Assine aqui para receber atualizações deste blog

terça-feira, 5 de maio de 2009

INCORPORAÇÕES

Pelo desenrolar das nossas conversações deu para notar que a maioria dos médiuns que estão no terreiro, de uma forma ou outra, não têm convicção de suas incorporações. Este é assunto muito vasto e se eu tomar a iniciativa de falar, o blog vai começar a ficar aborrecido, por isso estou convocando que vcs postem suas duvidas e dificuldades e eu vou procurar organizá-las dentro de um critério que todos devem tirar um bom proveito. Estou no aguardo. FMG

103 comentários:

  1. seo Fernando
    Discute-se muito sobre incorporacao consciente e inconsciente. Concordo que a maioria é consciente. Entendo isso como otimo, ainda mais quando se quer ter os pés no chao. Mas em que condicoes ela é inconsciente e quais os cuidados que requer?
    abracos
    Sidney

    ResponderExcluir
  2. Patricia Sabadin5 de maio de 2009 22:43

    Pai Fernando...
    se eu perguntar, vou começar a parecer chata.... heheheh
    Mas eu tenho dificuldade em deixar fluir a intuição que a entidade me passa. Tenho dificuldade em separar o meu pensamento do pensamento da entidade.

    ResponderExcluir
  3. Pai Fernando,

    Como falo bastante com o senhor e sempre que tive dúvidas o senhor prontamente me respondeu, vou fazer algumas perguntas repiditas " (que eu já te perguntei e já obtive as respostas)" mas que acho de grande valia assim eu mesma relembrarei oq por vezes esquecemos ou até mesmo por vicíos nos deixamos fazer, pode ser?
    As incorporações vão ficando mais sutil com o passar do tempo?
    Na incorporação com ondinas tem que vir elas no chão ou vem rodando por cima?
    Pq sentimos ansia de vomito e tontura as vezes que estamos incorporados?

    Monique

    ResponderExcluir
  4. Eu, que nunca incorporei, gostaria de saber como acontece.... já me falaram que a energia vem em espiral e por isso o médium gira... outros que não é a entidade que derruba e sim o médium que não tem a firmeza p/ dar conta da energia e por isso cai. Mas algumas vezes, para mim q olho, parece ser um processo de grande sofrimento. Como acontece?

    Beijinhos e obrigada

    ResponderExcluir
  5. Pai Fernando, essa ideia é magnifica e salutar.

    Quando recebo o espirito do Caboclo de Ogum que ainda não sei o nome, mesmo sentindo uma força vibratoria incrível, me parece que ele ( ou eu ) ainda estamos em " desenvolvimento na sincronia ".
    Como normalmente ele só vem qdo tocam pontos de Ogum Beira Mar, eu pergunto : esse caboclo tem alguma diferença no desenvolver, por ser de Ogum, que é meu Pai de Cabeça para o outro de Oxossi que estou acostumado a trabalhar,e que se apresentou com mais facilidade na sequencia, vibração / passes / consulta ?

    Espero me fazer entender...

    Saravá !!!

    ResponderExcluir
  6. Tambem tenho curiosidade em saber pq algumas pessoas incorporam e ficam bastante tempo incorporadas e com outros as entidades ficam num "sobe e desce". Mais beijinhos e obrigada.

    ResponderExcluir
  7. Sidney, médiuns inconscientes, aqueles que quando a entidade incorpora e o mental do médium apaga completamente, apesar de raros, claro que existem. De uma forma geral, médium assim normalmente se deve cuidar apenas quando recebe entidade de baixa vibração, porque os guias, ao contrário, têm muito mais liberdade de trabalhar. Existem outros tipos de manifestações que apagam nosso mental, mas alguns em momentos durante a manifestação da entidade. Os espíritos também, quando eles querem, apagam da cabeça do médium a mensagem. Alguns cavalos da Umbanda pensam que são inconscientes porque bebem demais e a cabeça fica atordoada, muito embora isso não fique visível pelo cuidado que a entidade tem em mantê-lo firme. O que eu não me conforme é que tem dirigente que se diz inconsciente para que os seus filhos de corrente contem seus problemas com liberdade. Uma vez um médium me procurou e confessou-me um erro que cometeu e falou que contou para mim porque estava com vergonha de encarar o Caboclo Akuan. Senti grande alegria, afinal o médium confiou em mim e respeitou a entidade. Porque então eu mentiria? FMG

    ResponderExcluir
  8. Pai Fernando,
    Pode ser uma pergunta boba, mas surgiu uma dúvida.
    Porque um Exu não pode andar com a mão para trás se um Preto Velho pode andar arqueado?
    Normalmente eu não sei pq a mão está para trás, é como uma ação involuntária, não só para Exu como para qualquer outra incorporação.
    saudações..
    Se Ogum bate no peito, Iansã representa o movimento dos ventos utilizando as mãos, caboclos de Xangô batem com as mãos representando as pedras, pq um Exu não pode andar com mão para trás?

    ResponderExcluir
  9. Patrícia, pelo que temos conversado vc recebe as entidades e não conversa com ninguém. Vc tem que receber a entidade, sentar e conversar com alguém, mesmo que seja um irmão de corrente. Só assim é que vc vai parar de pensar no que o espírito está transmitindo intuitivamente. Intuição acontece, e não se esqueça que não é só dessa forma que a entidade incorporada fala, ao contrario, ela assume o comando do mental do médium. Provavelmente isso não está acontecendo. Acho que vc tem que cobrar dos teus dirigentes essa atenção para teus problemas da mediunidade. Outra coisa, perca a vergonha de cobrar pelo que vc busca e tem direito e de ficar constrangida de postar no blog. Acho que todos nós estamos aprendendo, inclusive eu. FMG

    ResponderExcluir
  10. Monique, a medida que as vibrações do médium e da entidade vão se ajustando os choques da incorporação diminuem. As entidades femininas da linha de Iemanjá às vezes vêm rolando no terreiro apenas para limpar eventuais vibrações deixadas pelas pessoas que transitaram ali. Oxum já é diferente, não deita, pode sentar e fazer lamentos como se fosse choro, isso para fazerem limpezas no ambiente. Iansã vem vibrando bastante porque elas levam os espíritos que necessitam de ajuda através de suas energias e vibrações. Talvez a sensação do vomito e tontura seja pela perda de ectoplasma, o que não devia acontecer. FMG

    ResponderExcluir
  11. Denise, existem várias técnicas para uma incorporação, desde fechar os olhos e tentar concentrar, ou de olhos abertos e fixar um ponto distante para relaxar a concentração, e a mais simples que é ficar tonto. Por isso é que os médiuns ficam rodando. Eu acho que, ao invés de rodar, o médium fizer uma respiração rápida pelo nariz, a falta de oxigênio provocará uma tontura no médium, facilitando a incorporação da entidade. A finalidade é para que médium enquanto estiver tonto não pense em nada libertando o seu mental. FMG

    ResponderExcluir
  12. Mauro, algumas pequenas observações devem ser feitas para chegarmos a uma conclusão. A impressão que tenho é que o Caboclo de Ogum está incorporando só para vibrar e entrar em vibração com vc. Acho que, como no caso da Patrícia, vc deve tentar acalmar essa 3ª energia, talvez provocada pela tua ansiedade ou costume de ser assim. Pare, olhe para os lados, converse com alguém,q que vcs vão relaxando. Ogum é Ogum, oq eu trabalha na linha do mar não precisa ficar esperando o ponto do seu Beira Mar. Por vc ser filho de Ogum ele é o teu pai de cabeça. O Caboclo de Oxossi não é da linha de Ogum. Gostaria ainda que vc desse o nome do Caboclo de Oxossi. FMG

    ResponderExcluir
  13. Bom dia Pai Fernando!!!
    Sempre acompanho seu blog, mas nunca participei, porem hj com o tema me veio uma duvida: sou nova no terreito, jah sinto bastante vibração em quase tds as linhas, mas em algumas fico mt na duvida, sobre pensamentos, atos, jeito de falar... Sei que isso e pq estou no começo, mas por essa duvida, na primeira parte seguro a vibração por estar insegura e não dou passagem a ogum! Ja nas outras linhas é mais tranquilo... O q o Sr. aconselha???

