Assine aqui para receber atualizações deste blog

quinta-feira, 23 de abril de 2009

A ORGANIZAÇÃO DAS GIRAS

A Luciana Luna disse...
Poxa pai fernando, bem que o senhor podia abrir um tópico sobre as giras e seu andamento. Iria bombar! RsBjs”


Achei bom o tema. Existem fatos que as pessoas desconhecem e são bem interessantes. Vamos falar das giras, sua organização, detalhes e preparações, entretanto, só como curiosidade, vou iniciar o tópico fazendo uma revelação que provavelmente a maioria não sabe. Os espíritos quando vão incorporar eles ficam aguardando o ponto de chamada. O Exu Tranca Ruas das Almas, por exemplo, como trabalha comigo com cruzamento do oriente, quando ele é chamado para incorporar, ele vai para o oriente e aguarda o ponto cantado e quando isso acontece, ele traz consigo toda a força dos elementos daquela região. Todas as entidades ficam, nos dias de trabalho, aguardando que sejam chamados em seus lugares de atuação. A curiosidade que mencionei, é que as entidades que trabalham com os dirigentes quando são chamados atravessam o conga para trazerem a força que ali existe ao pai ou mãe de santo. Por isso que eles ficam sempre em frente ao congá. Os médiuns sem essa graduação recebem as entidades sem que elas tenham esse procedimento. Isso não é privilégio, ao contrario, é necessidade. FMG

186 comentários:

  1. Nossa Pai Fernando nunca parei para pensar pq os dirigentes ficam na frente do congá... e achei interessante o motivo...achava que era mais por hierarquia mesmo... viu lendo e aprendo com o senhor rs.
    Bjs
    Monique

    ResponderExcluir
  2. Sr Fernando

    Essa força (energia) é levada ao dirigente da gira e ali se concentra para na sequencia envolver os outros pais ou maes de santo e seguir para toda a "hierarquia" atingindo toda a corrente para, posteriormente, chegar a assistencia.
    Esta correto meu pensamento?

    abracos

    Sidney Oliveira

    ResponderExcluir
  3. Pai Fernando é por isso q qnd por algum motivo acabo faltando a gira se vou até lá sinto mt vibração?
    tipo assim, eu e o clau estavamos revezando por causa do BB, e no meu dia de ciudar dele, podia ir no terreiro q não sentia nada, mas no dia do trab de praia q estava td programado pra eu trabalhar e na hr de sair de casa a babá não pode ficar com ele, eu fiu até o terreiro sem o branco e senti mt vibração, não sei se é correto mas conclui q a entidade tbm havia se programado para trabalhar e eu furei no ultimo momento, e por isso a senti ao meu lado, é isso?
    Eu sabia sobre as entidades dirigentes, não me recordo onde li, mas sabia, só não sei sobre a necessidade, qual é a necessidade? o porque?
    abraços Isamara.

    ResponderExcluir
  4. Sidney, é mais ou menos assim, mas o principal é a força ao pai ou mãe de santo porque deles é que praticamente vem toda a força da corrente. Só uma observação: "hierarquia" é um nome que estou tentando deletar do vocabulário da Umbanda, porque nossa religião prega a igualdade e hierarquia por si só já determina que uns são superiores a outros. FMG

    ResponderExcluir
  5. Isamara:

    Todo médium deve ter a consciencia que, no momento que ele resolve participar de uma gira de caridade, deve ter isso como prioridade na sua vida. Claro que eventuais faltas são entendidas, mas sua vibração, por necessidade, acaba reclamando a troca da energia com as entidades. FMG

    ResponderExcluir
  6. Qual a funçao do pai e mãe pequena dentro da hierarquia de trabalho ? Estes podem ajudar os filhos de corrente no desenvolvimento ? No caso de um pai ou mãe pequena nao trabalhar incorporado ql seria a prioridade dele ?

    ResponderExcluir
  7. Muito interessante o tema Pai Fernando. E as demais entidades chegam por onde, se as dos Pais e Mães de Santo chegam pelo congá?

    ResponderExcluir
  8. Muito bacana essa forma de energia e apresentação das entidades apartir do congá!
    Nunca havia pensado dessa maneira...
    Agora Pai Fernando me responda. Já que existe uma sequência de trabalhos apartir da espiritualidade, chegando aos médiuns Pais de santo, médins da corrente e assintência como fica uma quebra de corrente?
    Um exemplo:Uma corrente material consiste em pais de santo ( ou dirigentes), médiuns de incorporação, médiuns sensitivos, médiuns videntes e médiuns de Subcorrente ( mais ou menos isso).
    Se existe a falta de concentração e alguma displicência dos mesmos pode ocorrer um ataque violento vindo da baixa espiritualidade.
    Como isso ocorre? E apartir de quando ocorre? Já que existe os guardiões do terreiro? Não digo guardiões exus não! Digo guardiões que guardam o terreiro 24 por dia...
    Axé pai.

    ResponderExcluir
  9. Pai Fernando
    Pode um obsessor se passar por uma entidade num centro de Umbanda?
    Digo isso já ocorreu na sua corrente? Se já como foi o procedimento?
    Ai...ai....Vou ter um monte de perguntas. Espero não ser chata. rsrs
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  10. Pai fernando, o que acontece quando é cantado um ponto para uma determinada entidade. E o médium sente a vibração de outra entidade. O que o médium deve fazer, já que não é ele quem determina a chegada das entidades? Segurar até o ponto real da entidade aproximada ou falar com o pai de santo?
    Axé

    ResponderExcluir
  11. Pai fernando, numa gira de descarga (desobsessão) pode ocorrer do médium doador ir para casa com falta de energia ou com problemas que podem acarretar num desequilíbrio energético e assim levar problemas para o médium?
    Luna....Ai...vou esperar agora os colegas perguntarem...

    ResponderExcluir
  12. João Helias:

    Pai e Mãe Pequena têm a função de substituir o pai ou mãe de santo em eventuais faltas. Suas atribuições são iguais aos seus dirigentes, prestando todo o auxilio não só no comando da gira como também auxilio aos médiuns da corrente. FMG

    ResponderExcluir
  13. Fabiana, elas vêm de seus lugares onde habitam e incorporam nos médiuns sem atravessar o congá. FMG

    ResponderExcluir
  14. Andréa Destefani24 de abril de 2009 12:27

    Pai Fernando eu sempre tive uma dúvida. Quando estava em outra gira eu sentia o seu Akuan não no congá, mas passando de filho em filho na corrente, a partir da porta da frente do terreiro, isto acontece desta forma mesmo? Por outro lado a presença do Pai Maneco é constante no congá fora da segunda(que até agora não tive a oportunidade de prestar atenção aonde a energia dele está fixada na segunda e admito que sinto falta) parece-me até que ele fica ali,sentado em frente a Oxalá vendo tuuudo que acontece independente da gira que esteja ocorrendo. Engana-se, no meu entender, quem pense que algo possa passar desapercebido dele,pois sinto uma atenção e um cuidado muito grande com cada pessoa por parte dele. Estou enganada? AXÉ!

    ResponderExcluir
  15. Bom dia a todos!! Pai Fernando, poderia explicar o significado de "atravessar o congá"? e como isso acontece? Outro comentario está no post da Isamara. permitam-me um breve relato: sou professora na pós graduação e muitas vezes preciso viajar para ministar as aula que sempre são nos finais e semana. Faço parte da gira de sabado. No mes de abril todos os finais de semana preciso estar na pós (isso nem sempre acontece/m~es todo) e durante a semana ministro aulas em Curitiba de 1ª a 6ª. Semana passada foi feriado na terça e uma enorme vontade de ir ao TPM surgiu logo que acordei. Pensei! puxa não posso ir aos sabados no mês de abril, então vou hoje. Outra angustia apareceu. Como pedir licença para participar da terça? (situação esporadica)Infelizmente não tinha o fone de ninguem que pudesse autorizar, arrisquei assim mesmo e fui recebida de maneira exemplar e me senti confortavelmente acolhida. Relatei esse fato pq, tive receio de receber um não. E tbem pelo questão do "prazer" que sinto ao participar. O que tenho ressalvas é quanto a questão da obrigatoriedade de fazer algo.Se não estou bem, fico questionando se seria bom para o grupo (corrente/assistencia/trabalhos) visto que vejo como essencial a presença não apenas fisica mas de alma e centrado naquele objetivo. Outro esclarecimento e orientação é quanto ao novo tema (organização/preparação etc) na abertura dos trabalhos. Quem saudar primeiro? quem saudar depois etc...percebo que a ordem refere-se a sustentaçao positiva daquele dia. é isso Pai?. Beijos enormes no coração de todos.

    ResponderExcluir
  16. Luna:

    Quebra de corrente é um fato que acontece só em terreiros sem organização, e principalmente quando parte dos dirigentes. A sireção da gira é como se fosse a firma de uma guia. Se ela arrebenta tudo se espalha com ela. Algumas vezes, tal e qual uma cerca, algum palanque pode ficar frouxo, mas tem os outros para segurar o arame. Guardião de terreiro cuida e zela quem merece. Se o grupo não for firme, o guardião será igual. FMG

    ResponderExcluir
  17. Luna, ao contrário se as pessoas não escreverem e perguntarem o blog vai fechar. É muito comum um obsessor ou espirito brincalhão querer se passar por guia. Muitas vezes as entidades que cuidam do trabalho deixam esses espiritos entrarem e tentarem se passar por guias, apenas como chamariz para leva-los ao aprendizado em lugares especiais do espaço. FMG

    ResponderExcluir
  18. Luna, claro que o procedimento correto e avisar os dirigentes que vão tomar a providencia certa. FMG

    ResponderExcluir
  19. Luna, em gira de desobsessão não tem doador de energia, porque a lida é direta com a entidade obsessora (s}. Um médium pode sair com problemas por ter atraído energias negativas. Isso não deve durar muito tempo, mas se o problema persisitir deve ser comunicado ao dirigente do terreiro para medir a intensidade do problema. Vou dar um conselho não só para vc mas para todos: se nessas sessões vcs puderem incorporem os espiritos obsessores, claro que com a anuência dos dirigentes. Quando o espirito se afasta ele leva com ele, pela lei dos semelhantes, toda e qualquer eventual energia ruim que vcs tenham. FMG

    ResponderExcluir
  20. Andréa, não se esqueça que o Cab Akuan e o Pai Maneco são os responsáveis pelo Terreiro. Eu cuido do matérial e eles do espiritual. Eles passam pela congá para deixar a energia dos dirigentes. FMG

    ResponderExcluir
  21. Pai Fernado. Os Guardiões que guardam o terreiro. Geralmente ficam em suas portas de entrada e saída. No teto da casa e alguns nas mediãções do centro. Mesmo porque eles são responsáveis por quem entra e sái do centro.
    Esses guardiões são como soldados com armaduras e gralmente tem uma estatura gigantesca. É isso pai Fernando? Uma vêz eu ví mas não se apresentaram, pois eram muito sérios e fechados.
    No TPM tbém são assim esses guardiões?
    Axé.

    ResponderExcluir
  22. Hum...Que legal! Não sabia disso. Que os espíritos que obsediam tem essa "qualidade" tbém.
    Pelo menos o trabalho do médium tem suas recompensas.rsrsrs

    Pai Fernando, outra pergunta.
    Existem casos de obsessores que grande poder magnético e com muito conhecimento energético. Geralmente esses são chefes de falanges. E com muito conhecimento.
    Quando esses mesmos espíritos chegam a uma gira de Umbanda, trazidos por outros espíritos eles podem neutralizar a energia da casa ou ter o mesmo conhecimento de magia do pai de santo( pergunto isso porque já ví isso acontecer). Nesse caso a quem recorrer???
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  23. Pai Fernando, percebí na única gira que participei(por enquanto), que as entidades do terreiro vem de uma forma bastante descontraída.
    Aqui não é assim. Algumas entidades ainda vem de forma rude e de semblante bem fechado( no rosto do médium) Isso seria pela falta de acomplamento total do espítito ( entidade) com o nosso perispírito ou é uma questão ainda de esteriotipação?
    Alguns exemplos seriam os dos exus masculinos e algum caboclos.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  24. Pai Fernando,

    Notei uma coisa que quando vamos sem o branco em outra gira apenas para olhar se o trabalho do meio está pesado eu ao menos puxo a vibração isso é normal? Isso é pq somos médium de corrente e mesmo sem o branco puxamos? Se for normal acho que não é bom ir por ir em todas as giras né???

