pessoas por vestirem camisetas de times de futebol, porque estão hoje infelizmente ligadas ao massacre, ao sadomasoquismo de drogados e a inoperância de nossas leis, e talvez até da educação.

    ResponderExcluir
  23. Na sociologia do esporte estudamos a mercantilização do produto esporte, dentre eles o futebol, claro.
    Nessa ciência fica evidente, pelo menos ao meu ver, que a necessidade de se vender um produto leva ao surgimento de várias mudanças legais que levam a um espetáculo seguro. Claro que não podemos esperar de mãos no bolso e por isso fico orgulhoso de participar de um terreiro politizado e que está tentando fazer a sua parte.
    Tenho em mente que uma ótima idéia é pesquisar e ADAPTAR o modelo inglês de combate a violência. Lá os hooligans são identificados e severamente punidos. Alguns banidos da sociedade, alguns eternamente proibidos de freqüentarem as praças esportivas (inclusive devem se apresentar na delegacia e ficam em uma sala sem contato com noticias e pessoas durante os jogos), alguns pagam com longos serviços comunitários.
    Algumas outras ações também foram tomadas, por incrível que pareça a eliminação de fossos em estádios fez com que a violência fosse mais bem controlada, autores sugerem que as pessoas se sentem menos “animais”.
    Esses são alguns exemplos que lembro rapidamente sem pesquisar e acho que essa poderia ser a saída.
    Proibir a bebida dentro do estádio e não controlar o entorno, mandar simplesmente as pessoas para as escolas dos bandidos, alguns conhecem como penitenciárias, não deve levar a bons resultados. Pelo menos é isso que vemos aqui em nosso país.
    Segue uma sugestão de filme para quem tem sangue frio. O filme é sobre os torcedores ingleses e tem o titulo de Hooligans. Serve para compreender um pouco essa loucura. Mas é só pra quem tem sangue frio....
    Saravá a todos.
    Rogerinho

    ResponderExcluir
  24. SIDNEY OLIVEIRA, curitiba4 de novembro de 2009 20:33

    Brigas e mortes pelo futebol, por ideologia, pela etnia, pela sexualidade, pela religião...
    Tudo isso aconteceu neste ano aqui em nossa cidade, mas nao deve ser diferente nas outras...
    Basta uma rapida pesquisa pelos jornais...
    A vida nao tem preço e sua dignidade tb não.
    Srs politicos olhem pela janela quem sabe consigam ver o que esta acontecendo.
    Se puderem olhem depois no espelho nos olhos de quem os encara com vergonha!
    abracos as cidadas e aos cidadaos
    BASTA!

    ResponderExcluir
  25. infelizmente não tenho sugestões...

    ha muito tempo aprendi a odiar futebol por causa dessas coisas...e cada vez q vejo ou ouço falar de vandalismo, violência, desrespeito, baderna...por causa de jogo tenho mais certeza q fiz certo em não querer saber de jogo...

    Isamara

    ResponderExcluir
  26. O Mundo e o Brasil carecem de ESPIRITUALIDADE.

    Se as pessoas tivessem compromisso com seu equilibrio interno e a sua renovação espiritual diaria, muitas noticias ruins seriam evitadas.

    Mas infelizmente sentimentos primitivos afloram pelos motivos mais banais e as consequências mesmo que trágicas, nao são avaliadas como deveraim por nossos governantes.

    O Basta deveria ser dado nas urnas, contra quem deveria fazer leis que fossem cumpridas a risca.


    Saravá !!

    ResponderExcluir
  27. Pai Béco de Oxóssi5 de novembro de 2009 00:35

    Mucuiú Pai Fernando.
    Claro! estamos passando por um momento de indignação pois, desta vez, nos pegou no emocional. Também acho que devemos tomr a iniciativa de fazer algo para mudar a violência. Entretanto não vejo como possamos interferir, de forma eficiente, mesmo que seja por mera sugestão, naquilo que é obrigação das autoridades tais como: segurança, legislação, fiscalização, proibição etc. Mas, tem uma coisa que nós Umbandistas conhecemos muito bem que é a força do amor. Amor por tudo. Ser amor. O torcedor deve amar seu time, mas também deve amar o onibus que serve de transporte para ele próprio e para os demais. Deve amar a vitória que serve para o regosijo ou a derrota que serve de estímulo para corrigir os erros. Não tem desgraça que não se tire proveito. O torcedor deve amar a natureza, a sua cidade, o seu povo, os seus companheiros, tudo. Digo isto porque quem ama respeita. Hoje em dia as pessoas não sabem amar. Não respeitam nada. Ultima vez que fui ao estádio jurei que não voltaria mais.A falta de respeito dos torcedores me deixou indignado. Tem cadeiras para todos mas assistem de pé, tapando a visão dos demais e nem se importam. Ocupam qualquer lugar que lhe convenha sem se importar de quem é aquela cadeira. Jogam objetos, bebidas para o alto sem se importar se vai molhar ou machucar alguém. Fazem caras de mau que até assustam.Não vou mais ao estádio. É perigoso. Isto que sou torcedor do mesmo time, imaginem se fosse adversário. Educação nos estádios o clube anfitrião poderia tomar medidas para melhorar. Mas vou voltar ao tema que iniciei. Nós Umbandistas podemos soltar a nossa voz pregando o amor verdadeiro. Isto está ao nosso alcance e talvez possa trazer resultados. É o que proponho. Parece piegas mas..... pode ser uma boa. Pai Béco de Oxóssi.

    ResponderExcluir
  28. Obrigado meu PAI pela LUZ em momentos tão diversos....SARAVÁ!!!!

    ResponderExcluir
  29. Enquanto as pessoas forem egoístas, vai ser difícil. Preferem engordar o próprio bolso, tirar vantagem, se favorecer e nem se importar com os outros. Parece coisa de filme. A cada dia eu fico mais de cara!

    Nosso país tem tudo pra dar certo, mas na minha opinião, enquanto não reverem TODAS as leis, nada que façam vai adiantar! Sabe porque? Porque os direitos humanos são contra penas que fariam as pessoas sentirem as conseqüências de seus atos.

    De que adianta uma constituição que favorece os ‘sacanas’ da história? Pra que ter lei, se o carinha que é ladrão de galinha ta preso junto com o assassino estuprador de criancinha? Será que o ladrão de galinha não sairia da cadeia pós-graduado em bandidagem? É muito complexo.

    O policial ganha bem, o médico ganha bem, o político ganha bem, agora, já viram quantos desses são bandidos camuflados? Ninguém é penalizado porque são ‘bacanas’. Ou alguém já viu esses malandros que desviaram dinheiro do governo, repor a grana com juros??? Quantos ficam presos por issso? Agora, o ladrão de galinha que roubou uma galinha pra matar a fome merece apodrecer na cadeia no meio de gente do pior tipo, o bacaninha que roubou dinheiro por pura arrogância e vaidade não vai em cana, não devolve o que roubou e ainda pode se candidatar de novo na buena!

    O governo tem a verba, mas ao invés de pessoas investirem na saúde por exemplo, pra curar dependentes de drogas (que curados não favoreceriam mais o tráfico), o dinheiro que iria para isso é desviado para um paraíso fiscal qualquer. Ao invés de reformarem a lei para punir severamente, preferem inventar leis que favoreçam quem ta no comando, o policial vira corrupto, é comprado pelos próprios bandidos. Ao invés de prenderem traficantes com traficantes, assassinos com assassinos, fica todo mundo junto ‘muvucado’ em uma cela que ta caindo aos pedaços. Ao invés de se preocuparem com uma igualdade social, pensam somente em si. Que lindo, parabéns! Daí acontece isso, o povo se revolta por ter menos, quem tem mais, só quer saber de ter mais, cadeia lotada, é festa da uva, não da nada ser vândalo, nem fico em cana mesmo...

    continua >>>

    ResponderExcluir
  30. O mundo ta um caos e parece que ninguém vê! Afinal, pra que se preocupar com o futuro dos outros, se daqui a pouco eu vou morrer mesmo... Vou usar e abusar, afinal a vida logo acaba... Ô povo burro!

    Me desculpe, mas eu acho que só vai melhorar na hora que acontecer uma barbaridade com a família de quem ta no governo. Queria ver se fosse o filho deles. Esse negócio de bafômetro, o cara não tem que querer, tem obrigação de fazer. Não teve coragem de beber? E agora não tem coragem de assumir que bebeu? Não assume as próprias atitudes?? È um homem ou um rato??? Palhaçada!

    Acho que se o consumo de drogas fosse de certa forma liberada, ia ter bem menos tráfico, ou alguém já viu tráfico em países que a droga é liberada como a Holanda por exemplo. Ai o que acontece, carinha não tem que ir até a favela, neguinho não precisa se armar, e ia ficar bem melhor de viver, afinal não ia ter um monte de louco ‘noiado’ desesperado por algo que está proibido, e no desespero tem gente que rouba e até mata. Era só ir na loja comprar e boa, só arque com as conseqüências depois, sabe o tamanho da encrenca e ta fazendo porque quer.
    De que adiantou proibir a bebida nos Estados Unidos antigamente? Resultou em máfia e uma galera morta e mais uns tantos na cadeia. Só que a cadeia lá não entra celular, não tem preso tendo horas extras de sol, nem superlotação. Acho que deve ser isso que o povo brasileiro quer né, máfia e morte, porque só pode com o tanto de absurdo que está acontecendo. E outra, se tratassem direito as pessoas que precisam de saúde, se deixassem de pensar no próprio umbigo, talvez a coisa melhorasse.

    Se um dia eu mandasse no Brasil, iria reformar as leis, se não tem produto ilegal, não tem máfia, se tem saúde para todos, não teremos mais epidemias, e por aí vai... O que é legal, não causa violência, pois não dá motivos para isso.
    Se cada um pensasse no outro ou até em si mesmo, pensando que depois de tudo, de todos os anos que vivemos, quem vai vir e se ferrar depois somos nós mesmos, talvez mudasse.

    É uma pena que o mundo esteja do jeito que está. Fico muito triste com o que está acontecendo, e como o homem não percebe, a natureza tem que avisar. Avisa mandando tsunamis, mudanças climáticas, terremotos... isso tudo é impacto causado por nós mesmos. Enquanto o povo não se conscientizar, o caos vai chegar devagarinho.

    Me desculpe Pai Fernando, mas eu penso mais ou menos por aí... Não precisa postar, pois acho que pode gerar uma certa polêmica, mas tentei por no papel como eu penso, de uma forma não tão confusa, que pra ordenar as idéias demora...

