Assine aqui para receber atualizações deste blog

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

DESENVOLVIMENTO DA MEDIUNIDADE 3

Tendo em vista as reiteradas perguntas sobre desenvolvimento da mediunidade, oportunizo novamente um tópico sobre este assunto.

Camila

30 comentários:

  1. Boa noite a todos.

    Como alguns já sabem, tenho um blog para falar dos assuntos que gosto e entre eles estão a Umbanda e a saúde (ligada a atividade física. Lá coloquei um post sobre uma fala do Seu Caveirinha.
    Como muitos não conhecem meu Blog coloco aqui essa aula do Seu Caveirinha.

    Segundo ele,o esporte e a espiritualidade estão bem ligados. Pois, durante a prática de uma esporte nós temos um tempo exclusivo para nossa mente acalmar e organizar seus os problemas.

    Cada vez que penso nas palavras do Seu Caveirinha fico feliz por poder ajudar os outros, pois trabalho com atividade física.

    Saravá

    ResponderExcluir
  2. Pai Béco de Oxóssi4 de outubro de 2010 14:29

    Olá Rogério,
    você quiz dizer " Men Sana In Corpore Sano ", é isso mesmo. Sabemos que os pretos escravos praticavam a capoeira, imagino, por dois motivos: aprimorar a auto-defesa e práticar a espiritualidade, usando os movimentos do corpo, o canto de mantras, tocando berimbaus e batendo atabaques. Acredito que, Como disse Pai Fernando, já significava uma forte ligação ao início da nossa Umbanda., Axé! Pai Bequinho de Oxóssi (quinta).

    ResponderExcluir
  3. Falando sobre este assunto e tema, me recordo uma vez em que a Mãe Lucília me falou que andar (caminhar) é um bom remédio sugerido pelos Exús para superar as tristezas e estados de depressão. Melhor do que antidepressivo.. que nos adormece em vez de nos acordar para a vida.
    Acho que.. o acto de caminhar significa seguir em frente.. então o corpo age (caminhando) e a mente assimila, aí a vibração começa a mudar... A mim, me ajudou.
    A música, penso, também nos ajuda a manter a mente saudável.
    Eu lembro que quando ouvi pela primeira vez o atabaque do TPM ao vivo levei um susto... que som vibrante intenso que inundou meus ouvidos e minha alma com tamanha energia. É poderoso e contagiante.
    E lembro também que eu falava abataque em vez de atabaque...
    Saravá a todos.
    Ana, de Portugal
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho uma pergunta: O que eu digo para os médiuns quando eles me vem com a velha e boa pergunta:
    "Pai Léo, quando estou incorporado(a), como que eu sei se é da minha cabeça ou não?"

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde,

    Há algum tempo ocorreu uma gira para as filhas de oxum. Haverá outra gira semelhante para os demais filhos da corrente?
    Ela tem o intuito de estreitar o elo de ligação com o seu orixá?

    ResponderExcluir
  6. Léo, considerando que essa tua pergunta é teorica e demanda um pouco mais de vivência, vou passar a palavra ao vô, assim ele te responde com mais precisão.

    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  7. Ahhh
    tenho essa dúvida também. Não sinto essas vibrações que os companheiros de gira dizem sentir. Na verdade não sinto nada de diferente.
    Então como vou saber se é realmente uma entidade ou se sou eu?
    Lili (gira de sábado)

    ResponderExcluir
  8. Lourenço Guimaraes5 de outubro de 2010 13:42

    Pai Léo. Costumo responder pro médium com outra pergunta:
    "Vc sabe quando é só vc, quando é da sua cabeça, nao sabe?
    Se vc está em dúvida é porque deve ser o espírito."

    ResponderExcluir
  9. Ótimo comentário Pai Beco e obrigado pela consideração.
    Realmente concordo com tudo.

    Sarava

    ResponderExcluir
  10. Rogerio SF, acho que a relação corpoXmente vai além da relação esportexespiritualidade, como referiu Pai Béco ao citar "Mens sana in corpore sano".

    Movimentar o corpo vai além do físico, mexe com a energia - facilita incorporação, etc.
    E num grau mais profundo, de trabalho mediúnico, se você vai cavalgar prefere um cavalo sadio ou um cavalo manco? Neste caso acho que ser cavalo sadio começa na forma como tratamos nosso corpo físico, passa por hábitos (evitar ou não fumar, beber, comer carne) e finda em tentar manter o coração leve (com boas ações e bons sentimentos).

    ai... viajei?

    ResponderExcluir
  11. Robson,

    o encantamento é natural, por isso que é bom ir com cautela. O ideal seria você continuar frequentando as giras e começar a frequentar as aulas, assim você irá conhecer melhor a Umbanda. Mesmo cheio de erros o ser humano tem condição de ajudar o semelhante, o que é uma forma de resgates carmicos.