    Beijos

    Monique

    ResponderExcluir
  25. Pai Fernando,

    Um obsessor que pega em um capitão ele carrega a força da guia do capitão???

    Beijos
    Monique

    ResponderExcluir
  26. Pai Fernando,

    Noto que quando estou na corrente se alguem de perto de mim frente ou tras vai encorporar sinto como se a energia fosse jogada para tras e para os lados em alguns momentos ate bambeio mais logo noto que não é comigo rs, é assim mesmo a energia ou eu que estou confundindo?

    Monique

    ResponderExcluir
  27. Luna, de toda coisa ruim a gente consegue tirar proveito. Obsessores com grande poder e conhecimento que sejam chefes de falanges do baixo astral, têm sempre o seu lado do orgulho e da dignidade e jamais iriam se submeter a papel de trevoso pequeno. Tem um livro chamado "O abismo" que vcs deviam ler. Trata-se do mundo interno da terra que a entidade desce e vai conhecimento o interior da terra e os habitantes desse mundo. Entidades desse naipe planejam e mandam outros executarem. Quando a neutralizar a energia da casa não sei como isso possa acontecer, embora vc esteja testemunhando que já viu isso acontecer. Durante o desenvolvimento da gira, se isso acontecer, o dirigente deve enecerra-la imediatamente e reiniciar, em seguida e sem pausa, outra abertura da gira e repetir todo o ritual. Isso pode combater a agressão dos espiritos maus. Comigo isso nunca aconteceu. Tentar eles já tentaram, mas op Caboclo Akuan sempre resolveu. FMG

    ResponderExcluir
  28. Marilise:

    Não sei explicar diferente, é quando o espirito vaio incorporar no dirigente e sai de dentro do congá. Acopntece sempre e normalmente. Eu antes de incorporar percebo a entidade em cima do congá, às vezes ele me explica algumas questões, e depois desaparece surgindo de dentro do congá. Acho que em nosso terreiro não pode acontecer esses tipos de melindres porque nenhum pai de santo da nossa casa iria proibir um filho de ir em outra gira, mesmo porque são todos filhos da mesma casa. A saudação principal fica feita na abertura da gira quando ela é aberta em nome de Oxalá e Omulum, ou seja, Umbanda e Quimbanda em harmonia. Depois vem o Caboclo Akuan, Pai Maneco e as entidades principais de quem é o responsavel pela gira. Antes disso, vc deve perceber que saudamos os sete Orixás da Umbanda,o Exu da Porteira que é da linha vibratória do Exu Tranca Ruas e as entidades daquela gira, além do pai de cabeça.FMG

    ResponderExcluir
  29. Querido Pai Fernando! lendo suas explicações vi toda a cena acontecendo. Beijos enormes em seu coração.

    ResponderExcluir
  30. Luna:

    Acho que eles se apresentam de varias formas, dependendo do terreiro. No nosso, em volta fica uma cerca de caboclos formando uma parede, além do cavaleiro de armadura fazendo a ronda em seu cavalo branco, e é muito bonito quando ela para e fica como se estivesse cavando o chão e saindoi faiscas de luz que se mistura da corrente. O interessante é que para os médiuns videntes a parede material do terreiro desaparece para dar lugar a um campo lindo e vasto, com florestas em sua volta. É o mundo paralelo. Uma gira é assistida pelos encarnados e pelos desencarnados que vão trabalhar, como os caboclos de braços cruzados e armados até os dentes, e uma seleta assistencia que, mesmo desencarnados, vão assistir a gira,inclusive pelos nossos parentes que morreram. FMG

    ResponderExcluir
  31. Ai Pai Fernando estou AMANDO essas discussões.
    Muito obrigada mesmo.
    Agora sobre a pergunta que lhe perguntei. Dos obsesseores com o poder grande( geralmente são os do abismo mesmo)No caso que presenciei. Foi exatamente isso. O meu primeiro pai de santo encerrou a gira e pediu ajuda espiritual de um espírito de outro planeta para esse trabalho. Uma médium vidente nos relatou como foi essa ajuda. Esse espírito que veio ajudar ele tinha uma aparência verde e o corpo astral dele era totalmente gelatinosa. Vindo ele como uma bola rolando e cercando todo o centro, e neutralizando a energia colocada de um desses espíritos do abismo( fico até arrepiada em falar).
    O mais fantástico disso tudo Pai Fernando é que nós médiuns não vemos tudo que ocorre numa gira de Umbanda. E vcs estão sempre atentos para poder segurar a corrente.
    É incrível mesmo o trabalhos dos bábás.
    Saravá meu pai!

    ResponderExcluir
  32. Pai Fernando. O senhor falou que numa desobsessão o médium não doa energia. Mas para o obsessor obter a ajuda necessária ele tem que passar por algúm corpo físico ( que seria o do médium), para receber o ectoplasma e assim ele ser socorrido.
    Não seria uma doação de alguma forma?
    Esqueci de falar com os amigos blogueiros...BOA TARDE!

    ResponderExcluir
  33. Gostaria de dividir com todos o site que tem o livro Abismo para download grátis.Acho que é este ao que o sr. se refere, do espírito André Luiz? Tive a oportunidade de ler alguns comentários falando que o livro é polêmico entre os espíritas. Logicamente me aguçou a curiosidade...
    http://www.4shared.com/get/44679950/4a2817d1/R_A_RANIERI_-_ANDR_LUIZ_-_O_ABISMO.html

    ResponderExcluir
  34. Oque eh uma kiumba ? e uma Kizomba ? E egum ?
    Parentes q ja morreram , entao podemos estar proximos deles dentro do terreiro ?
    Ainda sobre a explicaçao de pai e mae pequena , ela pode julgar o desenvolvimento de um filho de corrente ? Ou seja disser q o medium iniciante esta fingindo estar incorporado ? Disser q ele demorou tantos anos e falar q o medium nao devia fazer isso . Nestes casos nossos amigos espiritos nao avisariam o Pai de santo ?

    ResponderExcluir
  35. Nossa, Pai Fernando, fiquei muito emocionada com essa descrição do que acontece nas giras aos olhos de quem não vê.
    Umas das poucas vezes que tive a oportunidade de ver foi quando estava incorporada com o erê que eu trabalho e ele estava morrendo de medo dos caboclos que ficam em volta do terreiro. Eles realmente ficam todos, lado a lado, de braços cruzados e acho que com a cara bem séria, pois foi isso que vi nitidamente. Incrível!!! O Erê olhava pra eles e dizia para a Marilú que estava com medo porque a cara deles era muito feia.rsrsrs
    Adorei esse tópico!!!
    bjs Fabiana

    ResponderExcluir
  36. Pai Fernando, fantásticos seus relatos sobre as entidades, por onde passam para incorporar. Gostei principalmente desse últimoo post, onde seus olhos videntes nos mostram uma realidade visível apenas para poucos. Sempre imaginei como deveria ser feita essa segurança espiritual do nosso terreiro.
    Essas histórias me remeteram a minha infância, quando outros lindos olhos me contavam as coisas que eu não conseguia ver... nossa saudosa Carmem Silvia. Lembro das histórias dela descrevendo as entidades, tenho muitas lembranças boas dessas conversas, e Carmem adorava ficar me contando pois sabia dessa minha curiosidade (muitas vezes me assustando também). O dom dela, que o sr. e nosso irmão Jimmy partilham, o da vidência, sempre me impressionou. Agora com o blog podemos saber um pouco mais dos detalhes invisiveis aos nossos olhos, mas perfeitamente entendidos pelos nossos corações.
    Aproveitando esse gancho, das incorporações dos guias chefes que vem pelo Congá, gostaria de saber do senhor se é apenas impressão minha, mas sinto a vibração de Ogum vir de cima, pretoelho no ombro, cigana na cintura... pode ser impressão, mas sinto a diferença nessas vibrações.
    Beijo,
    Fernanda

    ResponderExcluir
  37. Humm...
    Preciso rapidamente providenciar um Congar, o meu é uma canga de Iemanjá... Será que vale?

    ResponderExcluir
  38. Monique, não é normal vc puxar problemas dos outros e muito menos querer saber se o trabalho está ou não pesado. Sobre isso nem sempre são os gritos, maneiras, trejeitos que vão delinear o que é pesado ou não.O normal é vc ir onde quiser, com a roupa branca ou preta, e nada acontecer. É o caso de uma pessoa que vai em um bar comprar alguma coisa e quando vê aquele monte de pessoas bebendo e fumando, ficar com a sensação da embriaguez e vontade de fumar. FMF


    Notei uma coisa que quando vamos sem o branco em outra gira apenas para olhar se o trabalho do meio está pesado eu ao menos puxo a vibração isso é normal? Isso é pq somos médium de corrente e mesmo sem o branco puxamos? Se for normal acho que não é bom ir por ir em todas as giras né???

    Beijos

    ResponderExcluir
  39. Monique, porque o obsessor vai pegar a força do capitão se ele é mais forte? O Capitão que vá aprender a controlar sua mediunidade. FMG

    ResponderExcluir
  40. Monique, não fique prestando atenção nos outros.Isso pode prejudicar tua mediunidade, uma vez que vcc fica olhando os outros e não se cuida. FDMG

    ResponderExcluir
  41. Luna (2):

    Em cada terreiro existe uma forma de incorporação e de procedimento dos médiuns. Acho que a cara fechada das entidades é uma caracteristica da formação da energia criada pelo espirito da entidade e do médium. No dia que os médiuns tiverem a consciencia que as suas interferencias nas incoporações são perfeitamente normais, tudo vai ficar mais fácil. Exu que anda com mão virada e manco, é porque o médium pensa que ele tem pata e não pés e mãos. Eu se tiver que receber uma entidade que tem chifre e patas, eu vou para casa e não volto mais. Os caboclos sim, alguns são fechados pela sua propria maneira de ser. Quanto a 2a. pergunta eu não sei responder. FMG

    ResponderExcluir
  42. Luna, para socorrer obsessor ou mesmo afasta-lo de uma aproximação inconveniente, não se usa ectoplasma. Obsessor é levado pelo convencimento da doutrinação ou vai à força. FMG

    ResponderExcluir
  43. Olha pessoal, no comentário da Andréa dá para baixar o livro O Abismo. Acho que esse blog está cada vez aproximando mais as pessoas. FMG

    ResponderExcluir
  44. Eita pai fernando! Agora fiquei sem resposta para mim. Eu recebo o seo José caveira. E é a incorporação mais violenta que tenho( fora a de yemanjá) Digo que ele vem de uma forma todo desconjuntado. Parece um esqueleto frágil, pronto para quebrar...Então o que seria isso?
    * Digo violenta porque depois dos trabalhos fico com o coração saindo pela boca e com muita falta de ar. Pela força da energia.

    ResponderExcluir
  45. Há sim pai Fernando. Eu já sou "amiga" da Laura.
    Realmente esse blog é magnífico!
    Além de nos aproximar mais da filosofia do TPM, e do pai Fernando. Fazemos novos amigos e trocamos experiências.
    Saravá a todos!!!