    Keila

    ResponderExcluir
  14. Pai Fernando,

    O Ogum com que trabalho não é de ficar parado ele fica circulando pelo meio e tbm para na frente das portas, nas laterais, parece que ele faz uma sequencia é para circular a energia???
    Tbm noto que ele é de falar bem pouco ou quase nada, da o passe e se afasta fica apenas olhando.
    É assim mesmo que Ogum trabalha??? eles são meio bravos??? meio fechados???

    Monique

    ResponderExcluir
  15. Pai Fernando,
    todo médium que incorpora (e que é comprometido com seu próprio desenvolvimento) vai um dia estar preparado para receber uma entidade permitindo que ela se identifique, risque ponto, e converse, ainda que não dê consultas? O que é necessário para que isso aconteça?

    Andrea Aprigio

    ResponderExcluir
  16. Denise, isso é real e constante em nosso terreiro e imagino que em qualquer um. Sem nenhuma duvida é porque o médium se desliga da entidade e fica, vamos dizer, sem conexão, muito embora a entidade ainda esteja ali. Acho que um entendimento errôneo que as entidades disputam médiuns ou que um tomou a frente do outro não é valida, por entender que nós médiuns somos muito pequenos para que sejamos objeto de disputa de entidades de luz. Essa é uma questão que ponho de lado. Não posso negar, entretanto, que algumas entidades para por ordem ou chamar a atenção para que isso aconteça, às vezes têm esse procedimento. Esse vem e vai não existira se os médiuns tivessem como ordem que a entidade só pode descer quando é cantado o ponto de chamada e só pode subir quando ouvir o ponto de subida das entidades. Isso é simples, simples demais para a Umbanda...FMG

    ResponderExcluir
  17. Keila, seja bem-vinda no blog.Que venha o Ogum e deixe o resto por conta dele. Acho que vc é da gira do Pai Jussaro. Se for, ele é aberto. Converse com ele.FMG

    ResponderExcluir
  18. Pai Fernando vou tentar me soltar mais.. Deixar vir...
    Sou de terça sim... O Pai Jussaro é maravilhoso, mas por conta da correria da gira as vezes é dificil, mas na proxima converso com ele!!!
    Obrigada Pai Fernando!!!
    O blog esta otimo!!!!!

    ResponderExcluir
  19. Boa tarde pai Fernando!
    Boa tarde a todos!!!
    Então, com relação a pergunta da Marcele. Ela não está errada em dizer o trejeito da entidade.
    No texto que o senhor colocou no site sobre Chakras e Umbanda fala desses trejeitos.
    Agora me veio uma dúvida. Se a entidade tem cada uma um esteriótipo para ela ser reconhecida como tal. Porque a maioria dos Exus vem com essa mão para trás? Já escutei falar que Exú seria subordinado aos Orixás, ou até mesmo usam a palavra escravo do orixá. Ok! Mas mesmo com essa explicação não haveria necessidade dele vir com as mãos para trás, feito acorrentado...
    Ainda não me derem nenhuma explicação palpável e consistente com relação a isso. Seria um esteriótipo que a linha criou com o tempo ou teria uma outra explicação?
    Obrigada meu pai.

    ResponderExcluir
  20. Oi..." O que eu não me conformo é que tem dirigente que se diz inconsciente para que os seus filhos de corrente contem seus problemas com liberdade." FMG

    Pai Fernando adorei sua transparência...Infelizmente hoje em dia muitos, mas muitos dirigentes ou pais santo falam que são inconsciente. E muitos médiuns dizem a mesma coisa...Eu particularmente sou consciente, se derem um beliscão em mim incorporada sentirei claro! Mas é certo que a entidade leva quase toda ( eu disse quase) a informação dada numa consulta.
    E com isso o médium terá que ter sobre tudo uma ética e o silêncio do que escuta numa consulta.
    Axé.

    ResponderExcluir
  21. Pai Fernando por que o senhor fala " cavalo de Umbanda"?
    Bjs

    ResponderExcluir
  22. Pai Fernando,

    O Caboclo ao qual trabalho há 4 anos, é o Caboclo Flecheiro,que se apresentou, e riscou ponto.

    Não fico ansioso com a incorporação, rs...atribuo a inexperiência ( afinal trabalho em terreiro apenas 5 anos ) e/ou aos momentos que esse espirito vem ( o caboclo de Ogum ) são poucos, porque só vibro com ele se bater pontos de Ogum. Mas sinto mais "força " qdo bate pra seu Beira-mar.

    Minha duvida persiste pois eu não sabia que poderia ter mais de um caboclo. Mas o Sr. ja me explicou isso em um email. Então aprendi que eu nao estava sentindo vibração de Orixa, o que eu achava que era. Portanto, ´pensei que tivesse algo de diferente nesse caboclo que é o Pai de Cabeça. Obrigado pela ajuda Pai Fernando.

    Saravá !!

    ResponderExcluir
  23. Pai Fernando, tenho muitas dúvidas ainda sobe as incorporações em geral mas ultimamente o que anda me intrigando são as incorporações de trevosos, quiumbas,enfim esses espíritos de pouca luz.
    Porque alguns médiuns recebem mais que outros?
    Reparo que uns são mais propensos que outros.
    Outra dúvida é como fazer para não sentir tanto a angústia,solidão,o vazio, o desespero e até mesmo o medo que eles sentem após a desencorporação? Pois confesso que algumas vezes fiquei muito impressionada com o que senti.
    Daniela Fernandes

    ResponderExcluir
  24. Marcele:
    Vamos ter que explicar bem a tua pergunta. O Preto Velho trás para o terreiro o cascão de sua encarnação como preto. Com a criação da linha dos Pretos Velhos, obviamente que eles têm que trabalhar dessa forma. Além disso, quando o médium recebe uma entidade dessa linha as energias entram pelo chacra localizado na base da coluna, fazendo que ele fique arcado. Pretos que não tinham esse problema em vida material, como no caso o Pai Maneco, eles ficam eretos. Apesar de serem Pretos Velho, muito deles que trabalham nessa linha são jovens.Um caso típico é o do Tio Tonho de Angola, que desencarnou moço. Os Oguns são assim mesmo. Batem no peito, têm gestos austeros, além de ficarem andando no terreiro. Não gostam de dar consultas e são carrancudos. Isso faz parte da linha dos Oguns. Iansã e Xangô vc já falou. Quanto aos Exus é um caso diferente. Andar com as mãos atrás, viradas e andando mancos ou quase se arrastando,vc não vai acreditar: é que esse médiuns que andam assim, dizem que eles não nem mãos e nem pés, porque são patas de bode. Sem rimar, pode? O que nós podemos fazer senão lutar e lutar para que as coisas na Umbanda tomem um rumo certo. Aliás, gostei da tua pergunta. FMG

    ResponderExcluir
  25. Luna, falei do exu manco na resposta para a Marcele. FMG

    ResponderExcluir
  26. Luna, o médium de Umbanda é conhecido por "cavalo" porque a entidade monta nele,o que diferencia da linha do espiritismo tradicional que têm atuação no mental. FMG

    ResponderExcluir
  27. Mauro, como vc disse que existe ligação do Ogum com Oxossi, experimente para ver se o teu Ogum não é seu Rompe Mato, o Caboclo de Oxossi que cruza na linha de Ogum. Só para teste. FMG

    ResponderExcluir
  28. Daniele:
    Receber entidades de pouca luz, mesmo trevosos como grosseiramente chamamos, é muito bom porque eles sobem as nossas energias ruins e que são afins deles vão junto. Realmente alguns médiuns têm uma tendência a receber essas entidades. Talvez pelo tipo de mediunidade. Essas sensações que vc disse sentir e deixadas pelas entidades não está certo. Como vc pertence a gira que eu dirijo eu vou organizar isso para vc. Mas não vamos perdoar ninguém não. Será que as entidades estão subindo com orientação das entidades e cuidadas pelos dirigentes, ou vc está incorporada e logo não está mais. FMG

    ResponderExcluir
  29. Por coincidencia,nesta terça tivemos desenvolvimento e a Mãe Rita trabalhou com os caboclos de Oxossi,Ogum e Xango, explicando cada um, suas diferenças, como eles trabalham,perguntando o que nós sentimos, qual a nossa impressão, etc...disse q os Oguns de fato não são muito de conversar, são sérios e não são de ficar parados, tendem a deixar nosso corpo ereto, os Cab. de Oxossi são mais soltos, mais alegres, gostam de falar e os Cab. de Xango vem, trabalham e sobem, são objetivos...bom, foi mais ou menos isso, ela falou muito mais coisas, explicou de maneira bem clara, mas acho q vai ficar muito grande o comentario..rs

    ResponderExcluir
  30. Pai Fernando, em outro terreiro que participei a alguns anos atrás, éramos em 7 médiuns. A mãe de santo nos colocava para girar e nenhum dos médiuns nunca incorporou. Me explicaram que acontecia pq ela 'bloqueava' a incorporação, ela chamava mas só 'permitia' q encostasse e ñ incorporasse. Pode ser isso mesmo? Lendo no site do TPM o Sr. fala da 3ª energia, hoje em dia acredito que o que acontecia era que essa terceira energia não era formada da maneira correta. Para essa formação ser correta o que é preciso além da concentração e entrega? Obrigada, beijinhos...

