Assine aqui para receber atualizações deste blog

quinta-feira, 21 de maio de 2009

PERGUNTAS E RESPOSTAS - FALSO CONCEITO

Pergunta: Disseram-me que minha vida não irá para a frente se eu não desenvolver minha mediunidade. Isso é verdade?
Resposta: A Umbanda é uma religião muito bonita, misteriosa às vezes, mas cheia de conceitos errados. Dizer que uma pessoa tem que obrigatoriamente participar de uma gira para resolver seus problemas que são supostamente causados pelo seu grau mediúnico é interferir no seu sagrado livre arbítrio. Seria o mesmo que dizer aos católicos que eles têm que ser sacristão, freira ou padre para merecerem o ingresso dentro da religião.

Você pode ser adepto da religião sem ter o compromisso com nenhum terreiro. Sugiro que você siga a orientação que as entidades recomendam às pessoas para tratarem de suas mediunidades, através de passes magnéticos nas casas e terreiros espirituais, e às vezes, até mesmo com uma integração com a natureza, como as matas, o mar ou os rios, mesmo que seja através dos amalás, nenhum mal pode acontecer. Uma ladainha que deveria ser expurgada do entendimento dos umbandistas é que os espíritos estão cobrando o desenvolvimento de alguém.

69 comentários:

  1. Boa tarde!!!
    Concordo com o senhor pai Fernando. Acredito que a caridade pode ser exercida de diversas formas.
    Esse tópico é para fazer qquer tipo de pergunta, relacionado a Umbanda???? Se for não vão faltar perguntas...rs
    Abços grande.

    ResponderExcluir
  2. Ah, parabéns pela estatística!!!
    Axé.

    ResponderExcluir
  3. por favor pode me dizer, se com meu nome, podes
    me orientar, a me defender, dos encostos obesse
    sivos pois,nao sou preparada. obrigada.meu ende.
    reco comercial e. Ufp. Centro Politecnico,bairo
    jardim das americas. cep.81531009. curitiba. Pr.
    telefone. 33613000.obrigada.

    ResponderExcluir
  4. Concordo plenamente que isso é um absurdo dizer que a vida não irá para frente.
    Tudo tem seu tempo e tbm acho que tem que querer muito assumir essa responsabilidade.
    Eu mesma levei anos e anos para entrar,volta e meia ia como consulente assistir a gira... e digo que entrei na hora certa sem pressão e tbm nada de ruim me aconteceu por demorar a entrar.
    Eu sabia que poderia entrar desenvolver mais naquele momento não era oq eu queria e sempre fui respeitada.
    E tbm aprendi que as portas da casa sempre estarão abertas para os filhos, sem essa de entrou tem que permanecer...

    Monique

    ResponderExcluir
  5. Esses comentários são um tanto absurdos. Já chegaram a me dizer que, se a pessoa começa a incorporar cedo é porque ela tem uma dívida muito grande com Deus (algo que tenha cometido em vidas passadas). Quando ouvi isso sinceramente quase chorei de raiva de tão absurdo que o comentário foi.
    Em primeiro lugar acho que todos devem procurar o conhecimento sobre a religião seja ela qual for antes de falar tamanho absurdo.
    Afinal a Umbanda e qualquer outra religião que busca o auxílio (se assim pode-se dizer)dos espíritos, não trabalha pra 'curar os pecados que fizemos em outras vidas' e sim para fazermos de nós pessoas melhores e ajudarmos ao próximo da melhor maneira possível.
    Acho que é isso!! :)

    ResponderExcluir
  6. Luna, eu não conheco estatistica de outros blog, mas eu acho importante as pessoas saberem quantos nos acompanham. 22.000 acheri expressivo. Mande as perguntas que vamos aceitar todas. FMG

    ResponderExcluir
  7. Ira Regina de Oliveira:

    Claro que poderemos dar teu nome para a vibração das entidades como sempre fazemos com comprovado sucesso, mas vc morando aqui em Curitiba, seria mais fácil ir no terreiro.Meu e-mail : fernandoguima@terra.com.br. Escreva-me contando o que vc quer.

    Monique:

    É isso aí. Fique firme que não existirá nenhuma dificuldade.
    Juliana Matos:

    É inacreditável o que as pessoas falam sobre mediunidade, atraso na vida porque os espíritos estão cobrando que a pessoa desenvolva e assim por diante. É, como vc diz, falta de preparo, conhecimento e discernimento. Se isso fosse verdade, eu que não gosto de ser cobrado em nada, talvez nem tivesse começado no espiritismo.

    ResponderExcluir
  8. A Mediunidade pode ser expressada de diversas formas. DEsde a incorporação , passes magneticos até numa conversa intuida pelos mentores. O que me deixa triste é ver que alguns médius só a colocam em pratica na incorporação , ainda mais com plateia. A Umbanda pode ser exercida no dia -dia o que para muitos é o mais dificil. Na mudança de conduta, na derrubada de preconceitos, na caridade. Não na caridade de assistencialismo, mas na caridade do amor, aquela que começa no seu intimo, no reduto do seu lar , dos seus amigos do seu trabalho. A caridade do perdão e da reforma do carater. Resumo a caridade em humildade de reconhecer erros e corrigi-los.
    Saravá

    ResponderExcluir
  9. Lisangela:

    Vamos começar completando as tuas explicações. A mediunidade não deve ser confundida com espiritualidade. A mediunidade que é uma conquista importante para o homem, a grande arma que fica à nossa disposição para resgatar dividas passadas através da caridade e da assistencia a quem precisa de socorro, é um veiculo para a nossa evolução espiritual. Existe uma confusão natural, diga-se, quando o médium, no exercicio de seu desenvolvimento, fica atento às coisas relacionadas com o espirito que incorpora, parecendo, aos outros, um exibicionismo de sua capacidade de incorporar. Não acho que exista isso, talvez seja melhor até como fonte de pesquisa que vc vá conversar com esses médiuns que te parecem vaidosos e quem sabe, não sejam assim. FMG

    ResponderExcluir
  10. Boa noite pai Fernando. Então lá vai as perguntas relacionadas a Umbanda.