    Saravá,
    Camila

    ResponderExcluir
  12. Marcele,

    a gira a qual você se refere foi específico para um determinado fim, não teve o intuito de estreitar o elo de ligação das filhas de Oxum com o orixá,mas um trabalho muito importante para uma instituição que está passando alguma dificuldade, mas com noticias atuais positivas pois tudo está se acertando.
    Soube que daqui dus semanas será feito o mesmo tipó de trabalho provavelmente com Iansã, mas as médiuns serão comunicadas com antecedência.

    Saravá,
    Camila

    ResponderExcluir
  13. Ana,

    ontem mesmo o Seu Akuan explicou o poder do atabaque, qual a sua importância. A música na Umbanda é indispensável, é ela que irradia toda nossa vibração, bem como, nós vibramos através dela.

    Saravá,
    Camila

    ResponderExcluir
  14. Viajou nada Ana, está mais do que certa.

    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  15. Pai Leo, sem nenhuma duvida todo médium deve ter confiança em si proprio, no terreiro, nos dirigentes e na religião. Entregar-se ao espirito é fundamental para a liberdade que ele (o espirito) tem pare falar e dar as mensagens. Com o tempo o médium acaba percebendo que as coisas que ele diz não são dele.Além disso, só o fato de receber a entidade e saber que está incorporado já o caminho aberto para comunicação da entidade. Axé, Fernando

    ResponderExcluir
  16. Pai Fernando diz que nosso espirito desenvolvedor é o próprio pai de santo, ou mãe de santo. Ser médium não é ser santo, mas antes buscar um equilíbrio entre o mundo material e o espiritual. Não concordo que as respostas para nossa espiritualidade de Umbanda esteja em buscar conhecer mais sobre as entidades que recebemos pela internet. Vejo isto como um processo de conhecer um amigo, por exemplo, leva um tempo. Eu creio que a mediunidade no que tange a incorporação amadurece na medida que aprendemos a conhecer as entidades, seria isto? Por outro lado sinto em alguns cambones que conheço um desenvolvimento mediunico maravilhoso com relação às suas percepções à medida que o tempo vai passando. Assim como na psicografia, vamos nos aprimorando a medida que vamos escrevendo.
    Quando se fala em mediunidade só a relacionamos aos médiuns de incorporação. Gostaria que fosse comentados estes outros tipos, como por exemplo a psicografia que não tenho conhecimento que ocorra em outros terreiros além do TPM e que orientações podem ser dadas ao desenvolvimento também, por exemplo a um médium exclusivamente vidente. Obrigada!

    ResponderExcluir
  17. Pai Béco de Oxóssi (quinta)6 de outubro de 2010 02:44

    Ana,
    Cavalo sadio significa cavalo jóvem e que tem tendências a ser indócil, dar mordidas, corcoviar, empinar e dar manotaços. Cavalo manco está mais para ser velho. Conheço um que é manco e velho. Porém, é dócil, calmo, não dá coice e nem corcoveia, anda devagar mas leva o cavaleiro com segurança ao seu destino. Mas tem um problema que é complicador; Ele fuma. Axé! Pai Béco de Oxóssi

    ResponderExcluir
  18. Camila, obrigada pelo retorno. Muito bacana esse trabalho do TPM; ajuda mútua.
    Existem médiuns que consideram o trabalho no toco o auge do desenvolvimento. Por incrível que pareça já ouvi o absurdo de que "estar no toco é pertencer a ala vip".
    Acredito que o trabalho em grupo, focado, dentro da corrente seja o melhor desenvolvimento para o médium.
    Saravá!

    ResponderExcluir
  19. Pai Leo, mucuiu! Camila, saravá!

    Eu já passei muito por isso. Será que sou eu ou é o espírito? Estou ou não incorporado?

    É um dilema salutar, pois a dúvida é uma segurança para nossa plena consciência.
    Teve uma gira no trabalho de médicos que era realizado na quinta-feira que eu, incorporado com o magnífico espírito do Dr. Viktor, passei boa parte da noite me perguntando: "será que sou eu, será que é o senhor, meu pai, será que sou eu, será que é o senhor, meu pai..."

    Eis que sinto uma voz forte na minha cabeça: "Rodrigo, se você continuar a atrapalhar meu trabalho com essa história de dúvida eu subo e acho um outro cavalo, porque eu estou aqui para trabalhar e você não deixa!".

    Conclusão: nunca mais na minha vida desde então eu questionei. Sou um soldado. Pronto para servir. Seja como for.

    Acontece que quando a gente entra na umbanda a gente quer é incorporar, né? A gente passa a semana toda esperando o dia da nossa gira para vestir o branco e correr para o terreiro encontrar os amigos, a música, nossos pais de santo e incorporar! Ah, como é bom!

    Mas o que muitas vezes falta é a paciência para entender que é um processo até chegar a uma incorporação mais precisa, se é que posso utilizar esse termo.

    Os médiuns precisariam, no meu entender, ouvir um pouco mais quem tem experiência, ou seja, seu pai ou mãe de santo. A paciência, a tranquilidade e, sobretudo, a humildade são ingredientes para nossa boa caminhada.

    Vai a dica para os novatos: paciência. Cavalos são domados depois de muito treino!

    Saravá!