    ResponderExcluir
  46. Estava lendo o que a Luna escreveu.Fica difícil acreditar em seres extraterrestres para resolver problemas de Umbanda. Talvez pelo formato da energia vista tenha dado esta impressão, mas minha fé se baseia nos caboclos, nos pretos, nos eres, nos exus, nos boiadeiros, nos baianos,marinheiros, ciganos para resolver todo e qualquer problema dentro dos limites(que é o caso da conversa aqui) de uma gira, com o apoio dos Orixás. Tendo entender a Umbanda pés no chão do TPM , muito embora eu me sinta (por minha própria culpa), meio saci(Umbanda com um só pé no chão)hhihihihihih....
    Sinceramente, nunca ouvi esta coisa de ser extraterreno na Umbanda, será que isto é mais uma mistificação ou é uma interpretação errada da visão?

    ResponderExcluir
  47. Pai Fernando,

    Vamos ver se eu entendi desculpe estar tocando no mesmo assunto é que sem perguntar nunca vamos entender e nem sempre entenderemos na primeira vez...

    Então se formos em um lugar ou até mesmo em uma gira não vamos sentir a vibração forte do que está acontecendo? Digo puxar é sentir a vibração do local e do que estaria acontecendo, até mesmo em um bar poderia estar com a energia pesada não poderia? Deixo aqui que nunca senti em um bar energia pesada, mais eu acreditava que poderia acontecer se um desencarnado viciado no caso se aproximase... mas apenas eu achava não que vivenciei. Então se é que entendi não sentimos a energia do trabalho sem estarmos usando nosso branco?


    PS: Redigindo minha pergunta anterior pq relendo notei que deu outro sentido... quando vamos a uma gira apenas tomar um axé ou até mesmo resolver alguma coisa sem estarmos usando nosso branco... e se estiver pesado o trabalho do meio podemos sentir a vibração pesada?

    Monique

    ResponderExcluir
  48. Alice, vc que tem a natureza como terreiro, não precisa de congá. FMG

    ResponderExcluir
  49. Fernanda, realmente as entidades incorporam nem sempre pelo mesmo chacra, o que faz as vibrações se alterarem. FMG

    ResponderExcluir
  50. Fico aliviada em saber que o obsessor não chega em capitões, essa era uma grande dúvida para mim mais pela peso da hierarquia.Entendi que para ser capitão o médium já tem que ter uma boa vivencia e controle da sua mediunidade,está ai mais uma coisa que nem aprendi...

    Monique

    ResponderExcluir
  51. Pai Fernando,

    Não estou prestando atenção no do lado e sim dizendo oq sinto quando alguem ao meu lado encorpora posso eu estar de olhos fechados que sinto isso... revelei que sinto isso para ver se quando o médium encorpora ele se envolta por essa energia como se ele exalase energia para os lados.... nada ruim e sim até gostosa a energia que ele emana... Não entendi o puxão de orelha mais tudo bem...

    Monique

    ResponderExcluir
  52. Tai outro otimo tema: "chacras" . Ja li diferentes definicoes. O Sr pode falar um pouco sobre sua posicao frente a esse tema?
    abracos
    Otimo fim de semana
    Sidney Oliveira

    ResponderExcluir
  53. Joca:

    Kiumba é um espírito atgrasado; kizomba, não sei e egun é todo espirito que teve uma encarnação, exatamente como nossos parentes que estão nos visitando nos terreiros. Esse definição é para separar os espiritos da natureza, que são aqueles que não tiveram um corpo fisico na terra. Como disse antes, os pais e mães pequeno têm a função de auxiliar os pais e mães de santo, e por isso eles têm conhecimento e capacidade para julgar os médiuns, inclusive os que fingem estar incorporados. Agora vamos resolver essa questão: em todos esses anos que lido com o desenvolvimento mediunico das pessoas, eu nunca vi ninguém fingir que está incorporado. O que acontece é que pode acontecer do médium novo incorporar em uma vibração, mas isso não significa má fé; o médium estar bem ou mal incorporado, isso é normal. Pode também acontecer que o médium, por um motivo qualquer, perder o contato com o espirito. Existem ainda um monte de questões para serem analisadas. Agora, mentir? E mente para quem? A tua pergunta me pareceu estranha, porque eu acho que vc deve ter visto um pai pequeno ou mãe pequena ter feita essa descoberta do filho de corrente que por um motivo ou outro está fora de sintonia com a entidade, mas nunca por má fé. Se foi isso posso garantir que ele (ou ela, não sei) está errado porque não é assim que se ajuda em um desenvolvimento mediunico. Vou contar uma situação que às vezes acontece comigo. O Caboclo Akuan incorpora, risca o ponto e pede aos cambones que fiquem na frente dele. Ela faz isso para esconder que desincorporou e volta em seguida para incorporar novamente. É que da primeira vez ele não me pegou como queria. Isso é igual quando alguém vai estacionar um carro em uma vaga e na primeira vez entra errado. Ele tira novamente o carro para fora e entra outra vez. FMG

    ResponderExcluir
  54. Luna, e o humor dele como é? Deve ser bem humorado, embora pavio curto, como todas as entidades da linha dos caveira. O proprio seo João Caveira, entidade reconhecidamente geniosa, quando bem tratado conversa bastante e dá muita risada. A sensação de esqueleto qque vc tem, não significa que ele ande se requebrando todo. É que os caveiras são assim, caveiras mesmo. É o tipo que eles fazem. Peça para alguém da direção do terreiro conversar com ele para não deixar vc sem ar. FMG

    ResponderExcluir
  55. Olha pai Fernando, o senhor está de parabéns!
    A sua explicação da incorporação do Caboclo Akuan( dele se afastar momentâneamente) nos mostra com muita humildade que um pai de santo não deixa de ser um médium tbém. Aquele que media as comunicações.
    Gostei muito de ver que o senhor tbém não é diferente de nós como médiuns e isso nos aproxima mais ainda.
    Não sou agradadora sabe. Mas o senhor está me surpreendendo com sua humildade e simplicidade como dirigente de uma casa grandiosa.
    .....
    E sobre amigos novamente...Foi apartir da comunidade do TPM, que fiz uma grande amiga e aliada. A Aline. Que tive o imenso prazer em recebê-la em minha casa.
    Obrigada a todos vcs da familia TPM!
    LUNA.

    ResponderExcluir
  56. Pai Fernando ele trabalha na linha da cura e com pedras tbém. Tem um cajado com uma pedra violeta na ponta e em baixo um cristal.
    Ele é muito sério e não aceita brincadeiras. Mas conversa horrores. É muito de falar em suas consultas e pode-se dizer que dá umas pequenas risadas...Mas pequenas mesmo! rsrs
    Agora pai Fernando, não é impressão não! Eu na incorporação dele´ando toda desconjuntada. Seria ainda a minha falta de sintonia total dele para comigo?

    ResponderExcluir
  57. Andréa:

    Eu já tive a experiencia de incorporar um espirito de outro planeta. Uma altura imensa, seguro e calmo, deixou-me uma sensação muito boa e gostosa. Por outro lado, eu acredito obviamente que espiritos de outros planetas estejam conosco aqui na terra, inclusive reencarnando. Há uns quarenta anos o Pai Maneco disse que espiritos de outros planetas estavam reencarnando aqui e por isso a altura do homem ia aumentar, os pés seria maiores e eles iriam fazer movimentos para salvar o planeta do desmatamento. Naquela ocasião cortar pinheiro era comum e permitido. Chama-los ou não no terreiro depende da vontade do dirigente. FMG

    ResponderExcluir
  58. Pai Fernado tbém acredito no que o senhor falou.
    Se puder veja o filme " Odia que a terra parou" É um filme novo e fala EXTAMENTE o que o senhor falou.

    ResponderExcluir
  59. Monique:

    Eu disse que o correto é vc ir em qualquer lugar e não se envolver na vibração dos outros, seja no terreiro, em uma bar, na rua, em um enterro, onde for. Quanto a não sentir a energia se não estiver de branco, talvez eu não tenha sabido me explicar. Eu disse que cor não puxa ou afasta energias. Vou ser bem direto: se vc não estiver participando da gira, não te diz respeito se o trabalho está leve ou pesado. O assunto não é teu. Se vc se envolver, o dirigente lá no meio não vai ver que vc está mal e encerra a gira e todos vão para suas casas felizes, menos vc que pegou a vibração negativa do trabalho. FMG


    Então se formos em um lugar ou até mesmo em uma gira não vamos sentir a vibração forte do que está acontecendo? Digo puxar é sentir a vibração do local e do que estaria acontecendo, até mesmo em um bar poderia estar com a energia pesada não poderia? Deixo aqui que nunca senti em um bar energia pesada, mais eu acreditava que poderia acontecer se um desencarnado viciado no caso se aproximase... mas apenas eu achava não que vivenciei. Então se é que entendi não sentimos a energia do trabalho sem estarmos usando nosso branco?


    PS: Redigindo minha pergunta anterior pq relendo notei que deu outro sentido... quando vamos a uma gira apenas tomar um axé ou até mesmo resolver alguma coisa sem estarmos usando nosso branco... e se estiver pesado o trabalho do meio podemos sentir a vibração pesada?

    ResponderExcluir
  60. Monique, não leve nada para o lado errado. Se eu achar que alguma postagem merece puxão de orelha, não farei publicamente. Para vc ter uma idéia, antes de responder para vc., fiz qustão de conferir a estatistica deste blog. Do dia 24/3 a 23/4 o blog teve 5.434 visitas e 15.275 páginas foram visitadas. Então, Monique, quando respondo para vc posso estar influenciando amais de quinze mil pessoas. Por isso é que sou às vezes duro na resposta. Deu para perdoar-me? FMG

    ResponderExcluir
  61. Sidney, sobre chacras vou passar. Tem milhares de livros sobre isso, e eu não sou muito entendido.Não gosto de falar sobre o que sei pouco. Aliás gosto de falar mesmo é sobre o que os livros não falam. FMG

    24 de Abril de 2009 20:44

    ResponderExcluir
  62. Joca:

    Ha muitas dicussoes interessantes sobre o significado de Kizomba: nome de instrumento musical, de uma dança em Angola ou expressao se refere a festa especial. Esse evento era parte importante da luta pela liberdade e por uma vida digna. Abaixo uma bela musica consagrada por Martinho da Vila

    Kizomba - festa da raça
    (Rodolpho / Jonas / Luís Carlos da Vila)

    Valeu Zumbi
    O grito forte dos Palmares
    Que correu terras céus e mares
    Influenciando a Abolição
    Zumbi valeu
    Hoje a Vila é Kizomba
    É batuque, canto e dança
    Jogo e Maracatu
    Vem menininha pra dançar o Caxambu
    Vem menininha pra dançar o Caxambu
    Ô ô nega mina
    Anastácia não se deixou escravizar
    Ô ô Clementina
    O pagode é o partido popular
    Sarcedote ergue a taça
    Convocando toda a massa
    Nesse evento que com graça
    Gente de todas as raças
    Numa mesma emoção
    Esta Kizomba é nossa constituição
    Esta Kizomba é nossa constituição
    Que magia
    Reza ageum e Orixá
    Tem a força da Cultura
    Tem a arte e a bravura
    E um bom jogo de cintura
    Faz valer seus ideais
    E a beleza pura dos seus rituais
    Vem a Lua de Luanda
    Para iluminar a rua
    Nossa sede é nossa sede
    De que o Apartheid se destrua
    Vem a Lua de Luanda
    Para iluminar a rua
    Nossa sede é nossa sede
    De que o Apartheid se destrua
    Valeu
    Valeu Zumbi

    abraço
    Sidney Oliveira

    ResponderExcluir
  63. Tenho que rever meus conceitos, mas no fundo acho que o que a Umbanda faz é isto mesmo com a gente não é? Revemos nossos conceitos, se temos a disponibilidade mental e emocional de nos entregarmos a esta amada religião, a cada gira.Talvez aí esteja o nosso grande propósito como médiuns que somos: reavaliar conceitos.
    Mesmo falando isto ainda fico pensando e sinto até as engrenagens dentro do meu cérebro rodando lentamente.
    Dentro desta, pra mim ainda uma hipótese, o que é mais plausível seria a encarnação em outros planetas. Por exemplo, com a sabedoria do seu Akuan e do Pai Maneco, do seo Tranca Ruas e do seo Beira Mar, eles não teriam encarnado alguma vez em outro planeta?
    A natureza é muito sábia meu pai. Talvez por este motivo nem cheguemos a saber que incorporamos ou estivemos ao lado de alguém incorporado por um extraterrestre. Porque o que encontramos na Umbanda está vívido em nossa memória de alguma forma: o mar de Yemanjá,as pedreiras de Xango, os ventos de Yansã, o cheiro do cachimbo do preto velho e o chapéu do baiano, os doces das crianças grudados em nossos pés descalços.A umbanda é poética porque é simples e está em nós- é natural. Prometo que vou pensar muito nisto e gostaria muito de voltar neste assunto.Axé!