    Por qual motivo devemos tomar banhos de ervas abaixo dos ombros? Podemos pelo menos tomar o banho de nosso pai ou mãe de cabeça em nossa coroa?

    ResponderExcluir
  11. Pai Fernando, gostaria de saber se uma pessoa nasce com a corôa de pai de santo ou ele pode se tornar ao longo de sua caminhada?

    ResponderExcluir
  12. Olha eu aqui outra vêz...Meu pai vamos falar de vaidade?
    Algum tempo atrás passei por esse processo.
    Estava trabalhando numa casa. E aconteceu uma situação muito desagradável. Estava eu trabalhando e comecei a ter um sentimento bem desconfortável...Comecei a me sentir diferente dos outros médiuns, me sentia com mais capacidade, me sentia " a médium!" De imediato comecei a me sentir envergonhada. Pois me sentir melhor do que os outros não faz parte dos meus defeitos. E sentir esse sentimento de vaidade tbém não era corriqueiro comigo. Então logo percebí que estava me sentindo um médium vaiodoso. Por duas giras continuei com esse sentimento, e pedindo as entidades que me ajudasse a tirar aquele sentimento de dentro de mim, pois estava me sentindo envergonhada com aquilo...Como estava difícil de melhorar telefonei para a mãe de santo falando tudo pra ela. Pedindo que ela me colocasse como cambone por um bom tempo. Que não queria mais incorporar e dar consulta. Eu me lembro tbém que mandei um e-mail para a mãe Lucília falando sobre isso. Uma me respondeu para era normal,e que eu tinha coragem de falar o que estava contecendo...A mãe Lucília se eu me lembro bem falou que eu tinha que levantar a poeira e ir trabalhar...rsrsrs
    Confesso que isso durou mais duas giras e foi saindo com o tempo e nunca mais voltou ( graças a Deus e as entidades!)
    Não tenho vergonha em dizer isso pois sou ser humano e issas coisas não dão em árvore...rsrsr. Mas tbém é necessário que mude o sentimento!
    Então depois desse texto "pequeno" vai a pergunta...
    Até que ponto a vaidade do médium é um processo de crescimento Humano ou um processo venenoso?
    Axé meu pai.

    ResponderExcluir
  13. Como a Umbanda é maravilhosa...hj eu estava pensando nas entidades...quando na minha vida eu imaginei conhecer um indio de uma antiga tribo, ou um antigo escravo, um senhor feudal, o povo Cigano, os Boiadeiros q desbravaram nosso Brasil, os Marinheiros...são oportunidades unicas...eu e nem ninguem q conheço tem a possibilidade de voltar no tempo explorar a história...porem temos td semana durante as giras a oportunidade de conhecer essas pessoas, conhecer suas histórias, seus erros e acertos, e mais importante, seus ensinamentos...a Umbanda é realmente maravilhosa, e me faltam palavras pra descrever oq isso tudo significa pra mim...mas sinto o verdadeiro sentido da vida pulsante em todos os aspectos, tenho mt respeito pelos espiritos, mas entendo eles como pessoas, como mestres libertos do corpo fisico, pessoas em td sua essencia...em td sua sabedoria...com td sua liberdade...

    Saravá Umbanda!!!

    ResponderExcluir
  14. Andréa Destefani21 de maio de 2009 23:22

    Desculpe-me falar Pai Fernando, mas Lisangela numa das primeiras conversas com o pai Fernando perguntei se era mesmo necessário incorporar. Ele rindo me respondeu: Ué,mas é tão bom incorporar...Eu estava no começo no terreiro e realmente não tinha noção do que eu estava perguntando. Hoje te digo o quão importante é esta prática de incorporar e que a forma que vc incorpora, guardadas as devidas proporções, é que identifica a entidade. Realmente existem pessoas que na prática do dia-a-dia não usam as máximas da conduta da Umbanda, mas o tempo faz com que as coisas se ajustem sabe Lisangela.
    A Umbanda é a religião da magia, principalmente da magia interna,aquela que ocorre dentro de nós.Que nos faz sermos caridosos conosco mesmo e mudarmos nossos referenciais de conduta. Quem nessa vida de Umbandista não teve um pequeno milagre interno, quem não mudou um pouquinho que seja seu jeito perante o mundo?
    Em algum lugar eu li que os melhores e maiores milagres acontecem bem devagar, o que nos resta Lisangela é nos aprofundarmos em nosso conhecimento pessoal dentro da religião, de uma forma até egoista, e deixar que o tempo faça as mudanças necessárias nos outros.Muito axé pra você!