    Espero ter colaborado!!
    Bjs Carolina

    ResponderExcluir
  31. Acredito que a proibição da venda de bebidas alcoólicas ajuda na diminuição da violência. Porém, sou radicalmente contra as torcidas organizadas, que considero, na verdade, facções do crime organizado.

    Sou a favor da extinção de toda e qualquer torcida organizada em nossa capital.

    Att,

    Edgar Cavalli Junior - Curitiba/Pr

    ResponderExcluir
  32. Mucuíu Pai Fernando e Saravá a todos que possivelmente leiam os posts!

    Infelizmente temos o costume de observar o mundo através de ilusões, máscaras que nos protegem da dor de enfrentar a realidade.
    Por sermos irmãos de fé e caridade, o caso do João Henrique nos magoou muito, mas não podemos negar outros casos que acontecem em paralelo, famílias, amigos, pessoas próximas sofrendo a violência do dia-a-dia.

    Há tempos observamos nosso Brasil e até mesmo, o mundo sendo largado às traças!
    Exemplos esquecidos? Deputado Carli Filho, que provocou uma tragédia deixando famílias sem soluções! O caso da menina Raquel, que há um ano foi violentada e morta na rodoviária de Curitiba. A chacina em Colombo, na Vila Icaraí, o caso da menina Isabela Nardoni, e em tantos outros não citados. São tantos que perdemos as contas... Além destes enfeitados por confete pela mídia, tantos outros esquecidos acontecem!

    Os crimes não são desvendados, pessoas não são presas, políticos fazendo promessas afoitas por votos e nada fazem, nada vêem, nada sabem! Por outro lado nós, pagadores fiéis de impostos absurdamente altos, implorando segurança e tranqüilidade a todos.
    Os pais já não dormem enquanto seus filhos não chegam, as mães ficam aflitas até saberem que seus filhos estão bem e seguros, longe da criminalidade e da hipocrisia do próprio ser humano!

    Mas também infelizmente temos que admitir que nós contribuímos pra tudo isso! Se não fosse a precariedade da educação pública, a falsa segurança, os políticos corruptos, com certeza teríamos um País mais justo e com menos preocupações, menos aflições, menos crimes e injustiças. Nós escolhemos isto, nós votamos por isso.

    Aí, eu me pergunto, e deixo no ar... Será que temos paz pra viver? Temos condições de sair nas ruas e poder torcer, levar as famílias pra torcer nos estádios e depois poder comemorar a vitória do seu time em algum lugar? Sair para alguma festa e ter a certeza de que voltaremos seguros? Será que teremos pessoas mais conscientes? Pessoas que lembrem que bebida e direção não combinam? (mesmo com todas as campanhas que as próprias marcas fazem!)

    Será que a liberdade de expressão morreu depois que passamos a aceitar que a criminalidade tomasse conta de tudo e o mundo ficasse desse jeito? São pais, mães, amigos, conhecidos, cidadãos comuns, são famílias inteiras que lutam por um pouco mais de tranqüilidade... Querem justiça... QUEREMOS JUSTIÇA!


    Saravá!

    ResponderExcluir
  33. Todo clássico é a mesma história, as torcidas se reunem com a policia todos falam em paz, mas não contam que fora desta reunião estão os espiritos de porco que fazem a parte suja e feia do futebol, não é só em Curitiba no resto do Brasil acontecem coisas semelhantes, sou a favor de uma lei que puna mais severamente o clube, só assim os clubes vão começar a ter um pouco de responsabilidade, quem vai pagar a conta dos ônibus quebrados e o resto do patrimônio público que não aparece nos jornais?

    Jeverson Cunha - Curitiba/PR

    ResponderExcluir
  34. Concordo com a Mãe Lucilia sobre a maioridade penal, pois para mim se o adolescente tem condição de se drogar, beber, brigar e outras coisas mais ele automáticamente deveria ser emancipado e responder pelo ato como qualquer marginal...Tbm acho que as leis deveriam ser mais pesadas para que antes de agir eles tivessem receio de cometer tal ato.HOje não
    estamos seguros em nenhum canto da cidade nem mesmo dentro de nossas casas já que bala passa pela parede, e bala sem rumo parte até mesmo das mãos das autoridades responsável pela nossa proteção... agora digo isso que é proteger....
    Cada dia de jogo fico apreensiva em passar pelas ruas próximas ao estadio, pq sempre nos deparamos com torcedores bebados fazendo algazarras batendo nos carros, distribuindo xingamentos e palavrões, fora quando não batem nos carros de quem passa, se acham donos de tudo e assim acabam distruindo patrimonios publicos lamentável mais verdadeiro.Com isso aqueles torcedores que vão assistir seu time e estão tranquilos acabam pagando pelo pato tbm.Fiquei passada com o video do torcedor dando uma voadora no policial, penso eu onde vamos parar... como querer proteção sendo que eles entram em conflito até mesmo com a policía....
    Acho que torcida organizadas, camisetas, bonés e outras coisas mais deveriam ser proibidas pois se vc não veste a camisa como o outro pode saber se vc é do time dele ou não,assim acabam uma boa parte das provocações.

    ResponderExcluir
  35. Salve Pai Fernando.

    O que devemos fazer para evitar estes tipos de crime besta?...pedir mais segurança?..colocar mais leis severas?..construir mais presídios?

    Não!.. Isso clamamos toda hora ! Temos que ver onde erramos,o certo não seria
    mandar para cadeia este jovem de classe média alta que cometeu este assassinato e sim seus pais que não souberam educar com valores morais...daqui há alguns anos esta besta na roupagem de homem estará se tornando advogado (que profissional teremos).

    Temos aquela besta parlamentar que dirigia seu super carro a 190 km por hora,com sua super carteira de deputado que abre qualquer porta podendo fazer o que quiser,ele vai ser preso?..Lógico que não..mas seus pais deveriam ir para cadeia por ter ensinado esta besta a ser corrupta,prepotente e arrogante.

    Nós pais somos culpados por nossos filhos serem estes bandidos.
    Muitos pais quando sua esposa esta grávida já falam : ‘-Tomara que seja um menino!
    Porque vou ensinar a pegar todas as menininhas” ... aquela mãe que não conseguiu ser modelo veste sua filha como a dançarina Carla Peres ou a Xuxa despertando a sexualidade da filha...o pai que já pede pro filho com apenas 5 anos dar uma bicadinha na sua cerveja e quando o garoto vira um adolescente alcoólatra ele culpa os amigos do filho...a mãe que incentiva a filha a usar seu corpo para seduzir e arranjar uma boa pensão...o Pai que ensina o filho a levar vantagem em tudo a famosa lei de Gerson... e ainda temos aquela mãe que é monitora de uma escola, que foi filmada incentivando sua filha a bater mais na colega de classe , -Bate filha bate que o Papai esta olhando !, Ai somos obrigados a ver estas noticias tristes.

    Devemos fazer campanhas de como ensinar nossos filhos a serem verdadeiros
    Homens de bem, não existe uma cartilha de como educar filhos mas sim alguns conceitos básicos de conduta moral.

    Sarava a todos.
    Gerson_Curitiba

    ResponderExcluir
  36. Olá Tio Fernando!

    Olá a todos!

    Hj vêmos com tristeza tudo que se passou, mas acredito que a morte do João nos fez acordar para uma realidade que estava há muito tempo à nossa frente e não víamos, é claro, ela nunca tinha entrado de nossa vida... Vcs podem estar pensando, quem é ela que nem o conhecia pra falar que esse fato entrou na vida dela.
    Digo à vcs meus queridos amigos que entrou sim, me apavorei e revoltei, tenho pessoas que convivo que vão aos estádios ver os jogos e isso sempre me deixou preocupada, pedi muito para que este irmão não fosse uma vítima de uma oportunidade do mal vencer o bem, senti muito, desejo de coração força a todos.
    Mas agora falerei um pouco da situação em si. Posso falar por mim, sou louca pelo meu time, amo futebol, mas nunca, em hipótese alguma, odiei um irmão por não ser corinthiano como eu, é ridículo!
    Penso que amenisaria a situação se fosse mais uma vez proibida a entrada das torcidas organizadas (organizados para matar? Pq não vejo organização alguma a ser esta), como outrora era feita aqui em SP, caso haja algum torcedor com trajes ou atitudes que identifiquem que este seja de alguma torcida específica, o mesmo será detido e levado a delegacia e permanecerá por lá até o término da partida. Olha eu acredito que tenha melhorado muito naquela época.
    Caso haja algum acidente ou ato de violência causado por membros de alguma torcida, todos os custos e despesas para o tratamento ou qq que seja a medida a ser tomada em auxílio à vítima e seus familiares, deverá ser paga pela diretoria e/ou membros da torcida causadora. No Brasil é só qdo dói no bolso que as coisas melhoram.

    Bom era isso que eu tinha a dizer...

    Força e Fé sempre!

    bjs

    ResponderExcluir
  37. Pai Fenando, mucuiu!

    Há o que fazer: escrever para quem de direito, praticar a paz, pregar o amor. Só. (frase de alguém revoltado com o sistema)

    O discurso é lindo. As teses formadas, magníficas. Resultado: zero. (frase ainda revoltado pela ineficiência da própria sociedade em nada fazer, ou seja, só o blá-blá-blá)

    A mãe do menino do caso Ribas Carli foi uma heroína. Não se calou, levantou uma bandeira. Entra para a história. O Ribas Carli tá solto aguardando resultado da Lei. Só o tempo. (frase de alguém que pensa em atitude)

    Mas e nós? O que faremos? Escrever no Blog do Pai Maneco? Mostrar nossa indignação em algumas palavras? Qual atitude tomar? (mais uma vez: atitude!)

    Por que não vamos até as diretorias dos clubes conversar sobre nosso Movimento Pela Paz? Por que não vamos até algum deputado, senador, vereador, prefeito ou governador propor uma campanha permanente pela paz? (frase de quem começa a colocar a cabeça em ordem e propor alguma coisa concreta)

    Pai Fernando, o senhor diz em seu texto que as duas casas (Câmara Municipal e Assembléia Legislativa) querem colaborar. Mas como?

    Não basta ir uma comissão de gente falar com autoridade, levar faixa, tirar foto e ficar apenas nisso. O trabalho é de cidadania. É a conscientização individual que leva ao trabalho coletivo pela causa. (frase de quem já pensa em realizar atravéz de campanha)

    Ação. Atitude! Em todo fim de jogo estaremos na saída levando panfletos, educando, conscientizando? Faremos um trabalho em conjunto com a Polícia Militar? (frase de alguém que já pensa em alguma proposta concreta e palpável)

    Nossa voz é nossa maior arma. Nossa atitude é nossa maior vitória! (frase de alguém que clama por cidadania e solidariedade, ou seja, tirar a bunda da cadeira e fazer alguma coisa de concreto!)

