Assine aqui para receber atualizações deste blog

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

ANIMISMO

O Jucemar Ferreira sugeriu que eu escrevesse sobre o animismo.

Animismo é quando o médium fica tomado sob o domínio de seu próprio espírito sem a interferência de um desencarnado. Esse termo é comum, mas o fenômeno não, por isso ele é muito mal explicado e erroneamente usado. No caso do animismo não existe má fé. Ao contrário, o médium acredita que está incorporado com uma entidade. Pela sua raridade, não vejo animismo como problema mediúnico. Prefiro discutir a mistificação, ou seja, as incorporações falsas, de má fé, com a intenção de iludir os outros. Ela pode ser feita pelo médium, que dá a entender que está incorporado e fala por sua própria consciência, ou pelo espírito, que finge sua identidade. Quando é o espírito o mistificador, o médium fica sob seu domínio e não sabe que o espírito está mentindo. Essas duas situações de mistificação podem desencadear uma discussão para editar um livro inteiro. Quando o terreiro tem firmeza essas coisas logo são descobertas e contornadas pelos dirigentes. O que tem que ficar bem claro é ser comum o médium pensar que é ele quem está falando e não o espírito.

24 comentários:

  1. Se é comum o médium pensar que é ele quem está falando e não o espírito, fica por várias vezes difícil identificar se realmente há uma incorporação. A diferença seria a fé?

    ResponderExcluir
  2. Carlos:

    Umbanda de confiança não erra nesses assuntos. O médium deve expor sua dificuldade ao dirigente que, sem nenhuma duvida, explicará o que está acontecendo. Nesse caso não cabe ao médium "identificar", esse é um assunto do pai (ou mãe) de santo, desde que existe essa conversa aberta. FMG

    ResponderExcluir
  3. Fingir que se está incorporado não é um caso de Umbanda,mas sim um caso de carater que não cabe aos filhos de corrente discutir....Já ouvi gente falando "acho que fulano não tá incorporado..." o que me deixa aborrecida pois tais comentários não trazem nada de positivo, é da alçada do pai de santo como o sr.mesmo já disse. Certa vez perguntei ao sr. se é mesmo necessário incorporar,lembra? Pois vou reformular esta pergunta.Quando ,em nossa vida "civil", alguma pessoa nos pede ajuda imediata é comum as entidades prestarem uma ajuda "falando pela nossa boca" sem que a gente se dê conta que isso aconteceu? Certa vez uma pessoa me falou que estava se questionando muito sobre as suas próprias incorporações e eu falei que isto era uma coisa saudável, desde que expusesse suas dúvidas ao pai de santo. Questionamento faz parte do crescimento, o sr concorda?

    ResponderExcluir
  4. Pai Fernando,

    Notei que com o passar do tempo fica mais dificil sentir a aproximação da entidade, tipo tenho que me concentrar mais para sentir... isso se deve a afinidade com a entidade ou seria outra coisa.Digo isso pq no começo sentia calafrios fortes, vibrava bem mais hj quando vejo lá está ela já rsrsrs.

    Beijos

    Monique

    ResponderExcluir
  5. O que podemos notar é que esse assunto as vezes pode ser discutido nas giras de desenvolvimento , pois durante uma gira de semana , devido ao alto numero de pessoas na assistência , talvez fique difícil ao (pai ou mãe de santo ) interagir com os filhos , acabei de ler o comentário de Jucemar que diz que a " hierarquia ", parece não gostar dos novatos incorporando , ou não tendo a certeza de incorporação do médium recém chegado . Podemos ver que na casa grande de Papa Fernando, devido ao tamanho e estrutura isso acaba passando despercebido. É muito confuso para o novato lidar com os seus medos, com os medos da hierarquia, com seus anseios e com a própria energia recém descoberta .
    Sem duvida essa assunto de animismo é bem recheado de assunto, mas o q temos q notar que
    Papa já nos mostra q é que a responsabilidade é do pai e mãe de santo daquela coroa , não cabe aos médiuns antigos nem aos capitães julgarem e sim auxiliar no desenvolvimento desse filho novo que tem amor e humildade para estar buscando entendimento . Caro amigo Jucemar com esses medos e anseios tenho certeza que o PAPA pode ajudar basta buscar a gira que você quer entrar e assim converse com os dirigentes , pois todos somos irmão , mas a melhor orientação vem do pai e da mãe .
    Agora cabem algumas perguntas.
    1- Quando um médium novato esta na corrente ele as vezes sente arrepios , dores na nuca, sensação de sono , dor de cabeça , tremedeira , isso é sinal de entidade de incorporação ? Como saber o potencial e quem é essa?
    2- Quando o médium estiver em duvida , é conveniente bater a cabeça e não dar passagem a esse espírito ? Pode ser um espírito brincalhão? E se for apenas coisa do espírito do médium?
    3- No caso de um médium que já esta na corrente e agora surge esta duvida como proceder? Não deve deixar passar , deve se bloquear a incorporação ? E na mistura do café com leite e , se nesse caso for somente o café (médium ) .
    O assunto é amplo vamos ver se o debate continua , quem sabe com outros dirigentes de nosso terreiro vindo opinar .