    ResponderExcluir
  15. Andréa Destefani21 de maio de 2009 23:50

    Pai Fernando eu tenho uma pergunta.Eu sou muito radical as vezes,pra não dizer chata, e brigava muito com pessoas que recebiam entidades fora do terreiro. Radicalismo eu sei não leva a nada. O sr sabe de casos de pessoas que realmente não sabiam segurar estas vibrações? O sr. acredita que venham entidades que incorporamos no terreiro? Sei de muitos jovens que ,para demonstrarem até mesmo poder, acabam "facilitando" que isto ocorra...Porque eu não posso conceber que uma entidade que trabalhe para o bem não tenha discernimento do tempo e do local para incorporar, acredito sim que eles ajudem sim,mas de outras formas fora do terreiro...Como o sr ve isso?

    ResponderExcluir
  16. Tbm acho abusurdo essas coisas que falam de que se não desenvolver... que a vida não vai pra frente...
    Eu acredito que isso tbem pode ser uma confusão que as pessoas criam em cima de algo que não conhecem realmente... ou seja se a pessoa apresenta sinais de mediunidade, é claro que se desenvolver ela vai conseguir lidar com toda essa energia... se não desenvolve, ela vai ter que aprender a lidar com ela de maneira as vezes muito sofrida sabe...talvez é nesse ponto q as pessoas acabam confundindo... o sofrimento de lidar com a mediunidade sem desenvolvimento... achando que isso é demonstração de que as coisas não vão dar certo...(não sei se me fiz entender...)

    vejo pela minha mãe... ela sempre apresentou mediunidade...sofria por ver e ouvir...
    só começou a desenvolver de uns tempos pra cá... tava conseguindo lidar super bem com o desenvolvimento, mas por motivos de saúde teve que se afastar... eu vejo que as vezes ela acaba sofrendo um pouco por sentir tudo e não poder efetivamente praticar como ela fazia no terreiro... ela tem suas intuições e não consegue lidar com elas... ela sente as mensagens de suas entidades mas não tem a confiança suficiente de compreender... dai vem e diz que 'tô passando mal..." , por não poder estar na nossa casa desenvolvento ... Claro q a caridade não está só no terreiro e em incorporações... ela é umbandista dentro e fora do terreiro mas as sensações que o mundo espiritual causam nela... algumas vezes a fazem sofrer... dai já é motivo para alguem chegar e dizer: viu tem que desenvolver... estão cobrando... claro que desenvolver tudo isso ajudaria e muito...

    Como se diz: as pessoas tem o livre arbitrio...
    O que pode assustar é sentir o mundo espiritual sem saber exatamente o que fazer com essas sensações... (procurar a umbanda, mesa branca, daime e outras de cunho espiritual).
    Ou procurar refugio nas igrejas católicas e evangélicas se utilizando dos exorcismo s e "tira enconstos" ...Cada um escolhe no que melhor se sente para "fugir" ...ou desenvolver...

    Mas vamos combinar que no começo "essas" sensações do "outro lado" assustam...
    ahhhh isso assustam!!!!

    bjossss
    Andressa Matos

    ResponderExcluir
  17. Pai Fernando, por favor, me corrija se eu estiver errada. Tem "alguns vários" meses entrei num grupo de discussão sobre Umbanda e ao postar lá uma dúvida uma pessoa, de outro Estado e q não conhece terreiros aqui em Curitiba, me escreveu informando o endereço do TPM e explicando que foi um pedido da entidade dele p/ me mandar esse endereço. Achei tão legal que fiquei mais ativa no grupo... o que fez com que uma pessoa desse grupo me mandasse um e-mail com uma pergunta semelhante a essa q o Sr. postou nesse tópico, e eu respondi para ela que as entidades querem nosso bem e não nosso mal, que nunca entidades de luz irão atrasar a vida de alguém... e q se ela recebeu o convite para entrar de médium no terreiro que ela ouviu isso, que era para ela ver se o que ela pensava condizia com as regras do terreiro, se havia identificação e que a escolha dela pela Umbanda e por trabalhar em gira deveria acontecer pelo amor, claro que já sabendo da responsabilidade dessa escolha, mas que se ela fizesse por obrigação e medo, poderia se tornar um peso p/ ela e a 'coisa' não dar certo, mas q se a escolha fosse feita por amor, de todo coração, seria uma alegria. Q eu achava q tudo q é feito sem amor e sem alegria não faz bem p/ gente e consequentemente p/ quem está à nossa volta e a quem nos ama... e que o "povo" do mundo espiritual nos quer bem e feliz.
    Respondi muito errado????
    Beijinhos e obrigadinha!!!

    ResponderExcluir
  18. Sempre senti que nao "iria pra frente", se nao desenvolvesse minha mediunidade. Nao no sentido material, mas como pessoa, como um ser que gostaria de alguma forma contribuir com um quinhaozinho de amor, para a humanidade. So nao sabia como, nem me sentia capaz, pois nao conseguia sequer resolver dentro de mim, quem eu era.
    Quando começei a ter conhecimento sobre a Umbanda,era medrosa e sem confiança. Era muito atacada espiritualmente, por causa do espaço que eu permitia e criava para tal.
    Se tivesse encontrado nesta epoca, pessoas ilicitas quanto à espiritualidade,aproveitadores da dor alheia, estaria em maus lençois...
    Desejo de todo coraçao que as pessoas que se encontram nesta procura espiritual, tenham tranquilidade suficiente e clareza para bem escolher os seus guias, gurus, mestres...sei la como chamar estes homens e mulheres especiais, encarnados na terra, que cumprem bem sua missao de direcionar rebanhos, acima dos seus interesses pessoais.
    Eu chamo de Painho!
    (acordei inspirada hoje, viu coroa!rsrsrsrs)