    ResponderExcluir
  31. Pai Fernando, ultimamente tenho tido uma e outra experiência com espíritos de pouca luz. Na primeira vez estranhei bastante, a diferença é gritante e como era a primeira vez, minha ficha demorou uma pouco pra cair. Agora, na última vez, ao invéz de ficar no chão como os outros ficaram, esse me curvou inteira. Uma energia mto estranha, pesada. Mas qdo ele "foi embora" um capitão mandou eu bater cabeça. Achei estranho pois pra esse tipo de espírito, até onde sei, não se bate cabeça e por via das dúvidas, não o fiz.
    Errei no que fiz??

    ResponderExcluir
  32. Denise, nós não podemos programar a mediunidade. Ela vai acontecendo. O importante é estar com vontade que ela evolua. Tenha calma que vc vai receber as entidades normalmente. Processo é esse que estamos falando aqui e ali nas postagens do blog. Fique concentrada, esperando a aproximação da entidade. Não se esqueça que vc., como todos nós, somos médiuns e a espiritualidade nos quer de forma ativa. FMG

    ResponderExcluir
  33. Oi Pai Fernando... eu tenho calma... ADOREI cambonear na minha primeira gira, se puder fico nessa aprendendo por muito tempo. Sou curiosa e ansiosa em aprender.. mas tb não sou tão afoita qto pareço!! rsrsrsrs... É q é ótimo perguntar, já li tds as orientações que tem no site.
    Aproveito para perguntar sobre os cambonos, penso que estar de cambono é um grande aprendizado e um grande privilégio e que estar ali também ajuda a desenvolver a mediunidade e entender melhor os procedimentos, mas temos a liberdade de fazer perguntas? Como podemos ser cambonos, perguntar, aprender, sem atrapalhar as entidades?
    Hum... acho que essa pergunta não é ideal p/ esse tópico, desculpinha!!!
    Beijinhos e obrigada...

    ResponderExcluir
  34. Boa Noite, Pai Fernando,
    1) Quando iniciei no espiritismo tinha incorporações inconscientes, apagava completamente, isto na minha adolescência.
    Passados muitos anos, com meu retorno, após algumas conversas com o Pai Beco, ele me convenceu que a incorporação consciente traria um aprendizado maior. Das incorporações que ocorrem comigo, algumas coisas me lembro (boa parte). Contudo, creio que estou no retorno gradual às incorporações inconscientes.

    2) Uma coisa que estou estudando é a questão do animismo nas incorporações, Hermínio Miranda entende que o espírito incorporado utiliza-se dos conhecimentos do médium e assim toda incorporação teria a parte anímica no processo de transmissão das mensagens, inclusive vai além, dizendo que são utilizadas zonas mentais das vidas passadas do médium, não acessadas por ele, mas somente pelos espíritos comunicantes.
    Qual a orientação/opinião do Senhor?
    Muito Obrigado!

    ResponderExcluir
  35. Então pai Fernando...As vêzes fico pensando que as pessoas ficam muito preocupadas com animismo. Eu não me preocupo com isso. Não me lembro de ter me preocupado um dia. Mas claro que inseguranças acontecem na caminhada da mediunidade...E muitas!
    Com relação ao animismo.Já lí que o animismo faz parte do começo das incorporações e que é muito saudável.
    Que no começo da faculdade mediúnica o cérebro se prepara para jogar pra fora os "lixos" que acumulamos mentalmente , emocionalmente em nosso corpo fluídico. E consequentemente em nosso cérebro. Limpando - o pisiquicamente.
    O que o senhor acha disso?