    Ana Luiza .

    ResponderExcluir
  6. Ana Luiza:

    Acho que todo assunto que provoca duvidas deve ser debatido. Na nossa gira não discuto porque não me perguntam. Essa é a razão da criação desse blog, abrir um tema para discussão para chegarmos a uma conclusão. Está bem claro que o animismo que se discute não é o correto, conforme expliquei no texto. A hierarquia goste ou não, jamais pode por em risco a qualidade de uma incorporação, principalmente porque nada passa despercebida. Vc tem inteira razão quando diz que os novos têm dificuldade em lidar com a novidade da incorporação, mas medo da hierarquia não entendo, principalmente porque ela existe exatamente para ajudar os médiuns. Só para vc saber, alerto sempre à hierarquia que todo médium que participa da corrente está lá em busca do aprimoramento de sua mediunidade, e são eles – os médiuns, a razão da existência do terreiro.

    Pergunta n. 1- Todos os sintomas que vc mencionou fazem parte da movimentação dos chacras e indicam uma abertura da mediunidade, muito embora isso não seja uma regra geral. Vou dar uma sugestão: quando isso acontecer dirijam-se à hierarquia (não ao médium do lado) e digam: o Papa mandou vc cuidar de mim...

    Pergunta n. 2 – Faça como eu disse no final da pergunta n. 1 e não se preocupe com o espírito do médium porque em 52 anos eu nunca evidenciei isso.

    Pergunta n. 3 – Como já disse, esqueça o animismo. Se não conseguir isso, diga-me a gira que vc está que vou providenciar uma assistência efetiva através da recomendação ao dirigente ou mesmo por mim, porque estou entendendo pela tua colocação que vc faz parte de alguma gira do nosso terreiro.

    FMG

    ResponderExcluir
  7. Andréa:

    Questionar não é o caso, mas perguntar e exigir resposta é correto. Vou dizer o que acho o que seria o ideal para o médium: desenvolver sua intuição, seu equilibrio emocional para poder incorporar em casos de emergencia fora do terreiro. Para isso, entretanto, o médium tem que estar bem sintonizado com o terreiro, porque quando o médium não tem ninguém acompanhando sempre terá a força da corrente. O Pai Maneco uma vez disse que os trabalhos no terreiro eram apenas um treinamento para o médium poder trabalhar sempre que fosse necessário. FMG

    ResponderExcluir
  8. Monique:

    Deve ser porque o espirito está cada vez mais integrado com teu perispirito. O choque fica menor. FMG

    ResponderExcluir
  9. um médium incorpora sempre o mesmo espírito?

    ResponderExcluir
  10. Pode ser sempre o mesmo espirito, dependendo da relação que existe entre ele e o médium. Entretanto, outras entidades também trabalham com o médium. Dentro da Umbanda funciona assim: o médium tem o seu Orixá Cósmico e dentro dessa linha em a sua entidade protetora e mandante das suas coisas espirituais. Em cada linha chamada no terreiro ele vai receber outra entidade. E vai chegar em um ponto de desenvolvimento que ele incorporará a entidade que quiser, ou seja, o médium tem o livre arbitrio de aceitar ou não a incorporação. Para dar uma idéia eu incorporo as seguintes entidades: pai-de-cabeça da minha linha cósmica, o Caboclo Akuan; na linha dos pretos-velho o Pai Maneco e Pai Luis; na linha de Oxóssi, o Caboclo Junco Verde; na linha de Xangô o Caboclo da Cachoeira; na linha ds ciganos, o Cigano Woisler; na linha dos boiadeiros, o Seo João Boiadeiro; na linha dos marinheiro, o Marinheiro Martinho; na linha de exus, o Exu Tranca Ruas das Almas, Exu Morcego, Exu Pantera e ainda, eventualmente, os Exus do Rio e seo Tranca Ruas da Encruzilhada; e ainda o seo Zé Pilintra. Relatei todos para que se entenda que um médium pode receber várias entidades. FMG

    ResponderExcluir
  11. Pai Fernando...
    Quando incorporo, tenho um grande dificuldade em deixar "fluir" a intuição, dificuldade em deixar a entidade trabalhar, porque bate aquela insegurança de não saber o que fazer, se está mesmo incorporada e tal...
    Tem alguma maneira de facilitar isso, de amenizar essa dificuldade?