    ResponderExcluir
  64. Andrea
    Não sei qual seu conhecimento sobre mundos e vidas.
    Mas nosso planeta terra é um planeta habitado por seres humanos.
    Vc já viu a imensidão do universo? Porque só o planeta terra tem o privilégio de ser habitado? Na vida espiritual existem várias esferas e grau de evolução.
    Se vc ler o abismo verá o que falo. Não seriam os Ets como falam em filmes.
    Mas aqueles que tem outros poderes sensoriais. Até mesmo como entidade.
    Se como vc falou, as entidade...Aonde vc acha que elas vivem? Elas não seriam um extra terrestre tbém já que não vivem no planeta terra? Não seria extra terrena?
    Eu acredito em várias formas de vida. Uma delas é a nossa. Que tem um corpo perecível e uma alma mutável. Na espiritualidade existem espíritos que trabalham em inúmeras religiões. Incluse a nossa.
    Saravá.

    ResponderExcluir
  65. Pai Fernando e o que seria o tal médium "mata borrão"? Algumas pessoas dizem ser médiuns que por onde passam vão puxando as energias independente do lugar.
    Ou então, quando conversei com uma entidade sobre algumas dores nas costas q eu tinha qdo estava na vibração e me explicaram que era pq eu segurava a energia das outras pessoas que tb entravam para vibração. É assim mesmo???

    ResponderExcluir
  66. E o que é "sentir a vibração" de uma entidade? Ontem no terreiro, gira de Preto Velho, eu estava encantanda vendo os pretos velhos trabalharem, cada com seu jeitinho.... depois chamaram as crianças... e qdo dei por mim estava com uma dor terrível na coluna, na região da cintura.... depois do encerramento dos trabalhos a dor sumiu. Isso seria uma vibração de entidade? Ou apenas autosugestão msm q inconsciente???

    Beijinhos e muuuuuuuuuuito obrigada.

    ResponderExcluir
  67. Denise:

    Costumamos chamar "mata borrão" (um tipo de papel especial para puxar pingos de tinta de canetas) o médium que quando se aproxima de alguém que esteja com uma entidade ao lado, tal e qual o mata borrão, puxa para si a entidade. De todas as coisas ruins, sempre sobram algumas boas: o mata borrão deixa o outro limpo e sem nada negativo ao seu lado. Dor na base da coluna ou nas costas é um sintoma de energias negativas. FMG

    ResponderExcluir
  68. Denise, foi como eu falei. Tuas energias negativas se acumularam e as crianças e os pretos levaram embora. FMG

    ResponderExcluir
  69. Se vc ler o texto Luna, tanto o primeiro quanto o segundo relacionado ao tema ,com mais atenção verá que não questionei a vida em outros planetas em momento algum, como também jamais questionaria a amplitude do conhecimento do seo Fernando.As entidades são ,no meu parco entendimento Luna,supranaturais e vivem em outras dimensões. O que me referia foi a resposta dada por seo Fernando, dentro do conhecimento dele.Em momento nenhum quis questionar a sua fé, mas sim aprimorar a minha, como tenho feito com o embasamento que o seo Fernando possa me dar.(Eparrey Oya! hihihihihi) Axé!

    ResponderExcluir
  70. Andréa e Luna, espiritos de outros planetas não estão na pauta deste tópico. Não vamos mais falar sobre isso. FMG

    ResponderExcluir
  71. Perdão!
    Mas enfim, havia entrado para perguntar uma coisa bem específica sobre a organização da gira. Fomos com o Bitty certa vez na reserva indígena em Pinhais e participamos do ritual deles.O 'congá' estava repleto de elementos da natureza que representavam as divindades deles e mesmo sem eu conseguir enxergar senti que dali vinha uma energia muito forte. Como li o que o sr. escreveu para a Alice, fiquei pensando se o que determina um ponto de força é o local onde estabelecemos como congá? E outra pergunta: há a determinação que ele tenha que ser colocado ao norte? Axé!

    ResponderExcluir
  72. Andréa, todo ponto de força, quase sempre, é a imantação que nós fazemos. Jamais podemos desviar o fato que nós encarnados construimos os campos de segurança, força e imantação. Ha anos tive uma discussão em um seminário porque as pessoas que fizeram o seminário não consideravam a encruzilhada da cidade como ponto de força do exu. Claro que é. Nós fizemos assim e assim as esquinas são dos compadres e aquelas em T das maravilhosas pombas giras. Eu não recomendo entrega nas encruzilhadas da Cidade mais por segurança fisica por causa dos marginais e fanáticos. Nas matas, embaixo de dois galhos de árvores se cruzam também é um lugar dos exus; Mas a resposta dada a Alice também vale para a reserva índigena. FMG

    ResponderExcluir
  73. Bom, então voltando as perguntas relacionadas ao tema...
    Pai Fernando, dentro da sua caminhada espiritual já aconteceu do senhor está dentro de uma gira e suas entidades de aproximarem e o senhor não conseguir incorporar? Isso já aconteceu comigo umas cinco x no tempo que mediunizo há 16 anos.
    Mas geralmente foram momentos de vários problemas pessoais.
    Então lá vai a pergunta:(1) Até que ponto a vida do médium pode interferir em sua mediunidade dentro dos trabalhos? (2)porque as próprias entidades não sinalizam o médiun de um possível caminho errado. Já que para atender o consulente eles são de extrema assertividade!
    Entendeu, ou ficou complexo demais?
    * Ao que parece será difícil sua saída desse tema* rsrsrsrs
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  74. Pai Fernando e Andrea, aproveitei a dica do download do livro Abismo, assim como já tinha feito anteriormente com as obras do Mestre Ramatis, também sugerida nesse blog.
    Só vim alertar que o site 4share, apesar de ser o que mais oferece downloads é sem segurança alguma, só baixe livros nele se tiver um bom anti virus, pois na gana anterior de sair baixando vários livros, coloquei meus arquivos e meu computador em risco. se puderem optar pelas versões que tem o arquivo em word, melhor. Arquivos comprimidos no 4 share sem anti virus é arriscado.Fica só a dica para que não passem pelo que passei recentemente.

    ResponderExcluir
  75. Mas que tipo de exus embaixo dos galhos? Quanto aos campos de força, segurança e imantação, nas casas em que há um lugar só pra rezas com imagens , o que é comum nestas casas de sítio por aqui, funcionaria como?
    Questiono isto porque quando aprendi que não se deveria acender velas dentro de casa, imediatamente me veio a cabeça esta situação.Mesmo que ali a pessoa não acenda nenhuma vela, como é um lugar de oração,deve produzir algum tipo de "luz' que atraia eguns?

    ResponderExcluir
  76. Pai Fernando, mas essas energias negativas podem ser de outra pessoa q eu 'puxei'??? Pergunto pq eu gosto muito de abraçar as pessoas (e não abraço pensando nisso não) e algumas vezes quando abraço já sinto um arrepio na cabeça, como eu não sei o que eles significam eu não dou mta trela pq já tenho isso desde uns 10 anos de idade. Algumas vezes é só o arrepio em outras logo em seguida começa uma sensação de fraqueza e mais arrepios e mais fraqueza.. em alguns lugares que vou, as pessoas ficam ótimas e eu saio totalmente sem bateria, sabe quando parece q te sugam tudo??? Como que funciona isso?

    Beijinhos e obrigadíssima sempre...

    ResponderExcluir
  77. Luna:

    Não me lembro que acontecido isso comigo. Vc mesma está declarando suas dificuldades pessoais quando não conseguiu incorporar. Não vi nenhuma complexidade nas perguntas, ao contrário estão bem claras. A vida particular do médium tem uma importancia muito grande para seu desenvolvimento espiritual, mas dentro dos trabalhos isso pode ser contornado se houver controle do médium, ou seja, deixar na porta do terreiro a sua vida pessoal na mundo da matéria.
    Por mais que o médium tenha um comportamento inadequado para a espiritualidade, a sua vivencia na religião trará modificações no seu comportamento. Não devemos esquecer que uma gira de Umbanda é uma porção de pessoas cheias de defeitos em busca da sua recuperação espiritual. Aqueles que na continuidade não evoluirem as entidades superiores fazem que eles se afastem da casa por eles protegida. A sinalização do caminho errado do médium não cabe ao espirito porque ele, acima de tudo, respeita e não pode interferir no livre arbitrio de ninguém.Um bom pai aconselha seu filho mas não interfere na sua vida, porque ela é da escolha livre de cada um. Ser médium é uma conquista e não um castigo. A mediunidade é um tesouro para resgatar suas dividas, mas com seus proprios pés. Então, vamos em frente se o tema por nós discutido está sendo util. FMG

    ResponderExcluir
  78. Andréa:

    A teoria de que as esquinas só atraem rabos de encruza, termo que peço que vcs nunca o usem por ser agressivo e de mau gosto, é que nas esquinas muita gente passa e deixa suas energias. Eu já disse que não concordo com isso, mas se puder uma entrega para exu ser feita na natureza, quer na praia, campo ou mato, e queira e ache para acalmar sua convicção que deve ser usada uma encruzilhada, que a faça embaixo de um encontro de dois galhos que ali, segundo alguns é uma encruzilhada cósmica. Acho que não devemos usar lugares sagrados que não sejam diretamente ligados com a Umbanda ou a Natureza. FMG

    ResponderExcluir
  79. Fernanda é isso mesmo.

    Com paciencia se baixa na boa o livro.
    Não é necessário um grande equipamento, mas é fundamental um bom anti-virus e que esteja atualizado. Nunca é demais recomendar tb que nao preencha nada e nao entre em links desconhecidos. Se puder, utilize conexões seguras e/ou protegidas.
    Depois de tudo isso é só relaxar e fazer uma otima leitura!
    abraços

    Sidney Oliveira

    ResponderExcluir
  80. Dentro da ritualística de Umbanda,na organização da gira, gostaria de saber porque o pano de cabeça do pai de santo é colocado no chão, na frente do congá,e porque há dois tipos diferentes de pano de cabeça para o pai de santo,porque na gira de esquerda é outro.Axé!

    ResponderExcluir
  81. Andréa, na verdade o pano de cabeça do pai de santo não é aquele do congá. Na minha gira eu uso o mesmo pano, tanto para a Umbanda como para a Quimbanda. FMG

    ResponderExcluir
  82. Então o que é aquele pano?

    ResponderExcluir
  83. Pai Fernando, achei bem interessante esse assunto sobre espíritos de outros planetas ou quem sabe até de outras galáxias.

