Assine aqui para receber atualizações deste blog

sábado, 21 de março de 2009

No Natal passado minha mulher, seguindo uma orientação de uma revista, resolveu inovar. Conversamos sobre isso e ela explicou que o Natal do velho barrigudo não tem nada de comum com nosso país. Estamos no verão e ele no inverno, aquele pinheiro é europeu e estamos no Brasil, algodão para imitar neve está fora porque aqui só neva em Santa Catarina. Resolvemos, então, transformar a decoração com plantas tropicais. Foi muito legal. Folhagens tropicais, como bananeiras, caetés, mangas, bananas, abacates, carambolas e uma mini árvore da fruta jaboticaba, fizeram o clima de festa em nossa casa. Todas as flores eram tropicais com arranjo em toalha que estampava um tucano. Na mesa escapou o bicho porco e o peru ficou de fora da matança, para dar lugar ao arroz branco, farofa e muita fruta. Sucos de fruta fizeram par com o refrigerante americano que não posso dizer o nome para não fazer propaganda.
Eu adorei a idéia e o Natal em minha casa vai ser sempre assim. Foi a forma mais querida de homenagearmos o nascimento do Jesus de Todos. Só não consegui substituir o trenó do velho que é puxado com renas, pelo redemoinho do Sacy Pererê trazendo os presentes... Por isso que a idéia da Umbanda brasileira me cativou.

7 comentários:

  1. E teve fotos da decoração??? Fiquei curiosa rsrsrrsrs.Mas com o relato já deu para viajar longe e imaginar como foi linda a decoração.

    Bjs

    Monique

    ResponderExcluir
  2. Isso é coisa que sempre me fez pensar...
    Neste proximo natal vou aderir...
    Parabéns à dona Ieda.

    "Coitado do Sacy... Já imaginou como seria dificil pra ele carregar um balaio com todos aqueles presentes... Tadinho, todo aquele peso e uma perna só.... risos"

    Desculpe pai Fernando, não resisti...

    ResponderExcluir
  3. Um Preto-velho bem velhinho, e um punhado de Erês, guiando uma carroça cheinha de presentes e doces: amor e esperança... Seria a nossa representação de Papai Noel e seus duendes? ;o)

    ResponderExcluir
  4. Mucuiú, pai Fernando!

    Fico lendo seu blog...quietinha...confesso, faz-me esboçar ternos sorrisos silenciosos.
    Desde que ele (o blog) entrou em cena não perco um texto e comentários.
    Gosto desse contato silencioso com o pai. Observo as colocações e absorvo os conteúdos.
    Tenho comigo, que todos os assuntos colocados são pertinentes, não para polemizar, e sim com o propósito único de instigar o elevado intuito de fazer uma conexão com a compreensão.
    Referente à última postagem onde dona Ieda adere um novo conceito sobre a decoração de natal, motivou-me a escrever algumas linhas.
    Dona Ieda, permita-me...Pai Fernando é de muita sorte! Tem a seu lado uma companheira de “jornada” muito a altura do grande Pai de Santo que é. Verdade é que cada um tem sua missão. Digo que pouco sei de dona Ieda, mas das informações que me chegaram em relação a suas impressões e inspirações elevadas, venho concluir que sem dúvida, se trata de uma grande parceira integralmente envolta na mesma Luz.
    Voltando a falar da decoração, sinto que esse “insight” já esteve rondando, há muito, nossas cabeças e adormeceu dentro de muitos de nós, talvez por julgar irrelevante. Acredito que o simples fato de adaptarmos as decorações de natal para a nossa realidade possa nos trazer benefícios, como a nos aproximar não só da filosofia (Umbanda) como também de nós mesmos.
    Provavelmente, não ficaremos mais repetindo os mesmos enfeites, nos mesmos lugares, ano após ano, parecendo maquininhas de grande compromisso com a mesmice. Podemos desenvolver nosso lado criativo, utilizando elementos que estão ao nosso alcance, cheios de energia, aprendendo a enxergar e valorizar primeiro o que está mais próximo de nós. Sem contar a energia da motivação que aparece nesses momentos tornando salutar a realização de coisas belas, sem ostentação e com simplicidade e alegria, colocando um pouco de nós em cada enfeite e em cada coisa.
    Um outro aspecto, adquirir a confiança de sentir que mesmo trocando a roupagem, o espírito será o mesmo. Aliás, pai Fernando, muita coisa é assim, não é?
    Quantas relações cativantes podem perceber a nossa querida Umbanda..!

    Deixo aqui meu profundo respeito e admiração pelo pai querido de todos nós.

    Um grande abraço virtual, porém carregado de axé.

    Lucia, uma filha de corrente do Terreiro do Pai Maneco.

    ResponderExcluir
  5. Lucia, a Lucia Inácio da gira de sexta feira, agradeço todo carinho e incentivo. Fique certa que são palavras assim que nos movem entusiasmados. FMG

    ResponderExcluir
  6. Achei a ideia super interessante...tbm nunca concordei com essa coisa de papai noel no verao etc...
    Vamos ver se consigo adaptar aqui em casa esse Natal Brasileiro!!!
    Axé Pai Fernando
    Larissa

    ResponderExcluir