    ResponderExcluir
  36. Olá Pai Fernando, fantástico este blog, um canal super importante para as pessoas poderem dividir, ganhar e alcaçar conhecimento. Vendo este tema senti vontade de compartilhar uma opinião sobre ele com o pouco que pude até agora aprender, quando conheci a umbanda a anos atrás assim como muitas pessoas me maravilhei, cresceu aos olhos, instigou meus limites e desafiou minhas crenças, era dificil entender como era possivel pessoas comuns, exercerem tal fenomeno de "trazer"um espirito junto a si e promover a interação entre dois planos distintos e fisicamente "separados". Após algum tempo observando e tentando entender, classificar, categorizar aquilo que eu presenciava, acabei chegando a um ponto sem explicações obvias e terrenas que comandavam meu racional, porém pela primeira vez tenha dado importância e vazão a uma força maior que todas as minhas "suposições científicas e filosóficas", dei ouvidos ao meu interior, ao meu coração. Ele me alimentava de bem estar, inexplicado, sem "lógica" , porem natural, confortante e confiável, estranho sentir isso, um sentimento confiável. Bom neste momento foi quando me entreguei (neste momento da minha vida, ao ilógico) e entrei neste lindo universo que a Umbanda consegue interpretar e nos levar a conhecer, no principio não sentia nem brisa nas costas, nem um arrepiozinho, para dizer que sentia a força que estava em volta, simplesmente nada, mas aquele bem estar ainda tomava conta de mim dentro do terreiro, com algum tempo tentaram de tudo, ponto, bater palma, quase me amarrar em um atabaque, e ....nada, mas o bem estar continuava e neste momento pude notar que vivia mais FELIZ. Foi então que pude perceber que estava entendendo um pouco sobre esta manifestação pura que é a Umbanda, entendi no momento que ela me propiciou de aquietar minha mente e aprender a ouvir o que existe a minha volta, que ela estava me curando de dentro para fora, engraçado isso, me sinto neste momento com a mesma sensação do meu primeiro momento em um terreiro, BEM. Mas voltando, entendi o primeiro "Milagre"que ela fizera, que foi em mim. Ouvi depois de algum tempo uma linda entidade me contar em suas sábias entre linhas a seguinte frase : "Pois então meu filho, todas as suas vontades e desejos podem fazer parte de sua vida e de seus motivos para caminhar para frente escolhendo para que lados decidirás em cada encruzilhada que passar, mas antes de andar, já descobriu aonde estás, quando entender o que existe dentro de você, poderás enxergar as pernas e assim comandar elas para andar para onde seu arbítrio comandar...", neste dia ganhei um dos muitos presentes que a Umbanda me deu, consegui me conhecer e entender um pouquinho o que estava fazendo e que podia encontrar o que existia de melhor de mim, e entender o que tinha de pior tbm. A partir deste momento comecei a entender que deveria “escutar”os sons e sentidos (isso mesmo sentidos, pois eles “falam”muito) que estavam a minha volta, que não foi fácil e ainda por vezes não é, mas tentar encontrá-los, senti-los e me unir a eles, seria o mesmo que em um rio com uma queda d’água sentar em uma pedra e colocar os pés na corrente, fechar os olhos e entender que também és feito de água, e abrir os sentidos para poder guardar dentro da mente aquela sensação fantástica, ou seja ser natural, participar de toda esta energia que existe a volta, e interagir com ela tentando achar onde nos encontramos dentro dela. Foi então que “comecei “( não sei se podemos definir assim mas fica mais fácil de entender ) a experimentar e viver uma “vida de médium, aparelho, cavalo” cada vez com uma surpresa maior, tive a chance de viver os “mistérios” envolvidos naquilo que um tempo atrás havia me encantado, comecei a sentir tudo aquilo que falavam, a força, os empurrões e todo o mais, porem algum tempo depois pude notar que existia naquela experiência algo muito maior, que é entender a essência daquela energia, daquela sabedoria, daquelas emoções, daquela memória. Foi quando descobri que participar dela de forma natural, sem euforia e angústia, ganhava a chance de aprender e ajudar, que podia fazer parte de um “turbilhão”de sensações e pensamentos, que instantaneamente não apresentavam uma lógica mas que no tempo certo fechavam harmoniosamente as coisas, palavras, sensações, insights, que terminavam em uma linda lição para alguém e para mim. Neste momento novamente ganhei um presente de nossos amigos lá de cima, que cariosamente me perguntaram um dia se eu já havia tentado conhecer o tempo, inusitado respondi que não entendia como poderia conhecer isso de uma forma diferente da nossa clássica forma de pontuação de espaço (tempo, horas, minutos, etc), nisto este querido espírito me ensina que se não o entende-se, então tenta-se compreender pois um dia então no tempo certo, saberia o entender e ai sim o conheceria, e a partir deste momento não iria mais tentar o desafiar e sim dar as mãos a ele , e junto aprender tudo que passaria no caminho até que o tempo decidi-se qual fosse o momento certo. A principio pareceu confuso e foi difícil, pelo dia-a-dia ainda é, mas um pouquinho acredito que consegui ENTENDER, e aprendi que faço parte dele, e que em minha mais pura natureza sou o vento que o faz caminhar, portanto basta então eu entender e tentar enxergar qual caminho este tempo tenta me mostrar, e com ele caminhar para minhas decisões. Sou um médium consciente, existe um fato interessante sobre as manifestações que ocorrem hj que ganho certas habilidade que minha natureza não possui ( possuo um grave problema ocular ) e no momento da incorporação ganho uma visão privilegiada, normal , que posso caminhar, ver , sem me bater machucar porém sou privado da audição neste momento, não entendi ainda o porque disso ( um pouco entendi mas como a lição não esta completa ainda, entenderei e darei o tempo para aprende - lá ) porem tive uma resposta de um querido preto velho, que foi mais ou menos assim, “..tem que ver meu filho, pois se não estiver na terra de alguma forma, como vai sair daqui se pegar fogo...”, dando o devido desconto no humor, uma enorme lição tive aqui, que é do que basta estar tendo a maravilhosa oportunidade de estar com eles sem nada a aprender. Acho que me alonguei demais, mas queria deixar uma visão sobre isso, que resumindo ao que entendo hoje, é que somos seres naturais, somos gerados por uma forma perfeita da natureza, assim como ela é perfeita e mágica, talvez devemos entender e aprender com ela em sua simplicidade e perfeição simplesmente a observando . Acredito que após algum tempo entendemos que fazemos parte dela e que assim como seus ciclos, possuímos os nossos, atravessar eles pode nos fazer ficarmos em um estado anormal, e procurar dizer qual deveria ser nosso tempo ideal seja nosso maior pecado, quando deveríamos somente tentar aprender com ele. Nos conhecermos e dar a chance de silenciar a mente e ouvir a nossa volta pode nos garantir aquela sensação confiável, e acredito que quanto conseguir provar desta sensação será então o momento de não teremos mais a dúvida sobre tudo que naturalmente, um maravilhoso guia esteja dividindo conosco nos momentos que os temos próximos a nós.

    Grande abraço,

    Jimmy

    P.s: desculpe não ter tido tempo de postar ainda e participar desta linda corrente de conhecimento.

    ResponderExcluir
  37. Mucuiu Pai Fernando!

    ai ai...então...acho q eu só batendo pra tomar jeito rsrsr...eu não consigo relaxar...sempre dizem pra mim, relaxe...deixe acontecer...mas no momento x da incorporação sinto medo e acabo travando, tds as linhas q hj consigo incorporar foi depois de mt "apanhar", agora estou com esse problema com Oxossi, sofro mt durante a incorporação, mas aguento, pq quero mt, mas acho q seria melhor se eu não sofresse tanto, mas eu não sei como perder esse medo, não sei como relaxar, oq eu poderia fazer pra melhorar isso?

    Abraços
    Isamara

    ResponderExcluir
  38. no atual momento, as minhas incorporações parecem mais leves. a vibração continua grande, mas o 'solavanco' é menor - e acho que as vezes passa desapercebido o momento de 'ah, nao sou mais eu' (heeh).
    já me contaram que é normal, que a afinidade cresce e que tudo seria mais tranquilo com o tempo.
    enfim, começo desse ano 'perdi' o contato com o caboclo de Ogum. depois de algum tempo, ele voltou a trabalhar, mas continua difícil entender a energia dele.
    mesmo.
    às vezes, por exemplo, como segunda, ele fica parado. sei que ele está concentrado em alguma coisa, mas não entendo nem o que, nem como.
    outras vezes, no passe, parece que ele some. sinto a energia ali, mas ele não dá direcionamento nenhum do que fazer, nem como.
    aí eu me perco valendo.
    às vezes vai embora tudo e qdo peço licença pra bater a cabeça, levo um choque dele.
    sei lá o que posso fazer e se devo fazer alguma coisa.
    não sei se é um problema de incorporação, se não é problema nenhum, se é só viagem da minha cabeça...
    dá uma luz pra mim, pai fernando!

    obrigada! bjo!

    ResponderExcluir
  39. Obrigada Jimmy.
    Precisava deste texto hoje...Você nao pode imaginar o quanto!
    Sarava!
    Aline

    ResponderExcluir
  40. Ola Jummy!! vc me fez chorar viu!!!mas de alegria por alguem ter definido com absurda realidade o que todos aqui estamos tentando encontrar. Respostas as nossas sensações, frustraçoes, medos e FELICIDADE de fazermos parte da UMBANDA. Vaguei por muitos terreiros: anos no PAI VECO, como cambona de Zé Pelintra, Pai Santiago de Oxumare entre outros que traziam em seus fundamentos o ritual do camdomble (isso é outra historia). Mas depois de anos afastada da minha fé, pela descrença que me acometeu, conheci o TPM. Frequentei por dois anos na assistencia e fui em todas as giras varias vezes. Pai Fernando, não estou lhe bajulando não! até pq. conversei com o Sr. apenas uma vez. E devo confessar que as sensações não são em todas as giras não. Minha mãe (falecida) era de terreiro, recebia entidades maravilhosas e a Preta Velha Tia Leocadia da Costa que certa vez, disse: "por um bom tempo não virei mais a esse plano espiritual". Quizemos saber pq. Visto que se dependesse de nós a querida Tia, já tinha seu quarto e ficaria na terra 24 horas por dia. (rsrsrs). O que vou contar a vocês, por muitas vezes duvidei e vejam eu ouvi, ninguem me contou!!! Ela disse "o meu cavalo vai fazer a passagem antes de completar 49 anos, em meio as aguas" e eu voltarei ainda nesta familia mas vai demorar ... O cavalo era minha mãe!isso levou uns 5 anos mais ou menos para acontecer tempo que todos já haviam esquecido o que acabo de relatar, inclusive eu. Minha mãe faleceu em acidente de carro antes de completar 49 anos no Rio São João. Px. onde irá ocorrer o trabalho de mata no sabado. Ah!! eu vou viu! apesar do roubo (preço) do pedagio vou pela estrada nova (rsrsrs). Anos se passaram, e em 1993, incorporei pela primeira e unica vez uma preta velha... a sensação foi maravilhosa e jamais vou esquecer...e depois disso nunca mais. Neste ultimo sabado, (sou desta gira) na gira de EXU situações aconteceram e depois de anos senti a presença da Preta Novamente. Gira de Exu? preto velho? sim digo isso a vocês, pois tbem estou até agora perguntando isso. Agora vai a minha pergunta, isso é possivel Pai?
    maravilhosa semana a todos.

