Assine aqui para receber atualizações deste blog

domingo, 1 de março de 2009

CARTA DA CAROLINA

A Carolina escreveu-me uma carta com autorização de editá-la no Blog. Lá vai:

Pai Fernando, tudo bem com o senhor?
Depois da última gira, fiquei pensando muito a respeito da morte, das coisas que eu enxergo, dos espíritos e dos “chiliques que eu fico dando”. Acho que com dois anos de umbanda, eu não deveria mais ficar me assustando com espíritos, com sentir presença de espíritos e, eventualmente, de enxergar luzes.
Pensar em morte para mim sempre foi doloroso, porque até agora pouco, eu pensava em morte como abandono, como solidão, como desamparo. E, se tenho fé, se confio nas entidades, acho que não há razão nenhuma para pensar na morte como alguma coisa desse tipo. Morte é nascimento, é continuidade, é evolução, não é? O que é morte? E, em conseqüência disso, sempre quando eu estava fora do terreiro, e enxergava algum tipo de luz, ou pensava em espíritos, acho que inconscientemente, era a isso que eu relacionava as luzes, as formas, essas coisas que eu enxergo, e não sei bem o que é. Relacionava a tudo de ruim...
Não confio muito na minha intuição, então, tudo quando é coisa que eu enxergava, que eu não sabia o que era, preferia definir como sendo algum ruim. E, me afastava, me assustava e depois ficava bem braba com toda situação.
Poderia ser algo do tipo: eu rezava, pedia ajuda, pedia luz, a luz aparecia, e eu ficava braba de estar vendo ou sentido...
Levei um grande susto, já faz algum tempo, acho que quando eu tinha uns 14 anos e hoje eu tenho 26. Estava dormindo, eu alguém me cutucou na cabeça, achei que era minha mãe, e quando fui olhar só via luz... Muita luz... Desde daquele dia nunca mais dormi tranqüila virada para porta. Sempre tenho que dormir de frente para a porta, para saber o que esta acontecendo... Imagine o pavor todo de ver aquela luz tão bonita. Nunca perguntei quem era essa luz, mas pensando bem, hoje, não acho que seja algo ruim.
Ter tanto medo de espírito ruim... de chegar até confundir, e me assustar com tanta coisa bonita, tanta luz que eu já vi, me faz perguntar : Até que ponto um espírito ruim pode me influenciar ? É na medida do meu medo? Sou eu que crio esses espíritos na minha cabeça, e depois acabo atraindo, ou nem atraindo, só achando que estou atraindo?
Eu tenho muita fé na umbanda. Fé nos espíritos. Não acho que tenha mais motivo para ficar confundindo as coisas. Tenho que aprender a separar. Não achar que tudo que eu vejo seja ruim, pq afinal de contas é luz...

Obrigada, Pai Fernando!

22 comentários:

  1. Carolina:

    O assunto abordado é muito interessante. Não vou falar da morte porque agora não é o caso. Pondo o assunto morte no espelho ele reflete o contrário, a vida. E a vida é a existência eterna.
    Quando vc entender o espírito, as tuas vidências ficarão mais claras e, obviamente, mais calmas.
    Não é questão de intuição, é de bom senso. Em um terreiro de Umbanda, que chamamos de Casa dos Espíritos, alguém enxergar um deles não é certo desconfiar, mas de se acostumar. Quando isso acontecer procure não se impressionar. Não peça nada e muito menos reze porque existe alguma razão maior para ele estar ali.
    No caso do susto pode haver alguma gravidade. Existe uma enorme diferença se vc acordou com alguém cutucando tua cabeça ou só achou que estavam cutucando. Isso é importante porque espírito não pode cutucar fisicamente sem antes fazer um trabalho de efeitos físicos extraindo ectoplasma de alguém da casa e esse alguém pode ficar adoentado por isso. Não se preocupe porque esse fato aconteceu há muitos anos. É só um esclarecimento.