    Fraterno abraço,

    Rodrigo Fornos - Curitiba/PR

    P.S.: Acabei de marcar uma audiência com o presidente da Câmara Municipal de Curitiba na semana que vem. Quem quer ir?

    ResponderExcluir
  38. Mucuiu Padrinho.
    Ola a todos.
    Mucuiu Pai beco.
    Sigo sua linha de pensamento, e gostaria de acrescentar. Sabemos que isto que aconteceu, na verdade acontece sempre, e em vários tipos de situação.
    É claro a todos nós que a responsabilidade, sobre o controle da violência esta em nossas atitudes diárias, mas principalmente na mão das autoridades. Que na boa,,, nunca vai deixar de vender álcool seja onde for. E descuidou,,, bêbado ta fazendo m... sempre.
    Violência é um problema mundial. E creio que como umbandistas e devemos sim, mostrar nossa opinião política e indignação a tudo isso. Não podemos nos calar. Mas ao mesmo tempo Tb acho que devemos ser cuidadosos, e não perdermos o foco do que melhor sabemos fazer, e que na verdade deve ser nossa grande doação e responsabilidade frente à sociedade. Somos doadores de amor, compreensão e fé.
    Dentro da indignação mora inevitavelmente, alguns sentimentos não bons. Isso é fato. Mas será que, como estudantes e pesquisadores da lei divina não deveríamos vibrar uma sintonia, baseada no que defendemos?
    Não quero como pai beco disse ser piegas nem bossal. Mas nós umbandistas não repetimos sempre que nada acontece por acaso?
    Desculpem, mas isso já passou pela minha cabeça. Como isto mexeu com a família do cara que atropelou João? Será que ele era somente uma má pessoa, ou um cara que tinha um baita obsessor no cangote? O que levou este rapaz a encardir e amargar seu coração ao ponto de tirar a vida do outro? O que este espírito carrega para acabar não só com a vida de João, como inevitavelmente de sua família a e dele próprio, E de verdade, Como eu, Umbandista posso ajudar? Afinal trabalhamos com o resgate espiritual. Nossa praia. Ele deve ser punido sim, mas vou torcer para que um dia ele saia disso e venha para o caminho da luz.
    Acontece todo dia, e sei que como bateu na porta de casa, podemos pensar que foi SÓ para que mostrássemos nossa indignação. Ou Tb pode ter sido para provar o quanto nós, umbandistas entendemos e compreendemos que a passagem é somente uma passagem. Estamos e sempre estaremos nas mãos de deus.
    Muitas vezes veio em minha cabeça o caso do menino que no rio de janeiro foi barbaramente arrastado do lado de fora do carro por alguns quarteirões, e da carta que ele enviou via psicografia, contando que em uma de suas reencarnações foi piloto de bigas em Roma onde arrastava escravos. Eu acredito sim na reencarnação, e Tb neste tipo de situação.
    Nossa maior ação no meu ver deve ser vibrar coisas boas, SEM TANTA REVOLTA, para pedir e doar energeticamente o Maximo de amor possível as nossas entidades, para que elas usem isso como elemento principal e vital a fim de ajudar a tirar o amargo do coração daqueles que NÁO POSSUEM A NOSSA FORÇA E FÉ.
    Acho que é isto que consigo fazer alem das palavras de indignação. Agir da maneira que consigo na espiritualidade, Pois quanto mais eu tomo cuidado para votar, mais me decepciono com este governo patético, que ha muito tempo deveria ter leis mais severas. Resta-me como força de ação a boa e velha macumba.
    Sarava.
    Grande abraço.
    Axé a todos.
    Kiko – TPM são Paulo.

    ResponderExcluir
  39. sidney oliveira, curitba5 de novembro de 2009 17:11

    La vou eu de novo...
    Acho que proibir bebidas alcoolicas nos estadios e imediacoes adianta sim. Os dados comprovam isso. Mas é um atenuante. Precisamos mais. cho que Desirée, Lucilia, Andrea Destefani e o Querido Beco tem muita razao... Precisamos de novas leis e que elas sejam cumpridas. Precisamos emanar energias e tomar atitudes, Tudo isso junto pode mudar. E nós podemos! Também nao curto as organizadas e os marginais disfarçados de torcedores. Quero colocar a camisa de meu clube, levar minha familia, pagar a aposta pro AMIGO do time rival. Eu tenho esse direito e nao admito que esses bandidos me tirem esse direito. Se nao tomarmos atitude que nao garante que amanha alguem vai sofrer alguma violencia por estar de branco? Quem acompanha o blog sabe que invadiram o quintal da minha casa e praticaram diversos tipos de intolerancia religiosa e preconceito, semfalar do que ja escutamos...
    Antes de vir dar aula na UFPR fui perseguido na faculdade em que lecionava pq era sindicalizado e de esquerda...
    Poderia contar tantas coisas, mas todas revelam algo em comum: a intolerancia e a banalizacao do outro. Somos numeros que se perdem no tempo...
    Quero paz e amor e um mundo cheio de luz.
    Basta de violencia!
    abracos a todas e a todos.
    Sidney

    ResponderExcluir
  40. Não é dificil resolver mais este problema que nos ameaça, como temos tantos outros neste nosso imenso pais .
    O que creio ser preciso, é como todos nós já estamos exaustos de saber, precisamos de união da sociedade, como um todo, como grupamentos , como contribuintes , eleitores, pagadores de impostos, umbandistas e tudo o mais que somos e fazer acontecer a vontade politica, obrigando nossos dirigentes, em todos os níveis da administração publica, a cumprirem com seus deveres e resolverem os problemas de nossa sociedade, já tão sofrida.
    Temos um poder na mão, que é nosso voto, nossa cidadania.
    Unamo-nos em pról de uma causa e vamos resolve-la.
    Saravá Pai Fernando
    Saravá Povo da Umbanda
    João Carlos
    Gira de Sexta

    ResponderExcluir
  41. Rodrigo, peço que na audiência marcada por vc, embora seja um direito teu, não trate do assunto objeto do blog, porque a Andréa Destefani, eu e outras pessoas estamos organizando esse movimento, aliás em nome do Terreiro do Pai Maneco, que peço seja exclusividade minha e das pessoas que já estão envolvidas. FMG

    ResponderExcluir
  42. Olá a todos!

    Mucuiu Pai Fernando,

    Acho que o problema com a violência nos estadios de futebol é algo que atinge a todos, não somente no Brasil, mas em todo o mundo, vamos nos recordar sobre os episódios com os hooligans na Inglaterra e por toda a Europa, e as medidas que foram tomadas para coibir a entrada destas torcidas organizadas nos estadios, identificar quem são e mante-los fora destes espetaculos que deveriam ser para as familias. Seria muito bom poder sair de casa e ir para o estadio com nossos filhos sabendo que seria um programa divertido, e não um show de horror e temor. Não somos animais e não podemos nos misturar a eles, pois seremos devorados. Eu amo futebol, gosto de jogar e de assistir aos jogos, mas me recuso a ir no estádio e acabar sofrendo com violência gratuita. Acho que os jogadores deveriam pensar melhor em suas atitudes quando da comemoração de um gol ou em suas entrevistas quando se referem que suas torcidas organizadas são o maximo, isto é incentivar marginais a continuarem a praticar o vandalismo em nome da "paixão" pelo seu clube.
    Para mim torcidas organizadas são marginais uniformizados.
    O que fazer para diminuir a violência nos estadios?
    Tornar a criação e manutenção de torcidas organizadas um crime com cadeia para todos os participantes.

    Branco

    ResponderExcluir
  43. Prezados:

    Até o ano passado, NUNCA havia ido a um estádio para ver um jogo.
    Na verdade, nem time eu tinha...
    Então, "virei" Coxa Branca (poderia ter virado qualquer time, mas foi o primeiro - e único - convite feito).
    Passei a ir, (des)confiando no que poderia (e/ou deveria) ocorrer em um campo de futebol, além do esporte per se.
    Confesso ter visto (quase) de tudo.
    De famílias entretidas com a "arte" a verdadeiros batalhões envolvidos tão-somente com a algazarra, esquecidos do jogo em si.
    Por questões culturais (ou por sua FALTA), o "tal do futebol" tem sido uma desculpa para bebedeira e brigas.
    É lamentável ter que abrir mão de ir ao estádio, ou mesmo de vestir a camisa do time, por conta de maus (péssimos, eu diria) torcedores, que agem contra seus "adversários" sem qualquer motivo aparente. Apenas pela "honra do time"!
    E isso tem maculado o esporte há anos...
    Mesmo assim, ainda acredito na remota possibilidade de os estádios voltarem a ser frequentados pelas famílias, cada uma com o seu time do coração, torcendo para que vença o melhor!

    ResponderExcluir
  44. Saravá povo do blog!

    Estava aqui me preparando pra dormir e resolvi ver se tinha postagem nova pra ler aqui no blog do Pai Maneco, foi quando me veio um insight. Juntar as palavras escritas em CAIXA ALTA.

    Os espiritos falam assim, por metáforas, nas entrelinhas. Os Orixás falam através da boca das pessoas e contemplação do meio natural.

    Bom, o recado pare ser este:

    FIM DA IMPUNIDADE
    ...PAI FERNANDO,MINHA SUGESTÃO É QUE MUDE A LEI,EU LI QUE O RAPAZ QUE ATROPELOU JOÃO FILHO DA ANA...SE RECUSOU A FAZER O TESTE DO BAFOMETRO,POIS EXISTE UMA LEI QUE DIZ QUE NINGUÉM DEVE SER OBRIGADO A PRODUZIR PROVAS CONTRA SI...ACHO QUE EM CASO DE ATROPELAMENTO,ISSO DEVE SER REVISTO...NÃO É MUITO MAS UM COMEÇO...REVER ESTA LEI QUE AMPARA ASSASSINOS DO VOLANTE, QUE VIOLAM JÁ A LEI DO SE BEBER NÃO DIRIJA...A LEI PRECISA MUDAR...ESSA E MINHA SUGESTÃO...PARABÉNS A FIBRA DA ANDRÉIA
    HOJE
    PAZ
    TORCIDAS ORGANIZADAS
    ENVOLVIDO EM ACIDENTE DE TRÂNSITO
    SERÁ
    CONTRAN
    EXECUÇÂO DA JUSTIÇA
    ADAPTAR
    ESPIRITUALIDADE
    PAI
    LUZ
    SARAVÁ
    QUEREMOS JUSTIÇA
    SEM TANTA REVOLTA
    NÃO POSSUEM A NOSSA FORÇA E FÉ
    TPM

    Dado o recado, o entendimento parece claro:

    1 - Deve haver sim, como sugere o João, um dispositivo de lei que obrigue pessoas envolvidas em acidentes com vítimas a fazer o teste do etilômetro, ou similar.