    ResponderExcluir
  19. Luna, é dificil saber até que ponto um sentimento de orgulho por trabalhar bem pode ser considerado o pecado da vaidade. Mais uma vez vou ficar com o Pai Maneco, o meu velho angolano que não se cansa de me ensinar: "vaidade é julgar os outros"... FMG

    ResponderExcluir
  20. Luna, o banho de erva deve ser como nós aprendemos, porque eu não sei explicar diferente. São rituais que aprendemos e não nos tras nenhuma diferença tentar muda-los. FMG

    ResponderExcluir
  21. Luna, eu entendo que as pessoas nascem com uma carga mediunica adquirida em outras vidas e às vezes são conhecidas de outras entidades que nos revelam essas situações. Mas são só situações que não vão modificar em nada. Nascer com a coroa, entendo que seja um espirito missionario que veio com a finalidade de usar sua mediunidade na constgrução de coisas da religião. FMG

    ResponderExcluir
  22. Andréa, o médium só recebe entidades fora do terreiro desde que permita que isso aconteça ou porque está sob o jugo de um obsessor. No primeiro caso só deve permitir em caso excepcional para atender uma emergencia. No segundo caso deve procurar um terreiro para equilibrar sua mediunidade. Fora disso ou é mentira ou puro exibicionismo. A entidade só deve se manifestar para prestar a caridade. FMG

    ResponderExcluir
  23. Andressa, o que acontece com tua mãe é uma vontade. Acho que ela pode aprender a lidar com sua mediunidade sem ter a necessidade de estar desenvolvendo no terreiro. Um dia, no futuro, as pessoas não precisarão mais ir em terreiros ou centros espiritas para aprender a falar com o mundo espiritual. Isso será rotina dentro da humanidade. FMG

    ResponderExcluir
  24. Denise, vc respondeu certo, mas quero acrescentar uma posição. Ninguém, absolutamente ninguém, precisa ou tem que ficar presa a um terreiro. O livre arbitrio existe e a pessoa pode deixar de participar da corrente que nada de ruim vai lhe acontecer. Muita gente no terreiro deixa de participar da corrente e ainda continuam, vez ou outra, a assistir uma gira, atgé mesmo para tomnar uma vibração. A umbanda é amor, alegria, caridade e só coisas boas. Quem diz o contrário não sabe o que diz. FMG

    ResponderExcluir
  25. Aline, vc é um exemplo do que acabei de falar para a Denise e a Andressa. vc é umbandistas, não frequenta assiduamente um terreiro, mas pratica aí, em Salvador, o exercicio do livre arbitrio de poder desenvolever suas aptidões mediunicas sem ficar presa aos horrores de regras ameaçadoras. FMG

    ResponderExcluir
  26. Preciso postar mais sobre este tema.
    Ja aproveitando que o blog é muito visitado, importante relatar para os que estao buscando a espiritualidade, ou melhor, o seu caminho pessoal para o encontro espiritual; que tenham muito cuidado.
    Nao vao com sede ao pote. O seu momento vai chegar, ja que estao buscando. O seu caminho especial para chegar ao seu intimo ja esta traçado.
    Cuidado para na pressa, nao se atropelar, nao topar no caminho com os "falsos profetas", nao importando a religiao ou seita.
    Digo isso por experiencia propria. Como no meu intimo, buscava uma religiao que tratasse com os espiritos, foi a estes lugares que percorri, mas poderia ter sido outros e na minha ansiedade...
    Bom, o fato é que paguei um preço alto, literalmente falando. Encontrei de tudo: paguei em dinheiro, em energia, em esperança... e ja estava cansada de ser explorada quando encontrei a Umbanda. Tao cansada que nao acreditava que pudesse ser diferente, mas encontrei no meu caminho dois amigos, filhos do Terreiro do Pai Maneco, o primeiro, me deu o suporte e renovei minha esperança. E o segundo, com seu jeito engraçado e sua fé à flor da pele, me incitou a curiosidade de buscar.
    Graças a Oxala, acreditei nos meninos, encontrei o apoio do que hoje em dia é o meu pai de santo, e agora é somente comigo mesma, continuar caminhando!
    Na minha opniao o mais importante é saber o que se esta buscando e em segundo lugar ter lucidez para observar quem seguir. Depois é se entregar e estudar muito e sempre, para aprender a ser um bom medium... é este caminho que estou tentando trilhar.

    ResponderExcluir
  27. Aproveitando da sua resposta para mim Painho, vou escrever mais um pouquinho.
    Concordo. Nao precisamos necessariamente incorporar(adoro incorporar!!!!) para desenvolvermos a mediunidade, a percepçao e o amor às pessoas. Basta praticar a caridade, nas coisas mais simples da vida e ja estamos em contacto com os guias de luz. Chamar por eles e andar corretamente tambem ajuda.
    Nao precisamos ser "mediuns desenvolvidos", para irmos para frente, num sentido material, para tanto, basta trabalhar duro e sermos honestos.
    Podemos ter o nosso Terreiro como ponto de referencia e amor, e no entanto, se a vida nao nos deu a oportunidade ( como eu) de tê-lo na mesma cidade onde habitamos, ou algo parecido, é importante criar uma forma de mantê-lo proximo. Eu criei mentalmente, um cordao longo e forte, de ligaçao.
    Com este " cordao mental", me mantenho junto e participativa, e de vez em quando "puxo a linha" (pego um aviao, claro!) e chego ate Curitiba para renovar as forças e matar a saudade. Neste refugio que encontrei para driblar a distancia (meu cordao magico), tenho todo o apoio e amor das entidades do Terreiro e tambem do meu pai de santo, que é minha fonte de ligaçao com tudo.
    Sonhos e intuiçao, carinho e afago, colo nos momentos de tristeza...tenho tudo que preciso encontrar para meu desenvolvimento da parte das entidades e tenho a internet para receber o suporte e informaçao do meu pai de santo. Mas uma coisa nao posso negar: Eta saudade do Terreirao, gente! Que saudade de dar uns beijos na careca do coroa!... Mas tiro a desforra quando chego ai!
    Sarava a todos!