    Quanto a pergunta até que ponto um espírito pode te influenciar funciona assim: se vc não sabe que isso está acontecendo pode prejudicar, caso contrario vc não receberá nada negativo dele.FMG

    ResponderExcluir
  2. Lendo a carta da Carolina me lembrei que algum tempo atrás li em um site a seguinte mensagem que vou tentar transmitir o que me lembro, e que dizia o seguinte:

    A VERDADEIRA VIDA É A DO ESPÍRITO


    Sabedoria divina é aliar irmãos devotados ao trabalho redentor, pois a comunicação com Espíritos Superiores proporciona aos Grupos de Trabalho, recebimento de fluidos energéticos de elevado teor, cuja transfusão auxilia no desenvolvimento das forças do grupo receptor e de cada participante do mesmo.

    Esses, por sua vez, vivenciando a experiência e o contato com as Forças da Luz, encontram impulso para transformar em si, os pendores existentes de baixa freqüência.

    Cada ser que convosco se comunica deixa sua marca, pois transfere através do comunicante suas energias, contribuindo com idéias e vibrações para elevação de todos.

    Os meios encontrados para facilitar o desenvolvimento das consciências são diversos, e o Plano Divino atende a todos, incondicionalmente, oferecendo oportunidades infinitas de reajuste, mudança e crescimento.

    Violência brutal contra a vida, único bem verdadeiro que possuímos doado pelo Criador e destinado a reconciliação com Sua Vontade Soberana.

    Muitos interpretam mal nossas práticas, criticam, jogam dúvidas sobre nossa honra. Atacam, pois se sentem ameaçados por um dos últimos núcleos de resistência existente no planeta, núcleos que teimam em afirmar e testemunhar a transitoriedade da matéria densa.

    A verdadeira vida é a do espírito. Sobre a Terra caminham os homens com a finalidade de dedicarem-se à expansão de seus sentimentos, transformando-os pela atuação voluntária da mente:

    Ódio em amor;

    Tristeza em alegria;

    Orgulho em humildade;

    Egoísmo em amor ao próximo;

    Guerra em paz.

    Humanidade carente, de coragem, de bondade, do amor, da misericórdia e da luz. O planeta perde colaboradores e benfeitores da paz mundial. Sobrepõe-se em seu lugar, conquistadores bárbaros, cujo único propósito é usufruir da matéria, sugando forças do planeta e deixando atrás de si um rastro de destruição.

    De mãos dadas, os Espíritos de Luz, Irmãos e amigos.

    Morto, permaneço trabalhando e prestando ao Mundo a humilde colaboração dos que nada tem de si, mas muito desejam ajudar.

    Salve a Luz!

    Salve o amor sem fronteiras!

    A VERDADEIRA VIDA É A DO ESPÍRITO.

    O Autor da mensagem é Espirito que já não me lembro.

    AXÉ para todos os nossos irmãos e irmãs.

    Carlos Lima - Portugal

    ResponderExcluir
  3. Pai Fernando

    Falando em visões, isso me lembrou de uma duvida, como saber a diferença entre fazer uma projeção ou estar só sonhando?
    Quando em vigilia, não me assusto, vejo pela visão periférica, e td bem, ta ae...continuo oq estou fazendo, por outro lado, vez ou outra, tenho uns sonhos mt lucidos, mt reais, onde vejo e converso com pessoas, e alguns me assusta mt, até a ultima vez q aconteu, fiquei com mt medo, pq me encontrei em um lugar horrivel, e tenho mt duvida sobre oq realmente aconteceu, era mt real, mas fico na duvida, era sonho ou não? Como sei a diferença?
    Isamara

    ResponderExcluir
  4. Isamara:

    Não tem como saber por sinais ou lógicas. Só a propria intuição e observação de quem sonhou é que podem indicar se é ou não sonho. FMG

    ResponderExcluir
  5. Pai Fernando
    a mediunidade, principalmente a de ver os espíritos, pode ser aberta ou fechada, caso esteja causando "transtornos" ao médium?

    Patricia

    ResponderExcluir
  6. Patricia:

    Mediunidade não se fecha, mas pode ser trabalhada e equilibrada. Isso se faz através do desenvolvimento mediunico. FMG