    2 - Hoje paz.

    3 - Haverá consequências aos sujeitos envolvidos. (TORCIDAS ORGANIZADAS - ENVOLVIDO EM ACIDENTE DE TRÂNSITO - SERÁ CONTRAN EXECUÇÂO DA JUSTIÇA)

    4 - Devemos adptar os fatos através da espiritualidade, seguindo as premissas de Oxalá. SARAVÁ!

    5 - Queremos justiça, sem gerar revolta.

    6 - Nem todos (como saiu através do post do Kiko) possuem nossa força e fé.

    7 - Terreiro Pai Maneco.

    Bom Pai Fernando, você melhor que ninguém sabe reconhecer mensagens autênticas vindas do Astral. Será que esta é mesmo uma delas, ou será só coisa da minha cabeça, meio insone com tanto calor.

    Quando pensamos em fazer justiça, Xangô já fez!

    Ronald - RJ

    ResponderExcluir
  45. Pai Fernando, mucuiu!

    A audiência com o presidente da Câmara Municipal de Curitiba foi marcada para o assunto deste blog, o senhor, Andrea Destefani e outras pessoas conforme o senhor mencionou logo acima.

    Não cabe a mim encabeçar qualquer movimento do Terreiro do Pai Maneco uma vez que o dirigente é o senhor. Tenho clara consciência e entendimento de uma ação política a ser desenvolvida e suas nuances.

    Portanto, seu pedido de exclusividade na organização do movimento não precisaria ser feito. Agradeço a procupação e o carinho.

    Como tenho acesso direto a algumas autoridades locais imaginei, erradamente, e por isso peço desculpas, que poderia marcar uma agenda com a segunda maior autoridade municipal que é o presidente da casa de leis do município.

    Dessa forma, a relação fica institucional - Câmara, por meio de seu presidente, e TPM, por meio de seu dirigente - e não por intermédio de algum vereador, mesmo sendo legítimo, o que poderia tornar o encontro uma bandeira partidária, uma vez que o vereador representa um partido e sua base, enquanto o presidente da casa representa a própria instituição. Essa é uma análise a ser levada em consideração.

    Sendo assim, mais uma vez, me desculpo pela voluntariosidade. Deveria ter perguntado antes, o que não fiz. Como estava imbuído da emoção em ajudar, acabei atrapalhando.

    Me diga o senhor se devo manter ou cancelar a agenda.

    Muito obrigado e fraterno saravá,

    Rodrigo Fornos - Curitiba/PR

    ResponderExcluir
  46. Rodrigo, que bom que vc entendeu. Pode cancelar porque isso já está sendop providenciado pela Andréia e na ocasião todos do terreiro serão avisados para engrossar o movimento, inclusive a Federação de Umbanda. FMG

    ResponderExcluir
  47. Rogerinho, deixa eu te dar uma informação...a FIFA, para a COPA, pediu para o Atlético fechar o fosso. É um dos quesitos para o estádio estar dentro das normas internacionais.
    Lucilia

    ResponderExcluir
  48. Gledson Felisbino Rossetti6 de novembro de 2009 11:54

    Bom Dia
    Mucuiu Pai Fernando.
    Bom, como alguns disseram, teriam q haver mudanças em algumas coisas.
    Como o exemplo da pessoa em caso de aciente, não poder se recusar a fazer o teste do bafômetro. Também a questão do cadastramento de torcedores, para haver um maior controle das pessoas que frequentam esádios. Maior ação da polícia em dia de jogos.
    É engraçado, mas a policia muitas vezes só faz algo para mostrar "à população" qe está fazendo algo, mas na verdade não está nem aí pra nada. As vezes da pra se entender, por questões salariais, ou por questões dos direitos humanos que faz uma tempestade se um policial encosta a mão mais forte em um bandido e por ai vai.
    Falo isso pq, eu sou uma pessoa que trabalho, estudo, pago minhas contas e outro dia em uma blitz montada na rápida ecoville, um pouco pra frente do Shopping Barigui, em plena 16:00hs, eu indo para um cliente, a polcia me para, eu e mais um amigo, nos fazendo passar uma vergonha sem tamanho, mandando descer com mão na cabeça, fazendo revista, dando chutes, sem ao menos pedir o documento meu e do carro....pra depois de simplesmente ver q eu era uma pessoa q estava trabalhando, me pedirem desculpa e me madarem embora, detalhe, sem ao menos terem pedido meus documentos.
    Concordo com certas ações da policia, mas pq por exemplo onde traficantes estão fazendo toque de recolher e chacina, ali no Uberaba, há a reclamação de q a policia nunca está por lá??? Será q é pq estão em frentes prédios luxuosos fazendo uma blitz para mostrar a esses moradores de classe social alta que estão fazendo alguma coisa pela população????
    Tem muita coisa errada. As pessoas acham q todas as regras estão ai para serem quebradas...isso é absurdo.
    Como pode uma pessoa matar outra pq simplesmente torce para outro time??? Quemda o direito a nós de tirar a vida de uma pessoa??? Pessoas como essas devem ser punidas e banidas da sociedade!

    ResponderExcluir
  49. Engrosso a corrente da opinião do Pai Fernando no site. Peço que nossos pais e mães de santo se manifestem aqui como líderes que são, bem como mãe e pais pequenos e capitães.Toda idéia é válida! Este movimento não pertence a Andréa Destefani e um grupo ou ao sr Fernando Guimarães, mas a todos que derem opiniões. Nosso terreiro sempre manteve as portas abertas e venho coptando adesões inclusive de pessoas de outras religiões . Faremos 101 anos de Umbanda com uma ação única, primeira e não derradeira, pela paz.Nossas idéias servirão para alimentar talvez até futuros projetos. Não pode haver silencio neste momento tão histórico para nós enquanto umbandistas, e tão doloroso pras duas famílias como citou pai Fernando.
    Pai Maneco sabiamente fala que aprendemos a ser umbandistas no terreiro para exercitar fora dele. Levemos a luz nossos conhecimentos e não mais a revolta. Levemos esclarecimento e por menor que você ache que é sua idéia ela pode fazer toda a diferença.Posto aqui uma frase muito boa para o momento:
    "O homem razoável se adapta ao mundo;
    o insensato persiste em querer adaptar o mundo
    a si mesmo. Assim, todo progresso depende do homem insensato."

    George Bernard Shaw,
    Man and Superman

    ResponderExcluir
  50. Pai Fernando,Mucuiú! Se for possível, preciso externar meu sentimento.
    Pai Beco, sinto-me orgulhosa com seu depoimento... mais que isso, "exibida" mesmo (no bom sentido)... não foi à toa que minha mãe de carne me ensinou a ser umbandista e acreditar que tudo com o amor se resolve. Minha mãe-de-santo, não poderia deixar de ser, dá continuidade a esse aprendizado. Esse amor, que significa respeito pelo próximo e às leis da natureza. Para que esse amor prevalesça é necessário desinflar os egos. Isso é uma luta constante. Mas, chegaremos lá!
    Mucuiú, Pai Beco.

    Kátia/Curitiba/Gira da Mãe Jô

    ResponderExcluir
  51. Mucuiú Pai Fernando e olá a todos

    Gostaria de deixar registrado aqui no Blog do Pai Maneco que, a pedido da minha colega Andréa Destefani, o “MANIFESTO” foi repassado para mais de 400 jornalistas, alguns colegas e pessoas públicas de meu conhecimento. Gostaria de salientar também que estes jornalistas também estão incumbidos de repassá-lo, publicá-lo e lê-lo em seus programas... Cada um a sua maneira tentará, tenho certeza, ajudar e fazer o seu papel (de comunicador, repassando as informações a sociedade)...

    Sinceramente, espero que este toque o coração e faça com que as pessoas reflitam e tomem atitudes para reverter esse quadro de violência gratuita que estamos vivenciando todos os dias. Necessitamos, urgentemente de mudanças, sejam elas radicais ou não... E, como disse a Fernanda, “que me desculpem os torcedores do bem da paz, mas estamos em tempos de maneiras drásticas de "tentar" fazer as pessoas a terem um pouco mais de amor no coração!!! “



    Saravá a todos ...

    ResponderExcluir
  52. retificando - Devemos NOS adptar Aos fatos através da espiritualidade, seguindo as premissas de Oxalá. SARAVÁ!

    ResponderExcluir
  53. Jackson - Colombo - Pr6 de novembro de 2009 17:05

    Boa tarde Pai Fernando
    Senti muito pelo incidente e pela perda trágica no nosso irmão, jovem cheio de energia e uma vida inteira pela frente, vida esta ceifada, por um ser inconcequente.
    Não dei minha opinião antes por achar muito radical, mas a pedido da Andréia resolvi opinar.
    Acho que a nossa sociedade está deveras violenta, não só nos estádios, mas em todos os lugares, como já foi dito aqui, somos vitimas em toda parte e em todas as horas, são muitos os casos que nos são apresentados pelos meios de comunicação e por incrível que pareça, pelo menos ao meu ver os estádios são responsáveis por grande parte de acidentes e mortes. Minha proposta é bem radical mesmo, se o problema são os torcedores, então eles devem ser punidos. Mas de que forma? De uma forma bem simples, fazendo jogos de portão fechado, sem a presença de torcedores, não precisamos proibir venda de bebidas, não precisamos destacar grande número de policiais, não é preciso fechar ruas nem desviar o transito, não há baderna, assim o bom torcedor assiste seu time jogar no conforto de seu lar, e sem correr risco algum. Certamente terá aglomerações depois do termino dos jogos mas certamente só sairá às ruas aqueles que querem mesmo fazer badernas, mas a policia estaria esperando por eles que seriam facilmente identificados.
    Outra saída seria elevar absurdamente o valor do ingresso, de forma que ficasse impraticável a ida ao estádio e reverter parte desta renda em obras sociais, por exemplo para manter casas de recuperação de viciados.
    Mas com certeza unindo todas as sugestões aqui expostas encontraremos uma solução.
    Desculpem a minha humilde e radical opinião.