    ResponderExcluir
  28. É complicado...me disseram a vida td q quem entra não pode sair pq a vida "desanda", q se vc é medium, então vc tem q desenvolver ou não vai pra frente...nunca acreditei, e não desenvolvia, mas eu tive mts problemas sim, sofria ataques, visões, ouvia mt coisa (ainda ouço), depois q eu comessei a desenvolver td isso melhorou, em especial os "ataques espirituais", hj eu amo a Umbanda, mas devo confessar q entrei por livre e espontanea pressão, não de dirigentes nem entidades...mas dos amigos, eu já tinha aprendido a gostar, mas não me sentia preparada, dae eu queria saber, o fato de eu ter entrado por pressão gera prejuizos ao meu desenvolvimento?

    ResponderExcluir
  29. Perguntas sobre Umbanda...Pai Fernando, existem casos dentro da espiritualidade que ainda não consegui entender...Teve um tópico que falei sobre crianças nas religiões, que não concordava. Mas digo crianças abaixo de 10 anos.
    Não acho que uma criança com tão pouca idade poderia ter a responsabilidade de uma religião relacionada a espíritos.
    Então lhe pergunto, se a própria espiritualidade tem o seu tempo para se apresentar e ser exercida o porque de bebês ou crianças terem que entrar na religião com tão pouca idade? Crianças que deitam para o santo até com suas mamadeiras ao lado! O senhor sabe do que estou falando...Mas sem nos vincular com determinada religião, o senhor poderia me dar uma breve explicação sobre o pra que essas coisas acontecem?
    Abços.

    ResponderExcluir
  30. Isamara:
    Toda pessoa que tem a manifestação da mediunidade descontrolada, obviamente passa por dissabores. O que insisto é que se a pessoa entrar na gira a mediunidade se controla,o que aconteceu com vc. Mas se vc não quisesse entrar na gira e procurasse a ajuda de um terreiro vc chegaria no mesmo resultado sem precisar entrar na gira. FMG

    ResponderExcluir
  31. Olá, gostaria de saber quais são os meus guias nas diversas linhas da umbanda. Estou em desenvolvimento e já sei que tenho ogum beira-mar, cabloco e exu arranca toco. E nas outras linhas: baiano, preto velho, erê etc...
    Obrigado e q nosso pai Oxalá abençoe a todos nós.

    ResponderExcluir
  32. Essa sua resposta Paizinho me esclareceu tudo...
    Tira aquela responsabilidade em cima de médiuns q começaram a desenvolver e que por qualquer motivo tenham interrompido o desenvolvimento...

    "Mas se vc não quisesse entrar na gira e procurasse a ajuda de um terreiro vc chegaria no mesmo resultado sem precisar entrar na gira. FMG"

    Mas minha mãe vai voltar sim ao desenvolvimento... ela quer muito, e agora ela já está bem melhor de saúde...

    Agora posso dar essa resposta a qualquer pessoa q venha a me questionar sobre mediunidade e desenvolvimento...

    Bjos a todos
    Andressa Matos

    ResponderExcluir
  33. Lendo oq a Isamara falou, lembrei das vezes que aos prantos chegava como consulente no terreiro do Pai Maneco, não digo que oq eu tinha era ataques mas era algo diferente do normal e quase sempre o diferente assusta né, eu via, escutava, sentia e as vezes incorporava isso com 9 anos,tive a presença de uma criança da qual acho que sem querer me assustava muito com suas brincadeiras,tive a presença de um senhor do qual sempre que via era na mesma posição do mesmo jeitinho... mas sempre que as coisas apertavam rs eu corria pedir ajuda ao Pai Fernando que com paciência e tbm nos trancos pois eu era muito nova rs me ensinou que eu era dona do meu corpo e só incorporava se eu deixase.
    E assim foi me ajudando e veja eu era consulente logico que seria bem mais facil eu ser da corrente mais como eu não queria ele foi me ensinando a dominar a incorporação a entender oq era apenas vibração e não que o espirito estivese sempre para incorporar.
    Chorava muito pois eu sentia muita vibração era meio descontrolada e cada vez que eu ia eu sai melhor, e assim foi passando os anos e so entrei com 22 anos então veja como podemos controlar e ser ajudado tbm de fora.

    ResponderExcluir
  34. E sobre o que o senhor falou sobre entrar na gira a mediunidade se controla,isso assino em baixo pois quantas e quantas vezes eu consulente chegava na entrada da casa e ja incorporava até a Lucilia dizia deixa essa já é da casa rs. Ai quando entrei na gira lembro que não senti aquele embrulho todo aquela vibração incontrolavel, cheguei a pensar meu Deus entrei e agora não incorporo mais rs, fui falar com a Mãe Ritinha sobre isso e ela disse que era normal pois ali estava envolta com a corrente e dividia com a corrente a energia, fiquei impressionada com a diferença... aaa se eu soubesse que era assim rs.