    ResponderExcluir
  7. Mais uma coisa...Eu tenho uma filha de 6 anos, ela vê e ouve espiritos, ou pelo menos diz, e acredito nela em razão da idade e da riqueza de detalhes q ela descreve, eu queria entender melhor o ultimo "sonho" dela, acordou chorando mt no meio da noite com medo, a acalmei e pedi para me contar o sonho, ela diz ter visto uma luz, mt clara, e dentro da luz ela viu duas mãos e foi aparecendo uma bruxa pra ela, pedi a descrição da tal bruxa: Uma mulher gorda, feia, preta, de cabelo branco que queria pegar nela, nisso ela diz ter corrido e encontrou um indio, descreveu ele em detalhes tbm, contou q ele a levou pra cama pela mão, e q seu nome era Sete Lanças, então...nunca ouvi falar, perguntei pra mts pessoas q tbm nunca ouviram falar, será possivel um Caboclo??? Ela só tem 6 anos!!!
    Queria realmente entender melhor...
    Isa

    ResponderExcluir
  8. Sim meu Pai, eu entendo que através do desenvolvimento equilibramos a mediunidade, mas vou explicar o motivo da minha pergunta.

    Até a algum tempo atrás, eu passava por sérias dificuldades na hora que a noite chegava, principalmente na hora de dormir.
    Digo, sem vergonha, que eu tinha e ainda tenho medo da noite. Medo do mal, das energias negativas que se encondem na escuridão.
    O medo que sinto não é de espíritos (claro que se eu os ver, até ficarei com medo, rs) mas o medo que me incomoda é o que pode acontecer realmente, como por exemplo, os assaltos, assassinatos, a violência, esse tipo de coisa.
    Então, o que acontecia é que, quando a noite chegava, eu sentia medo dessas coisas, na hora de dormir, isso era ainda mais forte, porque junto com o medo vinha a nítida sensação de que algo de ruim iria acontecer, de que bandidos entrariam em minha casa e me fariam mal.
    Com essas sensações, eu não tinha sonos tranquilos. Em estado de vigilia, via vultos em meu quarto e, com a sensação de que seria atacada por eles, sempre acordava em pânico, gritando por socorro.
    Eu não sei dizer se os vultos que eu via eram espíritos ou apenas imaginação da minha cabeça. Por vezes, pude diferenciar se era homem ou mulher, mas o pavor que eu sentia me impedia de ir além e distinguir se eram espíritos ou apenas criações mentais.
    Essa situação me atormentou por longos 2 anos e eu sempre pedindo que as entidades me ajudassem com esse problema.
    Logo que eu pedia, ficava tranquila e, por algum tempo, essas sensações paravam, mas logo depois voltavam mais fortes que antes.
    As vezes eu penso se isso não seria algum "reflexo" de minha vida passada, se não seria o medo de que novamente me acontecesse algo... mas como saber não é?!?!
    No entanto, sempre pedi ajudas às entidades do Pai Léo, que me orientavam e ajudavam a me manter calma. Elas diziam que o meu medo atraía esses "vultos", que não se aproximavam para fazer-me mal, mas sim pela energia que lhes era afim.
    Na ultima vez em que pedi auxilio, S. Tupinambá disse-me que eu tbem pederia ouvir gritos, mas que isso não ocorria pq S. Akuan havia "fechado" pq eu nao tinha condições pra lidar com a situação e, em razão de eu estar novamente em crise com meus medos, que eu conversasse com S. Akuan.
    Consultando com S. Akuan, ele confirmou oq S. Tupinambá disse e fez um trabalho, que não vou saber dizer exatamente o porque, mas que depois desse dia, não tive mais minhas crises de pânico, nem vi mais "vultos".

    Por isso perguntei se a mediunidade pode ser "fechada" por algum tempo, eu queria entender oq se passou comigo.
    Obrigada.

    Patricia Sabadin

    ResponderExcluir
  9. Patricio, apesar de ser médium consciente não me lembro da consulta como Cab Akuan, mas ele deve ter orodenado teus chacras. Foi o que falei antes.FMG

    ResponderExcluir
  10. Isamara:

    Repare como as crianaças de hoje têm tido manifestações lindas, principalmente na Umbanda. Eu não conhecia, mas passei a conhecer. Savará seu Sete Lanças. FMG

    ResponderExcluir
  11. Pai Fernando,

    O Cab Akuan a muito anos atrás como o senhor sabe rs, tbm trabalhou no chacras da minha visão e depois disso parei de ver tudo aquilo que via hj vejo apenas vultos com a vibração e até consigo saber oq é mais não vejo mais em cores como via antes... nem quero ver mais mesmo rsrsrsr mais fica a dúvida do pq fiquei anos sem ver depois do trabalho do Cab Akuan e depois que entrei na gira comecei novamente a ver só que em vultos na verdade não sei explicar como vejo hj mas digo que não é como era quando tinha meus 9 anos.

