Assine aqui para receber atualizações deste blog

sexta-feira, 20 de março de 2009

PERGUNTAS DA MOHANA

Faz algum tempo recebi um e-mail da Mohana fazendo algumas perguntas, as quais respondi na ocasião. São perguntas interessantes e que talvez possam servir para outros médiuns e por isso vou atualizá-las no Blog.

Pergunta: os ditos trabalhos de amarração, trabalhos para prejudicar alguém e a tal magia negra. Quero saber a tua opinião sobre eles. Eu ouço daqui, dali e aprendo com as entidades que eu trabalho. Geralmente as pessoas procuram muito a dona Maria Mulambo para esse fim: tirar as mandingas de suas vidas.

E o que observo é que de 10 pessoas que falam ter trabalho feito pra elas, 9 estão equivocados. E esse 1 que sobra, ela não afirma, nem discorda. Só trabalha no próprio ponto, às vezes, pega uma vela branca, fixa o olhar no consulente e quebra a mesma.

Resposta: vc está certa, pois a maioria que procura o terreiro acredita estar com um trabalho de magia. Isso faz parte do folclore. O Cab Akuan costuma perguntar se a pessoa está com dor nas costas, base da coluna ou nos ossos. Isso pode ser um sintoma de trabalho energético que tem influencia negativa.

Pergunta: Mas me restam muitas dúvidas sobre isso ainda. Por exemplo, para o senhor o que é a magia negra?

Resposta: Magia negra é feito por pessoas ou espíritos atrasados que buscam sempre um objetivo diferente do amor e da caridade.

Pergunta: Acredita que uma magia negra pode destruir a vida de uma pessoa em todos os aspectos?

Resposta: Qualquer tipo de vibração negativa que tenha se alojado em nosso perispirito pode ter conseqüências graves.

Pergunta: Um espírita tem mais chance de absorver esse tipo de energia do que um cético?
Resposta: isso é indiferente. O espírita desavisado e negligente está na mesma faixa da pessoa comum.

Pergunta: As pessoas que têm uma relação junto à pessoa "mandingada" tem sua vida afetada também?

Resposta: Não haverá influencia de um para o outro, exceto se vibrarem no mesmo canal, o que é difícil considerando que a atuada deverá estar em sintonia pior.

Pergunta: Para nós, médiuns umbandistas, as entidades protetoras não deveriam cortar essas energias antes dela nos atingir? Seguindo a idéia de que não se cai uma folha sequer da àrvore, sem a permissão de Deus, as dificuldades que enfrentamos devido a presença dessas energias baixas, fazem parte do nosso aprendizado e iríamos passar por isso de uma maneira ou de outra?


Resposta: veja um pai de carne. Por mais que ele queira que o filho siga um caminho correto, nem sempre isso acontece e não adiante ele tentar influenciar. Esse é o direito do livre arbítrio. Um pai sempre é paciente e fica aguardando o retorno do filho desviado. Também não tem nenhuma relação com aprendizado.



Pergunta: Meu pai( ele que me apresentou a umbanda aos 11 anos de idade, mas hoje é evangélico) sempre me disse que se você se fecha para esse tipo de energia, se você está em outra vibração não é atingido. Até que ponto? Porque temos o nosso dia a dia, irritações, preocupações, etc... Fatos que, mesmo sem querer, nos tiram da vibração "Zen"?.

Resposta: seu pai disse certo. Aliás esse também é o principio do kardecismo. O problema, como vc já mencionou, é conseguir ficar fora disso.


Pergunta: Eu venho também de uma crença em que o destino é certo, o nosso livre-arbítrio aqui, nos permite apenas escolher caminhos, os mais difíceis ou não, lá na frente o que está reservado para cada um, vem e pronto. Será que nessas escolhas de caminhos, nós mesmos, com nossas atitudes, é que fazemos com que pessoas queiram nos prejudicar? E se o destino se cumpre, uma hora ou outra, mesmo não fazendo nada, a "magia" desaparece?

Resposta: Nós não fazemos o destino. Uma tendência pode existir, mas nunca uma determinação. Aliás, uma das coisas mais bonita que o seo Akuan fala é quando pedem a ele indicar um caminho. “Caminho aberto já tem dono. Abra o teu...”