    Monique

    ResponderExcluir
  35. Sou testemunha viva disso. Assino em baixo deste comentario do Seo Fernando.
    abracos
    Sidney Oliveira

    ResponderExcluir
  36. Andréa Destefani22 de maio de 2009 14:41

    Pai Fernando gostaria de deixar meu depoimento sobre o desenrolar de minha mediunidade. Aos doze anos tive meu primeiro encontro sério dom entidades de pouca luz, que me trouxeram problemas sérios,mas com o auxílio de meus protetores consegui superar. Aos dezessete, fui à praia onde me hospedei em uma casa com vários amigos, por tres dias. A casa tinha uma energia muitissimo forte e negativa e algumas pessoas incorporaram lá. Uma delas, que estava incorporada com um ere me chamou e pediu pra eu cuidar do cavalo dela e resolver toda a situação. Olha Pai Fernando eu nem sabia o que era Umbanda e falava praquela criança que eu tinha medo de cavalos portanto não poderia nem chegar perto de um quanto mais cuidar. Aconteceram coisas incríveis ali e eu fui a única a não incorporar e a resolver toda a situação com o auxílio de uma entidade que falava claramente em meus ouvidos. Mais tarde descobri que naquela casa haviam ocorrido assassinatos brutais.Contei tudo isto pra dizer que mesmo não sabendo o que é umbanda, o que é um "cavalo" e apesar de eu estar sentindo muita vibração não incorporei, apesar disto as entidades ajudaram e muito.
    A incorporação fora do terreiro deve ser como o sr. falou em caso de muita emergência e acontece sempre com a nossa anuência, mesmo que não tenhamos conhecimento. Do meu primeiro contato até eu ingressar num terreiro passaram-se 26 anos e confesso que todos os problemas que tive nesta vida foram decorrentes de falta de entendimento e experiência de vida, além de teimosia(e não foram poucos).
    Tenho uma opinião pessoal: a gente não paga nada como médium, nem está resgatando nada cármico. Eu me sinto como médium atuante uma "recebedora". Recebo no benefício de ser intermediária entre as entidades e as pessoas. Sou feliz com isso e me acho até agraciada demais.
    Tenho uma pergunta a lhe fazer: a mediunidade é um dom do espírito, mas a pessoa que se determina a vir e cumprir uma missão na umbanda, por exemplo, escolhe uma família genéticamente compatível com o trabalho a ser desenvolvido? A minha pergunta se deve ao fato de que vários parentes meus tinham uma mediunidade grande mesmo, mas que atuavam em outras religiões. Continuo sendo uma médium do tipo perguntadeira. Axé a todos!

    ResponderExcluir
  37. Pai Fernando, falar em caridade, esses dias conversando me surgiu uma dúvida... os amalás, são para homenagear as entidades, devem ser feitos com um propósito, certo? Mas, se a gente pegar um $, comprar os ingredientes do amalá mas ao invés de entregar p/ a entidade fazer em forma de doação a pessoas carentes teria o mesmo "efeito"? Seria errado fazer dessa forma????

    ResponderExcluir
  38. Oi Andreia obrigada pelo comentário. Acho que é por isso que tenho tanta dificuldade de incorporar. Fico sempre me julgando "será que é meu será que não"?! Mas adoro a gira , faço a minha parte e me renovo sem incorporar,. Procuro me concentrar na vibração da corrente e ajudar da minha maneira. Conversei com uma entidade e ela me pediu calma, que td chegaria ao seu tempo, e da melhor maneira.

    ResponderExcluir
  39. Pai Fernando
    Obrigada pela resposta. Fico feliz por sua vontade de esclarecer seus filhos e adpetos (rsrs)Já tive oportunidades de conversar com esssas entidades a qual lhe comentei, mas senti um "vazio" de respostas. não pela entidade mas acho pelo médium que não dá instrumentos de conhecimentos , assim a comunicação seria mais limpa e sem tanta interferência do médium.
    Mas sei que sou muita questionadora Pai Fernando , o que vem a me irritar as vezes. Mas calma que estou aprendendo e me educando.
    Saravá

    ResponderExcluir
  40. Pai Fernando , queria tirar uma duvida ....existe orixá de trabalho ? por ex eu sou filho de Ogum mas no obi saiu Oxossi e Oxossi vai ser meu orixá de trabalho mas o meu pai de cabeça é Ogum. Tem como isso acontecer ?

    ResponderExcluir
  41. Luna, de principio eu também não gosto. Não posso dizer que é ruim ou a criança fica mal, mas sou daqueles que defende que a religião deve ser dividida com a familia, os estudos ou trabalho, inclusive o prazer. Acho que isso exige muito da criança. Existe também uma situação muito complicada, quando uma criança recebe entidades no terreiro. Eu não sei lidar com isso, razãol que tenho serias restrições que elas participem das giras. FMG

    ResponderExcluir
  42. Ricardo, fico devendo essa. se eu falasse nomes das entidades nessas condições, acho que iria cair do descredito geral. Isso é um assunto que só vc e teus dirigentes podem resolver. FMG

    ResponderExcluir
  43. Andréa, acho que todas pessoas são médiuns e nem todas seguem a mesma religião. Para o desempenho de outras religiões também existe a manifestaçãi da mediunidade. Dificil dizer que um espirito missionário precise reencarnar em uma familia de médiuns. O que discordo de vc é que a mediunidade é uma forma de vc resgatar o carma. FMG