    Beijos
    Monique

    ResponderExcluir
  12. Pai Fernando...agora fiquei boquiaberta com a minha filha...
    depois da sua postagem resolvi pesquisar, não o fiz antes pq não sabia se poderia ser msm um Caboclo, digitei Caboclo Sete Lanças no google, e não é q achei algumas coisas, mas não é mt conhecido, achei a letra de um ponto cantado:

    Vamos saudar Seu Sete Lanças,
    Que de Aruanda traz a Paz e a Esperança....
    É o Cabloco de Ogum, é Guerreiro da Paz....(bis)

    Sua bandeira é a esperança,
    É o Caboclo de Ogum, Seu Sete Lanças,
    É o Caboclo de Ogum, é o Caboclo de Ogum,
    Ogum de Lei, Ogum de Lei....

    fonte:http://www.girasdeumbanda.com.br/pontosogum.asp

    é o ultimo ponto da pagina...
    Isa

    ResponderExcluir
  13. Isamara:

    Quando as crianças falam, o minimo que temos que fazer e pesquisar. Eu não faço isso porque acredito na mediunidade das crianças porque sei que a Umbanda vai crescer cada vez mais. FMG

    ResponderExcluir
  14. Pai Fernando, ontem na conversa com Seo Akuan ele me disse que eu podia perguntar para o Senhor, hehehe... então irei perguntar! :o)
    O medo que sentimos pode fazer que aconteça o bloqueio da visão e/ou audição mediúnica??? Pergunto pq na hora de dormir sempre sentia presenças, não ia dormir pensando nisso então acho que eu não 'puxava' esses acontecimentos. Mas eu deitava para dormir e após um período de sono eu começava a ouvir me chamar muitas e muitas vozes e muitas vezes e ao despertar, no meio da noite, sentia como se estivessem me olhando.. como era criança conversei com minha mãe, ela disse q era bobagem e desculpa para não dormir no quarto e conversando com outras pessoas me disseram que essas vozes queriam me matar e que eu não podia responder ao chamado pq senão eles 'me levariam' com eles.... então sempre, sempre que acontecia ou eu saía do meu quarto e ia dormir na sala ou ia dormir no chão ao lado da minha mãe. Tambem houve uma vez a muitos anos atrás (uns 20+/-) que meu pai cismou de passar a noite de carro pelo bosque que tinha no parque barigui que eu estava no banco de trás do carro e passei o percurso todo em prantos gritando e o pavor q sentia era pq via alguém na frente do carro, hj em dia na minha lembrança me parece um índio, mas na época eu tinha a sensação que meu pai iria atropelar aquela 'pessoa' q eu via e o pânico em mim foi imenso... lembro pouco desse fato, muito pouco mesmo.
    Sempre tive uma intuição muito forte e sempre segui muito minha intuição.... mas quando acontecia de eu ver e/ou ouvir eu rezava muito, muito mesmo para não ver... não ouvir.... e como sempre q acontecia mais forte era meu desejo de não acontecer.... tenho a sensação que meu medo bloqueou tudo.... pois hj em dia sinto alguns arrepios, converso muito "sozinha", pois sinto que não estou "sozinha" pois até me respondem, hehe... mas esses fatos de ver e ouvir acontecem muuuuuuuuuuuuuito eventualmente, ou melhor, raramente.... É assim mesmo? O medo bloqueia??? E isso pode ser revertido???

    Muito obrigadinha, beijinhos Denise

    ResponderExcluir
  15. Denise:

    Mediunidade não desaparece e nem se bloqueia. Os chacras é que vão se ajustando e harmonizando com o perispirito e toda parte da mediunidade vão ficando cada vez mais controlada. FMG