    Uma amiga minha um dia me telefonou apavorada me contando uma estória surreal.
    Bem.. filho dela na época era neném ainda e tinha repetidas convulsões que eram assustadoras, eu cheguei a presenciar algumas.
    Por isso ela acordava várias vezes a noite para ir ao quarto dele olhar se estava tudo bem.
    Nessa madrugada ela chegou na porta do quarto dele e apesar da lâmpada estar apagada notou que vinha de lá uma luz estranha ...olhou pela porta entreaberta e viu dois seres completamente estranhos debruçados sobre o berço olhando para ele que dormia tranquilamente.
    Ela me disse que eles eram muito altos e magros e irradiavam uma luz verde como se fossem fosforescentes... bom não deu outra...ela gritou e chamou pelo marido rsrsrs...mas quando ele chegou os seres tinham desaparecido e o filho dela continuava dormindo tranquilamente...não acordou nem com os gritos.
    Vou confessar que quando ela me contou eu achei uma história muito doida rsrs...mas para acalmá-la eu disse que deviam ser anjos,que eu achava que seres maléficos não irradiavam luz (pura teoria já que na época eu era bem distanciada de religiões).
    Ainda bem que ela acreditou e ficou calma rsrsrs.
    Agora lendo o que o Sr relatou acho que a minha resposta não foi tão estapafúrdia assim rsrs.

    Axé!

    ResponderExcluir
  84. Pai Fernando boa tarde!
    Gostaria de saber a respeito da firmeza da casa. Teve uma postagem que o senhor relatou mais ou menos sobre a firmeza. Geralmente a firmeza fica no centro do terreiro. E essa firmeza consiste em algumas ferramentas e elementos. Esses materiais ritualisticos são dadas pela entidade de que forma?
    Axé.

    ResponderExcluir
  85. Pai Fernando , quando uma entidade chega na casa ( ex: TPM) Ela já vem preparada e doutrinada com a corrente do terreiro ou pode ela com o tempo se adequar com o sistema da casa?
    Digo, porque tem entidades que " falam palavões" bebem horrores e tem uns trejeitos feios. Isso ainda é má conduta do médium em não fazer a filtragem, ou ainda pode ser da entidade?

    Na verdade são duas perguntas em uma!
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  86. Pai fernando
    Como definir um médium pronto para sentar e dar consultas?

    ResponderExcluir
  87. Pai Fernando...Sobre médium " Borrão" ...É isso mesmo??? Nunca ouvir falar nesses termos.
    Então...Abandonei a Umbanda nesse período de 16 anos por conta dessas coisas.
    Eu podia estar numa festa, ir na rua, estar com meus amigos e derrepente se tinha alguém com problemas espirituais eu imediatamente absorvia. Começava a passar mal e tinha que ir embora para casa.
    Outras vêzes tomava choque de pessoas no meio da rua aonde eu chegava atá cair no chão. Num simples toque de mão...Isso já amenizou 95% mas ainda sinto o cheiro vibracional da pessoa. Se eu olhar para pessoa e sentir que essa pessoa está DEMASIADAMENTE enferma espiritualmente eu tápo o nariz para não sentir esse tal cheiro ( que por sinal é insuportável - e que me deixa fraca) mas não tem jeito. Mesmo tapando o nariz o cheiro vêm. Não tem como diminuir esses efeitos?

    ResponderExcluir
  88. Olá Pai Fernando...
    Infelizmente eu tenho andado meio afastada do blog pq não tenho tido tempo de acessá-lo, mas hoje tirei o atraso e li e aprendi bastante coisa.
    Lendo os comentários do tópico do Caboclo Guaracy, me surgiu uma dúvida que achei mais apropriada postar aqui.
    Lá o Sr. disse que as entidades só sobem no ponto de subida. Mas eu pergunto, numa gira de Preto, em que ainda tem Pretos no terreiro e alguns dando consulta, um Preto não pode subir pra deixar um Erê vir (isso no caso dos Erês tambem terem sido chamados)?
    Outra, uma entidade que ainda não está no toco, se não há trabalhos no meio, ela não sobe sem o ponto de subida?
    Uma coisa que as vezes acontece comigo... as vezes to incorporada com o Caboclo e sinto que ele vai subir. Ele se despede da entidade dirigente e sobe. Logo que eu bato a cabeça, percebo que a entidade dirigente manda tocar o ponto de subida. Pode ter acontecido do Caboclo já saber que era pra subir e por isso ele foi uns "30 segundos antes"?

    Patricia

    ResponderExcluir
  89. Andréa, é a toalha do terreiro para uso no congá e quando acontecer a necessidade de bate cabeça. Não se poderia imaginar que essa toalha fosse o pano de cabeça do pai de santo. Não seria possivel um pano individual ficasse exposto e com uso comum. FMG

    ResponderExcluir
  90. Também acho absurdo, mas já escutei muitas vezes: vá lá e bata a cabeça no pano de cabeça do pai de santo,por este motivo achei pertinente perguntar, pois outras pessoas podem esclarecer esta dúvida. Grata por sua contínua atenção.

    ResponderExcluir
  91. Luna, são as armas do Orixá que manda na casa. Como sou o pai de santo que deu inicio a tudo, e sou filho de Ogum, a casa em seu todo é regida por esse Orixá. O Caboclo Akuan, por seu meu pai de cabeça é o dirigente espiritual do Terreiro. No centro do terreiro em um buraco de 0-,50 cm por 0,50 cm são colocadas as armas do Orixá Ogum. No caso do Terreiro do Pai Maneco: ferro, espadas de Ogum, planta de Ogum, ferradura, e alguns outros elementos, mas nada que não seja conhecido por todos os Umbandistas. Acontece que todos esses elementos seguram as vibrações postas pelos oguns nessa segurança. Esse conjunto é que forma a segurança em seu todo. Existe outra segurança, a Tronqueira que fica na entrada e cuidada por exus da linha Tranca Ruas. FMG

    ResponderExcluir
  92. Luna, o médium pode segurar todas essas distorções formada pela criação da 3a. energia. Dizem,não sei se é verdade, que nenhum pessoa sob hipnose não se submete ao que não gosta e fere sua ética. Vamos analisar tudo isso para as incorporações ficarem mais bonitas. FMG

    ResponderExcluir
  93. Luna, só posso dizer como eu vejo no terreiro que dirijo. Fico observando o comportamento da entidade incorporada, ouço informações dos auxiliares do terreiro e peço que médiuns da propria corrente conversem com a entidade e me informem se gostaram ou não. Mais ou menos assim. FMG

    ResponderExcluir
  94. Luna,obviamente que tudo pode se harmonizar se vc estiver em harmonia. Um treinamento de concentração seria muito importante. Concentrar é o segredo de tudo, mas concentração não é fácil. Eliminar a cabeça de qualquer pensamento é muito dificil. Eu sugiro que vc comece a treinar em um campo de luz distante, como por exemplo uma rua de rua, olhe firme, tente trazer essa luz para o meio de seus olhos e faça o teu olhar tentar enxergar essa luz. Parece complicado, mas não é. Tente pára vc ver como tua energia vai fluir mais e as tuas defesas vão aumentar. FMG

    ResponderExcluir
  95. Patricia, que bom que vc retornou. Isso da entidade subir para vir o Erê é compreensivel, mas não é o desejado. O correto é serem chamadas as Crianças só depois que os pretos subiram. Mas cada dirigente tem um sistema. Pode o ser que o caboclo saiba o momento de subir, mas devia esperar o ponto. FMG

    ResponderExcluir
  96. Pai Fernando, mas assim... se uma entidade não tá no toco ainda, e não tem trabalho no meio, a entidade não pode subir? Se ela "sobe" é porque nós médiuns a mandamos embora? Mas se tem que esperar o ponto, ela fica mesmo "sem ter o que fazer"?
    Pergunto isso meu pai, porque pra nós médiuns que estamos em desenvolvimento, dá a impressão que a entidade não tem mais o que fazer na terra e por isso ela sobe... então está errado?

    Num trabalho, eu estava com o Caboclo e na minha cabeça veio o seguinte: "Vou subir, porque vão chamar os Curumins".
    Fiquei meio assim, pensando que era coisa da minha cabeça, mas a entidade subiu. E não deu outra, poucos minutos depois, o Pai de Santo mandou chamar os Curumins. Aí, nesse caso, como que eu não deixaria a entidade subir?
    Dúvidas e mais dúvidas meu pai...

    Patricia

    ResponderExcluir
  97. Ai...Tô em frangalhos aqui na casa da minha mãe sem poder perguntar...O computador daqui é uma carroça! Levei 18 minutos para abrir a páginaaaaaaaaaaa...rsrsrs
    Mas quando chegar em casa participo mais.
    Bjs em todos!!!

    ResponderExcluir
  98. Patricia, vamos lá: se a entidade não está dando consultas e não tem trabalho no meio do terreiro, ela pode subir, mas antes deve ir à entidade que estiver dirigindo o trabalho para se despedir e comunicar que pretende subir. A entidade dirigente ou se despede ou diz para ela não subir. Vc me parece ter um caboclo que transmite muito bem as coisas para vc. Quem sabe, neste caso, a entidade já tenha tido autorização do dirigente espiritual para poder subir e dar a vez ao Curumim. Quanto a duvidas e mais duvidas estamos todos aqui para resolve-las. FMG

    ResponderExcluir
  99. Pai fernando a dúvida da Patricia foi bacana!
    Eu tenho uma semelhante...Eu percebo que minhas entidades não são muito de dançar e ficar sem um afazer. Eu percebo que elas vem, comprimentam o dirigente. Bate a cabeça e vai para o ponto para atender as pessoas.Fica só esperando os consulentes. Então pergunto, esse jeito delas virem estritamente para os trabalhos é porque elas aprenderam assim?

    ResponderExcluir
  100. Pai Fernando...Vou fazer esse relaxamento sim!
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  101. Ufa, Pai Fernando... o Sr. me deixou mais aliviada...
    Pensei que eu estava fazendo tudo errado.
    Eu acho que o Caboclo transmite bem as coisas sim... Eu é que ainda não o compreendo bem. Fico muito "nervosa" ainda, com medo de errar, mas sei que a cada gira damos um novo passo.

    Agora, outra dúvida. Quando sentimos que o trabalho está "pesado" isso se dá porque a corrente está dispersa e não está firme? Ou a corrente pode sim estar firme, mas há mais forças maléficas tentando nos atingir do que em outras ocasiões? Se sentimos o trabalho pesado, quais procedimentos podemos tomar para tentar "ajudar" na vibração?

    Viu só Pai Fernando, fico um tempo sem aparecer e fico com as perguntas acumuladas... rss

    ResponderExcluir
  102. Penso que as vezes somos nós que interferimos. Já aconteceu de estar incorporada e achar que a entidade ia embora, mas sem mandarem ir embora, aí bater a cabeça e continuar vibrando e ela voltar... acho que é perder a comunicação com a entidade. Outra vez aconteceu de estar trabalhando com Ogum e chamarem vibração de Iemanjá se não me engano, aí Ogum se despediu do Pai Akuan só que não subiu. Eu fui até conversar com pai Fernando no intervalo, pq tinha achado estranho, achei que tivesse que subir pra vir as ondinas, mas como pai Fernando disse, não tinha tocado ponto de subida então estava certo. Ogum ainda estava trabalhando. Então penso assim, não temos que interferir, Eles vem e vão qdo chamados pq existe um propósito e tempo pra estarem ali comandados pelos dirigentes, acho que é isso. Saravá a todos, bjo.
    *** Este blog está o máximo!!!!! Quanta coisa pra aprender!!! To amando!!

    ResponderExcluir
  103. Luna, esse é o correto. A entidade vem para trabalhar e é isso que ela tem que fazer. FMG

    ResponderExcluir
  104. Patricia Sabadin: quando o trabalho está pesado é porque existem energias pesadas, ou nos trabalhos ou como nas situações que vc mencionou. Para ajudar tem que ficar firme e atenta e não deve distrair a corrente com conversas e oferecimento de bebidas. Vou confessar que fico muito louco quando vejo entidades incorporadas de papo com a corrente. Isso é muito ruim, porque desvia a atenção da corrente. FMG

    ResponderExcluir
  105. Patricia Vitachi, nota 10 para vc. É o que estou falando nos outros comentários, o que orienta e dirige a gira é o ponto cantado, principalmente porque é através dele que o dirigente fala com as entidades. FMG

    ResponderExcluir
  106. Pai Fernando o senhor falou dos "papos" que existem numa gira. O que fazer quando uma entidade quer trabalhar em algúm médium da casa? Ou falar algo?
    A assistência é em primeiro plano claro! Mas quando existe essa necessidade da entidade flar com algúm irmão da corrente. O que fazer?
    Obrigada!
    Já peguei o jeito da carroça...rrs

    ResponderExcluir
  107. Pai Fernando. Voltei a ler o que o Sr. escreveu lá no início, e o Sr. disse: "Os espíritos quando vão incorporar eles ficam aguardando o ponto de chamada".
    Isso não significa que a entidade venha apenas no SEU ponto, não é? Ou é?