    Axé a todos
    Jackson Marcelo Hodzinski – Colombo - PR

    ResponderExcluir
  54. Pai Fernando:
    Por acaso já foi feit um abaixo-assinado online? Esse recurso é muito utilizado em organizações como Greenpeace, WFF etc. Basta ir no link http://www.petitiononline.com/ e preencher o formulário.
    Como profissional de comunicação e marketing acredito que é interessante propagar através de nossa rede social. Precisamos viralizar o movimento.
    Vai a sugestão.
    Abraços,
    Rodrigo - Curitiba/PR

    ResponderExcluir
  55. Rodrigo, por ética quero que a Andréa opine. Particularmente eu acho boa a idéia, mas o nosso propósito extrapola a simplicidade de um abaixo assinado. Nós queremos é presença fisica. FMG

    ResponderExcluir
  56. Andréa Destefani-Colombo-Pr6 de novembro de 2009 20:48

    Já faz tempo Rodrigo, a Denise Oliveira já fez isso. Como trabalhamos numa equipe agradeço se quiser nos ajudar entrando em contato pelo meu email addestefani@hotmail.com . Gostaria que não se preocupasse pois há profissionais bem gabaritados envolvidos. Este espaço gostaria só de opiniões sobre a legislação contra violência que é o que nos interessa agora no momento. Conto com sua compreensão.

    ResponderExcluir
  57. Pai Fernando, lendo as suas opiniões de Outubro e agora de Novembro, veio-me o fato que, a juventude, a exemplo de muitos aventureiros que, em nome da tão famigerada injeção de adrenalina, põe em risco suas vidas, com o intuito de sentirem o limiar entre a vida e a morte e retornar sem medirem o quanto é extenso e grave essa decisão, caso algo saia errado. Tendo um filho de quase 17 anos e com todos os hormônios eclodindo, sem que, muitas vezes, tenha, ele, tempo para tentar avaliar o que nós, pais, temos para alertá-los. Faça desse movimento em prol da juventude, uma bandeira real e fiel a todos os motivos que postasse até agora, vale a pena, mais tarde, já estarmos em outra dimensão, pensar no que, pelo menos, tentamos realizar e concluir que não foi e nunca será em vão. Parabéns e um forte abraço, além do Axé costumeiro...Assis.

    ResponderExcluir
  58. Boa Noite a todos... Rodrigo e Pai Fernando, no dia 04/11/2009 conversei com a Andréa e o manifesto foi incluído no site: http://www.petitiononline.com/manitpm/petition.html
    Divulguei em alguns lugares e peço milhões de desculpas em não ter postado aqui, essa semana está sendo atribulada.
    O site da petição on line é válido pq podemos obter assinaturas que podem ser incluídas no manifesto quando da visita na Câmara.
    Mais uma vez peço desculpas por não ter postado antes aqui.

    Beijinhos, Dê

    ResponderExcluir
  59. Denise, legal, vamos assinar! Vou encaminhar ao meu mailling composto por 5 mil nomes.

    Andrea, não se preocupe, não vou mais opinar nem me procupar. Pode contar com minha compreensão. Já entendi o recado. Boa sorte aos profissionais gabaritados!

    Pai Fernando, esses abaixo-assinados tem a força de colher assinaturas com velocidade gigantesca. Nada amador.

    Fraterno abraço,

    Rodrigo Fornos - Curitiba/PR

    ResponderExcluir
  60. Mucuiu Padrinho.
    ADOREI o texto da sua opniáo de novembro. Realmente me transmitiu paz. Obrigado.
    Torça por mim, pois a partir da semana que vem terei 2 ou 3 dias por semana em sáo paulo só para procurar a casa para o nosso terreiro.

    Grande abraço.

    AXÉ.

    Kiko. TPM sáo paulo.

    ResponderExcluir
  61. Mucuiu Pai Fernando.
    O problema não é só a venda de bebida alcólica. O problema está no comportamento dos torcedores. Já saem de casa com a idéia de arranjar briga. Tanto faz se o time do coração ganha ou perde, o negócio é brigar, provocar a torcida adversária, quebrar tudo que encontrapelo caminho.
    Dá medo de passar perto, mesmo não sendo torcedora de nenhum time.
    A Lei existe e deve ser cumprida com mais rigor. Começou qualquer tipo de provocação, vai passar a noite no xadrez.
    E sem essa de se negar a fazer o teste do bafometro. Tem sintomas de embriaguez, vai fazer o teste sim. Desse jeito, logo todo mundo faz o que bem entender. Não exite mais ordem. Ninguém respeita mais nada.

    Parabéns Andrea pelo trabalho.

    Noeli-Ctba/Pr

    ResponderExcluir
  62. Os Dirigentes e demais Autoridades dos Clubes de forma geral deveriam assumir parte desta responsabilidade Legalmente.
    Ora, estas pessoas que antes, durante e depois do jogo causam tanto caos e violencia, mal conhecem suas vítimas...qual o maior motivo das brigas? Respondo: camisetas de times, onde o brasão do time se torna uma farda de guerra em dias de Atletiba e outros mais. Proibindo o uso nos estadios, (se é que isso seria legalmente possível) ja eliminaria uma boa parte da confusão e mexeria com o bolso dos Clubes, que tem na venda de produtos dos times uma parte consideravel de seus lucros com o esporte...quem sabe aí eles se envolvem de forma efetiva no que, na minha opinião, deveria ser prioridade e obrigação! O fim da violencia dentro e fora dos estadios agrega muitos beneficios aos clubes e à sociedade em geral, inclusive financeiramente, muita gente, MUITA mesmo deixa de ir em jogos e de sair em dias em que eles acontecem devido ao risco de se ferir e ate morrer. Quem dirá levar os filhos, mulher e outros q adoram futebol, como a maioria dos brasileiros, mas nao ve a menor condição de segurança para transitar proximo à um estadio, quanto mais entrar em um. Repito, na minha opinião, a "chave" para mudanças esta no bolso de quem realmente ganha dinheiro com isso.

    Rafael Pereira, Curitiba, PR.

    ResponderExcluir
  63. Ma Angela, tomei a liberdade de publicar neste tópico o enviado no Tema Livre 24.
    "Mucuiú Pai Fernando
    Lendo o blog, agora ñ sei bem aonde, li seu desencanto em relação às pouquíssimas sugestões apresentadas p possíveis ações em prol da não- violência.Tenho sugestão totalmente passível de objeções, barreiras a serem transpostas, críticas à utopia, à credulidade, à ingenuidade e à exposição ao "ridículo". Acredito q tudo a ser alcançado junto ao ser humano TEM QUE SER FRUTO DA CONSCIENTIZAÇÃO. Falar sb violência, suas consequências pessoais bilateral, a repercussão nefasta à sociedade, atacar puramente o governo pela precária atuação, ñ vejo inutilidade mas pouco resultado. Hj em dia pouco ou nada é trabalhado sobre VALORES MORAIS E SOCIAIS junto às crianças,adolescentes, jovens e adultos. O sr deve estar querendo saber onde quero chegar, pq parece q estou filosofando e nosso objetivo ñ é esse.
    Ok... poderíamos reunir pessoas interessadas em trabalhar com o desenvolvimento de valores através de dinâmicas (jogos/ atividades educativas lúdicas/competições, etc) e organizar Oficinas Itinerantes que visitariam escolas, clubes, sociedades, comunidades... com frequentadores de diferentes faixas etárias, e q assim agrupados, após essa "recreação ou diversão" retirariam eles próprios em debates abertos, orientados pelo mediador os conceitos objeto das atividades executadas.É da minha experiência profissional que o q é imposto ñ é cumprido, mas o q é concensado é mais facilmente alcançado.
    Seria um trabalho voluntário (p quem tivesse disponibilidade de tempo principalmente durante os dias úteis),realizado com retorno de periodicidade rígida e curta, acompanhado por registro de observação do mediador avaliando a evolução dos critérios de julgamento e comportamento do resultado das atividades a cd reunião.
    Está meio confuso o entendimento mas acho q como idéia geral dá p captar né? O intuito é desenvolver a consciência do peso das ações e atitudes pessoais na comunidade, que pode ser simbolizada por uma linha espiral.
    Desculpe se me prolonguei demais, o sr ñ tem necessiddade nenhuma de postar apenas eu gostaria que pensasse sb a sugestão.
    Um grande beijo carinhoso.
    Saravá.
    Mª Angela

    ANDREA, DE MINHA PARTE ESCOLHI ESSA POSTAGEM DA MA ANGELA COMO BASE PARA O PROJETO QUE DEVEMOS FAZER PARA NOSSA LUTA CONTRA A VIOLÊNCIA. O QUE VC ACHA? FMG

    ResponderExcluir
  64. Mucuiú, Pai Fernando! Sábado de manhã, descansando a mente, bem mais fácil de raciocinar. Lendo o post da Maria Ângela,lembrei da conversa que tive, no início da semana, com a Andréa, em que ela quase me intimou a escrever no blog (brincadeirinha!!!! ela está certa!). Eu dizia a ela exatamente isso, que poderíamos fazer várias oficinas, cursos, palestras em nosso Terreiro, de muitas coisas diferentes, voltadas para educar de várias formas. Aprender um instrumento, por exemplo. Claro que já temos várias oficinas no Terreiro, mas as próximas poderiam ser mais direcionadas ao objetivo de formar opinião. Diretamente. Penso que as famílias precisam aprender a fazer coisas juntas, não só fazer compras ou ir a Shopings. Será que está muito longe a época em que nos reuníamos com os pais para cantar, tocar e fazer uma comidinha gotosa? Entre risos e conversas o pai sempre dizia algo que nunca mais esquecemos, a mãe ensinava a ocupar a mente com coisas saudáveis. Puxa!Isso fortifica tanto e dá tanta segurança às crianças e jovens. Bom, Maria Ângela foi além, levando para fora do Terreiro isso. Há, provavelmente, em nossa comunidade, muitos professrores, de áreas diferentes, dispostos, com certeza, a fazer esse trabalho. Eu sou uma delas. Costumo trabalhar muitos valores em aulas de Português e de Espanhol, com textos diversificados. É preciso levar à discussão situações corriqueiras que, parece, que não são mais discutidas em casa. Ou se são, vêm sempre cheias de preconceitos. Não me custaria ajudar nessa luta. E, tenho certeza, que temos irmãos de fé que fariam o mesmo.Poderíamos nos reunir por áreas e ver quem se prontifica a fazer e o que pode fazer. Todos sabemos alguma coisa. Sempre tem alguém disposto a aprender aquilo que podemos ensinar.