    ResponderExcluir
  41. Alem da riqueza cultural e da alegria que proporcionam as musicas/pontos cantados geram muita energia e contribuem para a concentração da corrente e da assistencia. Interessante é que a gente tb se pega cantarolando fora do terreiro e muitas vezes as musicas estao dentro do contexto ou situacao que estamos vivenciando naquele momento.
    otima resto de semna a todos
    Sidney Oliveira

    ResponderExcluir
  42. Paula, vc devia perguntar ao apitão no momento que ele mandou bater a cabeça.Pode ser que não seja para o espirito, e sim para teus guias quete ajudaram.FMG

    ResponderExcluir
  43. Claudio Henrique:
    Animismo é quando o próprio espírito do médium assume o seu comando mental, podendo parecer,ao médium, que é uma entidade. Para ser sincero, ao menos conscientemente eu nunca vi um caso de animismo, e acho que ele não devia ocupar muita importância na nossa pratica da incorporação,mesmo porque a explicação Herminio Miranda não batem com outros autores. Em todo caso prefiro discutir as tuas incorporações conscientes ou inconscientes. Isso que vc está relatando é interessante, mas se eu fosse vc ia seguir a orientação do Pai Beco. A consciência é a única forma de vc aprender com as entidades sem depender dos cambonos. FMG

    ResponderExcluir
  44. Isamara,segundo me consta vc está licenciada do terreiro. Se vc estiver frequentando outro fale com o dirigente. Esse teu problema é facil de resolver, desde que vc converse e fale. FMG

    ResponderExcluir
  45. C,Lipca:

    Temos falado bastante sobre Ogum. Eles são assim mesmo, exceto que não deve subir sem o ponto cantado para isso. FMG

    ResponderExcluir
  46. Marilise, saravá para o Pai Veco. E também ao seo Zé. Preto e Exu podem se confundir sim, porque o preto tem acesso na quimbanda embora não se manifeste. FMG

    ResponderExcluir
  47. Boa noite! Primeiramente parabens Fernando pela iniciativa e por ajudar tanto á quem esta começando nesta jornada cheia de dúvidas e insegurança. A minha história é um pouco longa, mas para resumir: quando criança sonhava coisas antes de acontecer, tive umas 4 incorporações inconscientes em casa na minha adolescência, que depois desocbrimos ser um quiumba que habitava minha casa. Estou na Umbanda a 2 anos, 6 meses trabalhando.
    Estou começando a dar passagem para minhas entidades, a primeira que me lembre foi Iansã. Agora já estou com uma cabocla, baiana, ere e começando com pretos velhos... Imagino que minhas entidades pela intuição já estão me passando os nomes, até conferem com as falangeiras de Iansã. Tenho uma dúvida quanto á minha criança Marianinha foia intuição que tive...
    Lógico que assim como todos que estão começando também me sinto insegura quanto as intuições e até algumas ações.
    Fico muito contente de ver que tem um blog assim para que postemos nossas dúvidas e p/ compartilharmos experiências.
    Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  48. Silvinha, a mediunidade manifestada na infancia tem como tendencia desaparecer e voltar depois dos dezesseis anos. Isso é normal, e talvez por vc ter tido essas manifestações vc tenbha mais acelerada a incorporação das outras entidades. Vá em frente, não tenha medo e nas duvidas, no caso a criança, deixe acontecer que naturalmente tudo se encaixa. FMG

    ResponderExcluir
  49. Exatamente Fernando. Meus sonhos pararam por volta dos 7 anos e, quando minha mediunidade voltou já foi com uma incorporação de um quiumba que tentou mais umas 3 vezes e conseguiu! Não podia sentir dor forte que ele se aproveitava: quando batia o cotovelo por exemplo e dava aquela dor eu caia no chão, ficava toda tremendo, tinha consciencia do que estava acontecendo mas não tinha controle do meu corpo, ficava toda machucada.
    Por alguns minutos depois do "ataque" rs, não sabia quem eu era e nem onde estava. Aos poucos ia retomando a consciencia.
    Fiz vários exames, fui á muitos médicos, fiz exames e nada.
    Bom, depois de um tempo descobri que era um quiumba.
    Hoje já não tenho mais aquela ansiedade de incorporar ou sentir a vibração. Mas, nos dias de Gira, sinto dores de cabeça e muito sono.
    Nesta semana, aconteceu uma coisa diferente. Ao desencorporar minha cabocla, senti um forte enjoo, me disseram que era o cheiro do charuto dela, que ela estava fumando! Achei engraçado, mas parando pra pensar faz sentido: acredito que ela esteja fazendo isso p/ eu acostumar, já que quando estou camboneando, não suporto ter que acender charuto! Particularmente não gosto do cheiro e do gosto que fica na boca!
    No começo é tudo novidade!
    Estou procurando estudar mais, me informar mais.
    Me dizem que minhas entidades são bem fortes e eu quero ser digna de ser um instrumento de uma prática tão divida e bonita que é a nossa Umbanda. A mais pura caridade e amor a nosso Pai.

    ResponderExcluir
  50. Pai Fernando, mucuiu!

    Decidi, com anuência do Pai Beco, que não vou mais trabalhar incorporado durante algum tempo. O motivo é simples: como faço parte da hierarquia da gira de 5ª feira, sentimos que o médium, principalmente o recém chegado na corrente, necessita de um apoio mais intensivo por parte da hierarquia. Ontem mesmo tomei a iniciativa, portanto, de conversar com toda a nossa corrente, um a um, perguntando sobre o que está achando da gira, como está a questão da incorporação, se sente ou não vibração, enfim, dando uma atenção.

    Para minha surpresa todos aqueles que sentem dificuldade para incorporar o sentem por algum tipo de medo, por pensar no que os outros vão achar sobre a incorporação, por inexperiência mesmo, por não saber como lidar com a energia do espírito. E por aí vai.

    Com muita tranquilidade e paciência conversei, durante a gira mesmo, com aqueles que mostraram maior dificuldade e expliquei o que devemos fazer quando sentimos a vibração, como nos portar física e mentalmente quando a vibração é mais forte. O que me deixou feliz foi a fluidez com que a vibração passou a ter no médium e a tranquilidade na compreensão do médium sobre o assunto depois de eu ter dado certa tranquilidade sobre.

    Uns tem mais facilidade para incorporar do que outros. Porém, o mais importante é a paciência para receber com muita calma nossos guias que se aproximam.

    Fico feliz com este espaço - blog - que, de forma clara e objetiva, nos ensina o simples, mas que para muitos é complicado.

    Aqui é um espaço onde aprendo e repasso. Conversas com meus Pais Beco Fernando são iluminadas. Ajuda da Mãe Eli é fundamental. Dessa forma me sinto mais seguro para ajudar aqueles que fui um dia.

    Obrigado e até mais!

    ResponderExcluir
  51. No penúltimo tarbalho um parapsicologo veio até o S.Sete Ponteiras do mar com a dúvida, quem esta incorporado e quem não esta. S.Sete lhe disse. O que importa? Todos que estão aqui, tomaram seus banhos, se prepararam e se dedicaram para este trabalho. A Força do médium é muito importante e mesmo sem espírito, eles estão se dando por inteiro e com bons resultados.Isto que me importa, falou S.Sete Ponteiras.
    Lucilia

    ResponderExcluir
  52. Rodrigo, bela atitude. A função do capitão é cuidar dos novos e ajudar a organizar o trabalho. Só em tem quero dizer que o nome "hierarquia" para mim soa mal. FMG

    ResponderExcluir
  53. Salve Mãe Lucilia, o seo 7 Ponteiras tem muito para nos ensinar. Quero completar, acho que ele não achou relevante, que sempre tem um espirito do lado do médium embora possa não parecer incorporado. FMG

    ResponderExcluir
  54. Boa Tarde, Pai Fernando!
    1) Presenciei incorporações sucessivas, um espírito sobe e o outro vem imediatamente sem que o médium se refaça, qual sua opinião sobre este fenômeno.
    2) Quando ao chamado condomínio espiritual, ou personalidade múltipla em que ocorrem várias obsessões e muitas vezes até com perda de memória para a pessoa obsediada, que a medicina denomina em alguns casos de esquizofrenia, ela se confunde com a incorporação ! Em outras palavras, quais as diferenças, na sua opinião, entre obsessão e incorporação?
    Muito Obrigado e um fraterno abraço!
    Claudio

    ResponderExcluir
  55. Silvinha, então aconteceu como sempre acontece. Quanto ao enjoo tente lembrar-se se tua cabocla fez,tentou ou participou de uma cura fisica de alguém. Se isso oaconteceu, pode ser a perda de ectoplama, muito embora a desculpa do charuta seja reazoavel, mas não me satisfaz. FMG

    ResponderExcluir
  56. Carlos Henrique:

    Depende da situação e que tipos de espiritos vêm um após outro. Vamos deixar bem claro que um sobe para outro vir. Comigo acontece às vezes. Só que quem vai me pega limpo do outro. Quanto a obsessão é um espirito que usa o médium como seu instrumento para coisas erradas, como fumar, se drogar, beber e, principalmente, o sexo. Incorporação a entidade toma conta do corpo do médium, masa ele não é usado para satisfação de seus vicios. FMG

    ResponderExcluir
  57. Pai Fernando se o senhor vai abrir um tópico sobre Exus tô dentro!
    Abços.