    ResponderExcluir
  108. Pai Fernando, agora vou fazer uma perguntinha que pode até ser polêmica.
    Por exemplo, os Erês. Quando cantam o ponto pra subir, eles normalmente "reclamam", dizem que não querem, demoram pra obedecer.
    É a entidade ou interferência nossa, do médium?

    ResponderExcluir
  109. E quando acontece de, por exemplo, ser cantado Caboclo de Oxossi e o médium receber um erê? E depois de um tempo o Erê subir vem o Caboclo aí ele gira, gira e sobe... e fica nesse "sobe desce" o que falta é firmeza no médium????
    Obrigada...

    ResponderExcluir
  110. O exercício de relaxamento que o Senhor descreveu para Luna tb serve para a dúvida que postei?

    Obrigadinha.

    ResponderExcluir
  111. Pai Fernando. Boa madrugada!rsrs
    Uma pergunta: Até que ponto é prejudicial para o médium "correr gira"?

    Quando o médium visita outra casa ele pode colocar algo que o deixe mais protegido?

    Axé!

    ResponderExcluir
  112. A Patricia Vitachi postou um comentário eu fiz tudo certo e sei lá onde ele foi parar. Mas me lembro e respondo: vou aceitar tua sugestão e jogar o obi, ao menos para as pessoas da corrente, para saber o Orixá masculino e tambémo feminino. FMG

    ResponderExcluir
  113. Luna, a entidade deve pedir autorização para os dirigentes para poder fazer isso. FMG

    ResponderExcluir
  114. Patricia Sabadin, realmente não tem essa necessidade porque também existe o ponto de chamada geral, ou ponto de linha, como queiram. FMG

    ResponderExcluir
  115. Patricia Sabadin, isso é da entidade mesmo. As crianças fazem esse tipo e são assim mesmo. Quando isso acontece quando estou dirigindo, também faço meu tipo e berro com a mesma intensidade que eles reclamam. No fim tudo dá certo porque com as crianças não poderia ser diferente. Eles são ótimos e mágicos. Não se esqueça que o Erê é uma criança com mais de duzentos anos... FMG

    ResponderExcluir
  116. Denise, sobe e desce é desorganização. Isso, se acontecer, deve ser repreendido pelos dirigentes. FMG

    ResponderExcluir
  117. Denise, claro que serve. Aliás acho que tudo que se escreve nesse blog, por mim ou por vcs., é uma orientação para todos nós. FMG

    ResponderExcluir
  118. Vamos definir bem a pergunta. "Correr gira" pode ter duas interpretações, ou seja, o médium participa como membro da corrente em várias giras. Não que seja errado, mas deve ter a permissão de seu dirigentes e a concordancia do dirigente que o está recebendo. Agora, pai de santo que proibe os membros de seu terreiro visitarem outros terreiros está totalmente desligado da realidade dos tempos atuais. Acho um absurdo pessoas adultas e responsáveis serem proibidas de visitarem outras casas. Se isso acontecesse comigo não tenha nenhuma duvida que meu pai de santo iria ficar falando sozinho. Dizem alguns que é para não confundir os médiuns porque as casas não trabalham da mesma maneira. Ora, se algum fato trouxer duvida para o médium, ele deve expor ao seu pai de santo que por sua vez deve dar sua explicação. Umbanda tem que ser aberta, visivel, transparente e bem explicada. FMG

    ResponderExcluir
  119. Pai fernando bom dia!
    Ví as respostas do senhor. Me diz uma coisa. Eu não tenho experiência de centro ( terreiro) muito grande. Os dois centros que trabalhei tinha no máximo 50 pessoas na corrente.
    Essas " regras" de pedir permissões, entidades pedir permissão e uma hierarquia. É devido a imensidão que é o TPM? Ou Seria para manter uma ordem? Só para entender melhor.
    Obrigada e bom dia a todos.

    ResponderExcluir
  120. Luna:

    Não acho que tamanho da corrente tenha importância. No terreiro do Edmundo Ferro onde eu iniciei ela era formada por uns 30 médiuns, e as exigências, ordens e proibições existiam aos montes. No Terreiro do Pai Maneco os 1.500 médiuns têm mais liberdade do que os 30. Um dirigente tem que saber o que está acontecendo na gira. Se uma entidade é chamada para um fim e o ele a vê conversando e oferecendo bebidas às pessoas, ele fica totalmente perdido no comando. Devemos considerar também que se para um é permitido pode acontecer que todos os médiuns resolvam fazer o mesmo. Então não é pelo tamanho da corrente, é pela ordem que deve existir. Vou aqui fazer uma propaganda pessoal: eu tenho muito orgulho de ter iniciado um Terreiro com 18 médiuns e hoje ele abriga mais ou menos 1.500 médiuns, sem que nunca tenha sido pregada em nenhum lugar qualquer placa proibindo alguma coisa. Por admirar o regime político anarquista, em nosso terreiro todos podem fazer o que quiser desde que não fira a ética e o espaço do outro. O interessante é que não se enquadra nesse esquema acaba espontaneamente se afastando do terreiro. FMG

    ResponderExcluir
  121. Voltando ao tema de organizaçao ja relatado , venho expressar um descontentamento no qual foi apresentado por duas semanas consecutivas , a cerca de uns 15 dias resolvemos conhecer a gira do sabado , que por sinal eh muito legal , sou assistente mas muito interresado sempre estou no blog e no site do Terreiro , entao nessa visita tive um profundo decepçao , pois nessa primeira visita no sabado , fui surpreendido com um momento de desatino de uma medium , que passou a gritar e a esbravejar , sendo mais tarde contida por outros mediuns , me parecia descontrolada com tudo , mas enfim foi uma coisa q me marcou . Ontem estive no blog e vi os comentarios sobre pai e mae pequenos , porem ontem novamente vi o despreparo pois este quase brigou com um consulente , isso mesmo pai pequeno teve um desentendimento com um assintente quase chegando a vias de fato , decidi na mesma hora ir embora e nao voltar mais , pois tem algo errado , nao sei se na casa , na hierarquia , na gira , mas continuo sendo um irmao de fé , que ira apenas na gira do Pai Fernando pois essa funciona redondinha , pois ao que me parece estes filhos de segunda estão sim comprometidos , sua hierarquia funciona , mas o poder nao le sobe a cabeça , desculpe a franqueza mas axei necessario .

    Robson Valesi .

    ResponderExcluir
  122. Robson, transparencia que eu prego é assim. Está publicada tua reclamação, vou conversar com o Pai Bitty e pedir que ele responda a tua postagem, porém, desde já fica esclarecido que não terá réplica. FMG

    ResponderExcluir
  123. Pai Fernando,

    Gostaria de saber oq é briga de cabeça? E tbm gostaria de saber se um médium firmado com uma entidade pode ela mudar? E se estou certa aprendi que o Exu vem a hora que ele quer pois ele que decide se ele que vai ficar ou se permite que a Pomba gira trabalhe, é isso? Então sendo assim pode ela deixar de vir e ele assumir???

    Monique

    ResponderExcluir
  124. Monique, briga de cabeça é quando o médium recebe vibrações de dois orixás e o pai de santo não sabe definir qual. Chama-se no médium um orixá e depois o outro. Alternando sem espaço para a entidade subir vai chegar em um momento que um deles vai firmar. É mais ou menos assim, mas não é nada que eles estejam brigando pelo médium. Eu não sei o que vcs entendem médium firmado. Conheço médium com obrigação feita. Pode acontecer sim que o exu venha ocupar o lugar da pomba gira, mas acho isso muito dificil porque se a pomba gira está vindo é porque ele, no astral, permitiu isso e palavra de espirito, principalmente de exu, é honrada. FMG

    ResponderExcluir
  125. Ainda bem que é uma chance bem pequena de mudar rsrsrsrsrsrs nada contra, mas acabamos criando afinidade com a entidade.

    Monique

    ResponderExcluir
  126. Pai Fernando com relação a pergunta da Monique...Fiquei trabalhando direto com seo Tranca Rua das almas por uns 12 anos direto E nunca vinha uma pombagira. Há uns três anos ela veio. Mas no começo ela vinha pouco porque falava demais ( não tem trava na língua) então percebia que seu tranca rua colocava ela para subir e tomava o lugar. Ele falava que ela tinha que aprender que nem tudo pode-se falar.
    Hoje ela continua falando...Mas com "regras" É isso mesmo?
    Não que ela seja mau educada. Mas ela fala pelos cutuvelos as verdades. Isso seria porque a entidade tem que ter mais limites? E por isso que tranca rua sempre tomava a frente ou ficava controlando ela?
    Obrigada pai.

    ResponderExcluir
  127. Luna, é assim mesmo e seo Tranca Ruas trabalha com várias pombas giras. FMG

    ResponderExcluir
  128. Pai Fernando, sobre esse assunto de "mudar a entidade", muito de fala em "entidade desenvolvedora", que pode uma entidade, por exemplo um Caboclo, trabalhar anos com o médium, mas depois vir um outro Caboclo, por aquele primeiro ter sido o desenvolvedor.
    Isso acontece com todos os mediuns, ou só em alguns casos? Como e porque acontece isso?

    ResponderExcluir
  129. Patricia Sabadin, não fique muito tempo sem ler o blog para não se perder. Eu já respondi sobre isso. Desenvolvedor do médium é o pai ou mãe de santo. FMG

    ResponderExcluir
  130. Pai Fernando, eu não sei se já fiz essa pergunta, mas procurei nos outros tópicos e não achei. Talvez até não seja pertinente ao assunto em questão, mas vou perguntar mesmo assim... rss
    Ogum de Ronda.
    Quando é chamado Ogum de Ronda no final da gira, as entidades que vêm nesse momento são falangeiros de Ogm de Ronda ou é o Ogum que trabalha com a pessoa que vem nesse momento para "fazer a ronda"? Por exemplo, um médium que recebe um Ogum da linha de Megê, quando chamam Ogum de Ronda, ele vai receber o mesmo Ogum da linha de Megê que vem "fazer a ronda" ou vai receber outra entidade que é um Ogum de Ronda?

    ResponderExcluir
  131. Eu sei meu pai... desculpe.
    Mas é que a gente sabe de alguns casos em que a pessoa trabalhava com uma entidade X e hoje trabalha com a entidade Y. Se não me engano, o Pai Bitty tbem é exemplo disso.
    Mas tudo bem... melhor não ficar com caraminholas na cabeça né.
    bjs.

    ResponderExcluir
  132. Andréa Destefani26 de abril de 2009 14:39

    A Luna estava certíssima quando disse que este assunto iria bombar, boa dica. Acabei de ler uma coisa que o sr. escreveu que achei muito pertinente: a palavra de espírito é sempre honrada! Nisto há um grande aprendizado para nós. As entidades a meu ver se propõe a nos ajudar e principalmente a nos ensinar a sermos mais 'humanos'. Todos que incorporamos agem exatamente como pais e mães: não estão sob nosso comando,estão na verdade nos orientando e nos levando a uma contínua reflexão. É, na verdade ,o nosso espírito que está em desenvolvimento. Eles se preparam como o sr. falou em seus pontos de energia antes da gira,mas e nós? Quantos de nós que por vários motivos não reservamos 5 minutos para fazer uma reflexão antes da gira? Quantos de nós esquecemos as vezes dos preparativos deste dia? Quantos de nós se reservam ao direito de não discutir, não fofocar e se equilibrar no dia da gira? Isto tudo é muito difícil, porque estamos em contínuo desenvolvimento espiritual, tenhamos o tempo que tenhamos de Umbanda e acredito que quando estivermos completamente equilibrados,este plano não nos será mais útil.
    Quanto a organização da gira ainda tenho que fazer uma pergunta Pai Fernando. Quando se é um pai ou mãe de santo é muito mais difícil se manter concentrado e alinhado com com a entidade, tendo em vista que há muito mais responsabilidade com a gira inteira e o lado mais "material" chama mais a atenção?(usei este termo porque não consegui outro, espero que entenda minha pergunta)Axé!