    Kátia/Curitiba/Gira da Mãe Jô

    ResponderExcluir
  65. Pai Fernando, Mucuiú, sou eu novamente.
    Minha sugestão é que poderíamos nos organizar por áreas:
    1) Educação no trânsito... poderíamos dar palestras e ilustrar com profissionais do trânsito.
    2) Educação sexual. Há pessoas preparadas para falar sobre esse assunto. Não puritanismo, mas educação.
    3) Educação familiar. Assuntos básicos, em que a pauta poderia ser o respeito entre pessoas da família, pessoas fora da família. Ouço filhos chamando o pai de "idiota" (desculpem!é tão agressivo!), irmãos se chamando de "animais". Minha Mãe Yemanjá! O que isso significa? O respeito com os idosos da família. Lembrar o que eles significam para os jovens. Respeito com as cianças. Respeito com os animais.
    4) Educação religiosa. Não "partidária". Claro, que vamos "puxar a brasa pro nosso assado" (kkk expressão gauchesca!), mas saber que amar o próximo e à natureza é uma Lei de Deus e qualquer Deus, de qualquer igreja.
    5) Educação da cidadania (pode ser outra expressão). Valores que precisam ser desenvolvidos. O homem para viver na Terra precisa ter educação, cuidar das plantas que os outros plantam, não colocar lixo no chão, ajudar a quem precisa. Às vezes uma pessoa cega fica horas esperando que alguém vá ajudá-lo a atravessar a rua e não aparece um indivíduo para fazer isso.
    Bom, muito mais coisas podem ser tratadas. Isso são apenas sugestões!


    Kátia/Curitiba/Gira da Mãe Jô

    ResponderExcluir
  66. Bom Dia!

    Pai Fernando

    Acompanhando estas postagens fico pensando como lutar contra violência,quem já passou por uma perda sabe o quanto é revoltante , mas agora lendo esta postagem que o senhor colocou da MªAngela,apareceu uma luz ,para podermos lutar, conte comigo ,como diz o ditado "Uma andorinha só não faze varão"
    Bjos
    Dede

    ResponderExcluir
  67. Pai Fernando, blogueiros e leitores do blog. Na minha visão a atuação contra a violência se dá de três formas distintas. A primeira que é o alicerce e eu tenho falado e sonhado muito com isto é a educação de base. No texto que o sr postou a Maria Angela vai além do que eu possa ter imaginado até o presente momento e com certeza absoluta ela se quiser se unir a nós será uma grande conquista, pra nossa futura vitória.Não podemos esquecer também que quem na verdade começou a tornar real a educação infantil no terreiro foi a Mãe Lucília, com a disponibilização de aulas para crianças em vários segmentos no TPM, que deve ser englobado nas atuações futuras.
    O segundo ponto que é este que estamos trabalhando é a atuação dos adeptos e simpatizantes da Umbanda como cidadãos cobrando e oferecendo soluções para a paz na sociedade. Elemneto indispensável no processo evolutivo da Umbanda como religião.
    O terceiro ponto que não havia exposto até o presente momento ,que eu qualifico como de grande importância também , citado pelo Pai Beco nesta postagem, é a demonstração do amor que impera em nossa religião. Amor contra a violência silenciosa , no sentido de não ser divulgada na mídia, mas que acontece no dia a dia, pela falta de compreensão mútua. É a violência que é praticada através de palavras mal ditas e mal expressadas e que deve também acabar.Nesse ponto gostaria de pedir a cada médium de nosso terreiro e de outros que queiram que peçam às entidades palavras de sabedoria sobre relacionamentos humanos, que eu postarei em local que já está sendo determinado.Pensei nisso pois minha vida é guiada pelas palavras deles sempre cheias de amor e compreensão.
    Se atentarem bem pra estes três pontos expostos reconhecerão os três pontos básicos da Umbanda: a inocência das crianças, a determinação dos caboclos e a sabedoria dos pretos velhos. Eles são a nossa base e por eles temos que nos guiar.Volto a falar que este não é um projeto pessoal de ninguém mas abrange toda uma comunidade e necessita da participação de todos. Saravá!

    ResponderExcluir
  68. Mucuiu Padrinho.
    PARABENS MARIA ANGELA.
    Muito bom e facil náo só de entender, como de praticar.
    Uma açáo realista e ao alcance de todos.
    Isto sim é um começo ao estilo Pai Fernando. Estilo pé no cháo.
    Contem comigo.
    AXÉ.
    Kiko - TPM sáo paulo.

    ResponderExcluir
  69. Marcelo Loyola da Silva (Rio de Janeiro/Curitiba)

    Mucuiú Seu Akuan e Seu Fernando, chefes do nosso Terreiro

    Vi o Minha Opinião de Novembro e como o Sr. Reclamou das baixas postagens, resolvi deixar meu comentário também, apesar de não ser propriamente uma sugestão mais sim uma observação do mundo em que vivemos e do porque da situação estar desse jeito.
    Sinto muito pelo João Henrique pois, apesar de não tê-lo conhecido pessoalmente, sei que sua mãe e sua tia são pessoas extremamente especiais, de bom astral, boa índole e bom coração. Meus pêsames à família...
    Creio que vivemos uma seríssima crise de valores, em vários sentidos. Morais, religiosos, comportamentais,... E a juventude simplesmente não se encontra, não sabe como amadurecer. Antes os pais eram referências fortes no desenvolvimento dos caráteres. E a Igreja (leia-se religião), outra. Hoje famílias se demontam com a mesma facilidade com que se vai na esquina comprar drogas. Falar-se de religiosidade é careta, reacionário, piegas,...
    O problema não está nos estádios somente. É como quando se diz que deve-se resolver o problema de um bairro apenas. Ilusão. Se não se buscar um ampla solução, o problema não se resolve.
    Saio de carro algumas vezes de noite em Curitiba e vejo, abertamente, MUITOS usando drogas (na maioria Crack) em vários pontos da cidade. Abertamente. Se a polícia a a prefeitura dizem se preocupar de verdade, porque não fiscalizam locais como o Largo da Ordem e a Pça 29 de Março,... Vários estão usando drogas abertamente, anto de dia quanto de noite. Alguém acha que pessoas que usam drogas não começam a criar alguma deficiência mental? Até que se torne praticamente uma loucura? Que chega a levar jovens a atropelar outros friamente? E os pais que deveriam saber onde andam e o que fazem seus filhos, sabem o que anda acontecendo? Esse rapaz que atropelou o João acredita em algo maior? Tem alguma religião? Creio que alguém sem fé é alguém sem rumo. Isso aliado as drogas e a falta da família, cria bombas-relógios ambulantes, que podem explodir a qualquer momento.
    Não se tem de repensar a sociedade, mas sim a cabeça das pessoas e suas formas de pensar o mundo. Qundo atingirmos cada um, o todo se transformará sozinho.
    E o Terreiro do Pai Maneco contribui com seu quinhão magnificamente. Basta todos manterem seus ideais e corações limpos.
    Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  70. Boa tarde Pai Fernando, boa tarde a todos.

    Quantas vidas serão necessárias se perderem e quantas famílias desestruturadas para que se tomem uma atitude que definitivamente cesse com toda essa violência?
    A maioria desses casos quando tornam-se do conhecimento de todos têm uma repercussão e uma revolta enorme por parte da sociedade, isso sem falar em tantas outras barbaridades que nem ficamos sabendo, mas infelizmente após um, dois meses caem no esquecimento. Claro que as pessoas devem tocar suas vidas, mas e a família que perde seu ente querido? Não é tão fácil simplesmente tocar a vida, essa certamente sentirá e chorará sua perda com toda certeza por MUITO mais do que um ou dois meses.
    Está então na hora de exigir que as providências em relação à segurança não sejam tomadas apenas diante da repercussão que os casos apresentam, ou em época de campanhas políticas. Está na hora de medidas definitivas serem tomadas, começo dizendo pelo salário de um policial militar, o qual, na minha opinião, de longe não é o que um pai de família merece por deixar sua mulher e filhos em casa todos os dias sempre com a dúvida se este voltará para casa.
    Quanto ao que pode ser feito em relação à violência, tenho certeza que inúmeros projetos existem, só não entendo a que ponto tudo isso deve chegar para que sejam colocados em prática.
    Começando, como já foi dito pela redução da maioridade penal. Hoje um jovem de 16 anos já vota, já sabe dirigir, já bebe, fuma, até filho já coloca no mundo, é inadimissível que não se tenha idade para responder pelos crimes que comete. Aliás que vêm cometendo cada vez mais, pois na maioria das vezes, sempre que um bando ou uma quadrilha age, quem sobra pra polícia é sempre o menor, que logo logo já está nas ruas novamente praticando mais crimes. Bom, quanto a isso sei que a revisão do código penal já está considerando, agora resta-nos, com a insegurança de sairmos de casa todos os dias, aguardar.
    Nos estádios de futebol, na semana passada alguém, que não lembro quem, comentou comigo que há a proposta de que quando os jogos forem locais, ex. Atletiba, se o jogo for na Arena, entrará no estádio apenas torcedores do Atlético, e vice-versa. Acredito que seja uma medida eficiente, afinal como já foi comentado não haverá as torcidas organizadas que sempre, todos os jogos, causam tumulto e confusão. (continua)

    ResponderExcluir
  71. (cont.) No entanto não creio que seja a solução, apenas algo para amenizar parte das confusões, porque infelizmente os torcedores conseguem brigar até entre si. Quem nunca viu tumulto no meio de jogo, e quando olha, são dois do mesmo time saindo no braço. E isso por que? na grande maioria por causa do maldito álcool.
    É cada vez menor o número de pessoas que vão aos estádios para assistir o jogo e torcer pelo seu time, o que mais se vê é neguinho procurando confusão com torcedores adversários. Lamentávelmente não se torce mais como anos atrás, onde o que importava de fato era o jogo. Então apoio também que não se venda álcool em estádios e arredores. Mas e as pessoas que vivem desse comércio, e que em dias de jogos têm seu maior faturamento? Como ficam? É aí que eu acho que deve-se buscar, não sei se a palavra seria um acordo, mas uma maneira de que estes não sejam prejudicados, e mais que isso, sejam beneficiados e tenham por iniciativa própria a atitude de não vender bebida alcólica nestes dias.
    Outro ponto relevante é a ida para casa, onde uma grande maioria, que vale ressaltar, está alcolizada, volta de ônibus, e se não bastasse depredar ônibus e terminais encontram com seus adversários e dão início a literalmente uma guerra onde se encontram presente pessoas voltando do trabalho, mães com crianças e salve-se quem puder. Não tem como parar o transporte público em dias de jogo, mas evitaria boa parte do caos se o policiamento nestes locais fosse reforçado, mas quando digo reforçado é reforçado mesmo. E aí, tolerância zero! Está tumultuando? Vai detido.
    Compreendo que combater a violência e a criminalidade não é fácil, mas tem que se começar de alguma forma, antes que fique cada vez mais e mais fora de controle.
    E junto a tudo isso acho que cabe a nós continuarmos lutando pelo bem, e orando por cada uma dessas pessoas que cometem essas atrocidades, para que um dia tomem consciência no que está se transformando a realidade em que vivemos.
    Apoio completamente esta movimentação e parabenizo os responáveis pela incrível iniciativa, e como disse a Denise, uma andorinha só não faz verão!