    ResponderExcluir
  16. Na minha infancia aconteceu uma coisa q por mais q eu perguntasse e tentasse achar a resposta ninguem soube me explicar oq aconteceu, ja me disseram até q foi minha imaginação, mas isso eu sei q não foi.
    Sempre tive medo do escuro, ainda tenho rsrs, e por isso eu dormia na cama de cima do beliche, pois o interruptor ficava ao alcance da minha mão, uma noite, meu pai apagou a luz antes de eu dormir, como ja estava quase dormindo, fiquei quetinha na cama, um tempo depois senti alguem passar a mão no meu rosto, levei o braço na hr pra acender a luz, bati na parede, pensei nossa como foi q eu me virei na cama, levei o braço pro outro lado e parede tbm, fui engatinhando até o outro lado da cama pq tinha um espaço vago nos pés, e era parede tbm, os quatro cantos da cama era parede, eu ja estava apavorada, senti como se alguma coisa me abraçasse, toquei e tinha uma textura inesplicavel, não se parecia com nada q eu tivesse tocado, comessei a gritar bater nas paredes chamando por meus pais, o quarto deles ficava ao lado, mas não tive resposta, fiquei encolhida num canto por horas, até q resolvi tentar acender a luz de novo e não estava mais presa, corri pro quarto dos meus pais, brigando porque eles não tinham ido ver o pq eu tava gritando, e eles disseram q eu estava sonhando e q não tinham ouvido nada, e detalhe, as paredes eram de madeira.
    Agora, as paredes eu sei q não se moveram, mas eu estava presa no escuro com alguem, e estava acordada, e foi real, depois desse dia nunca mais dormi a noite, sempre espero amanhecer pra deitar, queria entender oq aconteceu...
    Isamara

    ResponderExcluir
  17. Pai Fernando agradeço imensamente a resposta, mas me surgiu outra dúvida.... então a questão de ver a anos atrás era pq estava com os chacras desalinhados e se isso não acontece mais hj dia, é pq não tenho, de fato, o dom da vidência?

    Muito obrigadinha, Denise

    ResponderExcluir
  18. Denise:

    A mediunidade não desaparece. Talvez agora vc deva organiza-la, através do desenvolvimento, para que a videncia se ajuste. FMG

    ResponderExcluir
  19. Carlos Lima - Portugal6 de março de 2009 17:42

    Meu Pai Fernando encontrei na net uma mensagem de Preta Velha que penso que vai ajudar no tema.

    INTUIÇÃO OU IMPRESSÃO



    Vovó Luiza da Bahia

    Médium Elizabeth Caetano Drumond

    Psicografado em 02/08/2008

    Boa noite fios,

    Véia veio aqui tentar explicar algumas coisas que estão atrapalhando o desenvovedor dos médiuns de trabalho aqui nessa terra tão bonita.



    Véia não sabia como ia começar e pediu ajuda de irmãos para fazer falador.



    Nós tudo tem observado que fios num anda prestando atenção nas intuições que são dadas por nós.



    Muitas vezes somos nós que estamos querendo dar recado, aviso e também mostrar que fio não anda agindo muito certo nas suas atitudes e decisões. Nós não podemos interferir no livre arbítrio de cada um de suncês, mas podemos ajudar em algumas coisas.



    Mas suncês fios num dão atenção a nada que vem das entidades de luz. Quando fios têm intuição que é para seguir a estrada da vida por um lado, lado esse fios, que nem sempre o começo é fácil, mas lá no final nós já vimos que é o melhor para suncês. Aí suncês falam:



    - Acho que estou ficando doido, como posso seguir por ali se tem uma montanha na frente do caminho?



    Então suncês param e pensam que foi coisa do camutuê de suncês e acham que foi apenas uma impressão e que nunca as Entidades iriam deixar suncês ir pelo lado mais complicado e às vezes o mais doloroso. Agora, se um carnado diz prá suncês que outro carnado fez cafunga (macumba) prá suncês pronto! Todos suncês percebem a presença do irmão que ainda não teve a oportunidade de seguir sua caminhada até a luz, suncês percebem que o canzuá (casa) está cheio de esprito, percebem tudo, menos nós que estamos sempre querendo ajudar na caminhada.



    Porque fios, isso cuntece?



    É falta de confiança em si mesmo, é falta de querer ser independente e sabe por que? Porque é muito fácil ter Mãe ou Pai no Santo para recorrer em todas as situações em que suncês se vêem espremidos né fios? É só chegar no terreraco e falar:



    - Mãe no Santo, eu não consigo dormir, estou vendo coisas no meu canzuá e tenho ficado todo rupiado (arrepiado), não sei porque!? Eu só sou médium de cantar, dá para participar da desobsessão hoje?