    Rodrigo Fornos
    Gira do Pai Beco - 5. feira

    ResponderExcluir
  20. Adorei o comentário do Rodrigo.
    Concordo que as pessoas tem essa ansia em incorporar. Eu nunca tive, frequentei um outro centro durante muitos anos e nunca senti nem um vento passar por mim e nunca me importei com isso, ficava feliz em servir as entidades como cambone e sou muito feliz exercendo essa atividade no TPM. Para ser sincera acho meio estranho alguns mediuns que a cada ponto que toca "recebe" um santo. Quanto a ir para o toco é ser vip, acho um verdadeiro absurdo, estar no toco como em qualquer outra atividade dentro do terreiro é uma responsabilidade muito grande e a vaidade não deve prevalecer afinal o que seriam dos trabalhos do meio se toda a corrente estivesse no toco? Abraços
    Lili (gira de sábado)
    ahhh!!! Rodrigo sou fã incondicional das entidades que trabalham através do teu corpo.

    ResponderExcluir
  21. Belas e sinceras palavras Rodrigo. Ficam melhores pq sei que tudo o que escreve é o que acredita e pratica. Gosto de tua coerencia e dignidade.
    abraços e axé.

    ps: continuo a discordar de sua escolha politica, mas isso é para outro forum (risos)

    ResponderExcluir
  22. Obrigado pela resposta Camila, vou continuar sim frequentando as giras, mas quais são essas aulas que vc se referiu? Acontecem que dias e como fazer para participar?
    Mais uma vez obrigado!

    ResponderExcluir
  23. Pode uma pessoa que nunca apresentou mediunidade vir a ter após sua entrada na corrente mediúnica de um terreiro? É possível que este venha a servir de cavalo para suas entidades depois de suas obrigações ou tempo?

    ResponderExcluir
  24. Pai Beco:
    O manco do cavalo não era neste sentido, nem físico, nem de idade, mas de coração. Na verdade cuidar do corpo que nos abriga a alma é como manter a casa limpa (e isso independe de idade e de problemas físicos que podem nos acompanhar desde o nascimento).

    Nesta gira que passou o Boiadeiro ficou falando que temos que aprender a ver a vida como vêem as crianças e os velhos (os sábios) - as crianças (no geral) vêem a vida sem problemas, então aproveitam bem o presente. E os velhos que aprenderam as lições e passaram por n experiências, descobrindo o quão efêmera é a vida, passam a aproveitar muito mais o que é bom, ainda que seja pequeno, e a tratar o que é ruim como se fosse pequeno, insignificante, para não perder tempo com bobagem. O mais estranho é que ele disse isso a um rapaz muito jovem, mas que (segundo o boiadeiro), já sofreu e aprendeu tanta coisa que agora não precisa se abalar com problemas pequenos e aproveitar as alegrias com coração de criança.



    Quanto ao cigarro (e aos outros maus hábitos que eu cito), se não tivéssemos nenhum probleminha para resolver, qual a razão desta existência, né?

    Ana,
    Cavalo sadio significa cavalo jóvem e que tem tendências a ser indócil, dar mordidas, corcoviar, empinar e dar manotaços. Cavalo manco está mais para ser velho. Conheço um que é manco e velho. Porém, é dócil, calmo, não dá coice e nem corcoveia, anda devagar mas leva o cavaleiro com segurança ao seu destino. Mas tem um problema que é complicador; Ele fuma. Axé! Pai Béco de Oxóssi

    6 de outubro de 2010 02:44

    ResponderExcluir
  25. Esse cavalo tb conheço. É umbandista de primeira e um show de simpatia.

    ResponderExcluir
  26. Lucas,

    todas as pessoas possuem algum dom mediunico, mas este desenvolvimento pode ocorrer à partir do momento que a pessoa permite a manifestação desta. Portanto, quando participa da corrente de um terreiro, está se dispondo para servir de cavalo às entidades, o que é o desenvolvimento mediunico.
    Está pronto para ir conosco nessa??

    Saravá,
    Camila

    ResponderExcluir
  27. Robson,

    As aulas estão sendo elaboradas pela Mãe Jô e as duas palestras iniciais serão logo divulgadas. A primeira com o Pai Fernando e a segunda com o Pai Bitty (Influência da cultura indigena na Umbanda). Aguarde que logo você terá noticias.

    Saravá,
    Camila

    ResponderExcluir
  28. Boa tarde eu gostaria de estar fazendo uma consulta e eventualmente um trabalho,mas sei que existem muitos picaretas que só querem dinheiro e acabam não fazendo nada,gostaria de saber se alguem pode me indicar alguem serio? desde já obrigado

    ResponderExcluir
  29. Alexandre,

    conhecemos um monte de lugares sérios, mas isso depende de você, só você é quem pode procurar e depende do que vai pedir.

    Axé,
    Camila

    ResponderExcluir
  30. Começarei meus trabalhos ano que vem e estou muito feliz. Moro no Rio de Janeiro, mas tenho uma vontade de conhecer sua casa... Muito obrigado pelos esclarecimentos.

    Que Oxalá continue nos abençoando.
    Axé!

    ResponderExcluir