Assine aqui para receber atualizações deste blog

quinta-feira, 23 de julho de 2009

PURUNGO SUBSTITUE OS ALGUIDARES NOS AMALÁS











A Umbanda por ser ecológica tem que defender e preservar a Natureza e por isso nossos amalás que usamos com bastante frequencia devem seguir a mesma filosofia. O alguidar é um elemento que não se dissolve no tempo e por isso estamos sugerindo que nos amalás sejam usados os purungos ou cabaças inclusive em substituição aos copos para bebidas. As fotos acima foram montadas apenas para mostrar como é fácil usar os purungos e sem causar nenhum mal à Natureza.

21 comentários:

  1. Pôxa vida, que maravilha!Essa é uma coisa que sempre me incomodou na umbanda: a sugeira que as pessoas deixam como rastro de seus trabalhos.Quando eu recebia , por exemplo , orientação para quebrar garrafa de cerveja nas pedras para Xangô , interiormente me recusava. E nunca fiz.Isso não é oferenda a orixá e sim ofensa à natureza.Tomara que essa conscientização se espalhe e a umbanda passe a ser realmente um ato de louvor à natureza. Só achei que o alguidar se dissolvia... ele não é de barro?

    ResponderExcluir
  2. Muito legal, mostra que nossa Umbanda pés no chão pisa em solo limpo. Saravá pai Fernando!

    ResponderExcluir
  3. Miriam, o alguidar é de barro queimado, igual a telha e o tilojo. Já pensou se eles se dissolverem?... FMG

    ResponderExcluir
  4. Faço das palavras do Ronald as minhas... solo limpo para a Umbanda pés no chão!! Essa prática deveria ser adotadas por todos!Nunca tinha imaginado essa função para a cabaça, muito bom! Uma vez tive uma conversa com uma amiga que trabalha na Secretaria do Meio Ambiente do Paraná e ela queixava-se dos restos das entregas dos umbandistas na natureza. Contou-me inclusive que alguns tinham sido notificados pelo Ibama. Sempre tive esse incomodo, o de deixarmos algo que a natureza não decomponha e agora temos mais um meio... saravá as entregas biodegradáveis!!!
    Aqui em Floripa, como faziamos nossos trabalhos ao ar livre, sempre tinhamos o cuidado de recolher tudo que ficava no local. O maior exemplo foi no dia seguinte ao trabalho que foi feito na praia com o pessoal de Curitiba. Seu Sete Ponteiras do Mar pediu que eu enterrasse nas dunas tudo que fosse natural das minhas entregas, frutas, flores, comida e também que colocasse as bebidas por cima. Fiz isso com todo o cuidado, mas como era muito escuro no final do trabalho, no dia seguinte bem cedo eu e a Alice fomos até o local e pegamos todos os restos de velas, resíduos de charutos e conferimos se as entregas tinham sido enterradas bem fundo para que os cachorros não sentissem o cheiro e cavassem. Nem parecia que no dia anterior tinha sido feito o trabalho lá, nada ficou no lugar após nossa passagem, apenas as boas lembranças.
    Axé

    ResponderExcluir
  5. (Afrânio)

    Pai Fernando Mucuiú!

    Eu posso usar a casca de alguma fruta como substituição ao alguidar, caso eu não encontre uma cabaça num tamanho ideal para a oferenda? como por exemplo a casca da melancia? extrair todo o miolo de dentro e usar em qualquer oferenda (Umbanda, inclusive Oxalá que requer alguidar de louça branco e até para os Exus? ou não.
    Posso substituir sem comprometer o amalá?

    abraço Pai!

    ResponderExcluir
  6. Fernanda, isso é respeito e amor às coisas da Natureza. FMG

    ResponderExcluir
  7. Afrânio, não tinha pensado nisso, mas é bem viável. Aí no Ceará aquelas cascas de coqueiro deve ter aos montes. Também podem ser usadas. FMG

    ResponderExcluir
  8. (Afrãnio)

    Ok Pai, muito obrigado! Aqui tem mesmo Pai! ÓTIMA IDÉIA!