3 comentários:

  1. Tenho notado que algumas pessoas acham que só porque as coisas não estão da maneira que elas gostariam, já imaginam que tem um "trabalho feito" pra elas. Mas também tenho notado que essa preocupação está mais na cabeça das pessoas que não conhecem, não vivem a espiritualidade.
    Coincidentemente ou não, na quinta feira, duas pessoas que estavam indo ao terreiro pela primeira vez, antes do início da gira, me perguntaram se a entidade iria lhes dizer se tinha um trabalho feito, pq tava tudo dando errado em suas vidas. Expliquei que a entidade é que iria conversar com eles e que poderiam perguntar, mas que talvez, o que poderia estar acontecendo não era o fato de ter um trabalho, mas sim as próprias atitudes deles, seus pensamentos negativos, é que poderiam estar causando tudo, numa maneira de lhes mostrar o quão é importante as mudanças de atitudes, a "reforma ínterna". Como imaginei, soube depois que as entidades falaram exatamente isso, que os problemas estavam neles mesmos. Como as vezes ouvimos verdades para as quais ainda não estamos preparados, ou não era aquilo que queria ouvir, sei que uma dessas pessoas saiu decepcionada. Mas o "trabalho" da entidade foi feito, cabe a pessoa agora absorver oq foi dito e repensar suas atitudes.

    ResponderExcluir
  2. Bom...Muito bom esse tópico.
    Eu ,claro acredito sim em todas as magias. As brancas e as negras.
    Mas penso numa coisa. Aliás não precisei ficar muito tempo na Umbanda para perceber isso. Tenho 16 anos de caminhada. Com passos de formiga!!! Mas de certo as pessoas ainda acham que se na vida estão passando algo ruim é derivado a feitiços ou magias. Penso que não!!! Não e não!!!
    Eu acredito que meu maior feiticeiro sou eu mesmo. Como havia comentado em outro tópico do blog, acho sinceramente que posso ser obsessora de mim mesma.
    Primeiro...Quem na vida nunca teve dificuldades??? Seja na vida emocional,espiritual,material ou profissional? Acho que a maioria das pessoas.
    Acontece que é muito mais fácil arrumar um "culpado" ou um responsável por isso. Seja ele na vida terrena ou espiritual...Ai que entram as ditas magias.
    Quem me garante que posso estar passando por uma provação por meus próprios defeitos ou teimosia? Quem me garante que eu mesma não tenha baixado minha energia com meus pensamentos e sentimentos negativos, e ai atraindo espíritos com os mesmos sentimentos e carências que as minhas?
    Pois é...Tem coisas que temos sim que passar. Para termos algúm êxito no final ( não importa quanto tempo isso demore).
    Pois bem...Ai entram os charlatões e os adivinhos falando que é feitiço disso ou daquilo. Que foi uma "entidade" assim que fez e aconteceu. Sim, pode até ter ajudado. Mas como estava minha sintonia antes?
    Estão com "macumba" ou "descumba" somos muito mais responsáveis pelos deslizes ou acertos em nossas vida.
    Basta sabermos para com quem contaremos com a tal ajuda.
    Saravá.

    ResponderExcluir
  3. Ana Carolina Fernandes Dias8 de fevereiro de 2010 01:06

    Pai Fernando, acho este post e os comentários ótimos (já reli diversas vezes) e citei o link a uma moça que fez uma pergunta na comunidade do TPM no orkut, que envolvia essa ideia de magia negra.

    Mesmo antes de trabalhar com a D.Maria Mulambo eu já tinha em mente essa mesma ideia da Mohana de que menos de 10% de quem se diz vítima de magia é realmente alvo. Como coloquei lá no orkut, após citar o link:

    "(...) Comungo com a Mohana na ideia de que 'de 10 pessoas que falam ter trabalho feito pra elas, 9 estão equivocados'. E esse 1/10, será que precisa saber realmente o que aconteceu? Será que não é melhor para o consulente só expor o problema e confiar que as entidades irão resolver? Pois com certeza se alguém me disser que 'fulano' fez uma maldade para mim, vai ser bem difícil o exercício do perdão e aí eu mesma, passando raiva, vou acabar me prejudicando.
    Pessoalmente, se alguém 'fizer' algo para mim, prefiro nem saber para não nutrir sentimentos ruins pela pessoa e ficar me sentindo vítima... Se algo está errado, se as coisas não encaixam, se tenho dores inexplicáveis eu peço é que a situação resolva e que eu me fortaleça 'para que meus inimigos tenham pés e não me alcancem'.
    De qualquer maneira, te aconselho a reformular a pergunta ao Pai Fernando lá no blog mesmo (www.paimaneco.blogspot.com). É política dele não deixar ninguém sem (boas) respostas."

    ResponderExcluir