    Fios, suncês estão dentro de um terreraco, fazem parte de um corpo mediúnico e não querem sentir nada? Muitas das vezes somos nós que estamos tentando aparecer prá suncês, porque se falar num tá diantando, nós tenta mostrar, e os rupios é nós que muitas vezes estamos pertinho para tentar acalentar um coração triste ou um camutuê confuso.



    É difícil para nós, mas não é impossível. Nós espera o tempaco que for para fio de terra se equilibrar, mas nós só podemos esperar se fio de terra quiser nós do lado.



    Então fios, comecem a prestar mais atenção aos nossos recados, não deixem que nenhuma folha caia no chão despercebida, confie em suncês e em nós, que aqui do outro lado vamos estar acreditando e cuidando de suncês.



    Mas nunca se esqueçam que nem sempre o caminho mais limpo e mais curto é o melhor para suncês.



    Não pensem que tudo é impressão e não intuição.



    Que o Pai Maior abençoe todos suncês e que os corações de suncês se sintam envolvidos de amor, fé e esperança, pois é isso que tudo nós temos por suncês.



    Saravá todo povo de Congo!

    Saravá todo povo de Mina!

    Saravá todo povo da Bahia!

    Saravá todo povo de Nagô!

    Saravá todo povo de Cabinda!

    Saravá todo povo de Angola!

    Saravá a falange de Santo Antônio!



    Para ajudar a quem não está acostumado com essa linguagem entender melhor o texto:

    Cafunga – macumba

    Camutuê – cabeça

    Canzuá – casa

    Tempaco – tempo

    Terreraco - terreiro


    Muito AXÉ
    Carlos Lima

    ResponderExcluir
  20. Se for "NOTE BEM"... se for a "CAROLINA" que eu conheço, peço licença e ao mesmo tempo desculpas, para DAR UM CONSELHO "INTUITIVO"..., para perder o medo ou o receio das entidades ou das "formas de luz"... emane CARIDADE E AMOR... a todos os Irmãos da Umbanda e não tenha ABSOLUTAMENTE nenhum desafeto, não despreze ninguém, pelo menos cumprimento com amor e carinho a todos os irmãos da gira sem orgulho, desprezo e ostentação... NÃO FINJA ESTAR BEM... com ninguém. Se teve um desentendimento e a outra parte já lhe pediu inumeras vezes perdão, está na hora de voce se reconciliar e perdoar também. Perdoando com sinceridade e carinho estas luzes deixarão de lhe trazer MEDO e APREENSÃO... E VOCÊ SENTIRÁ PAZ INTERIOR PARA TRABALHAR MAIS FLUÍDICA, mais solta, mais LEVE e principalmente mais FELIZ e sem MEDO... sem precisar acender a luz do quarto... sem precisar ficar apreensiva... A RECONCILIAÇÃO SÓ ESTÁ DEPENDENDO DE VOCÊ. Umbanda é caridade e amor. Umbanda tem fundamento SUTIL e também psicológico e material. AGORA SE VOCÊ NÃO FOR A "CAROLINA" QUE EU ESTOU PENSANDO, ME DESCULPE. MAS EU GARANTO. EXISTE UMA CAROLINA ASSIM AI NO TERREIRO MESMO QUE ESTA CAROLINA NÃO VEJA LUZ, E DUVIDO QUE ELA TENHA PAZ DE ESPÍRITO. Pai Fernando desculpe a intromissão. Mukuiú.

    ResponderExcluir
  21. Carolina, eu tb tenho pensamentos sobre a morte. Esses pesnamentos muitas vezes vem fora de ordem e de proposito.Em qualquer hora do dia ou noite. As vezes fico preocupado,o coração acelera e eu me sinto como se fosse morrer.Normalmente fico resignado. Enfim, estou aprendendo a conviver com isso e até acredito que isso não seja medo da morte ou algo relacionado a ela. Acho que são os espiritos tratando meu corpo, ou ajustando algum chacra. Quando nós, que lidamos com espiritos, temos algum evento desse tipo, como o que eu relatei ou o que voce relatou, me parece que devemos agradecer. Está mais para proteção, ou cuidados, do que problema, porque continuamos fortes e vivos para contar a história. Embora assuste mesmo, porque sentir o espiritos proximos da gente é um algo forte mesmo.


    Saravá !

    ResponderExcluir