    Pai, aproveitando, só uma dúvida: entre as velas , o senhor sabe quem possui uma biodegradabilidade mais rápida: a vela de cera ou a de parafina? se a gente vê de repente poderíamos ficar utilizando mais uma que a outra, tudo em prol da sustentabilidade ambiental, pois sempre fica uma velinha no amalá aqui,acolá que acaba apagando com o vento ou então até mesmo o resto da vela após a queima né.

    É so uma colocação, junto com dúvida.

    um abraço Paizinho, obrigado por tudo!

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Tenho utilizado a casca do maracujá como alternativa para servir as bebidas. Fica como dica...
    Kelly

    ResponderExcluir
  10. É uma ótima ideia isso sim. Eu tenho usado como coité o cocô seco que eu mesma abro em casa com serra fita. Como nas giras de preto velho sempre levo côco seco para o Tio Tonico trabalhar procuro abri-lo sem quebrar o côco aí fica um coité bem rústico!
    Beijos e axé
    Fabiana

    ResponderExcluir
  11. Muito legal essa postagem!

    Gostei da sugestão do purungo, mas não sei onde encontrar... ?

    A sugestão da casca das frutas também foi "show de bola"...

    Fernanda, muito bacana sua história! Saravá o TPM Floripa!

    Pai Fernando, admiro muito essa sua postura de Umbanda Pés no Chão e Ecológica... Fico feliz de fazer parte de um Terreiro com consciência!

    Saravá!

    ResponderExcluir
  12. Kelly, Fabiana e Laura. Muito legal as sugestões. Purungo vc encontra em casa de artigos de Umbanda. No terreiro foi plantada uma cova de semente e de um pé tem mais de trinta purungos. Tudo que se semeia dá frutos. FMG

    ResponderExcluir
  13. É, eu vi o "pé de purungos" mesmo... Pena que não dá pra ter em apartamento, rsrs... Mas tô planejando ao menos um "mini-ervanário" né...

    Coité caseiro também faço de vez em quando, pras oferendas e pras entidades, mas nem sempre dá certo, pq partimos o coco com facão e às vezes ele quebra... rsrs

    Por falar em coité, lembrei de uma historinha: na linha de Xangô trabalho com um Caboclo já há algum tempo. Ele bebe cerveja preta, mas só um pouco e durante o trabalho no meio apenas. Qdo começou a história de se utilizar menos bebida alcoólica, tentei então água com o Caboclo. Durante a Gira, o coité furou. Na outro gira de CAboclos, tentei chá matte. Adivinhem? O Coité furou. Na próxima gira, tentei novamente o matte e pensei - tá de brincadeira?, quando o coité furou... Na última Gira, levei a cerveja preta. O coité guentou o trabalho todo... ;o)

    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Boa Essa!! Prova que a Umbanda vive em sintonia com a natureza. A Terra agradece.
    Parece que fica mais "natural" a entrega, eu diria.

    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Laura, é isso que eles fazem quando resolvemos tomar atitudes por nossa conta. Quem sabe se vc tivesse pedido para alguém falar com ele quem sabe ele tivesse autorizado. FMG

    ResponderExcluir
  16. JOÃO EMERSON DA COSTA24 de julho de 2009 15:48

    PAI FERNANDO...ICH..ACHO QUE TENHO PISADO NA BOLA COM OXALÁ...O AFRÂNIO DISSE QUE SE PEDE ALGUIDAR DE LOUÇA...NOSSA SEMPRE PONHO UMA FOLHA DE BANANEIRA E COLOCO A CANGICA DENTRO DE UMA PARTE DO MELÃO QUE TIRO A POLPA E A ÁGUA DENTRO DA CASCA DO MARACUJA QUE TIROA POUPA TB...BEMTENHO SIDO ATENDIDO AFRÂNIO...ENTÃO ACHO QUE OXALÁ É PELA ECOLOGIA MESSSSSSSSMO...PAI FERNANDO A CASACA DA FOLHA DO COQUEIRO E TRI BOM;;;ALGUMAS GIRAS PASSADAS UMA CONSULENTE EN GRATIDÃO DEU FAROFA PRO SEO JOÃO...E ELE NA HORA PEDIU PR A CAMBONE UMA CASCA DESTA E DESPEJOU A FAROFA EM CIMA PÔS UMA VELA E PEDIU PRA PESSOA ENTREGAR ESTA GRATIDÃO LA´NO CANTEIRO DOS EXÚS...QUE ESTA ENERGIA IRIA SER DIRECIONADA A MUITA GENTE...ACHO QUE ESTE TÓPICO VAI NOS AJUDAR A ENCONTRAR SAÍDAS PARA ENTREGAS E AMALÁS QUE FAZEMOS...COPO:CASCA DE FRUTA...RECEPIENTE PRA POR COMIDA...CASCA DE ABACAXI..TIRA POUPA, MELÃO,MELANCIA,ABACATE,MAMÃO...FUTAS D E CASCA DURA...ACHO QUE A SINTONIA VAI SER SHOW DE BOLA.SARAVÁ SEO JUNCO VERDE E SEO FOLHA VERDE,E TODOS OS CABOCLOS QUE VÃO APOIAR ESTA IDEIA DO PURUNGO E CASCA DE FRUTAS....