    Abraço a todos,
    Camilla.

    ResponderExcluir
  72. Aline, Morro de Sao Paulo/ Ba8 de novembro de 2009 13:21

    Mucuiu Painho Fernando!
    Boa Tarde a Todos!

    Com relaçao à estupidez da VIOLENCIA, o choque, o contacto mais proximo; o momento que nos deparamos com ela atraves de um amigo, um parente vitimado, nos deixa a principio temerosos e cheios de inconfortos. Passado este momento vem o momento de agir.
    Precisamos, na minha opniao, de gritar!
    Temos que exigir medidas mais duras de ataque para a situaçao atual. Policiamento ostensivo nas grandes concentraçoes de massa, combate as drogas, principalmente o crack, verdadeiro coquetel das trevas. Assim como todo tipo de corrupçao... (Sonho?!!!!)
    Tambem exigir dos comandantes da naçao medidas de prevençao para nossos descendentes.
    Educaçao no transito, filosofia, artes, esportes, acompanhamento psicologico para todos que necessitem, principalmente para a populaçao de baixa renda.
    Investimento em cultura, lazer, cidadania...(Utopia?!!!!)
    Se começarmos a nos mobilizar para reunirmos forças neste intento, com certeza nosso filhos ou netos ja sentirao uma melhora na qualidade de vida.
    Muito dificil mudar o padrao de pensamento dos corruptos que nao se interessam por mudanças, mas o nosso querer é muito forte, nesta egregora formada por pensamentos de paz poderemos fazer acontecer mudanças.
    Contem todos comigo ao combate à violencia!

    Sarava!!!!
    Aline

    ResponderExcluir
  73. Fabiana - Curitiba8 de novembro de 2009 17:41

    Pai Fernando, de fato violência não se combate com violência, porque isso, no final das contas acaba se tornando um circulo vicioso. Acredito que falte a todos nós bom senso, educação e respeito ao próximo. Basta ver como nos comportamos no trânsito, na fila do banco, no supermercado, no ônibus. Furamos filas, Não damos a vez aos outros, não cedemos nossso lugar no ônibus aos mais velhos, crianças e gestantes, não nos preocupamos com o próximo, enfim... Isso é reflexo do nosso aprendizado e temos nos comportado assim, e isso é cada vez mais frequente. Homens não respeitam mulheres e vice-versa, crianças não respeitam os mais velhos, jovens fazem tudo o que querem e quando querem sem refletir nas suas consequencias, políticos roubam, todo mundo quer "se dar bem" em detrimento dos demais, a violência é geral. Culpa de quem? Do governo, da família ou de todos nós?
    Nós umbandistas aprendemos a nos doar ao e creio que é isso que devemos fazer.
    Outro dia, ouvi numa consulta a seguinte frase": "cada um dá ao outro o que tem dentro de si". (Quem tem amor, dá amor, quem tem raiva, dá raiva, quem tem compaixão dá compaixão, e por aí vai) Como é que alguém pode dar ao outro o que não possui? Temos, portanto, que aprender a sermos melhores seres humanos, pois afinal de contas é o que viemos fazer aqui nesse mundo de provas e expiações.
    O que escrevi é parte do que penso e um desabafo tb, não conseguiria expor tudo aqui de forma suscinta.
    Sei que o Sr. está em busca de ideias para agirmos diante dos fatos ocorridos.
    Acredito, como tantos outros que escreveram, que a educação é o ponto principal e primordial para todos, por isso, concordo com o que a Ma. Angela escreveu e aposto nesse tipo de vertente para construirmos uma sociedade um pouco melhor (utopia?) e acho que é um bom início.
    É isso!
    BOa semana a todos!
    Axé Fabiana

    ResponderExcluir
  74. mucuiu Pai Fernando
    quando era pequena gostava de futebol. lembro que em dia de clássico, torcedores eram presos no camburão durante o horário do jogo. existia um grande numero de policiais no campo. mas eram tempos de pais que educavam filhos.
    todos sabemos que a venda de bebida no dia de jogo deveria ser proibida; que o batalhão poderia estar em maior numero na rua, mas isto acarretaria horas extras para o governo pagar; que o transporte publico pode ser monitorado pela Urbs; a policia militar sabe aonde estão os baderneiros, porque não vai atrás e coloca atrás das grades até o dia seguinte? porque não se acaba com torcida organizada? porque os times que tiverem sua torcida envolvida não são penalizados monetariamente? porque não se fecha o estádio em dia de jogo enquanto os torcedores não aprendem a ser civilizados?
    também concordo com o Alex, VAMOS BOICOTAR OS PATROCINADORES DOS TIMES!
    não podemos deixar de falar, nos advogados que são pagos para ensinar seus clientes a burlar as leis, a "não produzir prova contra si mesmo",e a se recusar a fazer bafometro,se fosse com o filho deles, eles agiriam diferente.fora aqueles agentes de transito, que ensinam a escrever defesa de multa, cobrando é lógico.
    projetos de lei pendentes em Brasília tentam flexibilizar e até reduzir as punições impostas pelo Código de Trânsito.
    Nenhum dos projetos de lei que trata do assunto trânsito tem data prevista para entrar na pauta de votação do Congresso. este é nosso Brasil. Transito não dá voto.
    desenvolvo trabalhos educativos nas escolas, referente a educação de trânsito. Acredito que esta realidade só mudará com educação, na escola e com a parceria dos pais. nossos projetos envolvem crianças e adolescentes, que são levados a repensar o real sentido do trânsito,passando a entender o transito como um direito de ir e vir. o Denatran,desenvolve materiais educativos que tratam destes assuntos, mostrando uma visão humana do transito; o transito visto pela vertende da locomoção, comunicação e convivio social.são diversos videos feitos para jovens, com linguagem jovem. os professores precisam aprender a usar estas ferramentas também.
    Há uma infinidade de programas estaduais e municipais que tratam de educação no trânsito. No entanto, ainda se aplica o velho conceito de que educar para o trânsito é mostrar placas de sinalização e fazer os estudantes decorá-las. Ou então ensinar as cores do semáforo e que o correto é atravessar na faixa de pedestres. ‘‘As escolas ainda educam como se todo aluno um dia fosse tirar carteira de habilitação. O ideal é educar pessoas, e não futuros motoristas’’.
    educar pessoas para conviver no transito, e não formar motoristas para se degladiarem no asfalto.
    acredito também que os pais, são os maiores responsaveis por educar os seus filhos, e também punir quando necessário, castigar, tirar a chave do carro,tirar cartão de crédito,se beber não sai de casa, e outras coisas mais.
    os pais precisam voltar a exercer o poder sobre seus filhos, principalmente aqueles que ainda não sabem se comportar civilizadamente.
    mas não vamos esquecer que esta educação, que não é utopia, deve ser propagada em todos os ambientes em que vivemos. até no terreiro.
    saravá.
    cristina hoffmann

    ResponderExcluir
  75. Mais uma vez a violência está presente em nossa cidade por causa do 'amor' ao futebol e desamor pela vida.
    Acabei de ver no noticiário que um torcedor do Clube Atlético Paranaense fpo esfaqueado em frente ao estádio.
    Como a grande maioria aqui, é óbvio que acredito na educação e conscientização como os melhores métodos a serem utlizados no combate à violência, no entanto entendo que este é um trabalho que requer paciência, para que futuramente colhamos seus frutos. Sendo assim, é preciso que, conjuntamente, algo mais célere aconteça.
    Ontem, quando estava num curso sobre Direito Desportivo, me veio uma ideia, que talvez seja absurda e utópica, mas resolvi dividir com vocês, talvez não seja tão absurda assim.
    A violência (no futebol) tem ocorrido em decorrência de gostos diversos, por essa paixão descabida à cor da camisa, por isso acredito que se os clubes forem punidos pelas atitudes dos seus torcedores, irão colaborar com a nossa luta.
    Por exemplo, se um torcedor do Atlético sofrer qualquer tipo de violência por um torcedor de time adversário (Coritiba, Paraná Clube), o clube correspondente ao torcedor agressor será punido por isso. Da mesma forma é o que deverá ocorrer com as destruições da nossa cidade pelas torcidas.
    No entanto a punição não deve ser por multa, mas sim pela perda de pontos da equipe na tabela do campeonato, ou então que durante um determinado número de jogos da equipe não possa ter torcida.
    Em conjunto com esta ideia, acredito muito no que disse o meu pai, Cleverson, no cadastramento do torcedor ao comprar o(s) ingresso(s) (sócio torcedor que não compram ingressos, já estão cadastrados e com acdeiras marcadas), bem como retir os ônibus de circulação tanto num determinado período de antecedência, quanto depois do término da partida.
    Não acredito que a redução da menor idade penal seja uma solução para o que queremos, pois com toda a certeza, no dia seguinte os aliciadores estarão atrás de crianças ainda mais novas, é um ciclo vicioso!
    Infelizmente sabemos que tudo isso decorre da falta de amor entre as pessoas e do consumo, cada vez maior, de entorpecentes. O grande problema é que nossos adversários são fortes, estão no poder. Mas não podemos desistir, façamos a nossa parte, votando conscientemete e com cautela, e também ensinando, semeando tudo de tão maravilhoso que a Umbanda nos transmite.
    MUITO AMOR, alegria com as coisas simples da vida, fraternidade, solidariedade, caridade e MUITA, MUITA PAZ!
    Inayê - Gira de Quarta (Pai Léo)

    ResponderExcluir
  76. Pai Fernando

    Infelizmente a violência é um fato em nossas vidas e que entra em nosso cotidiano sem o nosso convite.

    Falando especificamente do caso da violência entre torcidas, é um conjunto de fatos que torna essa fórmula perigosa.

    É sabido que os maiores confrontos não ocorrem nos estádios, e sim nos terminais de ônibus e nas ruas da cidade.

    Se pegarmos os números dos últimos 10 Atletibas, tenho certeza que nenhum dos vândalos estão presos, ou até, detidos dos horários dos jogos de seus times, como prevê a lei.

    Como já foi comentado neste blog, na Europa, principalmente na Inglaterra, a violência foi condita em deter os vândalos nos horários dos jogos e prestação de serviços comunitários.
    Um ação severa e efetiva da policia local.

    Minhas sugestões são, certo modo, simples, mas vamos lá

    1 – Detentação dos vândalos nos horários dos jogos por 01 ano
    2 – Havendo caso de reincidência, 03 anos ou prisão
    3 – Serviço comunitário

    Infelizmente, o problema é cultural. Falta educação, falta segurança, faltam oportunidades.
    É mais fácil dar comida ao povo, do que educação, até pq, o povo educado pensa melhor e não elegeria o que temos nos representando no congresso.