    ResponderExcluir
  58. Pai Fernando, a partir deste momento, passo a usar a palavra "meio" para me referir aos capitães, ogãns, sambas e pais e mães de santo (leia-se, também, pais e mães pequenos).
    Saravá!

    ResponderExcluir
  59. Não estou mais licenciada...voltei faz 2 meses...e agora por causa do BB eu e o clau estamos em giras diferentes para poder revezar, estou na quarta-feira com o Léo...

    "Mucuiu Pai Fernando!

    ai ai...então...acho q eu só batendo pra tomar jeito rsrsr...eu não consigo relaxar...sempre dizem pra mim, relaxe...deixe acontecer...mas no momento x da incorporação sinto medo e acabo travando, tds as linhas q hj consigo incorporar foi depois de mt "apanhar", agora estou com esse problema com Oxossi, sofro mt durante a incorporação, mas aguento, pq quero mt, mas acho q seria melhor se eu não sofresse tanto, mas eu não sei como perder esse medo, não sei como relaxar, oq eu poderia fazer pra melhorar isso?

    Abraços
    Isamara"
    rsrsrs mau entendido...

    ResponderExcluir
  60. E Pai Fernando, nessa ultima gira de quarta, aconteceu um fato q pra mim foi no minimo interessante, e eu queria a sua opinião se não se importa rsrs, então...eu estava na corrente me consentrando e tal e nada de sentir a Vó, então veio um capitão pra me ajudar e nada, pelo menos até comessarem os pontos de lavadeiras, o fato interessante é q eu ouvi nitidamente, como se uma terceira pessoa falasse (essa forma de ouvir pra mim é raro acontecer) um nome, q não consigo me recordar, perguntei se alguem tinha falado, e não...só eu ouvi, então queria saber, será q imaginei, ou pode ter sido o espirito q falou?

    Como uma coisa puxa outra, queria aproveitar para fazer uma segunda pergunta, qnd meu BB nasceu, escolhi como madrinha a Vó (forma carinhosa de chamar a Preta q trabalha comigo), e ela não veio mais depois disso até essa quarta, mas não sei quem ela é, e queria saber se tem como ela ser madrinha sem eu saber quem ela é, pq tbm não quero atropelar as coisas?
    bjus...

    ResponderExcluir
  61. Isamara, o importante é que o meio esteja sabendo disso. Existe a gira e ainda o desenvolvimento que é um treinamento de incorporações fechado para acertar esses tipos de dificuldades. Fale com a direção da gira e se entregue. Não tem outro caminho. FMG

    ResponderExcluir
  62. É verdade. É preciso entrega.
    Qdo estou no Terreiro me entrego, ao que costumo chamar de Linha Vibracional de Umbanda.
    Na minha cabeça os espiritos de Aruanda tem uma frequencia que procuro atingir, para que esses espiritos dessa linha vibracional, possam trabalhar comigo. São eles que me interessam nos trabalhos mediunicos. Não estou preocupado com qq tipo de vibração. Me concentro para receber a energia de lá.

    Salve o Povo de Aruanda !!

    Saravá !!

    ResponderExcluir
  63. Linda iniciativa do Rodrigo , sem duvida nenhuma vai ajudar muito no desenvolvimento da gira , com toda certeza Pai Beco não terá apenas um capitão mas quem sabe um secretario de médiuns , na medida do possível vai solucionar algumas duvidas , caso isso não ocorra vai encaminhar ao Pai de santo responsável por aquela coroa , Sarava aos bons capitães , força e axé aos pais de santo da casa .
    Quem sabe essa não seja um ponto crucial na vivencia dos filhos novos na corrente, quem sabe assim os filhos de santos não se sintam mais amparados, pois sei que muitos então, começam e acabam desistindo por falta de amparo. Não tenho duvida que as entidades do Rodrigo vão atender de uma forma diferente , mas lembrando que o responsável pelo desenvolvimento é o pai de santo , quem sabe isso desperte uma iniciativa de bom coração pois não adianta ter um capitão que não saiba de nada de espiritualidade que não posso ajudar os filhos daquela corrente . Vemos alguns casos que os capitães apenas ostentam a guia sem saber o real valor dela .
    Sabemos que eh difícil cuidar de uma corrente de 50,100,150,200,250 mas o atendimento tem que ser dado de forma igual e todos , não basta apenas um sorriso , mas umas palmadas , afinal de contas cavalo alisado é cavalo estragado , é muito bom saber que de uma forma ou de outra temos atendimento , pois como pudemos ver o pai Fernando sabe quem esta de licença ,isso mostra a firmeza de um ótimo pai de santo , quem sabe as coisas acabem mudando , os olhos se abram e todos acabem vendo que pai de santo conhece o nome de todos os filhos e que ele não é apenas mais um numero dentro da corrente .
    Obs :* Nesta caminhada agradeço aos bons amigos e aos ensinamentos que tive , quem sabe num outro momento me sinta com os pés no chão , com teto sobre minha cabeça , talvez tenha faltado atenção com aquelas frutas que caem no caminho , pois o bom motorista sabe a carga que leva e o valor .

    Um abraço um cheiro e um queijo de um filho desgarrado do caboclo Akuan.

    ResponderExcluir
  64. Pai Fernando eu não quero ser chata...mas ja sendo rsrsr...queria inssistir na pergunta:

    "Como uma coisa puxa outra, queria aproveitar para fazer uma segunda pergunta, qnd meu BB nasceu, escolhi como madrinha a Vó (forma carinhosa de chamar a Preta q trabalha comigo), e ela não veio mais depois disso até essa quarta, mas não sei quem ela é, e queria saber se tem como ela ser madrinha sem eu saber quem ela é, pq tbm não quero atropelar as coisas?
    bjus..."

    Abraços
    Isamara

    ResponderExcluir
  65. boa noite, encontrei seu blog e gostaria de um
    esclarecimento:
    Sou medium conciente, e tenho um insegurança imensa. Ex. teremos uma festa de preto velho e tenho medo casa alguém venha conversar com minha
    entidade,eu dar vexame, não saber como dar passes
    ou falar alguma besteira, como resolver isso?

    ResponderExcluir
  66. Isso é porque vc é timido,tanto que não revelou seu nome no comentário. Vc tem que enfrentar. Peça para amigos teus conversarem com a entidade.

    ResponderExcluir
  67. Esse é meu problema tbm...mas nunca sei como explicar...