    ResponderExcluir
  17. Rsrs, pois é meu Pai...
    Eu adoro esse Caboclo, temos uma sintonia muito forte, ainda não tenho certeza de seu nome, mas sei que vem na linahgem de Seu Quebra-PEdras... Ele só é sisudo na aparência, pois com quem já o "conhece" um pouco mais, é brincalhão e descontraído... Foi uma lição muito bacana de se aprender... Agora estou a procura de seu "coité definitivo" - ele já pediu um só pra ele, geralmente eu uso o mesmo para as entidades, e conversarei com ele (já consigo conversar com ele mentalmente...) pra ver qual a melhor bebida. Mas ele já me intuiu algo sobre chá fraquinho de quebra pedra com matte...

    Abração e obrigada!

    ResponderExcluir
  18. (Afrânio)

    Pai Fernando.

    Aqui em casa eu tenho uma cabaça que eu ganhei de um amigo no dia do meu aniversário.
    Quando a gente agita ela faz um barulho, pois tem sementes dentro, parece com aqueles que os índios usam se eu não me engano na pajelança.
    Ela é usada também nos trabalhos de Umbanda, tipo cura?
    Eu adorei o presente. Aqui no Ceará tem uma crença que devemos pendurá-la atrás da porta de entrada da casa, parece que é para afastar espíritos maus.

    Um abração querido Pai!

    ResponderExcluir
  19. Afrânio, a semente não é usada nos trabalhos de Umbanda, mas a cabaça sim. Os caboclos fazem um ritual com ela. FMG

    ResponderExcluir
  20. Questão de postura! Se a Umbanda, como sabemos, é uma religião natural de consciência natural, ou seja, que cultua deus e suas divindades representadas na natureza, não há nada mais justo e correto do que oferendarmos frutas, flores e comidas ou grãos, mas plástico, cigarro, vidro, papel, pano, metal, etc.; isso não é oferenda _ é lixo. Correto e oportuno o tema abordado. Por aqui: Umbanda Limpa e Umbanda Inteligente!!! Apoiamos e praticamos!

    ResponderExcluir
  21. (Afrânio)

    Pai Fernando

    Ouvi que pode-se substituir as velas nos amalás por uma quenga de coco ( é como se fosse uma coité) ao qual a gente coloca um algodão e molha um pouco em azeite, deixa-o queimando lá no amalá; tudo isso objetivando não deixar resto de ceras da vela na natureza.
    Eu tava analisando e pude perceber que neste caso a durabilidade do fogo é menos, enquanto que a vela passa mais tempo ali no amalá emanando a energia do fogo.
    Pode-se substituir mesmo a vela neste caso, mesmo que a chama se apague logo? pois vejo que a entidade precisa também de um tempinho pra unir toda aquela energia ali da entrega, inclusive a do fogo, para usá-la a nosso bem; neste caso o fogo teria pouco tempo "de participação" no amalá, haja vista o algodão queimar rapidinho.
    O qeu o senhor pode me dizer, Pai?
    Desculpe se acabei escrevendo asneiras rs, mas resolvi por também o que eu pensei.

    um abraço PAI!

    ResponderExcluir