    De modo algum acho justo as pessoas passarem fome, mas a fome do nosso país não é apenas de comida. Temos fome de educação, de segurança, de oportunidades, de crescimento, de desenvolvimento e acima de tudo de cidadania.

    A cidadania, vai muito além do que um simples voto, a cidadania é fazer valer o seu voto, é fazer valer os seus direitos e tb cumprir com os seus deveres.

    Nosso problema é critico, histórico e enraizado na cultura comodista do brasileiro, mas quem sabe esse não seja o inicio de uma mudança, pelo menos em Curitiba.
    Somos um povo sem memória, mas não quero ser relembrado por mais uma fatalidade ou acidente de alguém próximo a mim.
    Quero não esquecer desta tragédia para ter força e lutar para que outras famílias não sofram o que essas estão sofrendo.

    Axé
    Renato

    ResponderExcluir
  77. Olá
    Segue o texto do padrinho do João e da Ana, minha irmã. Eu ainda não consegui traduzir em palavras meus sentimentos, mas confesso que nunca antes havia cantado com tanta energia e amor como cantei no velório do João. A força da Umbanda é o que tem pacificado nossos corações.
    Cris Mendes


    O fim da primavera

    A primavera não foi interrompida. Embora nos seja difícil acreditar, ela concluiu o seu ciclo. E o fez de modo fértil. Deixou frutos e flores. Fruto do bom filho, bom irmão, bom neto, sobrinho, primo, amigo e namorado. Flor do carinho, do estar de bem com a vida e da felicidade constante. Flor do menino que só semeou bondade e alegria. E é por isso que nós, da família, resignadamente, agradecemos a Deus por nos ter permitido que este irmãozinho querido dividisse conosco seus vinte e um anos. O João Henrique não morreu. Simplesmente partiu antes, não sem ter, porém, cumprido exemplarmente sua missão. Que Deus o abençoe.

    Ivan Xavier Vianna Filho & Família


    Por certo, quando tio Ivan escreveu estas palavras, quem lhe sussurrou ao ouvido foi Maria, Nossa Mãe Yemanjá, que, como ninguém, sabe o que se passa no coração dos pais que perdem seus filhos. Sempre nos perguntamos como eles suportam esta dor. Nós já sabemos! Deus, em sua infinita bondade, fez de vocês, familiares e amigos queridos, anjos de luz e amor, que em todos estes dias nos sustentaram. Só assim é possível percorrer este caminho tão difícil. Nenhuma palavra comportaria a amplitude de nossa gratidão. Para vocês também foi dada uma missão. Com certeza, nosso Pai Oxalá sente muito orgulho de vê-la sendo cumprida com tanto amor. Esta fagulha de luz permanecerá em todos nós para sempre.

    Ana, Tony e Lu.

    ResponderExcluir
  78. Minha sugestao é a completa extinçao de torcidas organizadas.

    Ja que foi sugerido denunciar os traficantes vou contar uma historinha que aconteceu comigo.

    Roubaram 3 janelas de aluminio da minha casa, chamei a policia a pm foi la e disse que nao podia ir atraz dos bandidos perguntei onde eu mesmo poderia procurar, eles disseram va no barracao que compra sucata na favela que deve estar la.
    Perguntei onde fica este barracao?
    Rsponderam naquela ruazinha ao lado da boca de fumo.

    Eu nao me atrevi a perguntar (se sabem onde esta mercadoria roubada e os traaficantes pq nao os prendem? ) pq se eu falasse isto certamente ia preso no lugar deles.
    Denunciar seria legal mas como isto ia funcionar com tanta corrupçao policial?
    Acho que a policia conhece cada traficante nao faz nada pq nao quer.

    LAILSON CORREIA
    GIRA DE SEGUNDA

    ResponderExcluir
  79. Boa Noite a todos,
    Creio que as medidas se multiplicam, no plano municipal as ações locais, no estadual medidas educativas, no plano federal a mudança da legislação. Porém, todas as medidas comportam amplo debate que não está sendo feito nem na Câmara Municipal, nem na Assembléia Legislativa e muito menos no Congresso Nacional.
    Resta-nos as ações sociais, articuladas com os grupos de pressão. A religião é uma delas.
    Um abraço fraterno a todos,

    ResponderExcluir
  80. so corrigindo o post anterior
    assinei como

    LAILSON CORREIA
    GIRA DE SEGUNDA

    O CORRETO E GIRA DE SEGUNDA FEIRA PORÉM GIRA DE PRIMEIRISSIMA.

    ResponderExcluir
  81. Mucuiú, Pai Fernando.
    Situação esta do rapaz João, vem se repetindo em todas as classes sociais, e a todos os dias. Nosso código penal está defasado, e as autoridades só dão atenção maior aos casos onde a família tenha alguma influência social.
    Infelizmente na maioria dos casos, o criminoso fica impune, e muitas vezes nem é encontrado como o caso da menina que foi encontrada em uma mala, na rodoviária. Até hoje não há nenhuma pista do criminoso, e já se passou um ano.
    A impunidade e o favorecimento às punições em menores faz com que os crimes aconteçam e acabem em pizza.
    Este é o nosso Brasil, onde a criminalidade está correndo solta e nós , cidadães, cumpridores de nossos compromissos, ainda pagamos mais impostos para que os presos tenham direitos... matam, roubam ,são acobertados pelos direitos humanos e nós, pagamos para que eles fiquem bem alimentados, com a promessa de uma recuperação e reintegração social, que jamis acontece.
    A CORRUPÇÃO, e o DINHEIRO, falam mais alto em qualquer situação.
    Enquanto isso, ficamos trancados em nossas casas,com portões trancados, janelas fechadas, e o medo de sermos a próxima vítima.
    Minhas condolências a esta mãe, que infelizmente sente a dor da perda do filho. E o criminoso...? Um `` bom´´ advogado amenizará a pena, e mais uma vez , apenas ficará o sofrimento da família que perdeu o filho...
    JOVENS, não desperdicem sua juventude com esta ilusão de que drogas e bebidas fazem parte desta fase maravilhosa das suas vidas, pois amanhã, as lágrimas que rolarão, podem estar caindo no rosto de seus pais. VALORIZEM-SE.
    MOSTREM QUE PODEM FAZER DIFERENÇA, neste mundo que está virado numa droga....DIGAM NÃO AS DROGAS.
    QUE OXALÁ PERMITA UM MUNDO COM MAIS PAZ... lutaremos por isso.
    A revolta não deixa que as palavras que quero escrever sejam escritas, pois eu mesma poderia ser punida por pedir paz...antigamente era a ditadura militar, agora é a ditadura dos bandidos....AXÉ...

    ResponderExcluir
  82. Ouvi no radio ontem 09/11/09, sobre nova lei para usuários de lanhouse. Local onde transitam muitas pessoas acessando internet, e internet como o futebol, é passível de violência e crime.
    A nova legislação está vigente desde 15 de outubro deste ano (apenas no Paraná). Diz o seguinte: Todo usuário deve ser cadastrado com número do RG, comprovante de residência e foto, antes de utilizar o computador para quaisquer finalidade.

    Nem tudo é perfeito, as coisas funcionam quando o conjunto todo se harmoniza.
    Abraços

    ResponderExcluir
  83. Desculpe a demora Baba...
    Pois é, difícil para mim, pois não acredito nas leis, no sistema ou no certo e errado, acho que tudo é o momento.
    Em um pequeno momento, muitas coisas podem acontecer. Bebidas, drogas, uma briga, um buraco na estrada,um encontro.
    Tudo tem consequências. Na verdade estamos tentando diminuir as consequências de séculos de escolhas erradas (políticas, educacionais, emocionais e até espirituais).
    Sugiro começarmos a fazer novas escolhas não com o que já foi, mas com o que ainda pode ser e não munido de revolta, mas de determinação e atitude.
    Parabéns pela iniciativa de agirmos de forma intensa e real, oferecendo um trabalho de base com amor e objetivo.
    Saravá o pé no chão!
    Saravá o Fernandão!

    ResponderExcluir
  84. Mucuiu, Pai Fernando,

    A violência é, por certo, assunto muito complicado. É lamentável a dor que centenas de famílias são obrigadas a passar pela perda de seus entes queridos

    Do meu singelo ponto de vista, a questão comporta um duplo confronto.

    Por um lado, é necessário reprimir a violência que já se encontra presente. Para tanto, basta implementar aquilo que já se tem. Deve haver uma polícia ostensiva, presente, que combate o criminoso, com o rigor da lei, respeitando seus direitos e garantias fundamentais, inerentes a sua condição humana e, ao mesmo tempo, respeita o cidadão, não somente a vítima, mas aquele que às vezes é obrigado a viver na periferia sob o jugo do crime organizado. No caso dos menores, o Estatuto da Criança e do Adolescente pode, sim, ser rigoroso, desde que devidamente aplicado. Não é necessário, portanto, reduzir a maioridade penal.

    Porém, por outro lado, é indispensável coibir o crescimento da violência, o surgimento de novos agressores, o que somente pode ser feito por meio da implementação de políticas públicas. O crime organizado cresce somente onde falta a presença do Estado. Por isso, é importante que o povo tenha saúde, lazer e, principalmente, educação. A educação permite a emancipação do indivíduo, o fortalecimento da democracia, a redução das desigualdades sociais por meio do trabalho, a existência de sujeitos éticos, que se identificam com o outro e que sabem respeitá-los, com suas diferenças e peculiaridades.

    Infelizmente, os governos não se preocupam devidamente com a educação. A única razão que vejo para tanto é porque pessoas educadas sabem votar, sabem interpretar as informações que lhes são passadas, sabem trabalhar em busca de um mundo melhor, sabem discernir o certo do errado e, enfim, não aceitariam passivamente essa realidade que nos é empurrada goela abaixo.

    Por fim, com o perdão pela extensão do desabafo e voltando ao campo do concreto, considero que o agravamento de penas não é a saída, devendo ser a última alternativa, porque elas não são devidamente executadas e, em alguns casos, produzem mais efeitos nocivos. Uma saída possível, já apontada em outros comentários, seriam medidas restritivas de direito, p. ex. no caso da violência oriunda do futebol, impedir o sujeito de assistir aos jogos de seu time por muitos anos e OBRIGÁ-LO a frequentar cursos de controle da raiva, respeito ao próximo, dentre outras temas, bem como prestar serviços em locais associados à violência, como hospitais. Endosso, portanto, as palavras do Renato.

    Seria interessante que todos que acompanham o blog assinassem a petição online, que até agora só conta com 8 assinaturas.

    Daniel Addor

    ResponderExcluir