    Abraços
    Isamara

    ResponderExcluir
  68. pai, desculpe-me não sei como me cadastrar, mas
    estou cuidando disso. Quanto a minha duvida creio
    que não seja timidez, eu queria saber o que fazer para melhor essa incorporação.
    Meu nome é Salvador Souza - SP

    ResponderExcluir
  69. Salvador, vc nãoi precisa se cadastrar, pode postar como anônimo desde que vc revele seu nome como fez. Eu disse que vc era timido. Sugeri e continuo opinando assim, que vc fale com teu dirigente e peça autorização para que vc converse com amigos quando vc estiver incorporado. Isso fará vc ficar mais concentrado na entidade e irá, aos poucos, falando. Eu faço aqui no terreiro do Pai Maneco exatamente assim e tem dado certo. Não deixe de postar seus comentários porque um blog só pode existir se isso acontecer. FMG

    ResponderExcluir
  70. Pai Maneco boa tarde!!!
    Estou com algumas dúvidas com relação á linha de Iansã. Será que podes me ajudar?
    Minha cabocla pela intuição em deu o nome de Cabocla Jurema Flecheira, a Baiana Maria das Candeias, meu ogum vem sempre com as mãos levantadas p/ o alto e rodando, os dedos indicador e polegar esticados. Não sei qual o nome do meu Ogum! Tenho dúvida qt aos demais nomes, acredito serem cruzados com Iansã. Obrigada e parabens pelo blog.

    ResponderExcluir
  71. Eunão sei o seu nome, mas vou tentar explicar. Cabocla Jurema Fleheira é da linha de de Oxossi, considerando que Jurema é o feminino de Oxossi e Iansã o feminino de Xangô.Ogum costuma incorporar dessa forma,mas não cruza com Ogum. Converse com seu dirigente, afinal ele tem obrigação de orientar e esclarecer. Obrigado pela força no blog, seja bem-vinda e faça sempre suas perguntas. FMG

    ResponderExcluir
  72. Boa noite Fernando! Agradecendo a oportunidade, gostaria de tirar uma dúvida. Acredito que minha baiana trabalhe com a irradiação de Iansã. Pode por exemplo minha cabocla ser de outra linha? Como questionou um anônimo atualmente, também tenho esta dúvida quanto ás linhas de trabalho. Obrigada! Paz e Luz!
    Silvinha

    ResponderExcluir
  73. Silvinha, a Umbanda é dividida por linhas.A Baiana só pode ser da linha dos Baianos, então não pode ter nada com Iansã.Provavelmente tua cabocla é da linha de Oxossi. FMG

    ResponderExcluir
  74. Entendi Fernando, mas por exemplo: minha baiana sendo da linha das baianas atua sobre os comandos de algum orixá não é mesmo? Se assim for, pode ser de outra linha ou como minha cabocla recebe comandos de Oxossi a minha linha de trabalho sempre será esta? Obrigada e me perdoe se estou falando besteiras, mas sabe ne, no começo surgem muitas dúvidas!
    Obrigada por tudo.

    ResponderExcluir
  75. Silvinha,não se preocupe em perguntar, porque mesmoi nós que somos mais experientes às vezes temos qued fazer mil perguntas à alguem. Vou dizer como nós entendemos aqui em nosso terreiro.
    Linhas neutras são aquelas que não têm um orixá mandante, no caso a linha dos baianos, marinheiros, boiadeiros, mendigos e outras cultuadas em alguns terreiros. Linhas que nbão são neutras são aqueles caboclos de Ogum, Oxossi, Xangô; a linha das crianças e pretos velhos também não neutras, porque são as linhas que criaram a Umbanda. Estou dando um exemplo sem querer me aprofundar em filosofias, teorias ou verdades. É uma simples menção tipo Umbanda Pés no Chão, aquela que nós podemos entender. Dentro do que falei, a Baiana que vc trabalha é da linha dos Baianos e não tem um Orixá mandante, qwue não é o caso da Cabocla qie vc disse antes ser da linha de Jurema, linha, aliás, feminino de Oxossi. Se não ficou entendido nãop hesite em escrever que vamos continuar falando. FMG

    ResponderExcluir
  76. Oi pessoal e olá Pai Fernando

    Sou filha de Oxum, e meu segundo orixá (qdo foi meu meu cruzamento) é Oxóssi.
    Minha pergunta é: Meu Pai de cabeça seria necessariamente de Oxóssi???

    Na gira de caboclos, senti somente por umas 3 vezes a incorporação do caboclo de oxóssi...
    A cabocla veio mais vezes (qdo cantam pontos de Jurema - não sei seu nome, falange nem nada, mas incorporo e deixo fluir...
    Com Caboclo de oxóssi, esse que senti por poucas vezes pode vir a ser meu pai de cabeça??? Não estou curiosa no sentido de saber seu nome, sua falange... essas coisas... so gostaria de saber se pode ser... para que aos poucos eu vá me entregando mais nas incorporações....

    Valeu paizinho

    Bjins
    Andressa Matos

    ResponderExcluir
  77. Andressa, não tenha nenhuma duvida que no momento certo ele vai se apresentar. FMG

    ResponderExcluir
  78. Já que tá, q vá!!!
    vou perguntar de tudo heheheh

    Boa Noite pessoal...Pai Fernando

    Seguinte... sobre a questão do girar... a entidade nos faz girar? O médium interfere??Dependendo da energia do orixá... se gira mais, se gira menos? Podemos controlar? podemos influenciar?

    Pergunto pq acontece comigo... qdo sinto vibração com Ogum de Ronda e Iansã... giro mais rápido... sinto girar mais forte... tendo dimunuir o passo e as vezes parece que "plluft"... parece que toda aquela vibração já não está mais ali... tento me ecompor e vamo girar de novo...
    Com a vibração de oxum acontece ao contrário... eu fico "devagar...quase parando' já tentei dar uma aceleradinha e Pluft... parece que a energia se foi hehehe dai começo de novo como se "pegando no tranco"...
    não estou de forma alguma querendo forçar ou "fingir"... a todo momento sinto a energia, mas acontece de as vezes nessa movimentação do girar... eu perder a concentração... pelo movimento mesmo 9mais rápido, mais lento...)

    To viajando??? pode acontecer isso mesmo?? Me desculpem se estou falando um beiterol ak!!!!

    Bjos a todos
    Andressa Matos

    ResponderExcluir
  79. Andressa, claro que isso é perfeitamente norma. Ogumn de Ronda e Iansã fazem o médium girar, só que vc deve toamr cuidado para não perder o controle. FMG

    ResponderExcluir
  80. Valeu a resposta Paizinho...

    Então lá vai mais uma...
    Algumas vezes isso acontece...
    Na segunda parte, qdo tem consulente sentado no meio... recebo a entidade ... sinto sua incorporação...
    Dai "vamos" ao meio para trabalhar com o consulente... mas ao inves de ficar bem perto do consulente, a entidade fica mais afastada só olhando.... não faz nenhum gesto, não se aproxima do consulente... não fala, não se ultiliza de nenhum apetrecho... só fica olhando para um ponto específico no corpo do consulente (geralmente para onde se localiza algum chacra)... olha fixo... na minha cabeça não passa nada... é só o olhar meu e da entidade pra "cima" do consulente... Eu acredito muito nas entidades... sei que pelo simples fato dela estar ali... já está trabalhando...
    Num sei... mas parece aos olhos de quem vê q eu e a entidade não estamos fazendo "nada" hehehehe.

    Isso é algum tipo de trabalho? O simples fato de olhar para o consulente já se está manipulando alguma energia para o consulente???
    Ou sou eu que não estou sabendo entender de que forma a entidade quer trabalhar...

    Bjos a todos
    Andressa Matos

    ResponderExcluir
  81. Andressa, claro que está trabalhando, caso contrário teria subido. Esse trabalho das entidades é um trabalho de equipe. FMG

    ResponderExcluir
  82. Olha eu aqui de novo!
    Uma dúvida Pai: tive outro sonho (digo outro pois já é a segubda vez) que sonho com as guias (fios de contas) Certa vez, uma toda dourada linda... agora, depois de ver uma tribo e eu dançando também em volta de uma fogueira, vi uma toda de penas marrons, só que de uma forma diferente: as penas formavam uma espécie de leque na frente, todas juntas na parte de baixo da guia. Como havia comentado e minha cabocla me dá a intuição de Jurema Flecheira... Seria assim sua guia? Como sabre o momento certo de fazê-la? Vi uma guia verdinha também um verde bem suave junto com esta.
    Aproveitando a oportunidade, o Sr teria algum livro p/ me indicar p/ estudos? Atualmente estou lendo : Código de Umbanda do Rubens Saraceni. Já li também Tambores de Angola, O Guardiao da Meia Noite e Diálogo com um Executor.
    Forte abraço!
    Silvinha

    ResponderExcluir
  83. Silvinha, a cor do feminino de Oxossi é verde claro. É uma maneira talvez de diferenciar o masculino do ferminino. Peço desculpas mas quero me abster de indicar livros, acredito que seria falta de ética da minha parte. FMG

    25 de Maio de 2009 16:14

    ResponderExcluir
  84. Mucuiu Pai Fernando,

    Pai Fernando,
    Estou no início de meu desenvolvimento e muitas vezes a energia das entidades vêm de forma sutil e ao mesmo tempo se vão, e eu de repente já não sinto mais aquela energia.Ou ela se foi ou não sei muito bem o que fazer com ela.
    Isso é normal no início do desenvolvimento ?
    Obrigada !