    ResponderExcluir
  44. Denise, isso não tem nenhum valor como amalá ou recompensa. Acho que essa é uma forma errada de querer enganar o santo.Brincadeira, mas não gosto de misturar as coisas. Amalá tem um objetivo que é a criação de um campo de força para atingir um resultado. Se vc pegar os ingredientes de um amalá e der para uma pessoa encarnada, não tem nada, absolutamente nada, com
    o ato do amalá. FMG

    ResponderExcluir
  45. Thiago, isso não pode acontecer. Se vc é Ogum não pode sair Oxossi. Agora,me conte porque vc jogou o Obi se vc é filho de Ogum? FMG

    ResponderExcluir
  46. Eita Aline sua história no início de conehcer a Umbanda é muito parecido com a minha.

    beiju

    ResponderExcluir
  47. Pai Fernando, acho que não expliquei direito meu pensamento, hehehe.... Assim, qdo fazemos um amalá o fazemos com um propósito, certo? Como o Sr disse criar um campo de força para atingir um resultado. Ficar fazendo amalá sem um objetivo, fazer por fazer, fazer de forma indiscriminada tb é errado, certo? Nesse caso, não seria muito mais correto dar a quem precisa que apenas fazer um amalá "por fazer"?
    Beijinhos e obrigadinha

    ResponderExcluir
  48. Denise, não enrole. Se não tem objetivo, não faça o amalá. Isso não tem nada com vc dar a quem precisa. FMG

    22 de Maio de 2009 21:56

    ResponderExcluir
  49. Yeeeeeeeeeeesssssssssssss!!! Obrigadíssima!!! :o))

    Beijinhos, Dê

    ResponderExcluir
  50. Falando em crianças na Umbanda, queria falar sobre a minha menina a Marina, ela tem 6 anos, e esse ano ela colocou o branco, e o fez pq ela quis assim, ela tem mediunidade bem evidente, ela ve claramente, deve escutar pq sempre pego ela conversando, questionando o "nada", tem uns sonhos q ufa...até comentei com o Sr o ultimo dela com um Caboclo de Ogum, até então desconhecido pra mim, e qnd ela tinha 4 anos eu comprei pra ela a pedido do Caboclo uma imagem do Sr 7 Flechas, q ela ama de forma mt intensa, ela descreve ele com mt clareza, acho até q ela tem mais fé q todos nós juntos aki em casa, ela acende a velinha dela, faz as orações, os pedidos...q nem gente grande rsrs, então, em um caso onde a criança tem a mediunidade mt aflorada não é melhor q ela esteja dentro da religião sendo de certa forma controlada e tbm protegida?
    Abraços
    Isamara

    ResponderExcluir
  51. Pai Fernando, boa noite.
    Existe algúm elemento na Umbanda que substitui a energia animal?

    ResponderExcluir
  52. Oi...Então, agora vou perguntar sobre os banhos.
    Os médiuns praticantes tem seu pai e sua mãe de cabeça. Existem banhos neutros, banhos de descarrego, positivos,banhos negativos etc... ( não sou conhecedora de ervas) Pode uma erva específica fazer mal a um médium devido seu pai ou mãe de cabeça?
    Ou mediante a energia que o médium possa estar um banho pode piorar?
    São duas perguntas...Obrigada!

    ResponderExcluir
  53. Isamara, confirmo tudo que falei antes, mas a preocupação é que ela comece a incorporar. Acho muito cedo para isso, mas tomem bastante cuidado para que isso não aconteça. FMG

    ResponderExcluir
  54. Luna, além da agua de coco que substitui o sangue, não conheço nada. Mas para que a energia animal na Umbanda? FMG

    ResponderExcluir
  55. Luna, vou confessar na frente de todo mundo. Não sei responder com segvurança sobre banhos de ervas. Usando o bom senso não vejo como o uso de uma erva possa prejudicar a energia do médium. Dizem alguns, acho que o WW.Mata e Silva, que o sal grosso como limpa pode também fixar energias. FMG

    ResponderExcluir
  56. Bom dia meu pai...Com relação a pergunta que fiz sobre a substituição do sangue, é só para conhecimento . Pode deixar que eu não sei fazer magia não. Não sou tão mandigueira assim... rsrsrsrsrsr
    Quem faz não sou eu e sim as entidades ;)
    Eu não sei de nada...Quem sabe são elas!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  57. Sim, com relação ao sal grosso concordo com o senhor...Muitas pessoas me perguntam isso. Mas o sal grosso não é igual ao sal da água do mar? Eu digo que não. Para se tomar um banho de sal grosso é necessário que se tome posteriormente um banho de ervas...Porque? Porque o banho de sal grosso limpa tudo. Mas deixa a pessoa sem energia. E a água do mar tem várias vertentes.
    A água do mar tem sal, mas está em movimento cosntante. Tem a terra que faz o trabalho de jogar as energias para o solo. E tem o sol que é um elemento importante para a recarga da energia. Por isso ficamos extremamente cansados ao chegar da praia. Porque recebemos uma carga de energia bem forte. Benéfica e natural...Tô errada meu pai Fernando?
    Axé

    ResponderExcluir
  58. Hum...Me veio uma idéia. Já que não sabemos muito sobre ervas e banhos bem que o senhor podia fazer futuramente um tópico sobre ervas e banhos. Ai cada blogueiro poderia colocar seus ensinamentos...;)
    Mas se não sem problemas! É bom aprender sobre...
    Bjs