    ResponderExcluir
  133. Estava lendo sobre esse tópico e vou relatar aqui meu ponto de vista de mãe de santo "baby". Baby em tudo, pessoas, instrumentos, materiais de trabalho...
    Tem que começar a "organizar":por mais que todos assumam seus papéis- cambones, médiuns, ogãs - é muito dificil simplesmente "enfiar" na cabeça da pessoa que está envolvida no trabalho, que ali ela tem que estar equilibrada, calma, imparcial, independente do que tenha acontecido naquele dia, antes da gira.
    com o tempo, os integrantes da corrente criam "experiência", o que causa talvez uma suposta desorganização, é que sempre tem mais gente nova na corrente.
    estou no momento firmando nossa hieraquia aqui. para esses que acabaram de começar e já estavam adaptados, voltam de novo a ser inexperientes, pois precisam desempenhar outras funções. o Pai Fernando tem 50 anos de espiritismo, tem muita experiência e deve ser nossa referência máxima. Nós, com menos tempo como dirigente de trabalho, as vezes não sabemos como expressar o que intuimos, sentimos, mas sabemos do poder de nossos guias. aos que vierem aqui, vão entender o que estou falando. a gira do Pai Fernando sempre será única, se tivermos talvez a mesma dedicação, também podemos chegar lá. mas ninguém passa por cima do tempo, a não ser a Umbanda, que se multiplica mais do que nossa compreensão. Alice

    ResponderExcluir
  134. Oi Pai Fernando:

    Robson, ontem estava de branco na gira, sou filha do Pai Fernando,estava acontecendo um trabalho no meio de um consulente que estava na assistência do lado deste senhor que ficou alterado,ao mesmo tempo este queria entrar para dentro da gira porque este mesmo estava completamente fora de controle , o Pai Pequeno, interferiu para não atrapalhar o trabalho, tanto é que este mesmo senhor no final veio se desculpar porque ele era uma pessoa pacifica e que aquele energia não lhe pertencia.As vezes uma visão de fora não entende o que esta acontecendo mas o Pai Pequeno e o Pai de Santo sabem o que fazer para conduzir a situação. Denise Z

    ResponderExcluir
  135. Denise, foi bom vc ter dado essa noticia. Espero que isso tenha resolvido a questão. FMG

    ResponderExcluir
  136. Patricia Sabadin, todos são os Oguns de Ronda. FMG

    ResponderExcluir
  137. Pai Fernando, lendo oq o sr escreveu me vi, pq fiz exatamente isso, "Agora, pai de santo que proibe os membros de seu terreiro visitarem outros terreiros está totalmente desligado da realidade dos tempos atuais. Acho um absurdo pessoas adultas e responsáveis serem proibidas de visitarem outras casas. Se isso acontecesse comigo não tenha nenhuma duvida que meu pai de santo iria ficar falando sozinho. Dizem alguns que é para não confundir os médiuns porque as casas não trabalham da mesma maneira. Ora, se algum fato trouxer duvida para o médium, ele deve expor ao seu pai de santo que por sua vez deve dar sua explicação. Umbanda tem que ser aberta, visivel, transparente e bem explicada. FMG", deixei falando sozinho..hihih, e fiz pq não achei justa essa proibição até pq não me foi dado um bom motivo.
    agora queria perguntar, um pai/mãe de santo q faz esse tipo de proibição, não seria pelo medo de o medium expor alguma duvida e o msm não saber responder, ou pior ainda, medo de perder os mediuns da sua casa, ou existem razões ainda mais absurdas?
    imagino q nas duas situações, é pessimo e falta ética e transparencia com os mediuns

    ps: me senti envergonhada agora, acho q fui a unica q não elogiei o blog, não é por não ter gostado dele não, eu tbm amei, acho ótimo essa comunicação direta, ainda mais pq até mt pouco tempo imaginava pais/mães de santo sobre um pedestal fora do alcance, e por isso estou aqui td dia, é mais pq fico absorta demais nas questões e acabo esquecendo msm rsrsrs...
    bjus Isamara...

    ResponderExcluir
  138. Pai Fernando, pq mesmo alguns umbandistas consideram os Exus e Pomba Giras como entidades 'pouco evoluídas' e que exatamente por precisarem evoluir ainda aceitam "fazer o mal"? Não sei, mas eu não consigo vê-los dessa forma....

    ResponderExcluir
  139. Pai Fernando boa noite!
    Ai...como é bom esse espaço.
    Então, vendo os outros relatos...Acredito sim que o senhor tenha satisfação de ver como o TMP se transformou. Realmente não tem como questionar...Se não não sairia do Rj para ser sua filha de santo.
    Então lá vai minha perguntiiiiinha:
    Numa gira de desobsessçao o que fazer quando o médium em sí não controla um espírito revoltado?

    Outra pergunta: O senhor acha que hoje numa gira todos os médiuns conseguem auxílio do pai de santo do dia? Ainda mais sendo médium em desenvolvimento?

    ResponderExcluir
  140. Pai Fernando, o que seria ELEMENTARES para o senhor? Eles trabalham na casa?
    Axé

    ResponderExcluir
  141. Pai Fernando o que o senhor acha da vaidade entre nós médiuns.
    Pode até ser que não faça parte da característica da pessoa, mas isso faz parte da humanidade...Como dentro do terreiro ou em qquer lugar galgamos alguma escala a mais podemos nos sentir vaidosos. O que fazer num caso desses dentro da Umbanda?

    ResponderExcluir
  142. Pai Fernando o que seria um médium negligente na gira. No que ele poderia receber uma adivetência?
    Luna.

    ResponderExcluir
  143. Pai Fernando, porque existe na maioria dos centro uma ordem de incorporação? Tipo, primeiro incorpora o pai de santo, depois os pais e mãe pequenos, depois os capitães e por fim os médiuns da corrente.
    Porque essa regra pai Fernando?

    ResponderExcluir
  144. Pai Fernando sobre pais de santo...O senhor acha que a pessoa já nasce com a corôa de pai de santo ou ela pode se tornar?
    Como se percebe um futoro pai ( mãe ) de santo?

    ResponderExcluir
  145. Isamara, agradeço os elogios. Não sei porque eles proibem, acho que o gosto de exercer o poder. FMG

    ResponderExcluir
  146. Pai Fernando, voltando ao tema inicial que é a organização da gira, vou fazer uma pergunta que talvez eu até devesse saber:
    "Por que só se joga Obi nas gira de Preto e Caboclo?"
    Uma vez me falaram que era por serem giras de direita, mas eu não entendo como isso, sendo que o Obi é jogado no inicio do trabalho e não na segunda parte.
    Tem algum motivo específico ou é apenas para não ter Obi toda a semana?

    ResponderExcluir
  147. Denise, alguns umbandistas dizem isso por total despreparo da beleza da Umbanda. Sugiro que em um dia de gira de esquerda vc faça essa pergunta a um exu ou pomba gira. Seria bom conhecer a resposta. FMG

    ResponderExcluir
  148. Luna, problema do dirigente. Ele é que deve dominar a entidade. Eu acho que os médiuns têm o auxilio dos dirigentes. FMG

    ResponderExcluir
  149. Os elementais são os duendes, silfos, ondinas, salamandras. Por aí. Veja no site do terreiron www.paimaneco.org.br na seção curiosidades. Existe uma foto bem interessante. FMG

    ResponderExcluir
  150. Luna, a avaidade do médium eu tento administrar no possivel e deixo a lição por conta dos espiritos. Eles sempre cortam cristas crescidas através de situações que eles põem os médiuns. Quando eu trabalhava na mesa do espiritismo tradicional eu me achava o bom. Em uma consulta eu estava incorporado com o então irmão Maneco e ele falava para um consulente sobre o espirito do irmão dele. Sem maiores sinais, ele, o Irmão Maneco, deixou-me sozinho na frente do consulente e no meu ouvido disse discretamente: para vc saber, o irmão do moço não desencarnou. Eu fiquei perdido, supliquei o que devida saber e ele, com certeza dando aquele sorriso do desenho do Jimmy sentenciou:"resolva, afinal vc é o bom..." e foi embora. Eu resolvi me safar do mico, mas minha crista murchou. FMG

    ResponderExcluir
  151. Luna, o médium relaxado, que não fica atento, ausente do terreiro, sei lá. Tem várias situações, uma sérias e outras não. Mas sempre os dirigentes devem contornar sem magoar ou humilhar o médium. FMG

    ResponderExcluir
  152. Luna, pelo simples fato que essas entidades incorporadas nos dirigentes é que vão cuidas dos médiuns. FMG

    ResponderExcluir
  153. Luna, acho que vou abrir um tópico mais tarde para falar sobre esse assunto. Só vou pedir que vc me cobre. Combinado? FMG

    ResponderExcluir
  154. Pai Fernando,

    Sei que não podemos deixar as entidades contar sobre traições, trabalhos feitos, doenças enfim... Como contornar isso??? Caso o consulente iniba o médium o cambone pode interferir até que ponto?

    Monique

    ResponderExcluir
  155. Luna, uma vez me perguntaram porque eu não deixo as giras passarem da meia noite, ou "hora grande" como os experts gostam de dizer. Eu respondi que não tinha nada em especial, e que no dia seguinte as pessoas têm que trabalhar e não podem ficar acordadas até tarde. No caso do Obi que eu só jogo nas giras de caboclos e pretos velhos, porque na quimbanda e giras neutras (ciganos, principalmente) o publico lota o terreiro e eu tenho que acelerar a gira para poder terminar no horario. Vale um ensinamento: todo trabalho espiritual tem uma hora para iniciar e outra para encerrar. Veja como sou fanatico: nunca comecei uma gira nem antes e nem depois das 20:00 hs e faz anos, muitos anos que nossa gira não termina depois das 24:00 horas. Quando isso sse firma, é sinal que os espiritos estão protegendo os trabalhos. FMG

    ResponderExcluir
  156. Ai Pai Fernando... desse jeito que o Sr. falou, logo vão achar que os espíritos não protegem os trabalhos da quinta-feira... hehehe

    ResponderExcluir
  157. Pai Fernando, não acredito que seja fanatismo os horários da abertura e encerramento. Acredito que o senhor é rigoroso pelo simples fato que a espiritualidade tbém se prepara para os trabalhos. Eles tbém tendo seus horários de reger e proteger a casa na abertura até o encerramento.
    Estou certa? Mesmo porque a espiritualidade tem muitos outros lugares para ajudar!

    ResponderExcluir
  158. Agora qual seria o assunto do próximo tema? O de ser pai de santo? Ou outro que eu não ví a ordem???
    Abços meu pai!

    ResponderExcluir
  159. Pai Fernando, Obrigada!! Irei perguntar!!
    Pesquisando sobre o assunto, caí num texto que os separava em Exu batizado e Exu pagão e que um faz o bem e o outro faz o mal.
    Mesmo nos lugares mais assustadores que já fui, nunca consegui ver os Exus e Pomba Giras como entidades não evoluídas. Mas será q a incorporação do médium, como o senhor descreveu anteriormente, pode interferir nessa idéia que as pessoas (inclusive os umbandistas) tem deles?
    Beijinhos e Obrigadinha...

    ResponderExcluir
  160. Oi Pai Fernando!
    A pergunta ficou no tópico Caboclo Guaraci, que estavam falando sobre obi...