    Patricia

    ResponderExcluir
  12. Pai Fernando...

    Por mts vezes tenho a impressão de q não sou eu quem falo, acontece sempre q alguem me procura pedindo ajuda, eu comesso a falar e mts vezes falo coisas q eu não saberia dizer, e só percebo quando paro pra meditar sobre oq foi dito...e obviamente isso me assusta mt, a ponto de evitar conversar mts coisas com mts pessoas...é normal isso acontecer? oq realmente acontece?
    Não entendi sobre desenvolver a intuição para casos de emergencia...uma vez aconteceu comigo em uma situação de emergencia, da qual não pude controlar, por mais esforço q fizesse, e nossa, além de ter sentido mt medo, mt insegurança por estar só...eu e o problema em questão, tive q passar pelo problema maior de contar o acontecido e ouvir um sermão, de pq não deve acontecer, os riscos, e me desculpar garantindo q não aconteceria mais, oq sinceramente não gostaria de forma alguma q acontecesse novamente, é mt assustador, e o sentimento de "fiz besteira" é mt grande...O Sr poderia esclarecer mais sobre esse assunto?
    A ultima, qual a melhor forma de controlar o medo de desenvolver a mediunidade? Tenho mt medo de errar qnd se trata de mediunidade, levo mt a sério a frase "Umbanda é coisa séria pra gente séria"...
    Isamara

    ResponderExcluir
  13. Patricia:

    O melhor treino para o médium sentir segurança é quando estiver incorporado conversar com alguém. No teu caso sugiro que vc fale com teu pai-de-santo, explique a situação e peça para que ele mande pessoas de tua confiança, podendo ser da propria gira, falar com a tua entidade. Não tenha nenhum constrangimento de sugerir isso ao dirigente porque é obrigação dele atender seus médiuns. FMG

    ResponderExcluir
  14. Isamara:

    Não tenha nenhuma duvida que se vc está recebendo influencia de entidades protetoras, vc tem que medir o que eles transmitem e o que vc deve contar. Sempre aconselho aos médiuns nesses casos nunca falar, mas responder às perguntas. Em todo caso acho que esse Blog foi criado exatamente para que nossas experiencias sejam analisadas. Peço que vc me conte, e faça aqui mesmo, sem precisar citar nomes, o que vc falou, para quem vc contou e o que disseram para vc. Aguardo. FMG

    ResponderExcluir
  15. Pai Fernando...Nossa, isso aconteceu mts vezes, com mts pessoas diferentes, não posso garantir q serei exatamente fiel, pois isso acontece a anos, a ultima vez que aconteceu de não ser eu a falar, foi com um rapaz q eu estava conhecendo e visitando sua casa pela 1° vez, ao chegar percebi o ambiente pesado, e minutos após as apresentações a esposa do rapaz estava me contando sobre os problemas intimos do casal e me pedindo conselhos, o assustador foi eu descrever a relação deles logo após conhece-los, e mostrar soluções praticas q nunca havia se quer imaginado existirem, nem para meus proprios problemas, e o casal me agradecer a visita, pq havia sido de mt ajuda...e soube dias depois q realmente ajudou...não sei como fiz isso.
    A situação da qual não pude controlar, foi um dia na minha casa ah + ou - um ano atrás, minha mãe tinha cancêr e estava passando uns dias comigo, comessei a vibrar as 15:00, segurei, tomei banho, tomei banho de ervas, segurei, banho novamente, mas quando foi 04:00 da manhã, não consegui segurar mais, o espirito estava ao meu lado e eu estava ouvindo nitidamente oq deveria fazer, não pude evitar, então o medo novamente falou mais alto, e não deixei acontecer nada, só pedi para se retirar, que não era hr nem lugar, msm pq eu morava em apartamento, e travei td de vez...e essa é maior causa do meu medo de desenvolver no terreiro, acontecer fora dele, por coisas que aconteceram antes de eu me tornar Umbandista, então contei para a pessoa responsavel pela minha coroa, e me foi dito, que não pode acontecer, que é mt perigoso, por eu estar esposta, sem a proteção do terreiro, que quando acontece é como se abrisse um facho de luz sobre a minha casa, e um facho de luz na escuridão é como um chamado para quem procura a luz, e eu estaria vulneravel, sem as firmezas e a segurança do terreiro, q nesses casos deveria acionar e pedir ajuda ao responsavel pelo meu desenvolvimento. Prometi que não aconteceria mais, oq realmente espero, e procurei saber telefones para eu entrar em contato em casos de emergencia. Oq me tranquiliza é o fato de eu ter evitado até o ultimo momento, até minhas forças se acabarem, e se a insistencia foi tão grande, acho q deveria ter acontecido. No momento entendi bem a explicação, oq me deixou em duvida novamente foi a postagem do Sr quando se referiu ao fato do terreiro ser um treinamento..."Vou dizer o que acho o que seria o ideal para o médium: desenvolver sua intuição, seu equilibrio emocional para poder incorporar em casos de emergencia fora do terreiro. Para isso, entretanto, o médium tem que estar bem sintonizado com o terreiro, porque quando o médium não tem ninguém acompanhando sempre terá a força da corrente. O Pai Maneco uma vez disse que os trabalhos no terreiro eram apenas um treinamento para o médium poder trabalhar sempre que fosse necessário." Nesse caso então, eu precizaria de maiores alucidações sobre fatos inumeros que aconteceram ao longo da minha infancia e adolescencia...que se for o caso posso contar sem constrangimento algum...
    Isamara