    ResponderExcluir
  85. Solnage, isto é perfeitamente normal, só tenha a certeza que a entidade nãoo foi embora,vc é que se desligou dela. Quando isso acontecer concentre novamente que vc vai sentir novamente. FMG

    ResponderExcluir
  86. Olá Pai Fernando! Como havia postado na primeira vez aqui sobre minha insegurança, segui seus conselhos: estou me "soltando mais" confiando mais em mim mesma, e assim meu medo praticamente desapareceu e percebi que minhas Entidades estão vindo bem mais fortes e confiantes. Isso percebo no logo na incorporação: estou incorporando como os veteranos do centro, chacoalhando bastante e me sinto bem mais sintonizada.
    Uma coisa engraçada também vem acontecendo: não consigo mais segurar e dar passagem quando eu quero. Ontem mesmo estava camboneando uma entidade (estavamos no meio de um trabalho com ervas) e já sentindo a vibração de Ogum (estavam cantando p/ ele) estava toda tremendo e meus ombros doiam...
    Um membro da corrente percebeu e foi trocar comigo de lugar p/ que eu pudesse assim dar passagem. Veio Ogum e minha Cabocla em seguida.
    Engraçado como as energias na hora da incorporação são diferentes, parece que estou começando a distinguir quando e qual Entidade vai se manifestar. As vezes ainda tenho uma certa insegurança quanto ás energias mas já estou percebendo que meus pensamentos nunca ou quase nunca estão errados! Mais uma vez obrigado pela oportunidade de postar aqui e poder conversar a respeito de um assunto ainda tão novo para nós! Salve a sua luz!

    Silvinha

    ResponderExcluir
  87. Bom dia!
    Estava camoneando Sr Tranca Ruas, ele me disse que queria que ficasse sempre do lado dele, eu já tinha uma intuição sobre o nome de minha Pomba Gira. Sempre me sinto mal nas giras de esquerda, mas ontem foi demais! Em um determnado momento Sr Tranca pediu p/ que uma consulente oferecesse um cigarro na encruza á minha Entidade e me perguntou o nome, disse que minha Entidade era a Esposa dele que não estava a toa ali. E confirmou minha suspeita: D. Maria Padilha. Nesta noite, não dormi direito, acordava toda hora, era como se estivesse tendo um infarto, coração acelerado, calafrios!! Até agora me sinto agoniada... penso em não participar mais das giras de esquerda por me sentir mal assim, já que nós que estamos começando não temos permissão p/ dar passagem á esquerda.
    Existe a possibilidade de eu como encarnada sentir e estar ligada de certa forma com o trabalho? Mesmo não estando incorporada? té porque ele "invocou" se assim posso dizer a minha Entidade neh!
    Obrigada pela força de hoje e sempre!
    Silvinha

    ResponderExcluir
  88. Silvinha, acho que vc devia dar um pouco mais de tempo para que as coisas se definam. Nada errado com o que aconteceu, mas por prudencia fiz essa sugestão. FMG

    ResponderExcluir
  89. Bom dia Pai! Estou incorporando já. Mas ainda não sei se se trata de caboclo ou cabocla! Pela forma que incorpora parece caboclo, não consigo falar ainda, me sinto insegura. Com as outras Entidades já não é assim.
    O que posso fazer para me sentir menos insegura e saber se é feminino ou masculino? Obrigada
    Sônia.

    ResponderExcluir
  90. Sônia, acho que vc tem que falar com os dirigentes do terreiro. De qualquer maneira, sem menos vc esperar, as revelações serão feitas pela propria entidade. FMG

    ResponderExcluir
  91. Entendo, mas Pai Fernando, é comum desconhecer a qual Entidade estamos recebendo? Até mesmo se é masculino ou feminino? Obrigada mais uma vez!
    Sônia.

    ResponderExcluir
  92. Olá Pai Fernando!
    Este blog esta muito interessante e não tem como não conversar contigo porque é tudo muito exclarecedor!
    A minha dúvida de hoje refere-se ás Entidades que trabalhamos. Por exemplo, eu recebo um preto velho, mas tenho a impressão de logo no começo, ter recebido uma preta velha. Podemos ter por exemplo um preto velho e uma preta velha? Um caboclo e uma cabocla? E, mais uma dúvida: ainda me sinto insegura com relação ao caboclo (acho que é caboclo pai e não cabocla!) Nesta semana tive a impressão de que queria falar com alguém, tive sede, mas ninguém se aproximava... Ele foi e voltou, e nada de novo...é comum ficarem indo e vindo? Sentir sede e querer falar, mas não saber o que é comum?
    Estou muito insegura qt ao nome e tudo mais, etc etc ainda!!!
    Obrigada Paz e Luz!

    Silvinha

    ResponderExcluir
  93. Pai Fernando na incorporaçao meu malandro e o exu tao abrindo meus olhos isso atrapalha em alguma coisa a incorporaçao, porque eu sinto que com os olhos abertos eu posso atrapalhar a entidade

    ResponderExcluir
  94. Antonio, mas se vc não abrir os olhos vc vai cair no congá. Os espiritos usam nosso corpo e sentidos, por isso os olhos do médium durante a incorporação são os olhos do espirito. FMG

    ResponderExcluir
  95. Porque entao tem mediuns que na incorporaçao ficam o tempo todo de olhos fechados?

    ResponderExcluir
  96. Pai Fernando li o seu livro Grifos do Passado e achei muito bom e esclarecedor pros mediuns novos iguais a mim, sarava pra voce e que os Orixas te deem muita alegria na sua vida

    ResponderExcluir
  97. Antonio, na Umbanda não é correto ficar com os olhos fechados. Pode ficar até o espirito incorporar. Agradeço a menção do meu livro. FMG

    ResponderExcluir
  98. Pai Fernando tem uma coisa que ta me deixando meio encucado a minha mae de santo me disse que meu caboclo e ogum estao sem doutrina ai eu te pergunto desde quando os guias de Umbanda que sao espiritos muito evoluidos precisam ser doutrinados vc nao concorda comigo? E tem outra Pai Fernando ela ainda disse que eu como homem nao posso incorporar minha pombagira senao eu posso me tornar homossexual parece estranho nao acha?

    ResponderExcluir
  99. Antonio, por ética não vou falar sobre doutrinar um Caboclo e um Ogum. Homem pode incorporar Iansã, pomba gira, iemanjá, oxum, preta velha ou cabocla, o que quiser que não tem nada com a sua masculinidade. Seria a mesma coisa de mulher incorporar uma entidade masculina e acontecer a mesma coisa. FMG

    ResponderExcluir
  100. estou á um ano e meio em desenvolvimento na umbanda meu dirigente disse que sou medium de incorporação sinto tremores pelo corpo as vezés minhas pernas ficam moles me entrego e confio nas minhas entidades mas nada acontece
    as vezes fecho os olhos e quando abro mesmo sentindo tremores sei que a entidade não está lá porque nada vem a minha cabeça...gostaria muito de incorporar para poder fazer a caridade de atender os consulentes e de conhecer as minhas entidades...tenho muito amor pela umbanda e antes de ir para umbanda nunca senti nada de mediunidade seria o caso de parar o meu desenvolvimento.
    obrigado...
    gilmara

    ResponderExcluir
  101. Gilmara, isso é muito comum e correto. É até melhor para vc ter mais segurança pessoal que o desenvolvimento vá devagar. Fique tranquila que logo vc começa a identificar as entidades. FMG

    ResponderExcluir