    "Olá Pai Fernando, qual a interferencia do orixá feminino para quem tem como pai de cabeça o masculino? Sei que o sr vai falar que o importante é saber quem é o pai, mas existem diferenças certo? Por exemplo filha de Oxóssi com Iemanjá é diferente de filha de Oxóssi com Oxum certo? Qual é a diferença? Entendendo que filha de Oxóssi só pode ter como mãe Iemanjá ou Oxum. Poderia ser jogado obi pra ver os dois não é mesmo? hehehehehe Bjo"

    Que bom saber que será jogado o obi pra vermos o Orixá feminino! Obrigada!!! Bjo

    ResponderExcluir
  161. Pai Fernando, lendo e relendo algumas perguntas me deparei com a seguinte explicação: Capitão não " pega" obsessor! Como assim? Ele não incorpora mais obsessor ou ele não atrái obsessor mais em sua vida???
    Gostaria que o senhor esmiuçasse mais.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  162. Pai Fernando numa gira existem varios tipos de mediuns, videntes, intuitivos....
    um medium pra ser bom medium preciza necessariamente incorporar ou pode somente trabalhar com a intuição? e nesse caso, como seria a forma de trabalho desse medium?
    Isamara

    ResponderExcluir
  163. Eu queria saber tbm qual a importancia do ritual de acender vela ao anjo de guarda, comprimentar o conga a firmeza e o quarto dos exus antes das giras, sempre faço mas nunca soube ao certo o pq de fazer e qual a importancia disso?
    Abraços Isamara

    ResponderExcluir
  164. Mukuiu Papa , um salve de um humilde filho que sempre esta por aqui aprendendo , e tirando duvidas , como eh bom saber que sempre podemos aprender mais com o senhor , a facilidade e a versatilidade é algo incrivel. Este sem duvida é um dos melhores TOPICOS , mas axo q devemos mudar o nome para duvidas e questionamentos , rsrsrs .
    Bom sendo assim gostaria de saber sobre a mediunidade:
    1- È possivel depois de algum tempo nós mediuns perdermos a vibração de incorporaçao ? Ou seja passar a não mais incorporar ? Pois um medium com responsabilidade não teria um efeito animico ou mistificador ?
    2- Gostaria de saber sobre os medos e anceios , se eh possivel para um filho de santo ser fechado a incorporações , exemplo determinado filho incorporava , mas agora tem medos e gostaria de não desenvolver mais a sua mediunidade , este pode pedir "o fechamento do corpo " ( não sei se esta certo o termo ).

    Axé .

    Julio

    ResponderExcluir
  165. Monique, a figura do cambono é fundamental no trato entre consulente e endidade. Ele deve ser o intérprete, o defensor do médium e da entidade quando houver mal estar na conversa, em caso de dificuldades deve procurar a direção da gira para comunicar o fato, deve cuidar que esta 3a. força - médium e entidade, não consuma muita bebida alcoolica, controlar o comportamento da entidade e do médium e ser ainda - acima de tudo, a pessoa da confiança do pai de santo e deve comunica-lo se alguma consulta for dada ferindo o principio do terreiro. FMG

    ResponderExcluir
  166. Patricia Sabadin, não entendi porque vc disse isso. FMG

    ResponderExcluir
  167. Denise, São apenas designações que alguns dão. Não devemos esquecer que a Umbanda exerce o direito da diversificação. Eu prefiro dizer o Exu é bom e se não for bom não é Exu. FMG

    ResponderExcluir
  168. Luna, eu falei durante o curso da gira. O Capitão só incorpora obsessor se ele quiser e assim mesmo deve tirar todas as suas guias. FMG

    ResponderExcluir
  169. Isamara, a intuição é uma parte da mediunidade de grande importancia e ela deve serv explorada ao maximo, desde a ligação com a entidade ao lado como no auxilio às pessoas, entretanto, isso deve ser muito bem dosado parfa não se intrometer em assuntos que não deviam ser comentados. O ideal do uso da intuição é só falarq quando consultado. FMG

    ResponderExcluir
  170. Isamara, quando vc acende a vela para o seu anjo da guarda vc está iluminando seu proprio espirito. Quanto aos cumprimentos além de fazer parte do ritual é questão de educação. Eu se for em sua casa, provavelmente irei cumprimenta-la e a todos os moradores. Não se esqueça que o Terreiro nós usamos, mas elçe é dos espiritos. FMG

    ResponderExcluir
  171. Julio, gostei da idéia. Vou responder mais tarde quando abrir o novo tópico "Mediunidade, Duvidas e Questionamentos" FMG

    ResponderExcluir
  172. Bom dia Pai Fernando!!!
    Que todos tenhamos uma ótima semana!!!
    Luna

    ResponderExcluir
  173. Hummmmmmm...Tema muito bom tbém da Mediunidade!!!
    Oba!!!

    ResponderExcluir
  174. Boa tarde a todos!! realmente esse espaço é maravilhoso. E como disse alguem (rsrsr ele está bombando). Pai Fernando, admiro sua disposição e atenção a todos os questionamentos, mas tenho percebido tbem que varias sugestões tem sido levantadas para um px. tópico, situação que acho maravilhosa. Então, dou tbem uma sugestão, já sabendo que não será nada fácil. Pai! antes de mudar a tematica da discussão é possivel o Sr. fazer o fechamento postando, acredito que no site, um texto/artigo/que trate das questões aqui discutidas? Coloco essa sugestão visto que na maioria das vezes precisamos ir e vir (não me refiro a entrar e sair do blog) ou seja, caminhar para cima e para baixo procurando as questões e respostas. Beijos enormes no seu coração.

    ResponderExcluir
  175. Não sei se o sitio é o mais indicado para fazer estas perguntas e espero que o Sr não leve a mal pois sempre ouvi que Exu era representativo do mal: No Sentido que o Sr. falou na ultima resposta para a Denise suscitava uma comparação entre a bondade de um Bezerra de Meneses e a bondade de um Exu.
    Continuando tive conhecimento de um Pai de Santo que evocavaum determinado Exu para um trabalho maléfico com punhal e outras coisas mais, quem poderia vir no nome desse Exu.
    É verdade que os Exus se subordinam ao poder de Lucifer

    Atenciosamente
    Carlos Lima

    ResponderExcluir
  176. Carlos Lima:

    NA verdade me parece que vc sempre ouviu da pessoa errada e que não tem nenhum conhecimento dos Exus na Umbanda. Não sei porque vc ferindo um principio espiritual está julgando uma entidade comparativamente com outra, no caso o Dr.Bezerra de Menezes. Gostaria que vc ouvisse os comentários da Umbanda feitos pela maior autoridade espiritual do espiritismo tradicional, o consagrado Chico Xavier. O pai de santo que vc conheceu com certeza não é da Umbanda porque nossa religião não tem nenhuma ligação com o mal e muito menos com Lucifer.Nada pessoal, mas é necessário ser esclarecido. FMG

    ResponderExcluir
  177. Fico muito feliz , com vossa resposta Papa , pois em outro tempo mandei email e acabou nao dando resposta , fico ancioso pelo novo topico , e tenho a certeza de que sera um dos campeões de postagens ,se acaso quiser meu email ainda eh o mesmo , pois sinto q muitos dos meus questionamentos são de muitos filhos .

    julioskina@gmail.com

    obs: este não precisa ser publicado , pois na verdade trata-se apenas de um agradecimento .

    ResponderExcluir
  178. Marilise, não sei como fazer isso. Se vc notar as questões levantadas, embora separa em um tópico, está muito abrangente e eu não tenho nenhum livro para responder. Pela dinamica do blog eu respondo o que sei (ou acho que sei) e o que não sei eu respondo que não sei. No site embora as noticias estejam espalhadas deve ter tudo que se falou. FMG

    ResponderExcluir
  179. Pai Fernando não quero faltar ao respeito nem julgar nenhuma entidade quem sou eu, nem quero criar mal estar, tenho muito respeito pelo Dr. Bezerra de Menezes e respeito todos os Exus. Só gostava de saber mais sobre eles pois são mal compreendidos, quando se fala em Exu e PombaGira lá vem associado as amarrações etc.

    Cumprimentos
    Carlos Lima

    ResponderExcluir
  180. Pai Fernando depois da resposta dada pelo senhor fui ler sobre o assunto e encontrei no livro "LIÇÕES DE UMBANDA E QUIMBANDA NA PALAVRA DE UM“PRETO-VELHO”uma excelente leitura que tirou muitas duvidas.
    Aqui vai alguns excertos do livro:

    EXUS desses espíritos em evolução, dentro de certas funções
    cármicas e das condições que lhes são próprias. (o carma, filho, tem reajuste e
    cobrança. Quem faz reajustar? Quem faz ou procede às cobranças? Quem opera,
    diretamente, para o equilíbrio dessa Lei? Essas legiões se entrosam em PLANOS e
    Sub-planos com seus Agrupamentos e Sub-agrupamentos. Tudo isso opera,
    trabalha nos serviços mais “terra-a-terra”, dentro da justa relação imposta pelo
    Carma coletivo, grupal e individual. E os espíritos que coordenam todo esse
    movimento de Planos e Sub-planos, Grupos e Sub-grupos da Quimbanda, como
    “cabeças de legião”, são realmente qualificados como Exus, em realidade uma
    espécie de “polícia de choque” para o baixo astral.
    Esses Exus não são espíritos irresponsáveis, maus, trevosos, etc. Os
    verdadeiros trevosos, maus, etc., são aqueles a quem eles arrebanham, controlam
    e frenam.


    Pergunta: Pode o Exu ser doutrinado?
    Resposta: Para melhor compreensão, o nome Exu dado a certos espíritos é
    coisa da Terra. Esse espírito é um agente mágico executor da Lei de Causa e
    Efeito no planeta Terra; é como um missionário da justiça e que deve obediência
    aos espíritos de mais luz, são como empregados.
    Ao contrário, os espíritos que vivem nas encruzilhadas são espíritos endurecidos,
    ignorantes; espíritos ambiciosos e gananciosos muito materializados que têm por
    hábito dar o nome de Exu, visto serem a eles subordinados e, em troca de
    presentes materiais, atacam as pessoas indefesas, assim como lhes concedem
    favores da mais baixa espécie possível.
    Esses espíritos quando atraídos para desfazerem o mal, requerem muitas vezes
    que se lhes tratem com energia para poderem obedecer; podem, não obstante, ser
    doutrinados.

    Agora sei que devia de ler antes de postar tal comentário, estamos sempre aprender.

    Cumprimentos
    Carlos Lima

    ResponderExcluir
  181. Caro Carlos e amigos

    Penso que o preconceito e o medo alimentado em relação a Exus e Pombas-Giras esteja também ligado a intolerancia religiosa e ao preconceito. Uma religiao brasileira fincada no negro, no indio e nas crianças tem uma força enorme. Era de se esperar tentativas de descretido, resistencias e enfrentamentos. É asim desde a colonizacao. A questao talvez seja nossa atitude. Por fim, só me resta testemunhar as experiencias maravilhosas e broncas acertadas e que tive com Exus e Pomba - Giras.
    abraço

    ResponderExcluir
  182. Sidney têm toda a razão o meu muito obrigado.

    Cumprimentos
    Carlos Lima

    ResponderExcluir
  183. Sobre a questão dos Oguns de Ronda, também já tive essa dúvida, pois geralmente trabalho com Ogum das Matas, e numa Gira, logo após chamarem Ogum das Matas, tocaram pra Ogum de Ronda... Eu achei que iria desincorporar, mas me surpreendi quando o Ogum "ficou" e começo a rodar, numa frequencia um pouco diferente, mas era a mesma entidade sim... Foi uma experiência muito interessante! E depois disso, ainda não sei pq, mas continuei sem incorporar na hora dos Oguns de Ronda... Aquela foi a única vez.

    ResponderExcluir