    ResponderExcluir
  16. Isamara:

    O caso do casal e que vc ajudou mostra o acerto da tua intuição. Quero saber o que o espirito transmitia a vc no caso de sua mãe. Acho que essas conversas publicas vão trazer um bom resultado para todos nós do terreiro e também de outras casas. FMG

    ResponderExcluir
  17. Transmitia q a doença dela era uma lição, que não era pra ela se revoltar, e sim ver aonde estava a lição a ser aprendida, e que quando isso acontecesse td oq ela estava passando acabaria e a revolta só a traria sofrimento desnecessario, q era para ela ficar em paz para poder enxergar, e que a confusão em q ela se encontrava só a cegaria...nesse momento eu pedi para se retirar...estava apavorada demais...e era para dar um passe, para desanuviar...digamos assim...e isso tbm não fiz...
    Isamara

    ResponderExcluir
  18. Isamara:

    Achei um absurdo vc entender que uma mensagem dessas possa ser entendida como proibida. O médium servir para esse tipo de ajuda aos outros não significa que seja trabalho, incorporação ou coisa semelhante. O que não pode é se reunirem para receber espiritos sem uma finalidade ou entre bebidas alcoolicasque serve apenas como incorporações levianas. FMG

    ResponderExcluir
  19. ahhh entendi...eu acreditava q td tipo de comunicação mais direta com espiritos era proibido, independente da mensagem, até certa vez, me pediram ajuda em um caso complicado, e a unica ajuda q ofereci foi levar no terreiro quando este voltase das férias, pq achei q não poderia fazer nada. Ainda desconheço as funções de médium fora do terreiro...quais essas funções?
    Isamara

    ResponderExcluir
  20. Isamara, mais uma vez vc acertou. Quando o medium percebe pela intuição ou sinais evidentes que existe uma complicação qualquer o caminho correto e levar o caso para o terreiro. FMG

    ResponderExcluir
  21. Mucuiu Pai Fernando estou passando para agradece o espaço dado aos medius novos , pois eh a melhor maneira de esclarecer as duvidas, de muita valia todos os seus ensinamentos e com toda certeza ficara guardada para sempre .


    * Ps : reenviei o email . Espero q o senhor tenha recebido , qlqr coisa me manda outro avisando e lhe mando de outra maneira .

    Julio Cesar Vieira .

    ResponderExcluir
  22. Estou inciando, frequento o terreiro a poucos meses,e sinto muitos fluídos, mais não sei como deixar vir e se tenho que fazer alguma coisa para que isto ocorra.Tenho muitas dúvidas, quando um irmão está incorporado em nosso instrumento, temos conciência do que está acontecendo, temos domínio sobre a situação, atendemos as nossa vontades ou só as do irmão incorporado. Pergunto, porque na última gira eu acho que recebi um irmão e era uma criança,mais eu tinha conciência de tudo e não sei se as vontades que sentia eram minhas ou do irmão.O que faço para saber se a incorporação foi verdadeira ou se eu estava me iludindo. Se foi ilusão não gostaria de cometer este erro novamente. Me ajudem.
    Obrigada.
    Lis

    ResponderExcluir
  23. Há um comentário para ser publicado, porém, em razão da não identificação do usuário não irei postar. Aguardo identificação para torná-lo publico.

    Sarava,
    Camila

    ResponderExcluir