    ResponderExcluir
  59. Andrea Destefani23 de maio de 2009 10:54

    Antes de entrar para umbanda sempre tivemos o costume de tomar banho de descarrego aqui em casa. Pelo simples motivo da sensação boa que o banho de ervas causa. Sempre usamos as ervas disponíveis aqui no sítio e sempre intuitivamente. Sempre gostei do banho com folhas de pitangueira e no TPM descobri o porquê. Sinceramente nos dias de gira também deixo me levar pela intuição e tomo o banho de ervas que eu julgar mais apropriado. Eu acredito no ritual do banho um processo muito importante. Desde a maceração das ervas com agua fria primeiro até a hora do banho propriamente dito que merece uma concentração especial e não somente a coisa mecânica. Em situações especiais, aprendi com o seo Beira mar um banho de descarrego diferente.Prepara-se para a pessoa um escalda pé com um tipo de erva.Após a pessoa ter deixado os pés de molho, enxugá-los e fazer uma massagem estimulando toda a planta dos pés pedindo que todo o mal que esteja na pessoa seja dissipado. Eu pessoalmente, me concentro melhor cantando,mentalmente,um ponto relativo a erva que estou usando. Seo Beira mar me disse que todos os pontos que são atingidos no banho de descarrego estão ali nos pés refletidos, e após pesquisa descobri ser verdade. É necessário que a pessoa que aplicou a massagem ,jogue a água fora com as ervas na terra,pedindo que todo o mal vá embora e logo depois deixe as mãos embaixo da água corrente da torneira.
    É ótimo pra pessoas com depressão, com angustia, cansaço excessivo e para crianças(os meus filhos as vezes fingem estar mal para receber uma massagem assim e ainda escolhem as ervasque querem). Todas em que fiz isto se sentiram muito aliviadas.
    Pai Fernando uma coisa que nunca consigo guardar na mente é o horário e as luas próprias pra colheita de ervas, o sr pode nos dizer?

    ResponderExcluir
  60. Andréa, na minguante a seiva está na raiz, por isso para a planta é melhor essa lua, mas para banho seria a crescente. Eu não sigo a lua para colher as ervas, porque gosto que elas sejam frescas e maceradas, por isspe a lua será aquela que eu vou tomar o banho. FMG

    ResponderExcluir
  61. Luna, banhos de ervas tem em todo site e vários livros. Prefiro falar nas nossas experiencias com os espiritos. FMG

    ResponderExcluir
  62. Andrea Destefani23 de maio de 2009 11:50

    Concordo plenamente com o sr.

    ResponderExcluir
  63. Assim como o sangue, o alcool ou o fumo podem ser substituidos por outros elementos que funcionam energeticamente de modo identico. Ou seja, se devidamente orientado pelo pai de santo, pode se ter qualquer gira sem a presença desses elementos, nao importando a entidade ou o objetivo dos trabalhos. É isso mesmo? Ou ha situacoes em que nao pode ser assim?
    grato
    Sidney Oliveira

    ResponderExcluir
  64. Sidney, o alcool tem dois obejetivos nos trabalhos: deixar o médium tonto para facilitar a incorporação e o de magia. O médium se teve um bom desenvolvimento não precisa se embriagar e para a magia a bebida por ficar no ponto e quando a entidade precisar para trabalhos espirituais ele pode pegar a sua essencia; quanto ao fumo eu acho um vicio fedorento e mortal. Não sei, pergunto e niunguém me explica porque o uso do fumo na Umbanda. Quero deixar claro que eu não interfiro no terreiro. Fuma quem quiser, só não pode circular com o charuto no meio do terreiro, isso em respeito aos doentes que lá vão buscar auxilio. FMG

    ResponderExcluir
  65. Pai Fernando, todas as entidades que ja me consultei sempre disseram que eu era filho de Ogum. Comecei a trabalhar em uma outra casa, jogaram meu Obi e disseram que eu era filho de Oxossi. Fiquei confuso e conversei com o pai de santo dizendo a ele que as próprias entidades que ele recebe afirmaram que eu era mesmo filho de Ogum e ele me respondeu que provavelmente Oxossi é o meu orixá de trabalho dizendo que não era necessário jogar o Obi novamente. Pode isso ter acontecido por falta de experiência do pai de santo em jogar Obi?! Poderá trazer complicações para o meu futuro? Qual é o verdadeira necessidade em saber exatamente qual é o nosso pai de cabeça?

    ResponderExcluir
  66. Pai Fernando, eu algumas duvidas sobre o alcool e o fumo tbm, das entidades q trabalho a unica q sempre pede um cigarro de palha é a Vó, já o Ogum, ele nunca fuma, mt raramente ele pede um charuto, e sempre usa pra alguma coisa e não chega a fumar inteiro, o Exu de vez em quando tbm faz isso, e ele tbm não bebe como a maioria, mas algumas vezes ele pede cachaça(e quase nunca dão pra ele pq o cavalo é novo), ele molha as mãos nela e da passe com as mãos assim, ou usa para alguma outra coisa mas não bebe, é normal essas coisas?

    ResponderExcluir
  67. Isamara, tudo que se relaciona com fumo e alcool na Umbanda é normal, emora eu não concorde. Acho que não tem necessidade de molhar a mão na cachaça. FMG

    ResponderExcluir
  68. gostaria de saber como participar do programa pois,preciso muito de voces sobre auxilio de doença .leila

    ResponderExcluir